segunda-feira, 23 de novembro de 2009

UFVJM quer extensão em Governador Valadares

Prodetur enrola Diamantina, Serro e São Gonçalo do Rio Preto. UFVJM aprova campus em Governador Valadares.

Vamos aceitar tanta traição?
O Consu – Conselho Universitário da UFVJM – Universidade Federal dos Vales do Jequitinhonha e Mucuri aprovou um campi em Governador Valadares. Professores, estudantes e cidadãos de todo o Vale vem protestando contra esta decisão. A Universidade - Consu, Direção, burocracia- , mostra que não foi criada para o Vale do Jequitinhonha. O Prodetur - Programa de Desenvolvimento do Turismo II anda a passos de tartaruga nos municípios a serem beneficiados.
O jornal Voz de Diamantina, em seu Editorial, de 21.11.09, cobra providências e posturas em relação ao Prodetur e à última decisão do Consu.
Leia abaixo:
PERDAS APLAUDIDAS, CONSENTIDAS
E TRAIÇOEIRAMENTE PERPETRADAS

Diamantina mostra exuberância até no infortúnio: suas conquistas medianas se realizam pela metade; e seus principais ganhos se transformam em perdas retumbantes.
O Prodetur NE II - Programa para o Desenvolvimento do Turismo no Nordeste foi assinado em 2001, e beneficiaria os municípios de Diamantina, Serro e São Gonçalo do Rio Preto com investimentos de R$ 127 milhões e semelhante contrapartida governamental. Nestes quase nove anos, apenas o aeroporto de Diamantina foi construído, e o saneamento básico da cidade anda a passos de tartaruga, enquanto o do Serro se acha quase concluído.
A nova rodoviária de Diamantina, a restauração do Niemeyer da Praça de Esportes, o asfaltamento Diamantina-Serro-Conceição de Mato Dentro continuam em banho-maria, ou foram canceladas.
Grande parte dos conselheiros do Prodetur já nem se lembra dos vários outros investimentos previstos. A justificativa para o encolhimento do programa é a baixa cotação do dólar, moeda em que foi cotado na época de sua assinatura. Mas o atraso e a morosidade das licitações, mais que a defasagem cambial, comprometeram grande parte de sua execução. No entanto, os prefeitos de Diamantina, Serro e São Gonçalo do Rio Preto, em uníssono, não poupam aplausos, loas e rapapés à formidável gestão do programa.
O saneamento básico de Diamantina, que previa a separação do esgoto de todos os cursos de água que circundam a cidade e a construção de uma ETE no Bairro da Palha, foi anunciado como dos mais modernos e eficazes da atualidade. Já com enorme atraso e grande desconforto para a população, sabe-se, hoje, que ele não terá a tão propalada eficiência. Com o aproveitamento da antiga rede do centro histórico de Diamantina - de águas pluviais misturadas ao esgoto - o sistema só funcionará bem na seca. Nos meses de chuva teremos de resignar-nos com a poluição. O Governo de Minas destinou R$ 500 mil para o asfaltamento da Avenida Sílvio Felício dos Santos, entrada principal da cidade. Um dos mais festejados técnicos municipais confessou que a rede de águas pluviais só será feita na parte plana da avenida. Vale dizer que a Prefeitura de Diamantina vai realizar uma obra necessária, de vulto, já de muito cobrada pela população e pelos turistas, mas com alto grau de amadorismo e nenhum planejamento estratégico. Onde já se viu empregar meio milhão de reais em uma avenida sem rede para as águas de chuva?
Enquanto ganha alguma forma o sonho da Faculdade de Medicina, cuja errática e salomônica criação tende a gerar um curso Frankenstein que funcionaria parte no Campus de Diamantina e parte no de Teófilo Otoni, vem à tona a inacreditável decisão do Consu – Conselho Universitário de estabelecer uma extensão da UFVJM em Governador Valadares, no Vale do Rio Doce.
Enquanto os Vales do Jequitinhonha e Mucuri se refaziam da tentativa de transferir cursos das Ciências Agrárias para Curvelo, no Vale do São Francisco, surge essa premeditada diluição da principal conquista de dois dos maiores e mais pobres bolsões do país.
O Consu é órgão soberano. Especialmente em decisões contra essas desprotegidas regiões.
Que traição às suas cidades polo e a tantas outras menores que se beneficiariam com a fidelidade às premissas libertárias e desenvolvimentistas que nortearam a criação da UFVJM.
Essa derrota revela o grau de orfandade política de Diamantina e das cidades do Vale do Jequitinhonha; e o quanto membros do Consu, supostamente comprometidos com a região, são desarticulados.
Estação Conhecimento, Prodetur, Monumenta se esfarelam insignificantemente diante do espírito entreguista que dominou os membros do Consu; uns a votarem contra a redenção de populações desde sempre rejeitadas; outros a omitirem seu voto, a se acovardarem na argumentação e na honesta defesa daquilo em que, agora se vê, nunca acreditaram.
Joaquim Ribeiro Barbosa - “Quincas”, Editor do jornal Voz de Diamantina, em 21/11/2009.

3 comentários:

Pedro Afonso disse...

Costumo dizer que Diamantina, abocanha todos os recursos do Jequtinhonha e os colocam em vitrines para turista ver. Inobstante, mais esta primeiro vem o Mucuri e furta o Campus da UFVJM de Araçuaí, agora GOVAL com inveja de Teófilo Otoni, abocanha um Campus também. Ora, Governador Valadares não é Jequitinhonha desde quando saiu das barras das saias de Minas Novas, a séculos. Há que se indagar,porque o Jequitinhonha é usurpado por todos os lados, mas é simples dizer quando temos uma cambada de deputadas do Mucuri e Rio Doce, petistas até as entranhas das almas, que evadem nossos recursos. E o Vale segue sendo saqueado até hoje, porque não colocar um Campi em Araçuaí ou Itamarandiba, cidade esta que é um pólo de silvicultura do país, e não possui sequer uma Escola Técnica Pública para atender a forte vocação do setor florestal. Chega! Rio Doce, não Jequitinhonha, tão pouco Mucuri, talvez seja por isto que dizem hoje na posmodernidade que não existem mais fronteiras, mas aqui leitores seria mera eloquência. INSATISFAÇÃO DO VALE PARA GRANJA.

Zan disse...

Sabemos que desde a sua implantação, a UFVJM nunca pertenceu aos vales do Jequitinhonha e Mucuri...
Isso é só "para ingles ver".

O vale do jequitinhonha sempre foi e continua ficando em 2º...1000º lugar...

Uma pena...

Jair Fortunato, Sch.P disse...
Este comentário foi removido pelo autor.

Postar um comentário