quarta-feira, 16 de agosto de 2017

Hidrelétricas mineiras privatizadas aumentam conta de luz em 300%



Conta de luz pode aumentar três vezes, caso leilão de usinas aconteça em setembro.

Brasil de Fato | Belo Horizonte (MG)
,11 de Agosto de 2017 às 10:05
Ouça a matéria:
São Simão foi inaugurada em 1978, e possui 1.710 MW de potência instalada / Divulgação Cemig

A Aneel, Agência Nacional de Energia Elétrica aprovou, no último dia 08.08.17, o edital para o leilão de quatro usinas mineiras: Jaguara, São Simão, Volta Grande e Miranda. Com a decisão, a venda das hidrelétricas fica marcada para 27 de setembro. O leilão estava suspenso desde o dia 28 de julho, a pedido do Tribunal de Contas da União.
Juntas, as quatro usinas correspondem a quase 50% de toda a energia produzida pela Cemig. Movimentos populares e sindicais articulam uma Plataforma Operária e Camponesa para lutar contra a venda. Eles denunciam que, se acontecer, o leilão pode levar a Cemig à completa privatização, já que a venda das hidrelétricas vai comprometer a economia da estatal.
O governador Fernando Pimentel (PT) afirmou que a venda das usinas pode aumentar em até três vezes o valor da tarifa de energia.  “A gente tem esperança de paralisar esse processo de leilão e negociar com a União a permanência dessas usinas com a Cemig. É uma luta que hoje é de todos os mineiros”, disse.
A Cemig entrou com um recurso no Supremo Tribunal Federal, pedindo a prorrogação da concessão. A liminar será avaliada no próximo dia 22. Além dessa liminar, também corre na Justiça uma ação popular pedindo o cancelamento do leilão.
Articulações e resistência
O governo federal pretende vender as usinas por R$ 11 bilhões. Uma das regras do edital de leilão prevê que o dinheiro pago pelas usinas seja descontado, ao longo de 30 anos, na conta de luz dos consumidores.
Para Jefferson Silva, presidente do Sindicato dos Eletricitários de Minas Gerais (Sindieletro) é preciso garantir a conscientização dos consumidores. “Precisamos estar mobilizados para pressionar o cancelamento deste leilão e garantir que o controle e gestão das usinas fiquem no estado e que não haja reajuste em nossas tarifas”, alerta.
Além da Plataforma, também foi articulada a Frente Mineira em Defesa da Cemig, composta por movimentos populares, sindicais, parlamentares e empresários. No dia 8, a Frente foi a Brasília para negociar a situação das usinas. Eles se reuniram com a Frente Parlamentar do Setor Elétrico, com o Tribunal de Contas da União e também com o ministro Dias Toffoli, do STF, responsável pela liminar referente ao leilão das usinas.


Para Joceli Andreoli, que compõe a Plataforma Operária e Camponesa de Energia, além da luta política é preciso garantir a pressão popular. “O ministro afirmou que vai tentar uma negociação entre a Fazenda, governo federal e Cemig. A bancada federal mineira se comprometeu em emperrar os projetos no Congresso para pressionar o governo. A possibilidade que nos resta é a pressão popular e política. A gente espera que essa luta tenha sucesso porque as hidrelétricas são do povo, já foram pagas e agora devem servir à população”, defende.
Como fruto das negociações em Brasília, acontecerá no dia 17 uma reunião na Assembleia Legislativa, entre as Frentes Federal e Estadual em defesa das usinas. Também está previsto um ato no dia 18, na hidrelétrica de São Simão, no Triângulo Mineiro. A Plataforma Operária e Camponesa de Energia também articula uma série de seminários para conscientizar a população da importância de manter estas usinas sob o controle do Estado e organizar a luta contra o leilão. 
Fonte: Brasil de Fato

Pesquisa eleitoral mostra Pimentel com 28%, seguido por Dinis Pinheiro e Márcio Lacerda com 12%

PESQUISA MULTIDADOS MOSTRA LIDERANÇA ISOLADA DE PIMENTEL NA CORRIDA PARA O GOVERNO DO ESTADO. 
NOMES COMO OS DE MÁRCIO LACERDA, DINIS PINHEIRO, VITTORIO MEDIOLI E RODRIGO PACHECO TAMBÉM ESTÃO NO PÁREO.
Dinis Pinheiro (PP) e Márcio Lacerda(PSB) são pré-candidatos ao governo de Minas.
FAVORITISMO

Fernando Pimentel aparece em liderança isolada na corrida para o governo do Estado, na pesquisa mais abrangente feita até agora pela Multidados sobre eleições mineiras. No levantamento feito em julho com 2 mil eleitores de 145 municípios, o governador recebeu 28% das intenções de voto. Ele tem 16 pontos de vantagem sobre os nomes em segundo lugar e tem apenas 5 pontos a menos que a soma de todos os adversários. Se a eleição fosse hoje, Pimentel chegaria com folga ao segundo turno, segundo a Multidados. E, como a campanha mal começou, a pesquisa aponta chances de reeleição no primeiro turno.


JOGO EMBOLANDO 

A disputa pela outra vaga no segundo turno está acirradíssima na pesquisa Multidados. 
Há 3 candidatos em empate técnico na segunda posição: Dinis Pinheiro(PP), ex-deputado estadual, e Márcio Lacerda, ex-prefeito de Belo Horizonte (2009-2016), ambos com 12%, e com 10% Vittorio Medioli, empresário, ex-deputado federal e atual prefeito de Betim. 
Em terceiro aparece o deputado federal Rodrigo Pacheco (PMDB), com 6%. 
Outros candidatos somaram 5%. 
Indecisos e não-votos (nulos e brancos) chegaram a 27%.


DADOS ROLANDO 

A nova pesquisa Multidados foi muito boa para todos os principais pré-candidatos colocados na corrida ao governo mineiro. Em tese, todos os nomes listados podem chegar lá. É mais uma pesquisa a confirmar que a disputa eleitoral está aberta no estado, embora já exista um favorito em campo.


Fonte: Coluna Raquel Faria, no jornal O TEMPO, nesta quarta-feira, 16.08.17



Um ano antes da eleição, pré-candidatos ao governo de MG intensificam viagens.


Uma das premissas da campanha eleitoral é a de que é preciso gastar muita sola de sapato para ser eleito. E, mesmo faltando mais de um ano para as eleições do ano que vem, parece que pré-candidatos ao governo de Minas Gerais têm levado ao pé da letra essa afirmação. Exemplos disso são o ex-prefeito de Belo Horizonte e presidente do PSB estadual, Marcio Lacerda (PSB), e o ex-presidente da Assembleia Legislativa de Minas Gerais (ALMG) Dinis Pinheiro (PP), que têm andado, e muito, pelo Estado.

Isso é o que mostra levantamento realizado pelo Aparte sobre as viagens ao interior de Minas realizadas por esses possíveis postulantes à cadeira do Palácio dos Tiradentes. A pesquisa foi feita com base nas publicações deles em seus perfis oficiais do Facebook. Vale ressaltar que o número de deslocamentos dos pré-candidatos pode ser maior, uma vez que nem todas as viagens são registradas nas redes sociais.

As explicações para as visitas ao interior de Minas são várias. Entre elas estão, por exemplo, encontros com prefeitos, vereadores e lideranças das regiões visitadas. Também estão na lista o recebimento de títulos e comendas nos municípios e idas a festividades locais. Em relação a Lacerda, palestras sobre gestão estão entre os motivos das “andanças”. Com a campanha mais curta no ano que vem, os cotados para o governo do Estado estão aproveitando esse tempo para buscar mais alianças e tornarem-se mais conhecidos.

Desde janeiro deste ano, o ex-prefeito da capital mineira realizou 56 viagens ao interior, visitando 51 cidades distintas. Ele visitou por duas vezes Divinópolis, Ipatinga, Juiz de Fora, Nova Serrana e Poços de Caldas. Lacerda intensificou os deslocamentos em junho. Mas, antes disso, realizou viagens por Minas e pelo Brasil representando a Frente Nacional de Prefeitos (FNP), uma vez que era presidente da instituição.

Quem também acentuou as viagens no segundo semestre deste ano foi Dinis. Ele pegou estrada por 54 vezes, indo para todas as regiões do Estado, sendo que foi ao município de Formiga por duas vezes e a Sete Lagoas em três oportunidades. Além de contar com uma equipe de comunicação, o ex-deputado já estaria estruturando uma equipe para montar o plano de governo.

Já o atual governador Fernando Pimentel (PT) deve buscar a reeleição no ano que vem. Conforme levantamento no site da Agência Minas, ele viajou pelo Estado por 42 vezes neste ano, sendo que repetiu quatro destinos: Divinópolis, Juiz de Fora, Teófilo Otoni e Uberaba. 

Além de inaugurar obras, entregar viaturas e ambulâncias e receber comendas, o petista tem participado dos Fóruns Regionais. Pimentel também tem-se encontrado com prefeitos em solenidades de entrega de viaturas e equipamentos de saúde realizadas em Belo Horizonte. 
FONTE: Fransciny Alves, na página 2 do jornal OTEMPO, DE 16.08.17.

segunda-feira, 14 de agosto de 2017

Chapada do Norte: Unimontes fará pesquisa para preservar dois séculos de tradição religiosa

Uma tradição com quase dois séculos e meio de existência, cultuada pelo povo negro do Vale do Jequitinhonha, é objeto de um estudo inédito da Universidade Estadual de Montes Claros (Unimontes). O projeto intitulado “História da Irmandade de Nossa Senhora do Rosário dos Homens Pretos” trabalha pela preservação da história de Chapada do Norte, a partir de registros das primeiras décadas do século XIX.
A ação envolve a Pró-Reitoria de Extensão, Departamento de Artes e o Núcleo de História e Cultura Regional (Nuhicre), em parceria com o Governo do Estado, por meio do Instituto Estadual de Patrimônio Histórico e Artístico de Minas Gerais (Iepha/MG). A duração prevista para o estudo é de dois anos, com interface da pesquisa com as práticas extensionistas.
A Irmandade de Nossa Senhora do Rosário dos Homens Pretos foi fundada por volta de 1820, por escravos que residiam no então distrito, cenário comum naquela região diante do surgimento de outras localidades com as mesmas características e com registro de devoção à santa.

Ritos de fé e devoção à Nossa Senhora do Rosário dos Homens Pretos fazem parte do objeto de pesquisa (Foto: Divulgação / Unimontes / Reprodução Agência Minas)


Início
A proposta da pesquisa cultural em Chapada do Norte surgiu durante as intervenções realizadas pela Unimontes na última edição do Festival de Inverno de Grão Mogol, em 2016. Um dos diferenciais do evento está na divulgação das manifestações culturais e populares, especialmente dos municípios do Norte de Minas e do Vale do Jequitinhonha que fazem parte do circuito do lago da usina hidrelétrica de Irapé, como é o caso de Chapada do Norte.
Batuqueiros dançam e cantam em louvor à Santa do Rosário.
Diante da participação no evento, a Irmandade de Nossa Senhora do Rosário dos Homens Pretos formalizou uma solicitação à Unimontes. O presidente do grupo, Maurício Costa, pediu auxílio aos professores na avaliação no estado de conservação e na restauração dos livros de compromisso da Irmandade.
A ação de avaliação (viabilidade e valores) e restauração foi acordada com o setor de restauro do Iepha/MG, mas diante do valor histórico detectado junto à comunidade, a Unimontes cumpriu uma visita técnica a Chapada do Norte para analisar outras potencialidades culturais. “Percebemos valores culturais praticamente intactos por mais de 200 anos”, relata o professor Denilson Meireles, do curso de Ciências da Religião e integrante do Nuhicre/Unimontes.
Nas próximas semanas, o projeto será apresentado institucionalização junto ao Conselho de Ensino, Pesquisa e Extensão (CEPEx/Unimontes) e, caso o pedido seja aprovado, estará apto para a inscrição em editais de financiamento junto às agências oficiais de fomento.

Os professores Leonardo Silva e Igor Coimbra, do Departamento de Artes da Unimontes, também participantes da pesquisa de campo, salientam a potencialidade da cultura local, do ponto de vista musical e de expressão corporal, dentre outros pontos.
Além do trabalho ao lado do Iepha/MG no processo de restauração de livros da Irmandade, inicialmente com quatro volumes datados de 1820, os pesquisadores da Unimontes atuarão numa ampla pesquisa sobre a Festa de Nossa Senhora do Rosário dos Homens Pretos, realizada anualmente, durante dez dias de outubro, com ritos de fé e devoção à padroeira.
A cavalhada, o teatro popular da guerra entre mouros e cristãos, acontecida na Idade Média, é uma das atrações da Festa do Rosário dos Homens Pretos de Chapada do Norte.
“Do ponto de vista musical, o nosso estudo incluirá a elaboração de partituras para o registro das músicas cantadas nestes quase dois séculos de festa, sempre à mesma maneira”, acrescenta o professor Igor Coimbra. “Haverá, ainda, o registro dos costumes locais associados ao teatro, assim como as representações dos batuques e conflitos, do artesanato e da culinária, dentre outras manifestações”, pontua o professor Leonardo Silva.
Fonte: Agência Minas

domingo, 13 de agosto de 2017

Polícia Federal prende ex-prefeito de Januária

Maurílio Arruda, ex-prefeito de Januária.

O ex-prefeito de Januária, Maurílio Neris de Andrade Arruda, foi preso na quarta-feira (09/08/2017), em Montes Claros. De acordo com a Polícia Federal, Maurílio Arruda estava foragido e contra ele havia um mandado de prisão preventiva em aberto expedido pela Justiça Estadual de Januária durante a Operação Rua da Amargura, que investigou fraudes em licitações em 2016. O ex-prefeito foi capturado no Bairro Todos os Santos.
“Ele foi preso logo após sair da sede da Procuradoria da República. Como já estávamos o acompanhando havia algum tempo, foi possível prendê-lo imediatamente após deixar o prédio do MPF”, explicou o delegado da Polícia Federal, Marcelo Freitas.
Segundo a Polícia Federal, ele estava foragido desde o final das eleições de 2016. Em setembro, Arruda fugiu de uma viatura em Montes Claros, durante a Operação Rua da Amargura. Na época, o ex-prefeito foi recapturado em Belo Horizonte enquanto buscava um habeas corpus junto ao Tribunal de Justiça de Minas Gerais (TJMG), mas foi liberado por um salvo-conduto, porque era candidato à prefeitura de Januária e não poderia ser preso no período de 15 dias que antecede as eleições.
De acordo com a Polícia Federal o ex-prefeito foi encaminhado ao presídio regional de Montes Claros após passar por exame de corpo delito.
Investigação
Nas investigações, os laudos de engenharia atestaram que várias obras de pavimentação, em Januária, não foram concluídas e que os envolvidos fraudavam processos licitatórios, direcionando a contratação de obras para uma empresa que também fazia parte do esquema criminoso.
Segundo a PF, um empresário que firmou acordo de cooperação premiada, contou que grande parte dos recursos públicos era desviado pelo grupo, sendo que o ex-prefeito recebia parcela significativa de propina paga a quadrilha.
Fonte: G1 Grande Minas

Prefeitura de Coronel Murta oferece 40 vagas em concurso público

Inscrições para concurso público da Prefeitura de Coronel Murta terminam no dia 17 de agosto.


Estão abertas até o dia 17 de agosto as inscrições para o concurso público da Prefeitura de Coronel Murta. São oferecidas 40 vagas para cargos de nível fundamental, médio e superior. O salário varia de R$ 880 a R$ 7.427.
O concurso tem validade de 2 anos podendo ser prorrogado pelo mesmo período. De acordo com o edital, serão aplicadas provas objetiva de múltipla escolha e de títulos. A prova de múltipla escolha, de caráter eliminatória, terá duração de três horas.
As inscrições podem ser feitas pelo site e para os candidatos com dificuldade de acesso à internet, será disponibilizado atendimento presencial na Secretaria Municipal de Educação, que fica na Praça Nossa Senhora Aparecida, no Centro da cidade. No ato da inscrição, o candidato deve apresentar identidade ou outro documento equivalente, e CPF.
Fonte: G1 Grande Minas

Pedra Azul: 300 tambores de carga tóxica são abandonados na zona rural

Origem da carga está sendo investigada; há suspeita de que carreta que transportava o produto foi roubada e a carga, abandonada.

Foto: divulgação 300 tambores de carga tóxica são abandonados em zona rural de Pedra Azul
O selo nos tambores indica que o conteúdo é metacrilato de metila, produto tóxico e inflamável
 Cerca de 300 tambores de um produto tóxico e inflamável foi encontrado pela Polícia Militar do Meio Ambiente na zona rural de Pedra Azul, no Vale do Jequitinhonha.

A origem da carga já está sendo investigada pela Polícia Civil. Há uma suspeita de que os tambores possam ter sido abandonados depois do roubo da carreta que transportava o material.
O selo nos tambores indica que o conteúdo é metacrilato de metila, produto tóxico e inflamável, semelhante à acetona e ao etanol. 
 

Tambores não foram danificados
Tambores não foram danificados

 

Aparentemente, os tambores não foram danificados, mas o alerta é de que qualquer vazamento necessita de atenção. Uma fagulha durante o manuseio do conteúdo, por exemplo, tem risco de incêndio.


Quando está em forma de vapor, o metacrilato de metila pode provocar em quem tiver contato com o vapor irritação nos olhos, nariz e garganta. Se for inalado, tontura, dor de cabeça, dificuldade respiratória e até perda de consciência. No formato líquido, o produto irrita a pele, queima os olhos e pode provocar graves sequelas se for ingerido.


A secretaria de estado de Meio Ambiente e Desenvolvimento Sustentável (Semad) foi notificada. 

O fabricante foi identificado pela polícia e deve retirar o produto neste sábado, com acompanhamento do Corpo de Bombeiros e do Batalhão de Emergências Ambientais e Resposta a Desastres (Bemad), que farão a segurança durante o trabalho.
Fonte: Jornal Estado de Minas

sábado, 12 de agosto de 2017

Pela décima vez, Lula volta ao Vale, em novembro de 2017




Presidente fará Caravana da Cidadania pelo Vale e norte de Minas, em novembro deste ano.
Araçuaí, agosto de 2011: Lula declara-se apaixonado pelo Vale e garante que a região se desenvolverá pela força e persistência do seu povo. 
O ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva inicia, no próximo dia 17 de agosto, uma caravana por estados do nordeste brasileiro intitulada “Lula Pelo Brasil”. Durante a viagem, o petista receberá quatro títulos de Doutor Honoris Causa, homenagem destinada a figuras de destaque por sua atuação em áreas como a política, as artes e a academia.
Além dos títulos, honrarias e conversas com prefeitos e governadores da região nordeste, a caravana vai debater o legado dos governos Lula e Dilma e avaliar o que deu certo e o que ainda não deu nas políticas implantadas pelo Partido dos Trabalhadores nos últimos 13 anos.
A viagem, que acontece em parceria com a Fundação Perseu Abramo, passará por Bahia, Alagoas, Sergipe, Pernambuco, Piauí, Paraíba, Rio Grande do Norte, Ceará e Maranhão e será finalizada em São Paulo no dia 5 de setembro.
Construção
A Fundação Perseu Abramo acaba de lançar o Programa Brasil em Movimento, que busca estimular uma nova estratégia política para o Partido dos Trabalhadores, a partir de sugestões e proposições da própria sociedade. 
O ex-presidente já organizou diversas caravanas como a que se iniciará neste mês. Ainda nos anos 1970, Lula percorreu o país para organizar o sindicalismo. Já nos anos 1980, as viagens serviram como base para a formatação do Partido dos Trabalhadores. Entre 1992 e 1994, as Caravanas da Cidadania ajudaram a construir os programas de governo que elegeram o PT nas eleições presidenciais de 2002, 2006, 2010 e 2014.
Durante a caravana, Lula receberá títulos de Doutor Honoris Causa na Universidade Federal do Recôncavo Baiano, na Universidade Federal de Sergipe, na Universidade Estadual de Alagoas e na Universidade Federal da Paraíba. 
O ex-presidente já recebeu 28 títulos de Doutor Honoris Causa. Somente na Argentina, são nove premiações do gênero
Fonte: www.brasildefato.com.br/, em 08.08.2017
Lula estará no Vale, pela 10ª vez, em novembro de 2017.
O ex-presidente Lula deve reeditar a Caravana da Cidadania pelo Vale do Jequitinhonha e norte de Minas, provavelmente em novembro deste ano. Após as caravanas do nordeste e sul do país, Lula fará uma caminhada por Minas Gerais, principalmente no Vale do Jequitinhonha e norte de Minas, regiões que sempre o apoiaram.
Esta é a informação de dirigentes da Executiva Estadual do Partido dos Trabalhadores em Minas Gerais.

A última vez que Lula retornou ao Vale do Jequitinhonha foi há 6 anos, em agosto de 2011. Na ocasião, Lula se declarou apaixonado pelo Vale e seu povo. Esta declaração aconteceu durante a formatura de Técnicos do IFNMG, campus Araçuaí, em 19.08.2011. Lula afirmou que "o povo do Vale é apaixonante, tem uma riqueza cultural, persistência e uma força incomum para vencer as adversidades. Eu sou umas das pessoas admiradoras e apaixonada pelo povo desta região". 



Lula faz seu discurso como Paraninfo da primeira turma de formandos do IFNMG, campus Araçuaí. Ao fundo, Dr. Jean Freire, atual deputado estadual e Kincas Dias, ex-prefeito de Salinas. 

O ex-presidente enumerou alguns dos projetos do Governo Federal que podem alavancar o desenvolvimento regional como a instalação de Institutos Federais de Formação Tecnológica em Araçuaí, Almenara e Salinas. Lembrou que a Presidenta Dilma autorizou mais dois Institutos Federais na região: Diamantina e Teófilo Oroni. Lembrou da instalação da UFVJM, com campus em Diamantina e Teófilo Otoni, em 2005; de 3 Territórios da Cidadania que viabilizaram recursos para mais de 150 mil agricultores familiares; do Programa Bolsa Família que além de dar uma mão na vida de famílias miseráveis irriga a economia local com R$ 15 milhões todo mês; de vários projetos de infra-estrutura; da construção da ponte sobre o rio Jequitinhonha, em Itinga; da instalação do SAMU em 21 cidades dos Vale do Jequitinhonha e Mucuri.


Nove visitas de Lula ao Vale 
Lula lembrou das várias vezes que veio ao Vale: em 1981, organizando o PT; na Caravana da Cidadania, em outubro de 1993, fazendo o seu trajeto de Garanhuns a São Paulo; em outubro de 1995, percorrendo o Vale, passando por Diamantina, Turmalina, Minas Novas, Chapada do Norte, Berilo, Virgem da Lapa, Araçuaí, Itinga, Itaobim, Jequitinhonha e Almenara; na posse de Cacá, como prefeita de Araçuaí, em 01.01.1997; em 12.09.2002, em Diamantina, na campanha eleitoral; nos primeiros dias como presidente de República, em 11.01.2003; em março de 2004, inaugurando a ponte sobre o rio Jequitinhonha, em Itinga; em janeiro de 2010, na inauguração do IFNMG, campus Araçuaí, e barragem no rio Setúbal, em Jenipapo de Minas; e em agosto de 2011, na formatura da primeira turma de técnicos do IFNMG, campus Araçuaí. 
Foram 9 visitas ao Vale. 

Em 2011, ele disse: "O PROUNI está aí para ajudar estudantes de famílias pobres. Há mais vagas nas faculdades e assistência estudantil para manter o aluno na escola. Estou emocionado ao ser abordado por um cientista político, de Itaobim, que se formou pelo Prouni; uma dentista daqui, ou um filho de servente de pedreiro fazendo o 4º ano de Medicina”, completou emocionado.

Emoção dos formandos
O ex-presidente Lula havia chegado às 11:30 horas, em Araçuaí, e almoçado com a diretoria da escola, professores e representantes dos alunos. A cerimônia de diplomação aconteceu a partir das 14 horas.

Na colação de grau, Lula entregou nas mãos de cada estudante o seu certificado de formatura. Um a um, uma a uma, formandos e formandas iam desfilando, recebendo o diploma, dando abraços e beijos no ex-presidente. Alguns riam de felicidade e se emocionavam ao abraçar Lula. Outros choravam, suavam.
Alguns cochichavam no seu ouvido, agradeciam pela chance de estudar em uma escola federal, outros lembravam da importância de continuidade dos estudos, pedindo um campus da UFVJM, no Médio Jequitinhonha.

Veja videos de Lula, em Araçuaí, em 19.08.2011.

LULA EM ARAÇUAÍ # 19/08/011 - YouTube

https://www.youtube.com/watch?v=O520dn-msk4
20 de ago de 2011 - Vídeo enviado por xcobrabad
Veja neste video inédito e exclusivo a chegada do ex- Presidente Luiz Inácio Lulada Silva na cidade de Araçuaí, no Médio Jequitinhonha, nordeste de Minas.

Formandos do IFNMG tem Lula como paraninfo - Retrospectiva 2011 ...


https://www.youtube.com/watch?v=0sDzVD5g1EQ
6 de jan de 2012 - Vídeo enviado por tvaracuai
Em agosto de 2011, muita festa e reivindicações durante a vinda do ex presidente Luiz Inacio Lula da Silva ao Vale do Jequitinhonha - TV ARAÇUAÍ.

quinta-feira, 10 de agosto de 2017

Nova Serrana, destaque na geração de empregos, possui 8 mil trabalhadores de Angelândia e Capelinha

Ações promovidas pelo Governo do Estado contribuem para o enfrentamento da crise econômica e geração de postos de trabalho.


Os novos empregos da indústria de calçados de Nova Serrana representam 18% do total de contratações realizadas no país.

A indústria calçadista de Minas Gerais, liderada por Nova Serrana (Território Oeste), vem se destacando na criação de empregos, segundo o Cadastro Geral de Empregados e Desempregados (Caged) do Ministério do Trabalho e Emprego (MTE).
Nos seis primeiros meses de 2017 foram registradas 7.881 admissões e 5.538 demissões. O saldo é de 2.343 novos postos de trabalho, número que representa crescimento de 18% em relação a todo o ano de 2016, período encerrado com 1.981 admissões.
As contratações de Nova Serrana correspondem a 71% do total de Minas Gerais de janeiro a junho deste ano, no que se refere ao setor calçadista. No estado foram 3.283 novos postos de trabalho.
Os novos empregos da indústria de calçados de Nova Serrana representam 18% do total de contratações realizadas no país (12.677). Entre as cidades-polo nacionais do segmento, o polo mineiro está em segundo lugar, precedido por Franca/SP (4.294) e seguido de Novo Hamburgo/RS (187).
No Sindicato Intermunicipal das Indústrias de Calçados de Nova Serrana (Sindinova), o bom momento, que tem entre os propulsores as parcerias do Governo do Estado e do Serviço Brasileiro de Apoio às Micro e Pequenas Empresas (Sebrae MG), é motivo para comemoração.
O presidente do sindicato, Pedro Gomes da Silva, avalia os números do Caged como muito positivos. “Nova Serrana tem demonstrado capacidade de enfrentar crises. No nosso polo regional são 1.200 fabricantes de 12 municípios, sendo 830 indústrias somente em Nova Serrana. Aqui não se vê demissão em massa como ocorreu em outros lugares”, diz Silva.
Os demais municípios que compõem o polo mineiro são: Araújos, Bom Despacho, Conceição do Pará, Divinópolis, Igaratinga, Leandro Ferreira, Onça do Pitangui, Pará de Minas, Perdigão, Pitangui e São Gonçalo do Pará. Todo o polo emprega cerca de 20 mil pessoas.
Por meio da Secretaria de Estado de Trabalho e Desenvolvimento Social (Sedese), o Governo mineiro mantém parceria com a prefeitura de Nova Serrana na gestão do escritório do Sistema Nacional de Emprego (Sine) para intermediação de mão de obra.
Nessa estrutura, o trabalhador à procura de emprego e o empresário que busca candidatos às vagas oferecidas são atendidos de forma gratuita.
Além desse tradicional intercâmbio, a Sedese implantou, desde o ano passado, o projeto Busca Ativa, que melhora a captação de vagas nas empresas.
As unidades do Sine utilizam o levantamento mensal de dados do Caged e, junto à Secretaria de Estado da Fazenda, levantam-se os contribuintes de ICMS no estado com potencial de contratação.
A partir do cruzamento de dados produzem-se boletins com a situação local e dinamiza o mercado de trabalho.
Outra fonte de fomento do Governo do Estado é a linha de crédito de capital de giro oferecida pelo Banco de Desenvolvimento de Minas Gerais (BDMG). O financiamento é destinado a micro e pequenas empresas, com taxas mais acessíveis, a partir de 1,71% ao mês, e prazo de até 48 meses para quitação.
Essa é uma modalidade disponibilizada que se encaixa para atender a maioria das 1.200 indústrias que compõem o Polo Calçadista de Nova Serrana e região.
Design e tecnologia são desafios
Além do esforço para produzir mais e melhor com consultoria e assessoria do Sebrae MG, o presidente do Sindinova, Pedro Silva, aplaude a medida do Governo do Estado, por meio da Secretaria de Fazenda, que em 2015 inseriu o setor no Regime Especial de Tributação (RET), reduzindo a alíquota do Imposto de Circulação de Mercadorias e Serviços (ICMS) de 3% para 2%.
Recentemente, a SEF prorrogou o benefício até o ano de 2018. “Isso tem sido extremamente importante porque foi possível aumentar os investimentos na melhoria da qualidade do nosso produto, mesmo com dificuldades que ainda enfrentamos”, afirma o presidente do Sindinova. 
Silva afirma considera fundamental a implantação do Centro Especializado em Design para que a indústria local esteja em sintonia com o mundo da moda internacional e mantenha o crescimento.
Precisamos de design e tecnologia para sermos mais competitivos, seja trazendo profissionais de outras regiões do Brasil ou de países como Itália. Para isso buscamos parcerias para que o setor se consolide com a geração de mais empregos e renda”, conclui.
Feira de Calçados
No índice geral do polo calçadista da região, Nova Serrana também é líder no semestre, com 2.968 novos postos de trabalho. Em segundo e terceiro lugares estão as cidades de Perdigão (335) e Pará de Minas (325).
Para movimentar o mercado e atrair lojistas interessados de todas as regiões brasileiras, o Sindinova promove a 20ª Feira de Calçados de Nova Serrana, de 15 a 17 de agosto, 10h às 19h, no Centro de Convenções, na Avenida José Correia de Lacerda – Nova Serrana.
Fonte: Agência Minas

Entrevista de Dega Fernandes ao Blog do Banu, em 2014
Criação de Distrito Industrial em Capelinha e Angelândia pode atrair retorno de trabalhadores e empresários.  

8 mil trabalhadores são de Angelândia e Capelinha.
  
Em entrevista ao Blog do Banu, Generoso Adelson Alves Fernandes, conhecido popularmente por Dêga Fernandes, traz informações fundamentais para a compreensão do fenômeno da migração de trabalhadores do Vale para a cidade industrial de Nova Serrana, no Centro Oeste de Minas, a 112 km de BH.  

Dega é natural de Angelândia, no Alto Jequitinhonha, no nordeste de Minas. Ele ocupa o cargo de Gerente Administrativo  do Sindicato dos Trabalhadores nas Indústrias de Calçados Confecções de Roupas Estamparias e similares de Nova Serrana (SITRICANS ).

Foi policial militar por vários anos na região do Vale Jequitinhonha. Também  foi comerciante e servidor público municipal. Participou ativamente do processo de emancipação da antiga Vila dos Anjos, como  Secretário da Comissão de Emancipação do Distrito de Vila dos Anjos, posteriormente  Angelândia. É  graduado em  Administração Pública. Atualmente, estuda Direito.

Dega Fernandes concedeu, por e-mail, a seguinte entrevista ao Blog do Banu.


Faça uma breve descrição sobre Nova Serrana e sua indústria de calçados.
A cidade  de Nova Serrana está localizada na região Centro Oeste de Minas Gerais , Alto São Francisco , as margens da BR - 262 , a 112 quilômetros de Belo Horizonte .
De acordo com o IBGE , até 2013 , dispunha de população estimada em 84 mil habitantes , sendo o seu crescimento demográfico de 8%  ao ano .
É hoje um dos mais desenvolvidos Polos de calçados do país , empregando nada menos que 20 mil trabalhadores diretos e 22 mil indiretos , totalizando cerca de 42 mil trabalhadores.
Nas Indústrias de calçados de Nova Serrana são produzidos cerca de 105 milhões de pares ao ano.
O Polo transformou-se em referência nacional em estudos acadêmicos  , quando se trata de verificar o crescimento da indústria calçadista . Todos os tipos de calçados são produzidos no Polo :masculinos , femininos , infantis , tênis joging , calçados ortopédicos , chuteiras , chinelos , rasteiras e botas .
Hoje a cidade de Nova Serrana, ostenta o titulo de Capital Nacional do Calçado Esportivo.


Nova Serrana tem sido, nos últimos 10 anos, um dos destinos de trabalhadores migrantes do Vale do Jequitinhonha. Qual a estimativa de trabalhadores do Vale nas indústrias de calçados?
Calcula-se que 90% da população e trabalhadores nas indústrias de calçados sejam migrantes.
Estima-se que dos 42 mil trabalhadores do município 20 mil sejam dos Vales do Jequitinhonha , Mucuri e Rio Doce.

Quais municípios do Vale oferecem mais mão-de-obra na cidade?
Calcula-se ainda que cerca de 8 mil trabalhadores são naturais de Angelândia e Capelinha, sendo a maior parte de Angelândia .

Como e quando esta migração começou?
A  migração de trabalhadores, principalmente de Angelândia, ex-Vila dos Anjos,  e Capelinha, no Alto Jequitinhonha, começou há trinta anos atrás. Famílias da região, sem meios para sobrevivência (trabalho , emprego), começaram a deixar a sua terra natal , em busca de um futuro melhor para os seus filhos .

Como os trabalhadores são arregimentados e contratados?
Pessoas que chegavam à Nova Serrana mandavam noticias para os parentes e amigos, falando sobre o boom do emprego imediato para todos e de qualquer idade. E assim,  cada dia mais pessoas foram deixando o Vale .




Qual a média salarial e as condições de trabalho nas indústrias locais?

 A maior parte dos trabalhadores de Nova Serrana é contratada  pelo regime celetista (CLT ) , com carteira assinada , garantindo um salário justo e todos os seus direitos preservados .
A média salarial gira em torno de R$ 900 a R$ 950.

As condições de trabalho são as melhores possíveis, garantindo segurança , intervalo para almoço e lanche , e descanso semanal (sábado e domingo ) remunerado. O Sindicato dos Trabalhadores acompanha de perto para que os direitos garantidos por lei sejam cumpridos .
Há empresários/industriais com origem no Vale?

Em Nova Serrana encontram-se diversos empresários, de origem do Vale Jequitinhonha , principalmente de Capelinha, Angelândia e várias outras cidades circunvizinhas a estas ; não somente nas Indústrias de Calçados, mas também em diversos ramos de atividades comerciais .

Qual o impacto do fluxo de moradores do Vale para Nova Serrana? Na cidade de Capelinha e Angelândia há linhas de transporte coletivo regulares para Nova Serrana, isso acontece de outras cidades da região?

O fluxo de moradores do Vale para Nova Serrana é intenso. Há várias empresas de transporte coletivo que fazem essas viagens, ida e volta, até três vezes por semana  Os donos dessas empresas de linha de transporte coletivo regulares são quase todos de origem do Vale .
O maior fluxo de pessoas que deixam a cidade , para viajarem para o Vale , é geralmente no final de ano , quando a maioria das fábricas paralisam os trabalhos e só retornam após o Carnaval .
A cidade de Nova Serrana , que mais parece uma capital , pelo vai e vem diário de veiculos e pessoas durante o ano , no final de ano , mais parece com uma cidade fantasma , pois o transito de veiculos e a circulação de pessoas , cai cerca de 50% , pois centenas de Ônibus e carros partem rumo a terra natal , levando os trabalhadores .

Como já existe um now-how de empresários/trabalhadores na indústria calçadista, você acredita que um distrito industrial com esta linha de produção poderia obter êxito em Capelinha, Angelândia ou outra cidade do Vale?

A criação de um Distrito Industrial na região do Vale do Jequitinhnha, com incentivos para os Empresários que queiram implantar Industrias , tanto nas cidades de Capelinha , quanto em Angelândia ou outras cidades da região , pode lograr êxito , pois todos os trabalhadores e empresários que moram em Nova Serrana , sonham um dia voltar. Eu acredito que com a implantação do Distrito Industrial , a implantação da UFVJM , muitos terão interesses.O
progresso do Vale irá alavancar o desenvolvimento educacional e sustentável para todos .

Acrescente outras informações que você acreditar ser interessante.
Na minha opinião , tem que haver boa vontade dos Gestores Públicos , municipais , estaduais e  federais , tanto para a implantação da UFVJM , quanto para a implantação do Distrito Industrial , pois os nossos jovens , todos os dias, deixam a região em busca de trabalho e estudos, e sonham um dia voltar para a sua terra natal .

O meu lema é: a melhor cidade do mundo é a minha , a melhor casa da minha cidade é a minha , porque aquela casa é onde abriga a minha familia  , e aquela cidade é a minha terra natal :
Mas não só de sonhos a gente vive , temos que ser real ; tenho que trabalhar , estudar e cumprir os meus deveres , e para isso tenho que encontrar nesses lugares ; do contrario , mesmo com o coração apertado , terei que bater asas e voar alto â procura do  do meu objetivo .
Eu sou Gerente Administrativo de um Sindicato, que representa quase quarenta mil trabalhadores, em Nova Serrana. Tanto eu quanto o Presidente somos naturais de Angelândia. Pretendemos instalar, em Angelândia ou Capelinha , uma extensão de Base desse Sindicato  , para dar suporte aos futuros trabalhadores nas Industrias de Calçados , que se instalarão na região .
Dega Fernandes, na foto acima.