terça-feira, 30 de novembro de 2010

Emater de Almenara estimula plantio de seringueira e eucalipto

Emater de Almenara estimula plantio de seringueira e eucalipto
Ivo Pera Eboli/Emater MG

Plantio consorciado de seringueira é uma alternativa econômica, segundo EMATER-MG

Uma nova opção de renda com o plantio de eucalipto e seringueira. É o que a Empresa de Assistência Técnica e Extensão Rural do Estado de Minas Gerais (Emater-MG) e o Serviço Brasileiro de Apoio às Micro e Pequenas Empresas (Sebrae) estão propondo para os agricultores do Vale do Jequitinhonha.


Em médio prazo, a atividade se mostra rentável com a venda de madeira e borracha.

A proposta é oferecer uma alternativa não concorrente e que ainda fortaleça a pecuária de corte, principal atividade na região. “A idéia é que o produtor não fique dependente de uma única fonte de renda”, esclarece o coordenador de culturas da unidade regional da Emater-MG, em Almenara, Oswaldo Rezende.

Segundo Rezende, o eucalipto e a seringueira podem ser consorciados com outras culturas. A orientação da Emater-MG é que o eucalipto seja cultivado no sistema silvopastoril, ou seja, a integração da pecuária e floresta numa mesma área. E para a seringueira, a proposta é que seja plantada em consórcio com a lavoura de cacau ou café.

Consórcio de culturas
Na região de Almenara, existem cerca de 70 pequenos produtores de cacau. “Como o cacau precisa de sombreamento, a seringueira passa a ser a melhor opção, pois, em consórcio, as duas explorações maximizam o lucro do produtor”, explica Rezende.

O manejo das culturas é simples. No caso da seringueira, por exemplo, basta capinas e adubação de reposição. Apenas a “sangria” para se obter o látex requer treinamento. Nem toda a região de Almenara tem clima favorável ao plantio da seringueira. No entanto, os municípios limítrofes com a Bahia possuem condições favoráveis ao seu plantio. São 10 municípios com clima favorável ao desenvolvimento da seringueira.

Em média, as seringueiras se tornam produtivas a partir do 7º ano. Já as árvores de eucalipto podem ser comercializadas a partir do 5º ano para a produção de carvão ou a partir do 13º se forem destinadas ao mercado moveleiro.

“A demanda mundial por madeira, derivados da madeira, carvão e indústria moveleira é crescente. A Legislação Ambiental é cada vez mais restritiva à exploração de mata nativa. Desta forma, a única alternativa para suprir a demanda é através de florestas plantadas. Nesse caso o eucalipto é o campeão em produtividade, adaptabilidade climática e versatilidade de uso”, afirma Rezende.

Oswaldo Rezende diz que o trabalho ainda está em sua fase inicial. “Por enquanto nós estamos colocando à disposição dos produtores as melhores informações através de seminários e visitas técnicas para subsidiar suas decisões. Acreditamos que muitos abraçarão a ideia e investirão na silvicultura”, afirma.

Seminário
No mês de outubro, a Emater-MG em parceria com Sebrae, Associação Mineira de Silvicultura, Comissão Executiva do Plano da Lavoura Cacaueira (Ceplac), Banco do Brasil, Banco do Nordeste e com o apoio da Michelin, organizou o “Seminário sobre Florestas Plantadas”.


Foram abordados os temas: o eucalipto como opção de renda; integração pecuária e floresta; viabilidade econômica da seringueira para o Vale do Jequitinhonha; e consórcios com seringueira.

O evento teve como objetivo repassar informações sobre inovação, tecnologia e mercado. O seminário teve a participação de 700 pessoas de 25 municípios.

Outras ações estão previstas para a mobilização dos produtores. No dia 30 de novembro será realizada uma missão técnica na Ceplac, no estado da Bahia.

Quarenta produtores do município de Bandeira irão conhecer o consórcio entre seringueira e cacau.

Para fevereiro de 2011, está prevista mais uma missão técnica com produtores do município de Mata Verde.
O objetivo é demonstrar o consórcio café/seringueira. “A nossa idéia é promover mais encontros com os produtores para informá-los sobre a atividade para que eles possam tomar a melhor decisão”, diz Rezende.

Com informações da EMATER e Agência Minas

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Postar um comentário