quinta-feira, 26 de dezembro de 2013

Com 19 mortes, chuvas continuam castigando o Vale do Jequitinhonha e Rio Doce

Defesa Civil de Minas divulga 18 mortes devido às chuvas.
Com a morte por afogamento do lavrador de Araçuaí já são 19 mortes.
Barragem das Almas, no rio Fanado, em Minas Novas, no Alto Jequitinhonha, nordeste de Minas, no dia 18.12.2013.
A Defesa Civil de Minas Gerais informou nesta quinta-feira, 26/12, que o número de mortes provocadas pelas chuvas no Estado subiu para 18. 
Rua do Porto, em Berilo, invadida pelas águas do rio Araçuaí, desalojaram várias famílias.
Foi encontrado, durante a madrugada, o corpo de Maria Conceição Aparecida Nascimento, 56 anos, que estava desaparecida desde a noite de quarta-feira, 25.12, em Juiz de Fora. Ela foi vítima de um deslizamento de encosta que atingiu a sua casa, no bairro Jardim Natal. A morte de Maria Conceição foi  a primeira registrada em Juiz de Fora desde o início da temporada de chuvas no Estados. 
Rua Inácio Murta, no bairro Água Santa, em Capelinha, engolida por uma cratera cavada pelas águas contínuas de 1.000 mm em 20 dias de dezembro. Capelinha tem 91 famílias desabrigadas.
Os municípios que registraram mortes foram: Vale do Rio Doce - Sardoá (6), Governador Valadares (2), , Caratinga (1), Aimorés (1),  Ipatinga (1), Timóteo (1) e Itanhomi (1); Zona da Mata - Juiz de Fora (1) e Astolfo Dutra (1); norte de Minas - Francisco Sá (1); região Central - Belo Horizonte (1) e Itabira (1); Vale do Jequitinhonha -  Araçuaí (1).
Ponte sobre o rio Araçuaí, em Santa Rita, em Chapada do Norte, no Médio Jequitinhonha, nordeste de Minas. O vão central foi destruído. Município teve algumas famílias desabrigadas.
Pelos números, vê-se que o Vale do Rio Doce acumula 13 vítimas fatais, sendo a região de situação mais grave, onde há mais desabrigados, estragos de casas, estradas e infra-estrutura urbana destruídas. As águas do rio Doce invadiram muitas cidades que estão às suas margens. Uma das mais atingidas é Governador Valadares.

O mesmo rio Doce vai fazendo estragos pelo estado do Espírito Santo, principalmente em Linhares, Colativa e Vila Velha.

A forte chuva no estado de Minas Gerais já deixou quase 10 mil pessoas fora de suas casas. De acordo com a Defesa Civil, 6.959 pessoas estão desalojadas e 2.460, desabrigadas no estado. Dados atualizados na tarde de 26.12, indicam que 229 obras de infraestrutura estão danificadas e 112 destruídas.

Dos municípios atingidos, 42 continuam em situação de emergência, em um total de 79 afetados.

A maioria dos municípios em situação de emergência está no Vale do Rio Doce e Vale do Jequitinhonha. Choveu mais em cidades como Capelinha e Itamarandiba do que em Governador Valadares. As duas cidades do Vale receberam cada uma em torno de 1.000 mm, em 23 dias de dezembro. Valadares recebeu a metade, em menos de uma semana, mas como a sua topografia é plana, os prejuízos foram maiores. 

Capelinha, no Alto Jequitinhonha, está com toda sua estrutura urbana arrebentada pela força das águas, com 91 famílias desabrigadas. A Prefeitura calcula que necessitará de cerca de R$ 4 milhões para recuperar todos os prejuízos, sem contar com a necessidade de construção de casas para dezenas de famílias desabrigadas. Itamarandiba também foi bastante destruída.
Rua destruída em Itamarandiba. Em 19.12, 200 casas atingidas por fortes chuvas desalojaram 15 famílias.

Cidades banhadas pelo rio Jequitinhonha como Coronel Murta, Itinga, Itaobim, Jequitinhonha, Almenara, Jacinto e Salto da Divisa, tiveram que correr às pressas e retirar algumas famílias ribeirinhas, levando-as para creches ou escolas públicas. Porém, o susto e a apreensão da população é que foram grandes. Não houve grandes prejuízos.

Outros municípios baixaram decreto de emergência tendo alguns prejuízos como Padre Paraíso, Itinga, Caraí, Comercinho, Novo Cruzeiro, Aricanduva, Almenaras, Malacacheta e Setubinha. Os prejuízos maiores foram de rachaduras em algumas residências, prédios públicos e destruição de pavimentação urbana em vias públicas.

De acordo com a Defesa Civil, nos próximos dias, pancadas de chuva poderão vir acompanhadas de descargas atmosféricas e rajadas de vento na parte norte do estado, no Vale do Jequitinhonha, em Mucuri, Rio Doce, na região metropolitana e Zona da Mata.  Nas demais regiões mineiras, o dia terá sol entre nuvens e pancadas de chuva isolada. As temperaturas terão ligeira elevação em todo o estado durante o dia. 


Agricultor de Araçuaí é levado pela correnteza do rio Piauí
A Defesa Civil de Minas Gerais não contabiliza a morte de um lavrador de Araçuaí que foi arrastado pelas correntezas do rio Piauí, afluente do rio Jequitinhonha, dividindo o município de Araçuaí de Itinga.
Centro velho de Araçuaí invadido pelas águas do Calhauzinho, represadas pelo rio Araçuaí cheio.
O Corpo de Bombeiros encontrou na tarde desta quinta-feira (26.12), o corpo do lavrador Ismael Luiz Santos, de 25 anos. Ele estava desaparecido desde a tarde de segunda-feira (23.12) quando foi levado pela correnteza do rio Piaui, na localidade de Poço Dantas, zona rural de Araçuai, no Vale do Jequitinhonha (MG).
315 famílias foram desabrigadas em Araçuaí, no Médio Jequitinhonha.

Segundo testemunhas, o lavrador mergulhou no rio Piauí, depois de consumir bebida alcoólica. Ele chegou a  atravessar o rio que estava bastante cheio devido às fortes chuvas que caem na região. No entanto, ao tentar retornar à margem, ele acabou
sendo  levado pela correnteza.
Famílias desabrigadas em Araçuaí tem acompanhamento da Defesa Civil, equipe de assistentes sociais, psicólogos e profissionais da saúde. 

Um comentário:

geilson costa disse...

nossa foi realmente destruidor

Postar um comentário