quarta-feira, 29 de janeiro de 2014

Deputado Reginaldo Lopes comemora adesão de Minas ao Pacto Nacional pelo Fortalecimento do Ensino Médio

 
Idealizador e presidente da Comissão Especial pela Reformulação do Ensino Médio, o deputado federal Reginaldo Lopes comemora a adesão de Minas Gerais ao Pacto Nacional pelo Fortalecimento do Ensino Médio. A iniciativa do Ministério da Educação (MEC) oferece formação continuada aos professores de escolas públicas de todas as disciplinas.

Em Minas, a expectativa é que 62 mil educadores participem do programa e que 2.200 professores sejam responsáveis por ministrar a formação aos docentes do ensino médio. Esses orientadores são provenientes das seguintes instituições: Universidade Federal de Juiz de Fora (UFJF), Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG), Universidade Estadual de Minas Gerais (UEMG), Universidade Estadual de Montes Claros (Unimontes) e Universidade Federal de Uberlândia (UFU).

Pode participar do Pacto o professor que atue em sala de aula e esteja registrado no Censo Escolar de 2013. Ele será cadastrado pelo diretor da escola, mediante a secretaria de educação estadual aderir ao Programa. O MEC espera que os 495,6 mil docentes do ensino médio que trabalham em 20 mil escolas públicas do país participem das aulas.

Este ano, os professores cursarão dois módulos do pacto. O primeiro trata da formação comum a todos e, no segundo, serão abordados conteúdos das áreas do conhecimento, como ciências humanas, ciências da natureza, linguagens e matemática. Os docentes vão destinar seis horas semanais à formação continuada. Serão três horas de aulas coletivas e três de estudos individuais.

Os educadores vão receber bolsa mensal de R$ 200 para fazer a formação e os professores orientadores, supervisores e coordenadores também recebem bolsas que variam entre R$ 765 e R$ 2 mil.

Reforma do Ensino Médio
Para Lopes, o Pacto fortalece a proposta do Legislativo -  projeto de lei (PL 6840/13) - que pretende alterar a Lei de Diretrizes e Bases (9.394/1996) da educação nacional. A ideia é instituir a jornada em tempo integral no ensino médio, organizar os currículos por áreas do conhecimento, incluir temas transversais, estimular a carreira profissional escolhida, eliminar o ensino noturno para menores de 18 anos, entre outras providências.

O PL é resultado do trabalho de quase dois anos da Comissão de Reforma do Ensino Médio que debateu as razões para a falta de interesse dos jovens no ensino médio e para os resultados pouco promissores obtidos neste nível de ensino. Neste ano, uma nova Comissão foi criada para dar parecer ao PL. 

“As ações do Executivo, como a criação do Pacto, contribuem com o nosso trabalho na Câmara. Nosso objetivo é que as mudanças no Ensino Médio se tornem um programa de Estado e não apenas um programa de Governo”, salientou Lopes.

Um comentário:

Magno Barbosa disse...

A inscrição pode ser feita pelo site a seguir, no módulo SISmedio: http://simec.mec.gov.br/

Postar um comentário