sexta-feira, 31 de maio de 2013

Araçuai sediará reunião preparatória para encontro regional de engenheiros


CREA quer discutir com profissionais assuntos como o desenvolvimento das cidades da região

A reunião em Araçuaí será realizada das 19h às 21h, na Câmara Municipal nos dias 5 e 6 de junho



Entre os dias 05 e 06 de junho, Araçuaí, no Médio Jequitinhonha, no nordeste de Minas, vai sediar a reunião preparatória para diagnóstico técnico da região em torno de cinco eixos temáticos: meio ambiente, 
rodovias mineiras, urbanicidade, alimentos e impacto das chuvas.

O objetivo é reunir profissionais da área tecnológica, juntamente com a sociedade organizada, para discutir as demandas locais e propor soluções para as questões levantadas.

A reunião será uma preparação para o 8º Encontro Regional: Políticas Públicas e Corresponsabilidade Social, na Regional Nordeste, a ser realizado em Governador Valadares, do dia 25 a 27 de junho.

O Encontro é promovido pelo Conselho Regional de Engenharia e Agronomia de Minas Gerais (CREA-MG) e Ouvidoria Geral do Estado (OGE).

 Araçuaí e Capelinha: Crescimento das cidades, trânsito e mobilidade 
  
Segundo a inspetora-chefe de Araçuaí, a engenheira civil Maria Lúcia Ferreira de Souza, um dos problemas do município é em relação ao trânsito urbano.

Nos últimos anos, com o aumento do poder aquisitivo, a frota de veículos da cidade aumentou significativamente.

No entanto, a infraestrutura do município não acompanhou esse crescimento e as ruas não comportam mais o grande número de carros. “Os congestionamentos são frequentes e está cada vez mais difícil transitar na área central da cidade”, ressalta a inspetora.

Segundo ela, outro agravante é que as ruas não têm a sinalização adequada, o que torna o trânsito ainda mais confuso.
  
Outro assunto que preocupa é a expansão sem controle do município. “Araçuaí está expandindo sem um crescimento sustentável. Os novos bairros que surgem não possuem infraestrutura, como pavimentação e rede de esgoto”, afirma Maria Lúcia. Ela explica que a falta de saneamento básico, inclusive, é um problema vivenciado por boa parte da população da cidade.        

Capelinha também sofre com o trânsito

Capelinha, no Alto Jequitinhonha, é outra cidade que cresce de forma vertiginosa, mas não enfrenta o problema de trânsito e mobilidade que a cidade enfrenta , principalmente na sua área central.
Na II Conferência da Cidade de Capelinha, realizada na sexta-feira, 24.05, os participantes apontaram este e outros desafios que a cidade terá que enfrentar.
Não calçadas nas ruas centrais e de alguns bairros mais antigos. Os moradores avançam com construção, eliminando os passeios públicos, jogando o pedestre para as pistas de rolamento da ruas e avenidas, disputando espaço com veículos, ocasionando problemas como acidentes e impedimentos à mobilidade urbana.

 Diante desse quadro, a inspetora ressalta a importância da participação dos profissionais da área tecnológica para apresentar propostas para os problemas. “Trataremos de temas de grande magnitude e de interesse da nossa cidade. A participação desses profissionais é essencial para enriquecer as discussões”, frisa.

A reunião em Araçuaí será realizada das 19h às 21h, na Câmara Municipal (Rua São Geraldo, 722 - Planalto).
 

As demandas e as propostas elaboradas pelos profissionais durante a reunião preparatória serão encaminhadas para o 8° Encontro Regional Nordeste.
  
Evento: Reunião Preparatória para o Encontro Regional Nordeste
  
Local: Câmara Municipal de Araçuaí (Rua São Geraldo, 722 - Planalto).

Data: 05 e 06 de junho.

Horário: 19h às 21h

Informações:
Assessoria de Imprensa do Crea-Minas (31)3299-8954 (31) 8778-8299.

Fonte: CREA MG com algumas alterações

Procissão de Corpus Christi reúne fiéis em Araçuai

Fiéis percorreram as ruas do centro da cidade até a igreja de Santa Tereza

Sem os tradicionais tapetes de serragem colorida que enfeitavam as ruas, a procissão de Corpus Christi saiu da Igreja Matriz de Santo Antonio, por volta das 19 horas desta quinta-feira, (30), seguida por uma multidão de católicos em Araçuai (MG), no Vale do Jequitinhonha.

Para os devotos,  o mais importante da festa não é ornamentação, mas a celebração da Eucaristia. “Hoje celebramos a presença real de Jesus em nosso meio através do sacramento da Eucaristia. Essa é uma comemoração do dom de Deus para nós", disse um religioso que esperou pela procissão desde o início da tarde.


O número de fiéis participantes da tradicional celebração foi menor este ano. Durante a tarde choveu na cidade mas,  não tirou a fé dos moradores que enfeitaram suas janelas e varandas com vasos, toalhas de renda, velas, castiçais e imagens sacras,  ao longo da rua Dom Serafim, no centro da cidade.


Nenhuma rua foi interditada. A procissão seguiu até a igreja de Santa Tereza, no bairro do mesmo nome.


O número de fiéis participantes da tradicional celebração foi menor este ano


A Igreja Católica comemora o Corpus Christi, que significa a "Festa do Corpo de Cristo", desde 11 de agosto de 1264.

 A data é denominada também de o Santíssimo Sacramento. Conforme contam os livros, as festas de Corpus Christi foram  instituídas no século XIII pelo papa Urbano IV.

 Durante os doze primeiros séculos, a Igreja Católica celebrou a data da instalação da Eucaristia na quinta-feira santa.

 Depois,  como surgissem muitos abusos dos hereges, que desrespeitavam a data porque era comemorada logo após o Carnaval, esta foi mudada para alguns meses adiante, como acontece até hoje.
  
Em todo o mundo, o Corpus Christi é lembrado por milhões de católicos.
 
Sérgio Vasconcelos, Repórter, no Gazeta de Araçuaí

Em 2012, 35,5% dos educadores de Minas se licenciaram por problemas de saúde

Síndrome de Burnout já pode ser epidemia na rede estadual de ensino de Minas

64 mil professores se afastaram das atividades devido à depressão, angústia e desencanto com a profissão
Do total de 179.727 educadores da rede de ensino do Estado de Minas Gerais, 63.900 (35,5%) se licenciaram em 2012 por problemas de saúde. Do total de licenciados, 30,8% apresentaram sintomas de transtornos mentais. Todos os anos nossa equipe assessora uma ampla pesquisa em toda rede municipal de ensino de São Paulo (Retrato da Rede, organizado pelo SINESP) e constatamos o alto índice de sintomas da Síndrome de Burnout, que articula aspectos de depressão, desencanto com a profissão, desânimo e angústia. Este ano verificamos aumento do índice de sintomas relacionados ao stress, desencadeado pela alta carga de demandas burocráticas, quadro de profissionais incompleto´, baixo grau de apoio das instâncias superiores do sistema educacional (em especial, em relação ao atendimento à adolescentes em liberdade assistida ou portadores de deficiências) e desvio de função.
Um estudo realizado por Sandra Maria Gasparini, Sandhi Maria Barreto e Ada Ávila Assunção, da UFMG (ver AQUI ) que entre 2001 e 2002, 84,2% dos professores da rede municipal de ensino de Belo Horizonte foram afastados por problemas de saúde. Deste total, 15,3% representavam transtornos mentais.
Estamos no período de realização das conferências municipais de educação (preparação para a conferência nacional que ocorrerá em fevereiro do próximo ano). Um dos temas é justamente valorização do profissional da educação. Infelizmente, o texto oficial do CONAE 2014 (sigla da conferência nacional) destaca a formação do professor e não as condições de trabalho como essencial para o desempenho da função. Estou participando de várias dessas conferências municipais como palestrante e procuro destacar este problema gravíssimo. Mas, muitas vezes, penso que a educação brasileira já definiu um rumo oficial, absolutamente cravado no administrativismo, com foco na melhoria de resultados estatísticos, com baixa repercussão real na vida dos alunos ou mudança do panorama nas salas de aula. Burocratizamos a educação. Aliás, tema que os professores, diretores de escola e coordenadores pedagógicos destacam como grande vilão do aumento do adoecimento de educadores públicos.

Publicado pelo professor e sociólogo Rudá Ricci, no seu Blog

Padre Paraíso: assaltantes explodem caixa eletrônico do Bradesco

Assalto aconteceu na madrugada desta quinta, 30 de maio

31/05/2013 10:58

Dois indivíduos teriam chegado em uma motocicleta e explodido o caixa.
Polícia desconhece a quantia levada; suspeitos não foram localizados
.

Internauta enviou fotos da explosão do caixa eletrônico em Padre Paraíso (Foto: Kau Lopes / VC no G1)
Internauta enviou fotos da explosão do caixa eletrônico em Padre Paraíso (Foto: Kau Lopes/VC no G1)

Dois criminosos explodiram um caixa eletrônico na cidade de Padre Paraíso, no Vale do Jequitinhonha, em Minas Gerais, na madrugada desta quinta-feira (30.05).
Parte do caixa eletrônico explodido ficou na rua (Foto: Kau Lopes / VC no G1)
Parte do caixa eletrônico explodido ficou na rua
(Foto: Kau Lopes / VC no G1)
De acordo com a Polícia Militar, dois indivíduos teriam chegado em uma motocicleta e explodido o caixa. 

A quantia levada é desconhecida.

Ainda segundo a polícia, os dois suspeitos teriam fugido pela BR 116, a Rio-Bahia, em direção a Teófilo Otoni, no Vale do Mucuri, mas até o momento não foram localizados.

Fonte: G1, Atualizado em 31/05/2013 às 10:59

quarta-feira, 29 de maio de 2013

Quase um milhão: Enem superou em 33,3% o de 2012, em Minas

Total passa dos 870 mil. Em todo o país, serão 7,8 milhões de participantes

Publicação: 29/05/2013 06:00 no Estado de Minas

O Exame Nacional do Ensino Médio (Enem) faz história não apenas em nível nacional. Na 15ª edição da avaliação, as unidades da federação também veem recordes serem batidos. Em Minas, o total de candidatos superou em um terço o de 2012. O Ministério da Educação (MEC) registrou 870.782 participantes, contra 653.074 em 2012 – um aumento de 33,33%. A adesão da Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG) ao Sistema de Seleção Unificada (Sisu) explica parte desse fenômeno. No ranking, o estado fica atrás apenas de São Paulo, onde houve 1,23 milhão de inscritos. Em todo o país, 7.834.024 estudantes se registraram para participar da maratona de provas que ocorrerá em 26 e 27 de outubro.

Os números finais do Enem superaram em 1,7 milhão de candidatos a expectativa do próprio Ministério da Educação, que contava alcançar cerca de 6,1 milhões de participantes. A diferença entre o esperado e o real é igual à quantidade de pessoas que se registraram no sistema apenas no último dia, anteontem. O site do Enem chegou a contabilizar 3 mil inscrições por minuto e 120 mil por hora. Nas últimas horas do prazo, foram 1 milhão de inscrições. Quando considerados apenas os adolescentes que vão concluir a etapa final da educação básica, os números também são altos e se aproximam do total de estudantes nesse nível acadêmico identificados pelo Censo escolar. De acordo com o ministro, 5,4 milhões de alunos do ensino médio regular estão inscritos no exame. “O Enem virou quase um objetivo universal dos estudantes do ensino médio no Brasil”, afirmou Mercadante.

Apesar do recorde de interessados, é bom correr para pagar a taxa de R$ 35, nas agências do Banco do Brasil. O prazo termina hoje. Sem ele, a inscrição não é validada. Até ontem, de acordo com o ministro, 2 milhões de inscritos ainda não haviam efetuado o pagamento. Estão isentos os estudantes de escola pública que vão terminar o ensino médio este ano e o participante com renda familiar per capita igual ou inferior a 1,5 salário mínimo. As provas serão aplicadas nos dias 26 e 27 de outubro.

No último dia de funcionamento do sistema do Enem, a página sofreu dois ataques de hackers, mas o processo não foi prejudicado, segundo o MEC. A pasta negou relação entre as invasões, caracterizadas como tendo sido de “pequeno e médio porte” com o erro apresentado na madrugada de segunda-feira, quando a frase “inscrições encerradas” apareceu na página do Enem. Mercadante garantiu que os hackers não prejudicaram o sistema.

Minas Novas: Violarte divulga lista de classificados para o Festival de Música

II Violarte agita cultura do Vale nesta semana




 Violarte - Festival de Cultura Popular de Minas Novas, acontecerá na cidade mãe do Vale do Jequitinhonha, no período de 30 de maio a 02 de junho, abrindo seus trabalhos em pleno feriado de Corpus Christi. O projeto visa resgatar e valorizar as manifestações artístico-culturais do município e região. Durante a programação, teremos o festival da canção, oficinas de formação artístico-cultural e a "Tarde Abre Alas para a Cultura Popular". Apresentações teatrais e shows musicais, que há muito não chegam à comunidade, também farão parte da programação do evento.

A coordenação do Violarte, Festival de Cultura Popular de Minas Novas, Yanna Mabel, divulga a lista de músicas classificadas para se apresentarem no Festival de Música.

São representantes de diversas cidades do Vale e de outras cidades. Do Vale do Jequitinhonha, a cidade anfitriã teve 5 músicas classificadas; Belo Horizonte 4; Turmalina teve 3; Araçuaí, Pedra Azul, Carbonita, Diamantina, Medina, Governador Valadares e Pirapora.

Eis as classificadas: 

Azul - Ernane Oliveira - Belo Horizonte
Chorinho Murmurado - Nacib - Belo Horizonte
Danda - Marcos Nascimento - Belo Horizonte
Debandada - Marcelo Hugo - Diamantina
Dissonância - Hendrick Souza e César Macedo - Pedra Azul/Carbonita
Em nome dela - Ivan Pestana - Minas Novas
Homem pobre do sertão - Catueiro - Minas Novas
Mãe do Rosário - Luciano Tanure - Araçuai
Nascente - Marcelo Hugo - Diamantina
No embalo do amor - Marcelo Costa - Minas Novas
O encanto das águas - Enderson Mendes - Turmalina
O mal do século - Heraldo Wilton - Minas Novas
O vale da ilusão - Ernane Oliveira - Belo Horizonte
Oração de um cantador - Hendrick Souza - Pedra Azul
Poeta Errante - Priscila Magella - Pirapora
Quando te vejo, quando aproximo - Aderbal Sodré e Banda Onha-ki - Medina
Riacho de Areia Diorgem Junior - Governador Valadares
Um sonho americano - Eduardo Natalino - Turmalina
Vento ao Relento - Gustavo Borges - Minas Novas
Viva a vida viva o Vale - Daniel Mascarenhas - Turmalina


O Violarte que se realiza em Minas Novas, no Alto Jequitinhonha, nordeste de Minas, tem uma vasta programação artístico-cultural. 

Suas atividades começam nesta quinta-feira, 30 de maio, indo até o dia 02 de junho.

São oficinas, festival de música, apresentação de grupos culturais, feira de artesanato e shows musicais e de teatro.

Confira:

Mais informações: 

Pedra Azul comemora 101 anos com grande programação festiva


O município de Pedra Azul, no Médio Jequitinhonha, no nordeste de Minas, comemora neste final de maio, 101 anos de emancipação política.
É uma das cidades mais tradicionais do Vale, rica econômica e culturalmente.


HISTÓRIA DE PEDRA AZUL

Em 1730, conforme bandeira comandada pelo coronel português Quaresma Delgado ao atravessar o Nordeste de Minas, constatou a existência de pequenas vendas sendo uma dessas referências de comércio localizadas nos limites do território atual de Pedra Azul.

O marco do povoamento da região e a criação de um lugarejo foi o chamado “Ano da Fumaça” em 1833 chamado assim pelo fato de ter acontecido entre outubro e dezembro daquele ano a “Grande Queimada” que durou cerca de 60 dias. 

O fogo deixou imensas clareiras na mata e aproveitando-se delas, Manoel José Botelho fundou a Fazenda Pau d’Óleo que vendeu a seu filho Servando José Botelho e após a venda, fundou a fazenda Veredas. 

Em 1834 foi a vez do padre Manoel Fernandes chegar a região com uma leva de escravos e novilhas e fundar a fazenda Vargem Grande.

O povoado já existente na época denominava-se Arraial de Nossa Senhora da Boca da Caatinga originando-se a nomenclatura pelo fim das áreas vegetais de campos abertos e início da vegetação tipo caatinga.

Com o crescimento da sociedade local devido a agropecuária e o comércio e por ser formada por pessoas mais politizadas, estas iniciaram uma luta para conseguir mais autonomia ao município de Salinas ao qual pertenciam, sendo criado o distrito de Caatingas pela Lei Provincial nº 2565, de 03 de janeiro de 1880, continuando subordinado a Salinas.

Em 1891 foi criado o Conselho Distrital de Catingas que no ano 1892, encaminhou proposta de mudança de nome do distrito para Fortaleza, pois já era chamada assim por alguns pelo fato de ser cercada de paredões de granito, sendo aceita no mesmo ano.

Nessa época, a pecuária tinha se tornado tão forte no Distrito de Fortaleza que o boiadeiro e fazendeiro Teopompo de Almeida era acostumado a conduzir em torno de 20 mil cabeças de gado, ficando conhecido como “Rei da Boiada” em Uberaba, Vitória da Conquista, Itabuna, Feira de Santana e outras.

Em 1925, o Distrito de Fortaleza torna-se cidade.

O GRANDE BAZAR 36

No intuito de criar um estabelecimento comercial que atendesse as demandas da região, o coronel Franco, Jako Antunes e Cassiano Mendes de Oliveira, investiram 12 contos de Réis cada um, dando um total de 36, sendo o nome escolhido em alusão à quantia. 

O Grande Bazar 36 assumia funções tanto de comércio quanto de banco, chegando a emitir moeda própria que tinha curso livre pela região. A divisão do Grande Bazar 36 entre os Almeida e os Mendes de Oliveira, abalou profundamente a política local.

DESCOBERTA DAS ÁGUAS MARINHAS

Em 1927, Lourenço da Santa Rosa encontra um bamburro de águas marinhas durante a perfuração de vales na fazenda Laranjeiras, pertencente a João de Almeida que passou a ser um dos homens mais ricos do Brasil. A lavra chegou a atingir 300 homens trabalhando diuturnamente, sendo que nos cinco primeiros anos de extração, a lavra extraiu 1000 kg, o que valeria nos dias de hoje o equivalente a R$ 80.000.000,00 (oitenta milhões de reais).

João de Almeida foi o responsável pela construção de todo o quarteirão dos hotéis Laranjeiras e Primavera, o GPA – Ginásio Pedra Azul, a Igreja Matriz e impulsionou a construção do HEFA – Hospital Ester Faria de Almeida.

Durante muitos anos, o GPA foi referência da região, sendo o local onde os filhos das famílias do Norte, Nordeste e parte do Leste de Minas Gerais e Sul da Bahia realizavam seus estudos de nível médio.

Os processos de planejamento da Igreja Matriz se iniciaram no ano de 1933 sob influência de um grupo de padres missionários vindos de Curvelo que retornaram em 1938 trazendo um padre holandês que iniciou os desenhos da planta arquitetônica. João de Almeida deu o pontapé inicial para a construção da obra em 1942, sendo que a igreja só ficou pronta na década de 60. A construção era uma novidade na época por utilizar a técnica do concreto armado.

O HEFA – Hospital Éster Faria de Almeida foi ideia dos médicos Afonso Maron e Armando Nilo Barcelar e o nome foi em homenagem a esposa do médico formado em Paris em 1936, Joaquim Antunes de Almeida. O HEFA foi inaugurado em 1937.

As águas marinhas de Pedra Azul foram tão famosas que uma delas foi dada de presente a rainha da Inglaterra e outra foi esculpida em forma de obelisco e chamada de Pedra Dom Pedro

PEDRA DOM PEDRO

Pedra Dom Pedro é a maior escultura de água marinha do mundo e foi encontrada em Pedra Azul na década de 1980 pesavando 45 quilos. Foi levada para Alemanha em 1992 e foi esculpida em formato de obelisco pelo artista Bernd Münsteiner. Os comerciantes alemães adquiriram a pedra quando ela pesava 27 quilos. A peça pesa em torno de 2 quilos e tem cerca de 35 centímetros de altura. 

A obra encontra-se em exposição permanente no museu de história natural Smithsonian, em Washington e estima-se que atrairá tantos visitantes quanto a joia mais famosa do seu acervo, o diamante Hope, encontrado na Índia.

MUDANÇA DE NOME PARA PEDRA AZUL

Pelo fato do decreto do Presidente da República determinar que não poderiam haver mais de uma cidade com o mesmo nome e já existir a capital cearense com o nome de Fortaleza, a cidade mineira teve de mudar de nome. O imortal Nelson de Faria então sugeriu a substituição do nome para Pedra Azul, uma alusão a descoberta de águas marinhas feita por João de Almeida, sendo acatada sugestão através de plebiscito popular e mudado o nome para Pedra Azul em 31 de Dezembro de 1943.

Pedra Azul, então passava por um período de grande crescimento, sendo na década de 40 inaugurado o Parque de Exposições Getúlio Vargas. Na década de 50, instala-se na cidade uma concessionária da montadora de carros americanos Willys. 
De 1945 a 1964 Pedra Azul contou com cinema no Cine Teatro Isabel.

A decadência do município junto com todo o Vale do Jequitinhonha iniciou-se no governo militar devido a falta de investimentos na região e a migração do capital para os grandes centros. 
Foi nessa época que surgiu o estereótipo de Vale da Miséria. 

Histórico retirado do http://www.pedraazul-mg.com

Confira a programação da Festa da Cidade:




terça-feira, 28 de maio de 2013

Capelinha: Forró do Bode terá noite de arrocha com “Camisa Suada” e “Max & Daniel”


A banda Camisa Suada - A Original é a grande atração do Forró do Bode deste ano, neste 01 de junho, sábado

A festa, que acontece há 21 anos em Capelinha, no Alto Jequitinhonha, nordeste de Minas, será no dia 1º de junho, a partir das 20 horas, no Parque de Exposições, no Bairro das Acácias. 
A promoção é da Loja Maçônica Fidelidade e União, com apoio do comércio local.

Famosa em todo o país, a banda Camisa Suada promete sacudir o público com um show marcado por grandes sucessos nacionais do forró e do arrocha, como “Festa na Piscina”, “Fiorino” e “Só Vou Beber Mais Hoje”. 

Além do Camisa Suada, outra atração da noite será a dupla Max & Daniel, de Capelinha.
A tradicional “Quadrilha da Apae” fará a abertura da festa, com a apresentação dos alunos da entidade.

Os ingressos antecipados custam R$ 15,00, e poderão ser adquiridos nos seguintes pontos: Padaria Pão de Mel, Buiú Celulares, Mariângela Modas, Drogarias Monumento (Centro e Vila Operária) e Padarias São Geraldo (Centro, Maria Lúcia e Acácias). 

Na bilheteria, a entrada custará R$ 20,00. 

Como ocorre todos os anos, a renda da festa é destinada aos projetos sociais e assistenciais da Maçonaria.

NOVO RESTAURANTE EM CAPELINHA
ABERTO DE SEGUNDA A SEGUNDA

NESTE DOMINGO, PRATO ESPECIAL COM 
FRANGO CAIPIRA 

SELFSERVICE (12.90 O KG), LAGARTO AO 
MOLHO DE BATATA, PIZZA, FEIJOADA, MARMITEX
NO BAIRRO MARIA LÚCIA, EM FRENTE AO POSTO DE SAÚDE

FONE: 9163-3472 E 8728-8259

Ranking destaca UFMG como a 3ª universidade do país e a 10ª da América Latina

A Universidade Federal de Minas Gerais é referência no mundo


A UFMG desenvolve importantes trabalhos de pesquisa e extensão no Vale do Jequitinhonha, há mais de 15 anos
O primeiro QS University Rankings: América Latina apontou a UFMG em décimo lugar na lista das principais universidades da região e na terceira posição entre as brasileiras, depois da USP e Unicamp. 
"Isto reflete o reconhecimento que o trabalho da UFMG tem pela comunidade científica internacional", afirmou o pró-reitor de Pesquisa, Renato de Lima Santos, ao destacar que a avaliação do QS não é só quantitativa, ou seja, não considera apenas o volume de publicações, mas também o número de citações. 
"A UFMG está com um número de citações acima da média brasileira e a expectativa é que a UFMG melhore ainda mais nos próximos rankings", salientou.
A lista foi divulgada pela Quacquarelli Symonds World University Rankings (QS), empresa especializada em estudos sobre ensino superior e que produz o ranking TopUniversities. Ele mostra também que entre as 20 primeiras da América Latina, oito são universidades brasileiras e das 200 que compõem o ranking, 65 são do Brasil. 
De acordo com a QS, os resultados refletem os novos dados publicados pela Organização para Cooperação e Desenvolvimento Econômico (OCDE) em setembro de 2011, que revelam que a proporção do PIB investido em educação cresceu mais no Brasil do que em qualquer outro país da OCDE entre 2000-2008.
"A economia brasileira já é a sétima maior do mundo. O incremento da educação superior de alto nível será fundamental para o desenvolvimento e os novos rankings QS demonstram que o país já começa a colher seus frutos", disse Ben Sowter, chefe de pesquisas da QS.
"O ranking QS demonstra como o Brasil tem priorizado a investigação. Surpreendentemente, 8 em cada 10 dos melhores trabalhos acadêmicos publicados são brasileiros, que além disso apresenta uma proporção de 90% de acadêmicos com doutorado", atesta Danny Byrne, editor do site que fez o levantamento. 

Depois do Brasil, os países com maior número de instituições citadas são México (35), Argentina e Chile (ambos com 25).
As top 10 do ranking são:
Universidade de São Paulo (USP) - Brasil
Pontificia Universidad Católica do Chile
Universidade Estadual de Campinas (Unicamp) - Brasil
Universidad de Chile
Universidad Nacional Autónoma (México)
Universidad de Los Andes (Colômbia)
Instituto Tecnológico de Monterrey (México)
Universidad de Buenos Aires (Argentina)
Universidad Nacional de Colombia
Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG) - Brasil
Confira a lista completa aqui.
Mais informações: http://www.topuniversities.com/

Fonte: Site UFMG - com Agência Fapesp
Comentário do Blog:
Nós, mineiros, e principalmente quem estudou na UFMG, ficamos muito orgulhosos em ler tal notícia.
A UFMG tem feito um trabalho de pesquisa e extensão universitárias há mais de 15 anos na região através do Polo Jequitinhonha/UFMG.  São vários projetos que contribuem na educação, cultura, saúde, comunicação, diagnóstico sócio-econômico e inclusão produtiva.
Quase todo o Vale conhece a Marizinha, a Pró-Reitora de Extensão da UFMG, uma  apaixonada por nossa região, que coordena várias ações da Universidade, no nosso Vale. Na próxima semana, ela estará com sua turma agregando as mulheres no II Fórum da Mulher do Jequitinhonha, em Capelinha, nos dias 6 e 7 de junho. 
Professores e pesquisadores da UFMG também merecem destaque em várias frentes de trabalho e luta do Vale:  João Valdir de Sousa, de Turmalina, da Faculdade de Educação; Eduardo Ribeiro e Flávia Galizoni, do campus de Ciências Agrárias, de Montes Claros; Márcio Simeone, do Cruso de Comunicação, de BH, e muitos outros.
Pessoalmente, fico feliz, por ter me formado academicamente, profissionalmente e como cidadão na UFMG, no curso de Psicologia, de 1976 a 1981, na FAFICH. Onde também fiz diversos outros cursos na área de Ciências Humanas. 
Foi no interior da UFMG, nos movimentos estudantis, que forjamos a derrubada da ditadura militar. Aprendemos muito nas aulas das ruas, dos grupos de estudos, nas articulações dos movimentos sociais e no engajamento de estudantes e professores faficheiros.
A UFMG éramos todos nós, juntos e misturados!

Muitos desta geração é que fizeram da instituição o que ela é hoje. A grande maioria está na gestão, no ensino, pesquisa e extensão da nossa UFMG, fazendo-a se destacar cada vez mais. 

Cemig: Imposto cobrado representa 42% da conta de luz em Minas

Mineiros denunciam imposto de 42% nas contas de luz da Cemig




Movimentos sociais organizam plebiscito popular para promover o debate sobre tarifa de energia da Cemig
por Arcângelo Queiroz e Rosana Zica, de Belo Horizonte, no Brasil de Fato
Movimentos populares, sindicalistas, professores, estudantes, trabalhadores sem-terra, agentes de pastorais sociais, atingidos por barragens se uniram para organizar um plebiscito em Minas Gerais. A votação será realizada de 19 a 27 de outubro, com o objetivo de levar à sociedade os questionamentos em relação ao valor da conta de luz praticada pela Companhia Energética de Minas Gerais (Cemig), uma das mais caras dentre os estados brasileiros.
O coordenador geral do Sindicato dos Eletricitários (Sindieletro/MG) e secretário-geral da Central Única dos Trabalhadores (UT Minas), Jairo Nogueira Filho, destaca que o ICMS (Imposto sobre Circulação de Mercadorias e Serviços) que incide sobre a eletricidade é calculado por um critério chamado ‘tributação por dentro’, no qual a base de incidência do imposto inclui o próprio imposto, taxas e tributos da conta.
Isso faz com que a tributação real seja maior que o imposto indicado na conta. Por exemplo: uma alíquota de 30% de ICMS representa uma tributação real de 42,8%. “O exagero do imposto é um modelo socialmente injusto, pois sobretaxa um bem essencial, que é a energia”, avalia Jairo.

Nos dias 4 e 5 de maio, foi realizado, em Belo Horizonte, um encontro de formação, preparando lideranças para levar o debate para todas as regiões do estado, mas já há lideranças divulgando a consulta. A dirigente sindical e representante do Plebiscito Popular na Região Oeste, Katarina do Valle, diz que as primeiras reuniões mostram insatisfação geral com o serviço prestado e com a tarifa.

“A população de baixa renda é mais sacrifi cada e está esperando o plebiscito para cobrar mudanças na conta de luz”, antecipa.
Joceli Andreoli, da coordenação do Movimento dos Atingidos por Barragens (MAB) acredita que o Plebiscito Popular permitirá que toda a sociedade mineira se manifeste sobre a questão da energia. “Será um momento único de envolvimento na discussão de um modelo energético Popular”, avalia.

Imposto alto, qualidade do serviço baixa
Além do consumidor residencial da Cemig amargar um ICMS alto, é penalizado pela queda na qualidade dos serviços da empresa. Pelo menos 77% dos consumidores da Cemig esperam mais tempo que o definido pela Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel) para o restabelecimento de energia. O DEC da Cemig, que mede o tempo que as famílias ficam sem luz, só vem piorando e ficou, no ano passado, 37% acima do indicador registrado em 2003.
Em abril, a Aneel divulgou o ranking da qualidade do serviço prestado pelas distribuidoras de energia do país ao longo de 2012 e a situação da Cemig não é nada boa. A empresa, que ficou em 20º lugar na lista do ano passado, caiu para a 25ª posição.

O lucro de uma terceirização que mata
A Cemig hoje é uma holding de economia mista, que é controlada por acionistas privados nacionais e internacionais. Mais de 60% do lucro da empresa é remetido ao exterior, comprometendo investimentos em melhorias no sistema elétrico e na garantia de condições adequadas de trabalho para os eletricitários.
Há dez anos a terceirização é usada indiscriminadamente pela empresa como ferramenta para aumentar os lucros para os acionistas, o que não só compromete a qualidade dos serviços prestados como leva à precarização das condições de trabalho nas empreiteiras contratadas. Os acidentes fatais envolvendo trabalhadores que prestam serviços para a Companhia já são quase mensais. Em contrapartida, a Cemig já garantiu aos acionistas um repasse de R$ 3 bilhões para o ano de 2013.

Minas não dá o desconto total na conta de luz
O governo federal aprovou uma iniciativa que alivia a população do alto valor da tarifa. A Medida Provisória 579, que se transformou na lei 12.783, antecipou a renovação das concessões das empresas públicas de energia que venceriam até 2015. As novas regras garantiram a redução da tarifa já em 2013 de 18% para os consumidores residenciais.

No entanto, os governos de Minas Gerais, Paraná e São Paulo, todos governados pelo PSDB, não pactuaram com a proposta de adequação às novas regras. Ao renunciarem à renovação das concessões das usinas, colocam em risco o patrimônio da população com a ameaça de privatização, pois as empresas, hoje do Estado, devem ser leiloados para a iniciativa privada.


VIOMUNDO