terça-feira, 17 de dezembro de 2013

Francisco Badaró: Câmara de Vereadores não quer administração trabalhando, denuncia vice-prefeito

Mesa Diretora da Câmara se nega a colocar projetos em votação para engessar administração municipal.
Sem projetos aprovados, Prefeitura não poderá pagar servidores, salários de novembro, dezembro e 13º salário.


Plenário da Câmara, em 2013, lotou com pressão da população para votação de projetos importantes.

O presidente da Câmara Municipal de Francisco Badaró, José Maria Pereira da Silva, o Dô, tenta impedir que a Prefeitura execute serviços básicos no Município.

Ele apresentou uma emenda ao Orçamento de 2013, propondo a Redução dos Créditos Suplementares ao Orçamento de 2013,  de 50% para 5%. 

Agora, a Prefeitura Municipal de Francisco Badaró, no Médio Jequitinhonha, nordeste de Minas,  volta a ter dificuldades para executar seu orçamento que foi elaborado pelo gestor anterior. 

“Como o orçamento foi mal elaborado, a Administração mudou de rumos, as metas e os objetivos são outros. Há necessidade de suplementações e de modificações", argumenta o Diretor de Finanças, Eduardo Campos.


Durante os meses de junho e agosto, após manifestações da população, a Câmara Municipal aprovou créditos suplementares da ordem de 13% e 17 % respectivamente e protocolou novo projeto de lei do poder executivo pedindo suplementações de outros 7% do orçamento em 03 de Dezembro de 2013. 
No entanto, a Câmara Municipal se nega a colocar o Projeto para votação, argumentando que o município não está cumprindo suas obrigações com a Câmara, como envio de documentos e repasse financeiro. 
Populares ficam ansiosos com projetos paralisados no Legislativo Municipal

O vice-prefeito Reginaldo Martins, argumenta: “Se a prefeitura não estivesse cumprindo seus deveres, o caminho seria procurar a Justiça para as providências cabíveis. E porque não procuram? Não poderiam jamais deixar de votar os projetos, pois assim fica parecendo moeda de troca de interesses, como se estivesse fazendo favores.  Assim, quem fica no prejuízo é a população. Temos feito nossa parte, com tudo protocolado”, disse.
Atualmente a Mesa Diretora é composta pelos vereadores “Dô”, “Dudu” e “Zezé”. 

O vice-prefeito enumera várias consequências que surgirão com a atitude de Mesa diretora da Cãmara Municipal, formada por Dô, Dudu e Zezé em não votar os projetos propostos.

Conseqüências relacionadas por Reginaldo Martins: 
*Impossibilidade de pagamento dos salários dos meses de Novembro, Dezembro, 13º e Rescisões trabalhistas; 
*inadimplência de pagamento com os prestadores de serviço do transporte escolar, serviços terceirizados e em geral; 
*não concretização do projeto de Reforma das Escolas da rede municipal, comprometendo o início das aulas de 2014; 
*não realização da reforma e manutenção anual dos veículos da frota municipal, atingindo negativamente o transporte escolar, transporte em saúde, atendimentos de outros setores em geral. 

O vice-prefeito informa que são vários os projetos que lá se encontram sem aprovação e sem respaldo. E finaliza: "em um momento de crises em todos municípios, ainda se encontram obstáculos naqueles que deveriam ajudar. É por isso que algumas cidades ficam paradas no tempo”.

3 comentários:

vicente fabiano disse...

O que estes políticos da oposição esta fazendo e uma vergonha, chega a ser nojento, onde já viu alguem prejudicar toda população de um municipio só porque é oposição, isto é oposição ao povo até mesmo os que os elegera.
E lamentavel que isto esteja acontecendo em nosso municipio .

pedro machado disse...

nasci ai em sao joao debaixo, mas tem vergonha desse pessoal, inves de ajudar so atrapalha, por isso que nao tem vontade di morar ai um dia que vergonha um bando de incapaz, nao consegui adiministrar um povoado desse...

Valdivino Rodrigues Luiz Rodrigues disse...

que vergonha para badaró ,tempos atras nao acontecia isso ; por isso badaró parou no tempo , ficou sendo a memor cidade da regiao

Postar um comentário