quarta-feira, 3 de dezembro de 2014

Governo de Minas apresenta Plano de investimentos para o Vale do Jequitinhonha, Mucuri e norte de Minas

Governo Pimentel vai executar o Plano do Governo Anastasia?

Levantamento identificou e mapeou informações sobre investimentos e programas sociais em 168 municípios das duas regiões mineiras.
No Mapa acima as microrregiões que seriam atendidas no PESI-NNE - Plano Estratégico de Integração do Norte e Nordeste de Minas Gerais.
O Plano Estratégico de Integração do Norte e Nordeste de Minas Gerais (PESI-NNE), coordenado pelaSecretaria de Estado de Desenvolvimento e Integração do Norte e Nordeste de Minas Gerais (Sedinor), finalizou uma das etapas previstas no projeto. 
O “Relatório de Situação” revela os agentes de desenvolvimento mais relevantes nos 168 municípios analisados. Com isso, foram identificadas e mapeadas informações sobre investimentos e programas sociais executados pelos governos federal, estadual e municipais, pela iniciativa privada e por organizações do terceiro setor.
A realização do PESI-NNE envolve esforço conjunto de equipes multidisciplinares para ajudar na formulação de uma política de Estado de potencialização dos investimentos nas duas regiões. 
Para o secretário estadual de Desenvolvimento e Integração do Norte e Nordeste de Minas Gerais (Sedinor), Raimundo Benoni, o PESI-NNE abre novos horizontes para as regiões mais carentes do Estado. 
“Precisamos pensar o Grande Norte de Minas como importante área produtiva para o Estado e para o Brasil. Para isso é fundamental definir as ações prioritárias, as demandas sociais e econômicas e as potencialidades regionais, integrando todos os planejamentos existentes, incentivando todos os atores à participação, tanto internos quanto externos ao Estado, de modo a construirmos, juntos, uma agenda programática de curto, médio e longo prazo, para transformação do Grande Norte”, assinalou Benoni.
Além do Governo de Minas, de seus órgãos e de suas secretarias de Estado, colaboram com a realização do PESI-NNE instituições como a Copasa, a Cemig, o Indi, o BDMG, o Sebrae e a Fiemg. 
“O BDMG está inteiramente alinhado com projetos como este, que possam levar desenvolvimento às regiões mais carentes do Estado”, avalizou João Antônio Fleury, diretor de Gestão Corporativa do Banco de Desenvolvimento de Minas Gerais (BDMG).
Entenda o PESI-NNE
Lançado pelo governador Alberto Pinto Coelho, em 21 de agosto de 2014, o PESI-NNE tem como objetivo detectar pontos de convergência e de conflito existentes nas regiões Norte e Nordeste de Minas. 
Na prática, o trabalho consiste em identificar as diversas ações em curso, políticas de desenvolvimento e potencialidades das duas regiões, preparando agenda programática de curto, médio e longo prazo, para que o Estado seja capaz de organizar, sintetizar e integrar as ações dos diversos agentes de desenvolvimento (públicos, privados e do terceiro setor).
Para o gestor do projeto, o secretário-adjunto da Sedinor, Bruno Alencar, a elaboração do PESI-NNE possibilitará o alinhamento dos investimentos econômicos e sociais em execução ou que estão sendo planejados. “Existem hoje diversas ações voltadas para o Norte e o Nordeste de Minas. Com o PESI-NNE vamos identificar onde e como elas interagem para que políticas públicas de Estado possam potencializar seus efeitos”, destacou. 
O PESI-NNE pesquisará 168 municípios mineiros integrantes da área de atuação da Superintendência de Desenvolvimento do Nordeste (Sudene). 

O plano está sendo desenvolvido em etapas e está previsto para ser lançado ainda este ano.
Comentário do BLOG
O Governo Aécio/Anastasia que chega ao fim, depois de 12 anos, apresenta um Plano Estratégico para o desenvolvimento do Vale do Jequitinhonha, Mucuri e norte de Minas. 
Por que não apresentou este Plano em 2003 e o executou? 
Quem sabe, se o Plano fosse realmente executado, o Vale do Jequitinhonha não teria seu já pequeno PIB -Produto Interno Bruto rebaixado de 1,9% para 1,8% na participação da riqueza de Minas. O norte de Minas também evitaria o rebaixamento do seu PIB de 3,9% para 3,8%.  



Mas, apresentar agora, no apagar das luzes do desgoverno que isolou o Vale do Jequitinhonha e Mucuri?
Esta é uma peça de planejamento para o novo governo executar? Deixou dinheiro em caixa ou investimentos previstos? 
Ou só relacionou os programas previstos do Governo Federal? Porque o atual governo estadual nunca teve projetos estruturantes para o norte e nordeste de Minas.

Em 2012,o Governo de Minas anunciou que haveria investimentos de R$ 10 bilhões no norte e nordeste de Minas. O que efetivamente foi aplicado?

O Governo que termina está deixando os  "baianeiros" com muitas perguntas.  

Um comentário:

Maria da fe disse...

Olhando dessa forma parece que, a região norte e nordeste de minas só terá algum investimento se separar do resto do estado. Isso faria dessa região a mais miseravel do brasil, mas as veses mudavam com um governo que fosse apenas administrar essa região.

Postar um comentário