sexta-feira, 31 de março de 2017

Novas reservas de lítio podem alavancar desenvolvimento no Vale do Jequitinhonha

Um estudo da Companhia de Pesquisa de Recursos Minerais (CPRM) do Serviço Geológico do Brasil divulgado nessa quinta-feira (30.03) revelou novas reservas de lítio no Vale do Jequitinhonha, nordeste de Minas Gerais, com alto potencial de exploração econômica. A pesquisa, que começou em 2012, mapeou todas as reservas do metal no país.


Foram localizados 45 depósitos de lítio associado a pegmatito (espécie de rochas), na maior parte em território mineiro. Os pesquisadores também analisaram locais já conhecidos e “mineralizados”, e verificaram que há potencial para ampliar a atividade econômica também nessas regiões.



Segundo o presidente da CPRM, Eduardo Jorge Ledsham, a descoberta de novos depósitos no nordeste de Minas é desafiadora. “Além dos salares, pegmatitos também são fontes de lítio”, disse. “A extração é feita pela Companhia Brasileira de Lítio para utilização na indústria de vidro e cerâmica. Ainda faltam investimentos em tecnologia para aproveitar o recurso na produção de baterias ou medicamentos, por exemplo”, diz.



Com essa descoberta, o Brasil pode aumentar em 20 vezes suas reservas. Hoje, o país tem 0,4% das reservas de lítio do mundo. A estimativa é que, em 2019, já responda por 8%, tornando-se o quinto país no ranking de reservas mundiais. Atualmente o país produz 1% do mineral em uso no mundo, o que equivalente a 48 mil toneladas. Argentina, Chile e Bolívia, juntos, agrupam cerca de 70% das reservas conhecidas de lítio do planeta, estimadas em mais de 13 milhões de toneladas, segundo dados da CPRM.



O metal, que é chamado de “petróleo branco”, tem custo de cerca de US$ 30 mil a tonelada, mas esse valor tende a subir com a demanda. O valor de mercado total do lítio no mundo deve subir para US$ 43 bilhões já em 2020, segundo a consultoria norte-americana Market Research.



A demanda por esse metal para a produção de itens de alta tecnologia tem aumentado, mesmo com a crise econômica global. “O lítio vai sair da coxia e se apresentar em palco principal. O metal é altamente procurado pela sua aplicação em baterias. Países que querem se tornar competitivos precisam estar atentos, e o Brasil está de olho,” comenta.



A oportunidade de negócio pode alavancar a economia dos países latino-americanos, prejudicada pela queda dos preços das commodities tradicionais, como petróleo, soja e gás.



A diretora de Desenvolvimento Sustentável na Mineração do Ministério de Minas e Energia, Maria José Salum, falou da importância estratégica deste projeto para Minas Gerais. “Além de atrair investimentos, a descoberta pode trazer um desenvolvimento regional e geração de empregos aos moradores do Vale do Jequitinhonha,’’ diz.



Para o superintendente da Federação das Indústrias de Minas Gerais (Fiemg), Paulo Brant, nascido no Vale do Jequitinhonha, o estudo abre novas possibilidades. “A primeira fase do projeto é um avanço, mas é preciso que o governo estadual invista, para que os pesquisadores prossigam com o projeto,” diz.



O projeto “Avaliação do Lítio no Brasil” está inserido no empreendimento Minerais Estratégicos conduzido pela CPRM, dentro do Programa de Aceleração do Crescimento (PAC).

Fonte: OTEMPO

Complemento e Comentário do Blog do Banu



O MINERAL
O lítio (grego lithos, pedra ) é um elemento químico de símbolo Li, número atómico 3 e massa atómica 7 u, contendo na sua estrutura três prótons e três elétrons. Na tabela periódica dos elementos químicos, pertencente ao grupo (ou família) 1 (anteriormente chamado 1A), entre os elementos alcalinos. 
Na sua forma pura, é um metal macio, de coloração branco-prateada, que se oxida rapidamente no ar ou na água. É um elemento sólido porém leve.  Tem um grande poder oxidativo, é facílimo de sofrer corrosão e possui densidade igual a 0,534 gramas por centímetro cúbico. É o metal mais leve, com uma densidade aproximadamente a metade da água. Como os demais metais alcalinos, é monovalente e bastante reativo. Por esse motivo, não é encontrado livre na natureza. 

APLICAÇÕES
Devido ao seu elevado calor específico, o maior de todos os sólidos, é usado em aplicações de transferência de calor e, por causa do seu elevado potencial eletroquímico é usado como um ânodo adequado para as baterias elétricas.  O lítio é um componente comum nas ligas metálicas de alumínio, cádmio, cobre e manganês, utilizados na construção aeronáutica, e está sendo empregado com êxito na fabricação de cerâmicas e lentes, como a do telescópio Refletor Hale de 5,0 metros de diâmetro de "Monte Palomar".


  • Aplicações militares - como aditivos energéticos nos propelentes dos foguetes. nas bombas de hidrogênio e bomba atômica.
  • Cerâmicas e vidrarias - é um dos materiais para a fabricação de acessórios de cozinha. 
  • Graxas lubrificadas - capacidade de engrossar os óleos e, por isso, é um lubrificante muito útil na indústria, em especial sob altas temperaturas.
  • Indústria Elétrica e Eletrônica - componente importante do eletrólito e um dos eletrodos nas baterias.
  • Indústria Nuclear - como um absorvedor de nêutrons nas fusões nucleares. Ganhou interesse na produção de fluido refrigerante nos reatores nucleares.
  • Medicamentos - utilizado no tratamento do transtorno bipolar e auxiliar para casos de diagnósticos relacionados como transtorno esquizoafetivo e depressão. utilizado por seus efeitos reguladores de humor, antimaníaco e, secundariamente, antidepressivo nervosa.
  • Metalurgia - utilizado como um fundente para a solda ou para brasagem.
  • Purificação do ar - remover o dióxido de carbono, sendo um bom depurante do ar.
  • Óptica - material limpo e translúcido utilizado pelos técnicos de óptica para transmitir os raios infravermelhos e ultravioletas.
  • Química - produção de polímeros e na química fina.



Itinga e Araçuaí detém 100% das reservas medidas de lítio de Minas Gerais

A notícia acima não é nenhuma novidade para o povo do Vale do Jequitinhonha, da comunidade científica e da CPRM - Companhia de Pesquisa de Recursos Minerais, do Ministério das Minas e Energia. Este estudo que teve a colaboração de garimpeiros, mineradores e outros moradores do Vale mostra a potencialidade deste mineral para o desenvolvimento da região.

Além de agradecimento à Mineradora CBL - Companhia Brasileira de Lítio, Araçuaí Mineração (Sigma Mineração), um agradecimento pessoal é feito aos moradores do Vale. Na abertura do livro/documento com 276 páginas está registrado:

"A todo o povo do Vale do rio Jequitinhonha, pela hospitalidade, espírito de colaboração

e preciosas informações fornecidas, em especial aos senhores José Milton Chaves de Oliveira (José Crente), Djalma Ribeiro Alves (Dida) e José Alves dos Santos (Zezé das Tesouras), de Araçuaí;

aos senhores Arnaldo do Nascimento Vieira, Onias Ferreira de Oliveira, Júlio Teixeira da

Silva (Julinho; Montes Clarinhos), Alberto Valter Dias Cardoso, Normande Ferreira de Barros e Milton Nunes, de Salinas;

e aos senhores Gilney Araújo Aguilar (Ney), Adilson Vieira (Dil) e José Geraldo Lages Aguilar (Badaró), de Coronel Murta".

O estudo "Avaliação do Potencial do Lítio no Brasil - Área do Médio Jequitinhonha", mostra a grande riqueza do Distrito Pegmatítico de Araçuaí, dividido em dois campos pegmatíticos, Campo Pegmatítico de Virgem da Lapa - Coronel Murta - Rubelita caracterizado por pegmatitos berilífero - turmaliníferos) e Campo Pegmatítico de Itinga (caracterizado por pegmatitos estanífero - litiníferos). Novos estudos acrescentam ao distrito os campos de Ribeirão da Folha, em Minas Novas (caracterizado por pegmatitos turmaliníferos ricos em rubelita), e Capelinha,(caracterizado por pegmatitos berilíferos. 

Outros estudiosos propõem a existência de outros dois campos pegmatíticos no distrito, Campo Pegmatítico de Salinas e Campo Pegmatítico de Medina - Pedra Azul. Entretanto, nenhuma informação a seu respeito é apresentada, pois, eles ainda estão sendo pesquisados. 

Leia mais, acessando o documento da CPRM:


Segundo o Anuário  Mineral Brasileiro, do DNPM - Departamento Nacional de Pesquisa Mineral, de 2010, Itinga detém 97,7% das reservas medidas de lítio (espodumênio), e Araçuaí os 2,3% restantes. Ou seja, 100% das reservas de Minas.  Quantidade similar ocorre com o Lítio (petalita), com 100% das reservas medidas.
Em 2011, as reservas mundiais de lítio, em óxido de lítio contido, eram de 12,9 milhões de toneladas, tendo como destaques mundiais o Chile (58,0%), a China (27,1%), a Austrália (7,5%) e a Argentina (6,6%) . 


Em janeiro de 2016, o deputado estadual Jean Freire esteve com o presidente da CODEMIG, Marco Antônio Castelo Branco, debatendo a implantação de industrias no Vale do Jequitinhonha. Um dos assuntos foi a exploração do lítio e feldspato para a fabricação de cerâmica, baterias e medicamentos.

Para que serve o lítio?
O lítio tem diversas aplicações. Porém, o mais conhecido é na fabricação de baterias. O Governo federal montou um grupo de trabalho para estudar a produção do lítio metal, usado no fabrico de baterias de telemóveis e de carros elétricos. O lítio é considerado a "gasolina do futuro".

O deputado estadual Jean Freire esteve no ano passado com o presidente da CODEMIG - Companhia de Desenvolvimento de Minas Gerais, Marco Antônio Castelo Branco, para debater o aproveitamento do lítio em industrias de cerâmica, baterias e na área de fabricação de medicamentos, no Médio Jequitinhonha.

O lítio é uma medicação muito útil no tratamento de doença psiquiátrica conhecida como comportamento bipolar, principalmente os sintomas maníacos. Ele também é utilizado para prevenir outros episódios do transtorno bipolar.
.
Exploração do lítio causa doenças e impactos sócio-ambientais.
Mas, a exploração do lítio também traz problemas sérios quanto ao meio ambiente e provocação de doenças respiratórias, de pele, ocasionando câncer em pessoas em contato direto com o mineral.

A comunidade do Barreiro e arredores à mineração da CBL, na divisa de Araçuaí com Itinga, no Médio Jequitinhonha, tem grandes ocorrências de doenças derivadas da exploração do lítio, assim como diversos trabalhadores se afastaram das atividades de trabalho na mineração devido a doenças graves.

Outro fato grave é a verdadeira destruição do rio Piauí, que divide Itinga de Araçuaí. Toda a água que corria do rio é utilizada, sugada, pela mineração efetuada pela CBL. Muito pouco a empresa investe na recuperação ambiental de seu entorno totalmente destruído na exploração mineral.
A CBL tem o monopólio da exploração do lítio, no Brasil.
Um estudo publicado, em 2013, alerta pela precariedade da exploração do lítio pela CBL:

"Responsável pela metade da riqueza que circula em Araçuaí (MG), a mineração no local é realizada, no entanto, de forma informal e predatória, sendo responsável por impactos socioambientais negativos, como poluição sonora, do ar e da água e danos à saúde da população. Na região, encontra-se uma das únicas reservas de lítio lavrável confirmadas do Brasil, explorada pela Companhia Brasileira de Lítio (CBL). O minério é usado, no país, em especial para fabricação de vidros, tintas, cerâmicas e pela indústria nuclear. A CBL é responsabilizada por jogar efluentes nos rios de Araçuaí e por dispor os rejeitos da lavra de forma inadequada. Além disso, a empresa também é considerada causadora de danos socioambientais em Divisa Alegre (MG), onde beneficia o minério de lítio para obtenção de carbonato de lítio e de hidróxido de lítio".

Portanto, a exploração mineral do lítio deve ser debatida com a sociedade, definindo medidas de prevenção, ações protetivas à vida do bioma , da fauna, flora e da vida das pessoas.

quinta-feira, 30 de março de 2017

Política de Atingidos por Barragens deve avançar na Assembléia

Compromisso teria sido estabelecido para que projeto sobre o tema seja analisado na Comissão de Constituição e Justiça. 

Facebook Email Versão para impressão

A tramitação do Projeto de Lei (PL) 3.312/16, de autoria do governador do Estado, que cria a Política Estadual de Atingidos por Barragens e outros Empreendimentos, deverá avançar na Assembleia Legislativa de Minas Gerais (ALMG) a partir da próxima semana. A informação foi dada pelo deputado Rogério Correia (PT), em audiência pública da Comissão de Participação Popular, realizada nesta quinta-feira (30/3/17), para tratar do tema.
De acordo com o parlamentar, foi feito um acordo com o presidente da Comissão de Constituição e Justiça (CCJ), deputado Leonídio Bouças (PMDB), para que o projeto seja colocado em pauta já na próxima quarta-feira (05.03) e para que o relator seja o líder do Governo, deputado Durval Ângelo (PT). “Depois disso, a proposição vai para as Comissões de Trabalho, de Desenvolvimento Econômico e de Fiscalização Financeira e Orçamentária antes de ir a Plenário”, explicou. O deputado disse, ainda, que será preciso estabelecer um diálogo com o setor econômico para que o projeto avance. “Vamos promover uma reunião com o movimento e o setor empresarial para que tudo fique esclarecido e seja feito para o bem dos atingidos”, completou.
O coordenador do Movimento dos Atingidos por Barragens, Joceli Jailson José Andrioli, destacou a importância do projeto, uma vez que as populações atingidas por barragens, por mineradoras e por empreendimentos de maneira geral não contam com legislação que garanta os seus direitos. Segundo ele, existem milhares de famílias que pagam com o empobrecimento e falta de qualidade de vida pela ausência de proteção legal. “Defendemos um marco legal de garantia dos direitos dos atingidos, tendo em vista que existe um padrão de violação de direitos humanos de pessoas afetadas por empreendimentos”, salientou.
A coordenadora estadual do Movimento dos Atingidos por Barragens, Aline Ruas, reforçou, ainda, que o desenvolvimento que se propõe exclui os atingidos. Para ela, a proposição, que teria sido construída a várias mãos, será monitorado pelos movimentos sociais. “Não somos contra o crescimento no Estado, mas desenvolvimento econômico sem desenvolvimento social não interessa ao povo”, afirmou.

Estado garante apoio à criação de marco regulatório
O secretário estadual de Direitos Humanos e Participação Social e Cidadania, Nilmário Miranda, afirmou que o governo estadual reconhece os atingidos por barragens como um movimento importante para Minas Gerais. Para tanto, lembrou que o governador instituiu o grupo de trabalho que produziu o projeto que objetiva criar um marco regulatório para os empreendimentos no Estado, com a participação do movimento dos atingidos. “Nosso intuito é descriminalizar o conflito social, que sempre foi tratado como caso de polícia e garantir direitos para as pessoas”, alegou.
O representante da Cemig, Anderson Ferreira, também garantiu que a empresa pretende participar efetivamente das discussões do projeto, assim como elaborar um plano de trabalho, em conjunto com o governo e com o movimento, para levar energia elétrica onde ainda não há. Ele explica que o objetivo é avançar no seu compromisso social, por meio de ações em beneficio da população.
A representante do Conselho Nacional de Direitos Humanos da Secretaria de Direitos Humanos da Presidência da República, Maria Dirlene Trindade, ponderou que o projeto ainda tem ajustes a serem feitos, por isso destacou a importância do debate. Para ela, a iniciativa é inédita e pode garantir normas que evitem as violações de direitos humanos contra os atingidos. “O empresariado e o Estado têm amenizado os problemas que são graves para a população, o que torna necessária uma mudança de lógica e comportamento do poder público. Temos que cobrar o avanço do marco regulatório”, disse.

Judiciário e MP também defendem aprovação de projeto de lei
A defensora pública, Ana Cláudia da Silva, reforçou a importância do avanço do PL 3.312/16, que, segundo ela, dá voz e direitos aos atingidos. Em sua fala, destacou o alto número de processos recebidos pelo Poder Judiciário, que, hoje, reconhece seu papel na garantia de direitos no presente, para as futuras gerações, assim como em relação a questões passadas.
O promotor de Justiça, André Prado, também garantiu que o Ministério Público vê com preocupação as violações que têm sido observadas contra os atingidos por barragens. Valorizou a mobilização popular e defendeu que o projeto contemple não somente os prejuízos financeiros dos atingidos, mas também os danos culturais, emocionais e sociais.
Apoio parlamentar – Ao final, o deputado Geraldo Pimenta (PCdoB) defendeu agilidade na tramitação do projeto de lei na ALMG. Para ele, Minas é um estado rico em água e minério e deve aproveitar esses recursos, mas de modo sustentável e garantindo qualidade de vida para a população.
O presidente da comissão, deputado Doutor Jean Freire (PT), reconheceu a importância da mobilização popular e valorizou a ocupação dos grupos populares no Parlamento mineiro para que conquistas em favor dos atingidos, com a aprovação do marco legal, sejam obtidas com rapidez. Anunciou, ainda, que serão apreciados em reuniões futuras, requerimentos de pedidos de providência, entre eles, para que as comissões agilizem a tramitação do projeto. 
Fonte: ALMG

Pojeto de Lei que amplia região do Semiárido avança na Câmara dos Deputados


Zé Silva destaca que na região do Semiárido vivem mais de 22 milhões de pessoas, na área rural e urbana, e a última atualização da metodologia para inclusão de novos municípios no âmbito da Sudene ocorreu em 2005.
Para o deputado, os 83 municípios que até então não haviam sido incluídos no Semiárido estão em visível desigualdade no padrão do desenvolvimento, pois comungam as mesmas características socioeconômicas e geográficas dos demais municípios, mas não têm acesso aos mesmos benefícios. “O projeto que propusemos pretende não somente inserir os municípios no Semiárido, mas, sobretudo, dar oportunidade de acesso às políticas públicas à população que vive nesta área do País, que passa grande parte do ano sob os rigores da seca”, justifica o parlamentar.
INCLUSÃO MINEIRA
No Estado de Minas Gerais, 168 municípios fazem parte da Sudene, localizados nos Vales do Jequitinhonha e Mucuri, e nas regiões Norte e Noroeste. Destes municípios, apenas 85 estão inseridos no Semiárido.
O parlamentar mineiro explica que ao serem incluídos no Semiárido, os municípios passam a receber alguns benefícios, como flexibilização das condições financeiras (redução da taxa de juros, expansão da carência, aumento do limite de recursos por contrato); ampliação dos beneficiários (mulheres, jovens, ribeirinhos, extrativistas, indígenas, quilombolas, pescadores artesanais, agricultores com maiores rendas, grandes cooperativas); diversificação das atividades econômicas apoiadas (turismo rural, agroecologia); e, principalmente, a simplificação das condições de acesso e a redução de alguns entraves bancários.
O Projeto de Lei 4.961/2013, de autoria do deputado Zé Silva, que também inclui 28 municípios do Norte do Espírito Santo, já foi aprovado na Comissão de Integração Nacional, Desenvolvimento Regional e da Amazônia e será apreciado, nos próximos dias, pela Comissão de Constituição e Justiça.
Confira a lista dos municípios mineiros que podem passar a integrar o Semiárido:
1. Águas Formosas
2. Angelândia
3. Aricanduva
4. Aricanduva
5. Arinos
6. Ataléia
7. Bertópolis
8. Bocaiuva
9. Botumirim
10. Brasília de Minas
11. Buritizeiro
12. Campanário
13. Campo Azul
14. Capelinha
15. Carbonita
16. Carlos Chagas
17. Catuti
18. Chapada Gaúcha
19. Claro dos Poções
20. Coração de Jesus
21. Couto de Magalhães de Minas
22. Crisólita
23. Datas
24. Diamantina
25. Engenheiro Navarro
26. Felício dos Santos
27. Formoso
28. Francisco Dumont
29. Franciscópolis
30. Frei Gaspar
31. Fronteira dos Vales
32. Glaucilândia
33. Guaraciama
34. Ibiaí
35. Icaraí de Minas
36. Itacambira
37. Itaipé
38. Itamarandiba
39. Itambacuri
40. Jequitaí
41. Juramento
42. Ladainha
43. Lagoa dos Patos
44. Lassance
45. Leme do Prado
46. Luislândia
47. Machacalis
48. Malacacheta
49. Minas Novas
50. Mirabela
51. Nanuque
52. Novorizonte
53. Olhos D’Água
54. Ouro verde de Minas
55. Palmópolis
56. Pavão
57. Pescador
58. Pintópolis
59. Pirapora
60. Ponto Chique
61. Poté
62. Riachinho
63. Rio do Prado
64. Rio Vermelho
65. Santa Fé de Minas
66. Santa Helena de Minas
67. Santo Antônio do Jacinto
68. São Francisco
69. São Gonçalo do Rio Preto
70. São João da Lagoa
71. São João do Pacuí
72. São Romão
73. Senador Modestino Gonçalves
74. Serra dos Aimorés
75. Serro
6. Setubinha
77. Teófilo Otoni
78. Turmalina
79. Ubaí
80. Umburatiba
81. Urucuia
82. Várzea da Palma
83. Veredinha

Por Jerusia Arruda e Assessoria do deputado federal Zé Silva.

Suspeita de tráfico internacional de armas se entrega à polícia em Araçuaí


CompartilhaFoi presa em Araçuaí, no Vale do Jequitinhonha, uma mulher que estava sendo procurada por causa da suspeita do envolvimento com o tráfico internacional de armas. Jéssica K.R, de 22 anos, tinha mandado de prisão expedido pela Justiça do Paraná e, acompanhada de um advogado, se entregou na delegacia de Araçuaí, no final da tarde desta terça-feira (28/03).
No ano passado, Jéssica foi presa numa abordagem da Policia Rodoviária Federal no município de Guaíra (PR), na fronteira do Brasil com o Paraguai. A jovem estava com várias pistolas automáticas presas à cintura. As armas teriam saído do Paraguai. A prisão foi registrada em um vídeo gravado pela PRF, que mostrou a mulher com pelo menos oito pistolas automáticas amarradas na cintura com fita adesiva. O vídeo foi amplamente divulgado nas redes sociais.
Jéssica se apresentou ao Delegado de Araçuaí (Foto: Divulgação/Gazeta de Araçuaí)

Conforme o delegado de Araçuaí, Cristiano Arantes, Jéssica ficou presa no Paraná por algum tempo. Após ter sido solta por excesso de prazo, ela deveria atender medidas cautelares e comparecer à Justiça periodicamente. Porém, desapareceu e teve a prisão decretada novamente, passando a ser procurada.
A mulher envolvida com o tráfico internacional de armas viajou para a cidade do Vale do Jequitinhonha, onde mora a família dela. De acordo com o delegado Cristiano Arantes, a Justiça do Paraná pediu a colaboração da polícia mineira para localizar Jéssica. Também foi expedido mandado de prisão contra ela pelo juiz da comarca de Araçuaí.
Cristiano Arantes disse que foram feitas várias tentativas para prender a jovem. “Ao perceber que o cerco estava fechado, ela se apresentou na delegacia”, afirmou o delegado.
Ele disse ainda que Jessica é oriunda de família humilde de Araçuaí e, dos 17 para 18 anos, mudou-se para Belo Horizonte, onde teria se envolvido com traficantes na Pedreira Prado Lopes. Dali, foi para o Paraná, onde acabou presa por tráfico internacional de armas. “Ao se apresentar na delegacia, ela disse que a partir de agora quer uma nova vida, do bem”, relatou o delegado. A mulher está recolhida no Presídio de Araçuaí e ainda não se sabe se será transferida para o Paraná.
Imagens abaixo são da PRF do Paraná e mostram a prisão da jovem, no ano passado, no momento em que carregava nove pistolas automáticas:

Fonte: Estado de Minas/Luiz Ribeiro

Capelinha: 31ª Capelinhense Ausente terá Jorge & Mateus, César Menotti& Fabiano, Matheus & Cauã; Parangolé; Tia Anastácia e Trio Parada Dura

A Prefeitura Municipal de Capelinha , no Alto Jequitinhonha, nordeste de Minas, divulgou na tarde desta quarta-feira, 29 de março, a programação de shows da 31ª Festa do Capelinhense Ausente. 

O processo licitatório, que definiu a empresa produtora do evento, foi realizado nos dias 27 e 28 deste mês. Ficou definido que a festa acontecerá no período de 26 a 30 de julho e terá sete shows de renome nacional, além de artistas locais.

Programação oficial do Capelinhense (Foto: Divulgação/Prefeitura de Capelinha)
A única empresa a apresentar proposta foi a JR Produções e Eventos (Minas Eventos), comandada pelo empresário Álvaro Pedra, que foi considerada vencedora por atender a todos os requisitos constantes no edital de licitação.
Com a definição da produtora, também foram conhecidas as atrações principais do evento, que neste ano iniciará na quarta-feira e terá dois dias com entrada franca (quarta e domingo). Confira a lista de shows:
- Quarta-feira (26/07): Matheus & Kauan + 2 shows locais/regionais (entrada franca)
- Quinta-feira (27/07): Jorge & Mateus + 2 shows locais/regionais
- Sexta-feira (28/07): César Menotti & Fabiano + Tianastácia + 1 show local/regional
- Sábado (29/07): Marcos & Belutti + Parangolé + 1 show local/regional
- Domingo (30/07): Trio Parada Dura + 5 shows locais/regionais (entrada franca)

Passaporte com valor de R$ 50,00
Conforme edital, o primeiro lote de passaporte de ingressos custará R$ 50 para os três dias com cobrança de entrada. O máximo de valor que o passaporte pode chegar é R$ 100. Segundo Álvaro Pedra, a previsão inicial é a de que os passaportes e ingressos começarão a ser vendidos a partir do dia 10 de abril.
Será marcada uma reunião entre Álvaro Pedra e a Comissão do Capelinhense Ausente para definir o valor dos ingressos individuais, o valor do aluguel dos espaços de barracas e os shows locais e regionais, entre outros detalhes.
Galpão Cultural
O funcionamento do Galpão Cultural, tradição da Festa do Capelinhense Ausente que valoriza a cultura da terra, a exemplo de todos os anos, começa uma semana antes da Festa. Neste ano, será de 22 a 30 de julho. Em breve serão definidas as atrações musicais e atividades culturais.
CFonte: Ascom da Prefeitura de Capelinha/Rosa Santos

quarta-feira, 29 de março de 2017

Temporal alaga ruas de Araçuaí


Não há registro de desabrigados. Nesta quarta-feira (29) o tempo continua nublado. Há previsão de pancadas de chuvas.

Foto: Welton FrancoTemporal alaga ruas de Araçuai
Praça do Fórum ficou alagada assim como ruas e praças da região central.
Uma chuva forte assustou moradores de Araçuaí, no Vale do Jequitinhonha, na tarde desta terça-feira. Várias ruas ficaram alagadas durante o temporal, que durou cerca de uma hora, entre 16h30 e 17h30, e causou alguns prejuízos para a população e também para a administração municipal.

O calçamento de algumas ruas foi arrancado, assim como tampas de bueiros que foram levadas. Há registros de casas que ficaram alagadas e também de uma escola


Campo de futebol na entrada do bairro São Francisco ficou alagado. (Foto Daniel Gonçalves)
Campo de futebol na entrada do bairro São Francisco ficou alagado. (Foto Daniel Gonçalves)


A chuva começou por volta das 16h:30m e durante 15 minutos choveu forte. Depois, a chuva prosseguiu mais tranquila, por toda a noite.

Apesar do tempo em que a chuva foi intensa, não houve registro de transbordamento do Rio Araçuaí, que passa ao lado da cidade e é afluente do Rio Jequitinhonha. Não há registro de feridos. O Corpo de Bombeiros informou que não recebeu nenhum chamado para atuação durante a tempestade ou após a chuva.


Um veículo ficou preso na enxurrada mas ninguém ficou ferido
Um veículo ficou preso na enxurrada mas ninguém ficou ferido

Polícia Rodoviária Federal detém contrabando de pedras preciosas

Dupla é detida com mais de 100 quilos de pedras semipreciosas em Governador Valadares.

Enquanto faziam a inspeção, eles encontraram, no bagageiro, seis fardos com 130 quilos de pedras semipreciosas, sendo 97 quilos de citrino, 17 quilos de rutilo e 4,5 quilos de ametistas. O valor aproximado das pedras chega a R$ 165 mil.

Pedras estavam escondidas no bagageiro do veículo (Foto: PRF/Divulgação)

Ainda de acordo com a PRF, a mercadoria não possuía documentação de origem e foi encaminhada à Delegacia de Polícia Federal de Valadares. As duas pessoas que estavam no carro, identificadas pelas iniciais C.C.F, de 36 anos, e A.L.A, de 53, também foram levadas à delegacia.
Veja o vídeo divulgado pela PRF:

Fonte: Estado de Minas/Cristiane Silva.