quarta-feira, 31 de março de 2010

Semana Santa interdita ruas centrais de Diamantina

Ruas centrais da cidade serão interditadas na Semana Santa
Diamantina, Alto Jequitinhonha
Atendendo solicitação da Mitra Arquidiocesana de Diamantina e para melhor organização do transito durante as atividades religiosas da Semana Santa, a Prefeitura de Diamantina juntamente com a Policia Militar estará interditando algumas vias na área central da cidade dia 31 de Março e de 1 a 4 de Abril.

Na quarta-feira, dia 31 de março, a partir das 17 horas até às 23 horas, serão interditadas as seguintes vias: Praça e Travessa Conselheiro Mata, Praça Correa Rabelo, Praça Joubert Guerra, Rua Direita, Rua Vieira Couto, Rua do Contrato, Rua do Bonfim, Praça Dom Joaquim, Rua do Rosário, Praça Barão de Guaicuí.

Na quinta-feira, dia 01 de abril, a partir das 19 horas até domingo, dia 04 de abril até às 13 horas, estarão interditadas a Praça e Travessa Conselheiro Mata, Rua Direita, Praça Barão de Guaicuí, Beco do Amparo, Rua do Rosário, Praça Dom Joaquim, Rua do Carmo, Rua da Quitanda, Praça Joubert Guerra, Rua Vieira Couto, Praça Lobo de Mesquita, Rua do Contrato.

Os veículos que permanecerem estacionados nas vias urbanas mencionadas nos dias e horários estabelecidos poderão ser rebocados.

Solicitamos a compreensão dos moradores e proprietários de veículos para que se evitem transitar ou estacionar nestas vias e colaborem com as atividades religiosas da Semana Santa.

Mais informações na Secretaria Municipal de Administração ou pelo telefone: 3531- 4100


Fonte: Prefeitura de Diamantina

Atingidos de Irapé

Atingidos de Irapé
Trailler denúncia do documentário em andamento sobre os atingidos pela construção da hidroelétrica de Irapé, localizada no Vale do Jequitinhonha, pelo qual foram desabrigadas mais de 7 mil pessoas.

Clique aqui e veja o video
atingidos-de-irapé

terça-feira, 30 de março de 2010

Falta de estrutura da UFVJM gera polêmica

UFVJM: Estudantes denunciam falta de estrutura
Reitor justifica, elogia REUNI e diz que elite critica acesso democrático à Universidade
A Universidade Federal dos Vales do Jequitinhonha e Mucuri (UFVJM), uma das instituições mais novas do sistema federal, criada em setembro de 2005, vem permitindo que muitos jovens das regiões mais pobres de Minas possam realizar o sonho de cursar o ensino superior. Porém, muitos enfrentam dificuldades diante da falta de estrutura.

Sediada em Diamantina, no Alto Jequitinhonha, a UFVJM encampou a antiga Faculdade de Odontologia (Fafeod) e conta também com um câmpus em Teófilo Otoni. Pouco mais de quatro anos depois de criada, a instituição já tem cerca de 30 cursos e aproximadamente 5 mil alunos. Além do atendimento às demandas regionais, o crescimento da universidade se deve à sua inclusão no programa de expansão Reuni.
"Foram abertas muitas vagas sem uma estrutura adequada para a expansão", afirma o presidente do Diretório Central dos Estudantes (DCE) da UFVJM, Heverton de Paula. Ele salienta que os cursos foram criados antes do término das obras para atendê-los, como a construção de laboratórios e outros prédios. "O curso de educação física, por exemplo, está próximo de formar a primeira turma sem a conclusão do complexo esportivo da universidade", observa Heverton.

O líder estudantil diz que, com o Reuni, a UFVJM passou a enfrentar excesso de alunos nas aulas. "Há salas com até 120 estudantes", disse, apontando a falta de titulação como outro problema. "Isso ocorre porque os professores fazem concurso para as universidades do interior. Mas, depois de concluir mestrado ou doutorado, preferem as instituições dos grandes centros", afirma o presidente do DCE.

O aluno Érico Ribeiro Hugo, do 8º período de ciências biológicas, lamenta a falta do laboratório de biologia molecular. "Mas sou bem compreensivo em relação a isso, pois a universidade é nova e os laboratórios ainda estão em construção", afirma.

O reitor da Universidade Federal dos Vales do Jequitinhonha e Mucuri, Pedro Ângelo Almeida Abreu, nega que o Reuni tenha provocado impactos o ponto de prejudicar a qualidade do ensino da instituição. "O programa trouxe maior quantidade de recursos para o crescimento
da universidade. O que ocorre, na verdade, é que há parte de uma elite que é contra essa expansão do ensino superior", dispara.


Em relação à infraestrutura da instituição, ele defende a necessidade de criação de cursos antes que seja providenciado suporte para o funcionamento.

"No nosso país, ninguém cria o espaço antes das necessidades. Então, foi criada a universidade, para depois ser montada a infraestrutura", afirma o reitor, que culpa a burocracia pela demora na conclusão das obras.
"Infelizmente, enquanto se faz uma construção em seis meses na iniciativa privada, na área pública a mesma obra demora pelo menos 18 meses por causa do processo de licitação e de outras questões burocráticas. Por isso há um descompasso entre a implantação dos cursos e o fim das obras."

Segundo o reitor, há no país uma cultura de que as salas de aula devem ter poucos alunos, enquanto em países do hemisfério Norte o contingente de estudantes é maior, sem prejuízo para o ensino. Para ele, o número excessivo de alunos não vem atrapalhando as atividades da instituição.

Fonte: Passadiço Virtual, de Diamantina e Portal UAI

Projovem inscreve mil jovens em Araçuaí

PROJOVEM INSCREVE MIL JOVENS EM ARAÇUAÍ
As inscrições para os cursos profissionalizantes do PROJOVEM foram realizadas na semana passada na cidade de Araçuaí, no Médio Jequitinhonha. Ao todo foram oferecidas 1000 vagas distribuídas em 10 cursos. Os selecionados terão direito, ainda, a uma bolsa mensal de 100 reais.

O Programa é destinado às pessoas entre 18 e 29 anos. Este ano serão oferecidos vagas nos cursos profissionalizantes de administração, alimentação, construção e reparos, serviços pessoais, madeira e móveis, metal mecânica, saúde e gestão pública.
O PROJOVEM é do Governo Federal em parceria com as prefeituras. O programa tem como principal objetivo preparar o jovem para o mercado de trabalho e ocupações alternativas geradoras de renda, além de elevar a escolaridade e promover a participação cidadã do aluno na comunidade.

A carga horária do PROJOVEM é de 2.000 horas a serem cumpridas em 78 semanas, divididas em 1.560 horas presenciais e 440 horas não-presenciais.

As atividades em sala de aula incluem visitas, pesquisa de campo, participação em palestras, práticas relacionadas ao campo de qualificação profissional e participação cidadã .

Um dos grandes desafios da região é justamente a qualificação profissional e principalmente a geração de emprego e renda.

Para que o Vale prospere é preciso que as pessoas desenvolvam um espírito empreendedor e enxerguem as possibilidades de desenvolvimento.

As inscrições encerraram-se na última quarta feira (24/03) no CRAS, CREAS e na sede da assistência social.

Fonte: TV ARAÇUAÍ, Repórter: André Sá

Motoristas reclamam de buracos nas ruas da cidade

Araçuaí: Motoristas reclamam de buracos nas ruas
Os motoristas que trafegam pelas ruas de Araçuaí reclamam dos buracos que se multiplicaram pelas vias que cortam a cidade. A situação se agravou ainda mais depois das fortes chuvas. Outro agravante segundo os motoristas é a péssima recomposição do calçamento feita pela empresa que realiza a obra de saneamento básico na cidade.
Para dirigir em Araçuaí os motoristas precisam de uma boa dose de paciência. O trânsito virou sinônimo de prejuízos. Os buracos se multiplicaram com as últimas chuvas. Os motivos são velhos conhecidos: calçamento muito antigo, galerias com mais de 30 anos de idade, recomposição do calçamento mal feitos pela COPASA e também, pela MAQUENGE e falta de manutenção do poder público municipal.
A soma destes fatores tem incomodado e muito os motoristas da cidade. No início da semana esta carreta caiu num buraco causado pela rede de esgoto implantado pela MAQUENGE. O buraco localizado na esquina da Rua Buenos Aires com a avenida Bom Jesus engoliu o pneu da carreta que ficou atolada na rua.

Na semana passada um outro caminhão foi vítima de um desses buracos. Após as chuvas a galeria de esgoto localizada próxima a Praça do Rosário não agüentou o peso do caminhão e afundou. Este teve que ser retirado por uma retro escavadeira.
Fonte: TV ARAÇUAÍ , Repórter: André Sá

Comitê do Rio Araçuaí reúne-se em Itamarandiba

Comitê do Araçuaí realiza Consulta Pública no Alto Jequitinhonha
O Comitê da Bacia Hidrográfica do Rio Araçuaí realizará, neste 31 de março, na cidade de Itamarandiba, no Alto Jequitinhonha e Alto Araçuaí, uma Consulta Pública.
A programação tem início às 9 horas, indo até às 16 horas.
A presença de todos os ativistas ambientais, gestores, usuários e cidadãos em geral que se preocupam com os usos e abusos da água devem comparecer e participar de um frutífero debate.
São 10 anos do Comitê da Bacia Hidrográfica do Rio Araçuaí.
Participei da primeira diretoria do CBH Araçuaí e considero de fundamental importância as ações da entidade.
Que sejam mais divulgadas as decisões e as orientações, principalmente para os moradores da Bacia do Rio Araçuaí.

Gruta dos Índios é atração e enigma em Itinga

Monumental gruta em Itinga abriga enigmáticas inscrições.
Indígenas ou pré históricas?
Deixamos a rodovia 367, que interliga Itaobim e Itinga, no Médio Jequitinhonha, e após caminhar por uma longa estradinha de terra, encontramos uma antiga casa sede de fazenda. Nosso destino é a misteriosa Toca dos Índios. Ao nos encaminhar à casa para saber sobre o caminho que nos levaria à montanha da gruta, a anciã que nos atendeu disse estar comentando sobre a referida caverna.
Antigos contos
Acerca da grande gruta denominada Toca dos Índios, rememorou que quando menina, sempre aos domingos, sua família fazia divertidos piqueniques no interior desta misteriosa cavidade existente no cume de uma montanha donde se vê longo trecho do rio Jequitinhonha a cintilar os reflexos da luz do sol. A respeito dela disse haver inúmeras historietas, lendas e supertições. Uma delas relata os chamados “caboclos” (índios) que a habitavam e aos grupos desciam da montanha, deitavam na beira do corguete ao fundo dessa casa e pondo suas bocas à flor d’água, bebiam. Entretanto, nosso interesse residia ao que chamou leitura dos caboclos, - os símbolos rupestres nela grafados.
Impressões do roteiro
A anciã mostrou-nos a montanha onde ficava a Toca dos Índios, recomendando cuidado com as “casas de europa”, (colméias de abelhas africanas) presas ao teto da gruta. Segundo ela, eram encantadas, às vezes, ninguém às viam. Noutras ocasiões, faziam a “guarda” da toca, implacavelmente atacando pessoas e animais. Em seguida, referiu-se às diversas inscrições existentes no seu interior.Caminhando por uma estrada cavaleira sob a rarefeita sombra de ressequidos arvoredos, iniciamos a subida da montanha a observar diversos carreiros marcados por patas de unhas pontiagudas. O insistente ecoar do canto de “invisíveis” seriemas, aumentava a ansiedade de chegar ao misterioso monumento de tão interessantes registros.
A gruta
Em determinados locais onde a sombra dos arbustos se fazia densa, afloravam sinais de um tipo de minhocas que difere das minhocas comuns. Indício de solo fértil! Depois de percorremos trechos íngremes, deparamos com o cume de uma montanha de formação calcária. E após uma passagem de difícil acesso chegamos à Toca dos Índios. A imensa gruta impressiona ao inspirar reflexões acerca da história de vida do homem. Presas ao teto, antigas colméias pressupõem cautela. Assim sendo, o silêncio foi mantido. Uma vara fincada com uma cruz amarrada à sua extremidade superior, juntamente a pedras aparentemente moldadas, pressupondo ter servido como utensílios domésticos acirrou o ar de mistério.
Indecifráveis inscrições
Esta cavidade com aproximadamente vinte metros de profundidade, doze de largura e oito de altura, possui, exceto no teto, diversas inscrições rupestres impressas em vermelho grená, tal qual o tom da semente de urucu. Algumas inscrições assemelham-se a pés galináceos. Um determinado conjunto destaca-se por um longo traço, dando-nos idéia de tratar-se duma tentativa de reproduzir o trajeto percorrido pelo rio Jequitinhonha, do ponto de vista da gruta. Devido ao processo erosivo no interior da gruta, pedaços com inscrições desprenderam-se. Ao lado desta imensa gruta, uma outra menor também contém inscrições. Destituídas de medidas preservacionistas e de análises científicas, não se sabe ao certo seus significados nem quem as grafou. Indígenas ou homens primitivos?


Dalton Mascarenhas, do Diário do Jequi, de Almenara.

AIDS em Almenara: desvendando mitos e desinformações

AIDS em Almenara: quantos infectados?
Entrevista com profissionais do Departamento de Epidemiologia da Secretaria Municipal de Saúde de Almenara esclarece casos confirmados, mitos e aspectos envolvendo a questão da AIDS na localidade almenarense e adjacências.
Vanessa Mendes, enfermeira encarregada pelos registros e controle de AIDS em Almenara, assessorada por Agnaldo Gomes, também profissional de saúde, disse haver, literalmente, duas portas de entrada de fácil acesso a quem queira fazer exames visando detectar presença do vírus HIV.

Romércio Gobira, Secretaria de Saúde de Almenara

“Uma delas é a própria Secretaria de Saúde do município via coleta de sangue. Outra são os Testes Rápidos realizados no Hospital Deraldo Guimarães, efetivados por livre opção, solicitação médica, e compulsoriamente às gestantes.”
Conforme informações oficiais, Almenara procede em média 50 exames afins. Dezoito casos estão confirmados e em tratamento, compreendidos por drogados, prostitutas e jovens adultos. Entretanto, observaram os técnicos, “há casos ocultos e de pessoas que preservando o anonimato, tratam-se em outras localidades.”


Unânimes, acreditam que a AIDS em Almenara estabilizou ou diminuiu.

“Em 2007, ocorria um novo caso a cada 30 dias. Numa determinada família havia 10 pessoas infectadas! Nos três últimos anos, detectou-se apenas em três gestantes. Duas de Almenara, uma de Rubim.”
Referindo-se à prevenção por parte daqueles sexualmente ativos, Agnaldo considerou que “nem sempre a informação é transformada em conhecimento”, contrariando o devido uso de preservativos.


Salientou que a Organização Mundial de Saúde preconiza que para cada novo caso de AIDS, existem outros 10 ou 20! Perguntado se concordava com o assustador suposto número de 2 mil infectados em Almenara, ponderou: “suponho haver abaixo de 100. Talvez, um caso para cada mil habitantes”.
Informaram que a Secretaria Municipal de Saúde distribui preservativos via o PSF e promove campanhas de esclarecimento, prevenção e combate à AIDS.


Fonte: Diário do Jequi, de Almenara

segunda-feira, 29 de março de 2010

BR 367 no PAC II

Lula e Dilma garantem pavimentação da BR 367
Rodovia foi incluída no PAC II




Clique em pavimentação BR 367-PACII e verá o Infográfico divulgado pelo Blog do Planalto, nesta tarde de 29 de março de 2.010.
Observem nos detalhes acima:

1 - há duas setas indicando a BR 367 no mapa;

2 - a seta que indica o trecho da BR 367 como pavimentação está localizada no Médio Jequitinhonha. A legenda é azul e retangular/quadrada. Isso quer dizer: obra a ser feita ou continuada. O trecho marcado é o de Minas Novas-Chapada do Norte - Berilo - Virgem da Lapa. Parece-me que a obra será tocada pelo DER MG, com recursos repassados pelo DNIT - Departamento Nacional de Infra-Estrutura Terrestre. Já tem projeto e licença ambiental.
Isso é um sinal que a obra pode ser reiniciada brevemente. A empresa ganhadora da licitação é a Engesa S.A., empreiteira de Belo Horizonte.

3 - A outra seta da BR 367 que aponta para um ponto do mapa no Baixo Jequitinhonha (trecho Jacinto - Salto da Divisa- Itagimirim-BA) está em legenda azul em uma marca oval, indicando Estudos e projetos. Isso é um sinal que as obras podem não ter início este ano, necessitando de elaboração de estudos, projeto e posterior licença ambiental.

4 - O Governo Federal ainda não forneceu detalhes do cronograma de obras do PAC II e nem do orçamento específico.
Logo que houver alguma novidade, informaremos em primeira mão.
Estamos conectado com várias fontes políticas e técnicas de Brasília.

Corte de Cana

Corte de Cana
Jotinha do Forró e Pepe Moreno
Composição: Zé Luis

- Alô, papai!
- Alô!
- Ô pai, venha logo,tô com saudade,
-você tá onde pai?
- Estou no interor
de São Paulo cortando cana, meu filho,
- Não demora pai,
acho que vou desmaiar, de tanta fome.
- Ó, meu Deuso!

Saudade de casa, da família,
estou em São Paulo pra melhorar de vida,
Tô no corte de cana,
ah que vida!

Aqui não tenho valor,
sou um bóia fria
O trabalho é pesado, e o sol queima,
o calor é imenso, é grande a sede
Eu deixei minha cidade,
em busca de um bom salário,
aqui em São Paulo é pior.

Venha logo, papaizinho,
que eu estou aqui sozinho,
é de fazer dó.

A fome dói, dói- dói-dói.
Pra não roubar, papai tem que trabalhar,
nem que seja fora.
O mundo dá muitas voltas,
Alô, papai,
- Alô!
- Ô pai, venha logo,
traz dinheiro pra comprar comida,
pagar as contas pai.

Ô meu filho, não se preocupe não,
o pai tá indo
- Alô papai,
- Alô meu filho, tá fazendo o que aí, pai?
- Tô trabalhando meu filho,
tô cortando cana aqui em São Paulo
- Vem embora, pai,
- Eu tô ajuntando dinheiro, meu filho
pra mim ir embora,
- Volta pra casa, pai,
- Eu vou, meu filho.
- O pai tá com saudade,
- Eu choro todo dia com saudade de você, pai,
eu vou, eu vou.

Saudade de casa, da família,
eu tou em São Paulo,
pra melhorar de vida.
Tô no corte de cana,
ah que vida!
Aqui não tenho valor, sou um bóia-fria.
O trabalho é pesado e o sol queima,
o calor é imenso, é grande a sede.
Eu deixei minha cidade, em busca de um bom salário,
aqui em São Pauloé pior.
Venha logo, papaizinho,
que eu estou aqui sozinho,
é de fazer dó.
A fome dói, dói- dói-dói.
Pra não roubar papai tem que trabalhar,
Nem que seja fora.
O mundo dá muitas voltas.

Alô papai, alô, ô pai venha logo,
vem ficar comigo,
- Ô meu filho, eu vou embora,
vou na Rodoviária
vou comprar minha passagem,
e vou embora,
vem papai , vem ficar comigo, vem pai vem...
Refrão
Já estou indo meu filho, vou embora,vou embora,
qual quer hora eu tou chegando a ir.
Venha logo, papaizinho,
venha embora, venha embora, venha embora,
Que eu estou com saudade.
Já estou indo, meu filho,
vou embora, vou embora,
qualquer hora, papai chega aí.

Ouça a música clicando em corte-de-cana

domingo, 28 de março de 2010

América TO permanece na primeira divisão

Campeonato Mineiro define confrontos das quartas-de-final
América TO permanece na primeira divisão
Após o término das seis partidas simultâneas do Campeonato Mineiro, neste domingo, 28 de março, pela última rodada da primeira fase, os confrontos das quartas-de-final do Estadual foram definidos:
Cruzeiro x Uberaba
Democrata x Villa Nova

Atlético x América
Tupi x Ipatinga.
Estes são os jogos da próxima etapa.
São dois jogos a serem disputados. O time melhor colocado joga por empate ou dois jogos com resultados de saldo de gols iguais. Além disso, o segundo jogo é realizado em sua casa.
Quem vencer irá para a semifinal, quando se classificam 4 times.
América TO perde mas continua na primeira divisão
O América de Teófilo Otoni perdeu o último jogo da primeira fase do campeonato mineiro para a Caldense por 4 x 3. Mesmo assim, se classificou devido às derrotas do Uberlândia para o Tupi de Juiz de Fora e Ituiutaba para o Atlético.
O América ficou em 10º lugar. Sua campanha foi modesta: ganhou apenas uma partida na 8ª rodada contra o Uberlândia, por 2 x 0, em casa, tendo empatado 4 vezes e sofrido 6 derrotas.
Teve momentos brilhantes quando enfrentou o Atlético e empatou por 2 x 2, ficando á frente do placar por duas vezes.
Contra o Cruzeiro, no Mineirão, chegou a estar ganhando até 15 minutos do 2º tempo. mas sofreu a virada, perdendo por 2 x 1.
Segundo o técnico Gilmar Francisco, o time foi formado às pressas, no final de dezembro, devido à desistência de participação do Rio Branco, de Andradas. Mas o objetivo foi alcançado: a permanência na elite do futebol mineiro.

Serra 36%; Dilma 27%. O que isso indica?

Pesquisa Datafolha mostra recuperação de José Serra
Como candidata, Dilma é desconhecida por 58% de apoiadores de Lula
A pesquisa presidencial do Datafolha deste domingo dá o resultado de intenções de voto de 36% para José Serra, 27% para Dilma, 11% para Ciro Gomes e 6% para Marina Silva.
Estes resultados dão novo ânimo para José Serra que se afastará do governo paulista para se candidatar a presidente da República, pelo PSDB, nesta primeira semana de abril.
Há interpretações controversas em relação aos resultados obtidos pela Ministra Dilma Roussef, candidata do PT. Alguns analistas acreditam que a ausência de Lula no país nos últimos dias contribuiu para estacionar o crescimento de Dilma. Outros apontam dados como desconhecimento do eleitor sobre a candidata.
Veja a anãlise feita pelo cientista político Rudá Ricci, de Belo Horizonte, no seu Blog:


"Dilma desacelerou?"
1) Dilma continua crescendo no levantamento espontâneo DATAFOLHA
Tinha 8% em dezembro, passou a 10% em fevereiro e agora chegou a 12%. Serra pontuou 8%, o mesmo percentual de dezembro. Na espontânea, o nome de Lula foi citado por 3% dos entrevistados.

2) 58% dos prováveis eleitoras a desconhecem
Quase 60% dos que afirmam que votariam no candidato de Lula desconhecem que Dilma é candidata.

3) Lula bate recorde de popularidade
Desde que este indicador passou a figurar em pesquisas DATAFOLHA (1990), nunca um Presidente da República teve tão alta aprovação: 76% da população consideram seu governo ótimo ou bom.

Juntemos os cacos: a campanha de Dilma esgotou uma fase inicial. A simples presença de Dilma em inaugurações oficiais parece se revelar insuficiente para popularizar a candidata como a de preferência de Lula. Serra cresceu no sul, onde tem um eleitorado anti-petista mais ferrenho (Lula teve sua aprovação em elevação nesta região). Não cresceu tanto no sudeste. O que reforça o enigma sobre a parada nos índices de intenção de voto em Dilma. Serão necessários novos métodos e fatos políticos para ampliar a visibilidade e vínculos de Dilma com Lula.


Com informações do http://www.rudaricci.blogspot.com/

Maioria dos deputados mineiros é da região Central

Jequitinhonha e Mucuri são regiões menos representadas na Assembléia
Levantamento do jornal Estado de Minas mostra que a maioria dos deputados estaduais e federais é de regiões mais ricas
As urnas refletem a vontade popular, mas não são justas na distribuição da representação legislativa pelas regiões geográficas do Estado.

Levantamento realizado pelo jornal Estado de Minas que indica 71 dos 77 deputados estaduais e 49 dos 53 deputados federais concentram mais de 40% de sua votação em só um - ou uma só "Território" macrorregião. Mais rica e mais populosa, a região Central tem na Assembleia Legislativa 33 cadeiras, - o equivalente a 43% do plenário - em que pese o eleitorado dos 158 municípios que compoem 35% do Estado.
Jequitinhonha: pior representação
Em situação inversa está a Região do Vale do Jequitinhonha e do Mucuri, - a mais pobre na área econômica e desenvolvimento humano - que tem apenas um deputado estadual que ali concentra a sua votação, apesar de o conjunto dos eleitores nas 66 cidades representar 5 , 3% do total no Estado.

Também no plano federal o chamado "vale da miséria" continua quantitativamente em desvantagem na representação da bancada mineira: tem dois deputados federais com votação ali predominante, - o equivalente a 3,8% das 53 cadeiras.

A atuação parlamentar é muito vinculada e continua centrada nos interesses e não das bases de atendimento. A menor representação política é sinônimo de voz baixa na defesa das regiões.

As demandas brotam com a pobreza em que proliferam carências estruturais e na oferta de serviços fundamentais. Não é à toa, que os prefeitos do Vale do Jequitinhonha estão permanentemente à caça de Deputados. Eles são vistos como "despachantes" junto ao Poder Executivo.

Os prefeitos contam com os deputados para uma solução de questões mais diversas, que sozinhos não conseguem lidar em decorrência das máquinas administrativas municipais precárias. Precisamente nessa dependência burocrática e política se perpetuam os mandatos dos Representantes do Legislativo.

Os Prefeitos precisam de deputados para atrair recursos e encaminhar politicamente as demandas. E os deputados contam com votos también que advir de uma gestão azeitada.
Dim reclama
"Nós, prefeitos, vivemos sempre de pires na mão", afirma Dim Martins (PT), de Virgem da Lapa, cidade com 14.602 habitantes, localizada no Médio Jequitinhonha, a 560 quilômetros de Belo Horizonte
Embora cnsidere haver deputados que ajudam pequenas demandas em uma cidade, aqui e ali, ele ressente
a falta de um movimento político de sustentação da região.

"Somos órfãos de um porta-voz que reivindique estradas, barragens e geração de emprego e renda para o Jequitinhonha" acrescenta.
Com informações da reportagem de Bertha Maakaroun, do Estado de Minas

Produtores de mandioca vão adotar novas tecnologias

Produtores de mandioca vão adotar novas tecnologias
Bandeira, Baixo Jequitinhonha No dia 24 de março, a EMATER, em parceria com a EMBRAPA, realizou palestra sobre a Cultura da Mandioca no Município de Bandeira, no Baixo Jequitinhonha.
Este cultivo e de grande importância na região, principal fonte de renda das famílias de agricultores familiares. Estes carecem de um sistema de produção adequado para alcançar maior produtividades.

A farinha é o único produto derivado, afetada pela baixa qualidade, produzida pelos agricultores, com tecnologia que torna o cultivo da mandioca uma atividade de pouca lucratividade.
Segundo Ricardo Nery, gerente regional da EMATER-MG, “ o projeto da Cultura da Mandioca no referido município visa melhorar as condições econômicas e sociais dos micro e pequenos produtores via sua capacitação e inserção tecnológica na produção, processamento e comercialização.”

Além da palestra, os técnicos da EMATER e da EMBRAPA promoveram Dia de Campo junto aos produtores de mandioca na Fazenda Bela Vista, Comunidade da Pinheira, propiciando oportunidade para que pequenos agricultores conhecessem novas técnicas voltadas ao aumento da produtividade.
Novas espécies de mandioca e novas tecnologias
As novas variiedades de mandioca de mesa e de uso industrial em um sistema de produção adequado à região foram experimentalmente implantadas seis novas espécies: Gema de Ovo, Dona Diva, Kiriris, Saracura, Aipim Manteiga, Aipim Brasil. Todas com maior resistência ao fungo que causa a podridão radicular, um dos maiores problemas.

Carlos Santos, prefeito de Bandeira, qualificou a palestra como de fundamental importância, avaliando que o município abriga 150 hectares de mandiocais implantados.
Com a nova proposta de cultivo, o agricultor familiara poderá quase triplicar sua produção . Aumentar a produção atual de 14 toneladas por hectares para 35 hecatres é a meta para Bandeira.

Há também a possibilidade de agregar valor aos derivados da mandioca face às novas tecnologias de produção apresentadas novas propostas como a criação de uma marca e padronização de embalagens.

Estas meidadas farão com que Bandeira ganhe visibilidade como um dos destacados produtores de mandioca do Baixo Jequitinhonha e sua farinha seja conhecida no estado e até no país, acreditam os técnicos organizadores do evento.

Fonte: Diário do Jequi. de Almenara

Escola comemora um centenário de Educação em Almenara

Escola comemora um centenário de Educação em Almenara Neste fim de semana, 26 e 27 de março, a Escola Estadual Conde Afonso Celso comemorou o centenário da Educação no município de Almenara, no Baixo Jequitinhonha.

Uma queima de fogos no alvorecer da sexta feira marcou o início da programação do centenário. Mais tarde, às 19 horas, houve uma missa de ação de graças na igreja católica São João Batista. Logo em seguida, foi realizada uma solenidade na escola Conde Afonso Celso com a presença dos alunos, professores e autoridades locais.
No sábado, às 18 horas, os professores e alunos da escola realizaram uma caminhada pela cidade, passando pela frente da escola e chegando até a avenida Olindo de Miranda.
Durante a caminhada, a tradicional banda “Fanfarra” foi tocando ritmos de marcha.
Um palco foi montado na Avenida para receber as atrações.
A banda de metais do Grêmio Cultural Bartolomeu de Almeida, formada pelos alunos do município de Jequitinhonha abriu as apresentações da noite.
Depois, o músico e compositor Nildon Sena, ex aluno da escola, fez uma apresentação musical tocando algumas músicas do seu novo CD.
No final, a banda Xamêgo do Brasil animou o público presente.
Histórico da Escola Mista de São João do Vigia
“Em 21 de fevereiro de 1910, na presença da dedicada mestra Maria Cristina, primeira professora do município e naturalmente a maior incentivadora da implantação da primeira escola, e de outras personalidades da época, instalava-se a primeira escola pública de São João do Vigia, ainda distrito de Araçuai, denominada Escolas Mista de São João do Vigia comportando 112 alunos regularmente matriculados.
Posteriormente, sem local próprio e adequado para funcionar, foram instaladas várias salas de aula em diversos pontos da comunidade, e chamaram de “ Escolas Isoladas”. Depois, reuniram-se todas as salas na Casa Paraquial com o nome de Escolas Combinadas.
Em 29 de abril de 1946 a escola ocupou o velho prédio da Coletoria Estadual que se encontrava desocupado e recebeu o nome de Grupo Escolar Conde Afonso Celso. O nome foi em homenagem a uma grande personalidade da época, o jornalista , político e poeta, Conde Afonso Celso.
Em 02 de Julho de 1947, a Prefeitura Municipal doou um terreno para a construção do novo prédio do Grupo Escolar, ainda na direção da Mestra Maria Cristina que durante meio século contribuiu enormemente com a educação municipal, aposentando-se em 1955.
Já em 1974, a escola passou a se denominar Escola Estadual Conde Afonso Celso.
Hoje a Escola Estadual Conde Afonso Celso é integrante da rede estadual de ensino.

Um século depois de sua instalação, encontra-se em pleno funcionamento, viva e eficaz, ampla e aconchegante.
Cada vez mais jovem, fiel aos preceitos da Educação, orgulhosa de ter sido a pedra fundamental da educação em Almenara, percorrendo a história da própria cidade, participando do seu progresso e ascensão.”

Fonte: Diário do Jequi, de Almenara

Projeto Conviver beneficia 31 municípios do Jequitinhonha e Mucuri

Projeto Conviver doará lâmpadas, geladeiras e chuveiros
Para reduzir energia, a Cemig beneficiará 31 municípios do Jequitinhonha e Mucuri incluídos no Projeto Travessia
O Projeto Conviver, que faz parte do Programa de Eficiência Energética da Companhia Energética de Minas Gerais (Cemig), já beneficia 98 comunidades de baixa renda de Grande BH. A partir deste ano, o Conviver expande suas ações para diferentes regiões do Estado.
Como funciona
As comunidades contempladas receberão agentes de relacionamento comunitário para prestar orientações sobre o uso correto e seguro da energia elétrica, bem como o acesso à tarifa social de baixa renda.

Os clientes atendidos também poderão negociar débitos e solucionar pendências relacionadas à conta de luz. De acordo com um dos coordenadores do projeto, Ronaldo Lucas Queiroz, neste primeiro momento serão priorizadas cidades de menor Índice de Desenvolvimento Humano (IDH) do Estado, em especial aquelas que compõem o Projeto Travessia.

O Conviver tem como objetivos contribuir para a redução do desperdício de energia e adequar o consumo à capacidade de pagamento das famílias. Para tanto, serão substituídas lâmpadas, chuveiros e geladeiras de alto consumo por outros mais eficientes.Além desses benefícios, o Conviver leva a preocupação ambiental, por meio de informações e palestras, sobre o uso eficiente da energia e redução dos impactos ambientais causados pelo mau uso dos recursos naturais.
Doações
Através da substituição de equipamentos, o Conviver Interior irá doar um total de 730 mil lâmpadas fluorescentes compactas, 15.960 mil geladeiras e 16.185 mil chuveiros com recuperador de calor, beneficiando, ao todo, 160 mil famílias mineiras em 62 municípios.
Apenas com a instalação do chuveiro com recuperador de calor, a economia alcançada pode chegar a 40% do consumo mensal de cada residência.

Já as lâmpadas fluorescentes, doadas a todas as famílias visitadas pelos agentes do Projeto, consomem quatro vezes menos energia do que as incandescentes, normalmente utilizadas em residências.
Municípios do Jequitinhonha e Mucuri a serem beneficiados
Vale Jequitinhonha – Angelândia, Aricanduva, Berilo, Caraí, Chapada do Norte, Francisco Badaró, Itinga, Jenipapo de Minas, Joaíma, José Gonçalves de Minas, Novo Cruzeiro, Palmópolis, São Gonçalo do Rio Preto e Virgem da Lapa.

Vale do Mucuri – Bertópolis, Catuji, Frei Gaspar, Fronteira dos Vales, Itaipé, Ladainha, Novo Oriente de Minas, Ouro Verde de Minas, Pavão, Poté, Santa Helena de Minas, Serra dos Aimorés e Umburatiba.

Norte de Minas – Botumirim, Cristália, Itacambira e Padre Carvalho.
Com informações da Agência Minas

sexta-feira, 26 de março de 2010

AméricaTO joga para fugir do rebaixamento

AméricaTO foge do rebaixamento até mesmo com derrota
A última rodada do Campeonato Mineiro acontece no domingo, às 16 horas para todos os jogos. Haverá a definição de classificação de todos os times. A maior disputa é para evitar o rebaixamento de 2 equipes.
O América de Teófilo Otoni está em uma situação melhor que os outros 3 times possíveis de serem rebaixados no Campeonato Mineiro de Futebol de 2.010. Está com 7 pontos ganhos, na 9ª posição. A Caldense também possui 7 pontos mas com um saldo menor de gols. Em 11° lugar, está o Uberlândia com 5 pontos, junto com o Ituiutaba, na lanterna, com os mesmos pontos mas com o pior saldo de gols da disputa.
O América joga conta a Caldense, em Poços de Caldas. Precisa apenas de um empate pois ficará com 8 pontos, à frente da Caldense, pelo saldo de gols. Claro que este resultado depende da derrota ou empate do lanterna Ituiutaba que enfrenta o Atlético, no Mineirão. Como também se garante se houver empate ou derrota do Uberlândia que enfrenta o Tupi, em Juiz de Fora. Pode até perder se houver empate ou derrota do Uberlândia e Ituiutaba. Com estes resultados estas duas equipes alcançarão 6 pontos e serão rebaixados.
Para depender somente de si o América necessita de uma vitória pois alcançará 9 pontos, continuando na primeira divisão do Campeonato Mineiro de 2.011.

Almenara realiza Campeonato Municipal de Futebol

Almenara realiza Campeonato Municipal de Futebol
O Campeonato Municipal de Almenara iniciou-se dia 14 de março, com os jogos Cruzeirinho 9 x Brasnara 6 e Chelsea 5 x Democrata1.
Segundo Jadson Garcez, Secretário de Cultura, Esporte e Lazer, sua duração será de três meses e meio.
Dez equipes principais e quatro equipes de massa estão envolvidas. O distrito de Pedra Grande também está representado. O Campeonato tenta resgatar o brilhantismo do Estádio Municipal João Soares Lisboa- Lisboão, generosamente construído pelo seu patrono.
O Estádio foi recentemente reformado, sendo um dos 10 melhores de Minas Gerais, resultado do empenho da Prefeitura pelas atividades esportivas no município.
A revitalização do Estádio também deve-se ao trabalho desenvolvido pela Promotoria da Comarca de Almenara ao remover 29 famílias de baixa renda há muito nele estabelecidas, fato que o colocou à altura da ncessidade dos desportos no município.

A reforma física foi fruto de feliz parceria entre prefeitura e empresários da cidade de Almenara.
Como forma de priorizar os atletas municipais, Jadson alertou quanto veto de atletas de outras cidades, sob pena de jogadores do município ficarem de fora. “ Trata-se de um campeonato organizado apenas para desportistas de Almenara e Pedra Grande”, frisou.
Estrutura do Lisboão

O estádio Lisboão possui capacidade para cerca de 10 mil espectadores, vasta área de escape entre as arquibancadas e alambrado, portanto, apto à outras relevantes atividades.
Ele garantiu pleno interesse de todas as Secretarias da Prefeitura de Almenara pelo Estádio e suas atividades, revelando-se surpreso com o intenso envolvimento da Comissão de Arbitragem composta por 8 a 10 árbitros e bandeirinhas, destacando Vilson como organizador.
Concluindo, esclareceu que seis funcionários zelam pelo Estádio e dão suporte geral para ao campeonato.

Ele lamentou a falta de grandes empresas em Almenara para bancar as equipes municipais na terceira etapa do campeonato mineiro ou num campeonato de terceira divisão. Justificou ser necessário 30 a 50 mil reias por mês para investir em jogadores, treinadores, materiais e profissionais de saúde.
Fonte: Diário do Jequi, de Almenara

quinta-feira, 25 de março de 2010

Seriado da Globo se passará em Diamantina

Seriado da Globo se passará em Diamantina
Selton Mello interpretará médico
Fonte: NaTelinha, Portal UOL
Além da novela “Escrita nas Estrelas”, de Elizabeth Jhin, a TV Globo exibirá neste ano outra trama que abordará a doutrina espírita. A emissora lançará ainda este ano um seriado sobre o espiritismo, que será protagonizado por Selton Mello. O anúncio foi feito na última segunda (22), na coletiva para divulgação da nova grade da emissora.
O projeto leva o nome de “A Cura” e será escrito por João Emanuel Carneiro, de “A Favorita” (2008).


A série se passará na cidade de Diamantina e mostrará a vida de um jovem médico que é acusado de matar um amigo. Com o tempo, ele descobrirá que tem o poder de curar pessoas através de cirurgias espirituais e que incorpora o espírito de um médico assassinado.

A previsão é que o seriado seja semanal e cada episódio apresente uma história própria.

Além de Carneiro, estão no projeto os diretores Marcos Bernstein, de “O Outro Lado da Rua”, e Ricardo Waddington.

A série deverá ser exibida nas noites de terça-feira apenas no segundo semestre. Ela substituirá “Justiça para Todos”, de Antônio Calmon, que será protagonizada por Márcio Garcia. O programa de Calmon estreia na Globo após o término da segunda temporada de “Força Tarefa”.
Seleção de figurantes
Profissionais da emissora estarão realizando seleção de figurantes para participar das gravações na cidade. A seleção acontecerá nesta sexta-feira(26/03) no Mercado Velho, no horário de 09 ás 12 horas.
Fonte: Prefeitura de Diamantina

Vesperata: músicas que saem das janelas

Vesperata: mais uma noite inesquecível em Diamantina
Primeira apresentação musical deste ano acontece neste sábado
Está de volta, a partir de março, uma das maiores atrações turísticas, culturais e musicais de Diamantina: a Vesperata. O primeiro evento da temporada de 2010 acontece neste sábado, dia 27 de março e continua até outubro. A Vesperata, criada por artistas da própria cidade, abriga os músicos nas sacadas coloniais da Rua da Quitanda, enquanto o público se acomoda na rua, apreciando a bela e original apresentação musical, ao lado dos maestros. Os maestros circundados pela platéia regem os músicos que ficam nas sacadas das janelas. São impulsionados pela energia que emana da assistência participativa do público. Sua beleza está na simplicidade e harmonia, que dispensam sofisticações, só restando espaço para a naturalidade e o acústico.
Acompanhe o calendário da temporada 2010.
27 de março
17 e 24 de abril
22 e 29 de maio
12 e 26 de junho
03 de julho
07 e 28 de agosto
04 e 25 de setembro
16 e 23 de outubro

Fonte: Prefeitura de Diamantina

Almenara realiza 2ª Feira de Cultura Popular

Feira de Cultura Popular acontece em Almenara
A segunda edição da FECUP acontece no dia 26 de Março, na Praça de Esportes Hamilton Gonçalves.
A Prefeitura de Almenara, artistas, artífices e segmentos ligados às artes plásticas, artesanato e aspectos da cultura popular do município e região do Vale do Jequitinhonha, promovem, dia 26 de Março, às18 h, na Praça de Esportes Hamilton Gonçalves, a 2ª FECUP de Almenara.

Pretendem, resgatar e valorizar produtos da cultura popular, respectivos saberes e culinária local.

Fonte: Diário do Jequi, de Almenara

Comitê do rio Araçuaí realiza Consulta Pública

Comitê do rio Araçuaí realiza Consulta Pública
Itamarandiba sedia no próximo 31/03, quarta-feira, a partir das o8:30 horas, a Consulta Pública do Comitê da Bacia Hidrográfica do Rio Araçuaí-CBH-Araçuaí.
Após a Consulta Pública, o Comitê também realizará Reunião Ordinária.
Outras informações com: Thâmara Gonçalves Teixeira Aux. Administrativo CBH-Araçuaí/JQ2 (38) 3526 1357 - 3526 1525 cbh-aracuai@hotmail.com

Fonte: CBH-Araçuaí/Divulgação e Itamigos, Blog Amigos de Itamarandiba

terça-feira, 23 de março de 2010

ARPA MN quer defesa incisiva do meio ambiente

ARPA MN elege nova diretoria - Entidade ambiental propõe atuação incisiva na defesa do meio ambiente

Minas Novas, no Alto Jequitinhonha
A Associação de Recuperação e Proteção Ambiental de Minas Novas - ARPA-MN tem nova diretoria, eleita para o período de 2010 a 2011. A chapa única eleita por unanimidade tem como presidente o advogado Daniel Costa Sousa e como vice Fernando Fernandes Sobrinho, integrando, ainda, a Diretoria Joseph Anthony Evangelista, Magton Geraldo Camargos Sousa, Marcos José Camargos Soares e Cristian Geraldo Alecrim.

A eleição foi realizada no Salão do Tribunal do Júri no Fórum de Minas Novas no dia 13 de março de 2010 e contou com a presença de outras associações comunitárias de Minas Novas como a ASCOPI e o CAMPO VALE.

A ARPA – MN, foi fundada em 27 de julho de 2005, após intensa movimentação de um grupo de jovens minasnovenses preocupados com a questão ambiental, denominado Juventude Participativa. Com o apoio do Ministério Público foi proposto a criação de uma entidade social, sem fins lucrativos, que atuasse na luta contra todos os atos de degradação relativos ao Meio Ambiente em toda a Comarca de Minas Novas (Berilo, Chapada do Norte, Francisco Badaró, Jenipapo de Minas e Minas Novas),
Atualmente contando com mais de 80 associados e inúmeros simpatizantes, a associação conta com o apoio efetivo do Ministério Público do Estado de Minas Gerais (Comarca de Minas Novas) e da Polícia Militar Ambiental local no desenvolvimento de suas atividades.
A ARPA – MN iniciou suas atividades dando suporte técnico à Polícia Ambiental, mas aos poucos vem ampliando suas atividades.

Algumas realizações:
- 1ª Semana Ambiental e de conscientização da criança e adolescente em janeiro de 2006;
- promoveu o repovoamento de peixes existentes na Micro-bacia do Rio Fanado em junho de 2007;
- solicitou providências dos gestores ambientais municipais acerca da situação do lago da represa da Barragem das Almas em novembro de 2007;
- participou de vários procedimentos requisitados pelo Ministério Público no Município de Minas Novas;
- encaminhou comunicação a mais de 40 órgãos e entidades públicas municipais, estaduais e federais sobre a situação atual do meio ambiente regional e local em agosto de 2008.;
- participou da manifestação em defesa do Rio Fanado realizada no dia 07 de novembro de 2008, organizada em parceria com a AMPLIAR, ASCOPI, Associação Comercial, Câmara dos Vereadores, Campo Vale, CODEMA e Sindicato dos Trabalhadores Rurais;
- contratação de um engenheiro agrônomo para implementação de projetos desenvolvidos pela instituição;
- apoio técnico aos projetos de cercamento de nascentes desenvolvidos na região;
- realização de Audiência Pública no dia 19 de janeiro de 2009, dentre outras reuniões pública no Fórum Tito Fulgêncio (Minas Novas), como forma de discutir a temática ambiental e de fortalecer a consciência ambiental dos envolvidos e parceiros, que culminou com o lançamento de uma Frente Multi organizacional em defesa do Rio Fanado;
- contratação do Instituto Pró-cidadania (PRÓ-CITTÀ), responsável pelo desenvolvimento técnico do projeto “Cercamento de nascentes e recuperação de mata ciliar do Rio Fanado.
Texto enviado por Daniel Costa Souza, Bacharel em Direito, presidente da ARPA MN..

segunda-feira, 22 de março de 2010

BR 367 entra no PAC II em 29 de março

Pavimentação da BR 367 entra no PAC II
Anúncio será feito, dia 29 de março, em Betim/Contagem, pela Ministra Dilma Roussef
A tão sonhada pavimentação de dois trechos da BR 367 terá um novo capítulo na próxima semana. Em ato de despedida do Governo Lula, para se candidatar à Presidência da República, a Ministra Dilma Roussef fará o anúncio das obras de Minas Gerais que estão incluídas no PAC II , segunda etapa do Programa de Aceleração do Crescimento.
A BR 367 estará lá na lista anunciada, com recursos previstos para concluir os dois trechos sempre citados: Jacinto-Salto da Divisa-Itagirim-BA e Virgem da Lapa-Berilo-Chapada do Norte-Minas Novas.
Em correspondência à Câmara Municipal de Jacinto, no início
de fevereiro, o Coordenador Geral de Construção Rodoviária/DIR, do DNIT – Departamento Nacional de Infra-Estrutura Terrestre garantiu:
“...quanto ao Trecho Almenaral/Jacinto/Salto da Divisa da BR-367/MG informamos, por parte deste Departamento Nacional de Infraestrutura de Transportes, que o planejamento de tais obras entrarão no programa (PAC II) que já está em andamento, e que, até o presente momento, a BR-367/MG tem dois trechos contemplados, quais sejam:
Trecho1: Div BA/MG – Jacinto; Subtrecho 1: Div BA/MG (Salto da Divisa) - Entr MG-405 (Jacinto); Segmento: Km 0,0 – Km 48,9. Trecho2: Virgem da Lapa - Minas Novas; Subtrecho 2: Entr MG-114(A) - Minas Novas; Segmento: km 332,9 – Km 400,7.”
Ou seja, são 48,9 quilômetros a serem asfaltados, no Baixo Jequitinhonha, e 67,8 quilômetros no Médio Jequitinhonha, A pavimentação completa será de 116,7 quilômetros.
As informações sobre o orçamento da obra devem deixar empreiteira babando para fazê-la. Serão destinados mais de R$ 300 milhões para a BR 367.

A Engesa S/A é a empresa responsável pelo antigo contrato da Sul Minas que faliu e perdeu o direito de execução da obra. O projeto já está aprovado com licença ambiental e tudo o mais necessário. Porém, os recursos deverão passar do DNIT
para o DER - Departamento de Estradas e Rodagens de Minas Gerais. Resta saber se o Governador Aécio Neves terá interesse em realizar o convênio. Diretores do DER não mostram boa vontade nesse sentido. Ou é ordem do Chefe ou ciumeira política.
Se não for agora, vamos fechar a Rio-Bahia!
Esperamos que a obra seja iniciada ainda este ano. O PAC II tem obras previstas até para 2.013. Nós, da região do Vale do Jequitinhonha acreditamos que já é um avanço a inclusão no planejamento do PAC II. Mas, ainda não há garantia.
Assim, se não iniciar este ano a pelota vai ficar com a gente. Se todo governo só age por pressão, nós, moradores da região e aliados que necessitam do Vale, precisamos nos unir e transformar as intenções do papel em algo concreto.
Como? Fechando o entroncamento da BR 116 - Rio-Bahia com a BR 367, na cidade de Itaobim, no Médio Jequitinhonha.
Dessa forma, a obra se transforma em situação de emergência e poderá ser incluída no calendário de realizações ainda este ano.
"Governo e feijão só amolecem e se rendem na panela de pressão!"

Ministério do Turismo despreza Jequitinhonha, Mucuri e norte de Minas

Ministério traça destinos indutores do turismo em Minas
Projeto despreza Vale do Jequitinhonha, Mucuri e Norte de Minas

O Ministério do Turismo está realizando um workshop de direcionamento turístico. A execução desse procedimento é terceirizada, através do Instituto Marca Brasil, de Brasília. A gestão desse workshop se processa pela Confederação Brasileira de Conventions & Visitors Bureaux. Nos estados, pelas suas Federações, e nas cidades, pelos Conventions municipais.
Trata-se de uma reconhecida e conceituada organização de dinâmica integrada atuando permanentemente junto ao trade turístico em constantes e salutares promoções do turismo de negócios. A ação pública é apenas normativa.

O evento acontece com o apoio da Setur - Secretaria de Turismo de Minas Gerais, resumindo-se a apenas seis cidades: Belo Horizonte, Uberlândia, Uberaba, Juiz de Fora, Araxá e Ouro Preto.
É preciso descentralizar
Considerando-se que o estado possui 15 regiões fisiográficas, todas elas com seus centros microeconômicos em evolução, conclui-se pelos fatos que esse workshop de direcionamento turístico teria que ser promovido também nas seguintes cidades mineiras:
Diamantina, Almenara, Araçuaí, Três Marias, Piumhi, São João Del Rei, Barbacena, Patrocínio, Salinas, Caparaó, Ipatinga, Montes Claros, Teófilo Otoni, Paracatu, Governador Valadares e Pouso Alegre.Ao realizar esse plano de direcionamento turístico, o objetivo do Ministério do Turismo baseia-se na descentralização das atividades turísticas neste imenso Brasil de proporções continentais.
No entanto, a sua execução é terceirizada pelo Instituto Marca Brasil que não detectou a realidade das circunstâncias em termos macrorregionais.
Essa decisão beneficia a uns poucos, concentra recursos, e a nível nacional, restringe e prejudica o mercado de trabalho para os profissionais de turismo em todas as suas categorias.
Com informações da Associação Brasileira dos Profissionais do Turismo.
Quem quiser saber mais clique em http://www.abptur.org.br/

Circuito Irapé terá sinalização turística

DER inicia Sinalização Turística no Circuito Turístico Lago de Irapé
Projeto beneficia Berilo, Botumirim, Chapada do Norte, Cristália e Grão Mogol
O projeto está orçado em R$ 67 mil e é uma realização da Secretaria Estadual de Turismo(Setur) em parceria com o DER e a Associação Circuito Turistico Lago de Irapé.
O Departamento de Estradas de Rodagem-DER/MG, iniciou na semana passada, a partir do município de Grão Mogol, a colocação de placas de sinalização turística em todas as cidades pertencentes ao Circuito Lago de Irapé.

O Projeto de Sinalização Turística vai beneficiar Grão Mogol, Cristália, Botumirim, Berilo e Chapada do Norte. Ao todo serão instaladas 90 placas com informações turísticas de acordo com os padrões do Guia Brasileiro de Sinalização Turística e os critérios e normas estabelecidas pelo Denatran (Departamento Nacional de Trânsito).
O projeto de sinalização turística rodoviária, foi voltado para a promoção e informação dos turistas interessados em visitar os atrativos naturais e culturais existentes naquelas cidades, criando com isso oportunidades de conhecimento de montanhas, rios, águas cristalinas, lagos, trilhas, cachoeiras, festas tradicionais, artesanato e arquitetura colonial.
Esses pequenos “pedacinhos” do sertão mineiro, situados no Norte de Minas e Vale do Jequitinhonha, são considerados uma boa alternativa para quem gosta de entrar em contato com a natureza e interagir com culturas diferentes.
A presidente e gestora da Associação Circuito Turistico Lago de Irapé, Diná Costa,de Grão Mogol, destacou que todos lutaram muito para que esse projeto se tornasse uma realidade e disse que esse resultado comprova o importante trabalho que vem sendo desenvolvido, junto aos seus Associados, na luta para organizar e desenvolver a atividade turística regional de forma sustentável, através da integração contínua das cidades, consolidando uma identidade única na região.

Professora do Vale cria projeto inovador de alfabetização

Professora do Serro cria projeto inovador de alfabetização

Facilitar a alfabetização da criança por meio de elementos presentes em seu dia a dia é o objetivo de um projeto proposto pela professora Adiléia Generoso, da Escola Estadual Luíza de Marilac, no Serro, no Alto Jequitinhonha.

Com o projeto denominado A escrita na vida cotidiana , criado em 2006, a educadora mostra aos seus alunos da 1ª série do ensino fundamental como a prática da leitura e escrita está ligada a produtos, alimentos e medicamentos usados por eles todos os dias, como sabonete e creme dental:
“Basicamente, o projeto consiste em trabalhar a alfabetização a partir das letras e palavras presentes nas embalagens que esses alunos trazem de casa e criar um contextualização”, explica.
Segundo Adiléa, a idéia para o projeto surgiu quando ela participou do curso Veredas ( promovido pela UFMG para formação superior de professores de 1ª a 4ª séries do ensino fundamental da rede pública).
“Eu me guiei por um eixo fundamental proposto pela Secretaria de Estado da Educação de Minas Gerais, denominado “apropriação dos sistemas de escrita” .
Sua premissa é a de que a criança deve dominar o alfabeto por inteiro, saber colocar as letras em ordem alfabética”, explica.


A professora conta que, em um primeiro momento, pediu a seus alunos que observassem palavras que encontrassem no trajeto de suas casas até a escola, como açougue, padaria e farmácia. Depois, começou a destacar, nas aulas, a letra inicial dos nomes dos produtos que eles levavam par a escola.
“A primeira letra que eles fixaram foi o B, pois o item mais comum em suas casas era Bombril”.
Posteriormente, Adiléa pediu à classe que observasse, no mesmo trajeto da casa à escola, palavras que começavam com a letra B, para diferenciá-la das demais. A mesma proposta foi usada para o ensino das outras letras do alfabeto. Além de levar os alunos a conhecerem as letras, a educadora também trabalhava a diferença entre vogais e consoantes.


Experiências em Blog
A professora Adiléia, que é também Psicopedagoga, criou um Blog chamado sugestivamente de Mistura de Alegria para divulgar suas experiências de 29 anos de magistério, sempre atuando com alfabetização de crianças. Colocou a página na internet, no final de 2008. Bombou! São mais de 500 mil acessos em um ano e meio de atividades. É gente educadora de Minas e de todo o país querendo conhecer as experiências da alfabetizadora do Vale do Jequitinhonha.
Ela faz uma revolução silenciosa. Acredito que os educadores deveriam se mirar em seu exemplo. Conheço algumas professoras, abnegadas, que fazem trabalho semelhantes em salas de aula e comunidades do Vale.

Mesmo que você não seja professor/educador/alfabetizador vá lá e confira http://misturadealegria.blogspot.com/
Parabéns, Adiléa!
Continue trabalhando construindo o patrimônio mais importante para a humanidade:a formação de seres humanos, alegres e plenos de vida.
O texto sobre o projeto é da publicação da revista Letra, Jornal do Alfabetizador, de out/nov2009, de BH.

Terra, Planeta Água

Planeta Água
Guilherme Arantes
Água que nasce na fonte
Serena do mundo
E que abre um profundo grotão
Água que faz inocente
Riacho e deságua
Na corrente do ribeirão...
Águas escuras dos rios que levam
A fertilidade ao sertão
Águas que banham aldeias
E matam a sede da população...

Águas que caem das pedras
no véu das cascatas
Ronco de trovão
E depois dormem tranqüilas
No leito dos lagos
No leito dos lagos...

Água dos igarapés
Onde Iara, a mãe d'água
É misteriosa canção
Água que o sol evapora
Pro céu vai embora
Virar nuvens de algodão...

Gotas de água da chuva
Alegre arco-íris
Sobre a plantação
Gotas de água da chuva
Tão tristes, são lágrimas
Na inundação...

Águas que movem moinhos
São as mesmas águas
Que encharcam o chão
E sempre voltam humildes
Pro fundo da terra
Pro fundo da terra...

Terra!
Planeta Água
Terra!
Planeta Água
Terra!
Planeta Água...(2x)

Ouça a música e veja o video clicando em planetaágua
Guilherme Arantes é paulista, compositor desta linda música, Meu mundo e nada mais, Cheia de charme, Amanhã e mais de 200 músicas de qualidade poética e melódica.

Declaração Universal dos Direitos da Água

Declaração Universal dos Direitos da Água
Art. 1º - A água faz parte do patrimônio do planeta.Cada continente, cada povo, cada nação, cada região, cada cidade, cada cidadão é plenamente responsável aos olhos de todos.


Art. 2º - A água é a seiva do nosso planeta.Ela é a condição essencial de vida de todo ser vegetal, animal ou humano. Sem ela não poderíamos conceber como são a atmosfera, o clima, a vegetação, a cultura ou a agricultura. O direito à água é um dos direitos fundamentais do ser humano: o direito à vida, tal qual é estipulado do Art. 3 º da Declaração dos Direitos do Homem.

Art. 3º - Os recursos naturais de transformação da água em água potável são lentos, frágeis e muito limitados. Assim sendo, a água deve ser manipulada com racionalidade, precaução e parcimônia.

Art. 4º - O equilíbrio e o futuro do nosso planeta dependem da preservação da água e de seus ciclos. Estes devem permanecer intactos e funcionando normalmente para garantir a continuidade da vida sobre a Terra. Este equilíbrio depende, em particular, da preservação dos mares e oceanos, por onde os ciclos começam.

Art. 5º - A água não é somente uma herança dos nossos predecessores; ela é, sobretudo, um empréstimo aos nossos sucessores. Sua proteção constitui uma necessidade vital, assim como uma obrigação moral do homem para com as gerações presentes e futuras.

Art. 6º - A água não é uma doação gratuita da natureza; ela tem um valor econômico: precisa-se saber que ela é, algumas vezes, rara e dispendiosa e que pode muito bem escassear em qualquer região do mundo.

Art. 7º - A água não deve ser desperdiçada, nem poluída, nem envenenada. De maneira geral, sua utilização deve ser feita com consciência e discernimento para que não se chegue a uma situação de esgotamento ou de deterioração da qualidade das reservas atualmente disponíveis.

Art. 8º - A utilização da água implica no respeito à lei. Sua proteção constitui uma obrigação jurídica para todo homem ou grupo social que a utiliza. Esta questão não deve ser ignorada nem pelo homem nem pelo Estado.

Art. 9º - A gestão da água impõe um equilíbrio entre os imperativos de sua proteção e as necessidades de ordem econômica, sanitária e social.

Art. 10º - O planejamento da gestão da água deve levar em conta a solidariedade e o consenso em razão de sua distribuição desigual sobre a Terra.

Este documento foi aprovado pela ONU - Organização das Nações Unidas, em 22 de março de 1992.

22 de março, Dia Mundial da Água

22 de março, Dia Mundial da Água
O Dia Mundial da Água foi criado pela ONU (Organização das Nações Unidas) no dia 22 de março de 1992.

O dia 22 de março, de cada ano, é destinado a discussão sobre os diversos temas relacionadas a este importante bem natural.

Mas porque a ONU se preocupou com a água se sabemos que dois terços do planeta Terra é formado por este precioso líquido?

A razão é que pouca quantidade, cerca de 0,008 %, do total da água do nosso planeta é potável (própria para o consumo). Grande parte das fontes desta água (rios, lagos e represas) está sendo contaminada, poluída e degradada pela ação predatória do homem.

Esta situação é preocupante, pois poderá faltar, num futuro próximo, água para o consumo de grande parte da população mundial.

Pensando nisso, foi instituído o Dia Mundial da Água, cujo objetivo principal é criar um momento de reflexão, análise, conscientização e elaboração de medidas práticas para resolver tal problema.

No dia 22 de março de 1992, a ONU também divulgou um importante documento: a “Declaração Universal dos Direitos da Água”.
Este texto apresenta uma série de medidas, sugestões e informações que servem para despertar a consciência ecológica da população e dos governantes para a questão da água.
Mas como devemos comemorar esta importante data?

O que cada um pode fazer
Não só neste dia, mas também nos outros 364 dias do ano, precisamos tomar atitudes em nosso dia-a-dia que colaborem para a preservação e economia deste bem natural. Sugestões não faltam:
- não jogar lixo nos rios e lagos;
- economizar água nas atividades cotidianas (banho, escovação de dentes, lavagem de louças etc);
- reutilizar a água em diversas situações;
- respeitar as regiões de mananciais e divulgar idéias ecológicas para amigos, parentes e outras pessoas.

Hemodiálise de Salinas vira polêmica

Hemodiálise cria polêmica em Salinas
Estrutura já foi construída há 7 anos
Há 7 anos, começou a ser construída a estrutura para receber o equipamento de hemodiálise em Salinas, no Vale do Jequitinhonha, norte de Minas. De acordo com o prefeito Zé Prates (PTB), até hoje o procedimento não é realizado na cidade. Segundo o prefeito o grande problema é a burocracia:


“Todas às vezes que pensamos que nada mais restaria para o início do serviço, o órgão responsável pede mais documentos. Sempre procuramos saber o porquê de tanta demora, mas as respostas tem sido evasivas e os pacientes continuam no sofrimento com viagens cansativas para Montes Claros”. enfatiza Zé Prates.
Ainda de acordo com a administração municipal a Fundação Dilson Godinho, responsável pelo funcionamento do sistema, está pagando servidores que ainda não começaram a atuar no município.


O Estado investiu em edificação, maquinário e treinamento de pessoal para implantação do sistema.
“O valor do investimento é muito elevado. O Estado deveria exigir uma melhor conduta das instituições públicas que deveriam ter mais responsabilidade.” – questiona o prefeito.
Zé Prates ainda deixa claro que o local onde funcionará a hemodiálise, no hospital Oswaldo Prediliano Santana, está totalmente pronto.


“Salinas exige das autoridades: Secretário de Estado da Saúde, da Gerência Regional de Saúde em Montes Claros e Vigilância Sanitária uma definição que respeite o dinheiro público e ponha fim ao sofrimento dos pacientes”. – finaliza o prefeito.
Falta de nefrologista

Mas de acordo com a Assessoria de imprensa da Diretoria Regional de Saúde a hemodiálise ainda não foi instalada em Salinas porque no município não tem um nefrologista exclusivo para o serviço. A instituição alega ainda que a análise da água, feita pela prefeitura em laboratório de São Paulo, não atesta a pureza da água.

A Diretoria de Saúde informou também que assim que estes problemas forem resolvidos o serviço deverá ser implantado na cidade.
Fonte: O Norte de Minas, Repórter Fabíola Dourado

Bastião, crônica de Fernando Brant

Bastião
Fernando Brant
O cientista político, no meio à descrição da vida de determinado governante brasileiro, lembra sua lutas nos bastiões da esquerda. Pronto,é hora de mudar de leitura. Certas palavras têm o poder de me afugentar. Há quanto tempo não lia ou ouvia tão pomposa palavra Bastião, ,como se sabe,é um posto avançado de defesa de um território e, figurativamente, um lutador em prol de uma causa.
Mas foi também moeda de Goa, de 300 réis, cunhada em homenagem a dom Sebastião, rei de Portugal, que morreu em combate e é esperançosamente aguardado, até hoje, por muitos
portugueses.
O sebastianismo é uma crença, quase doença, que acomete muitos povos amigos.
Bastião é também personagem do bumba meu boi. E tem a ver com o poeta Tião Nunes, com Sebastião Nuvens e todos os xarás que ele tem no mundo. Aí, eu fui procurar um precioso
livro que ganhei em recente visita a Itamarandiba. Trata-se do Dicionário Fanadês, jequitinhonhês e mineirês de Carlos Mota.
O certo é que me conforta, mais dos que
as muralhas e fortalezas defendidas por
divisões militares, a imagem que o menino
de Minas Novas via em sua infância

Fanadês, esclareço, vem do Rio Fanado, que corta a cidade de Minas Novas. Fanado quer dizer circuncidado e o rio foi assim chamado pelo bandeirante Sebastião (olha ele aí
outra vez) Leme do Prado, que, ao chegar a Minas Novas, encontrou muitos judeus portugueses que, tradicionalmente, circuncidavam seus filhos.
Mas o que eu estava procurando mesmo era mais notícias sobre os tais bastiões. Empanturrei-me com minha curiosidade. Reproduzo, pois o livro é raro pelas bandas das metrópoles, o que
diz Carlos Mota, que não sei se é parente do Beco do Mota: “Além de variação de tantos Sebastiões é também sutiã. Certa vez, ao balcão da loja do meu pai, ouvi uma moça da roça me sussurrar:
‘Oi fi, tira pra mim um parapeito’.
Não entendi e ela retificou: ‘Quero comprar um bastião.’ Revirei o depósito, não achei nem parapeito nem bastião. Ela, na verdade, queria comprar um sutiã.”
Os bastiões da esquerda e da direita não passam de suportes que os cronistas políticos, esses enganadores com pose de sábios, desfilam diante de nossos olhos e ouvidos, na ânsia de nos convencer de que eles sabem tudo o que ocorre e ocorrerá na vida política do país. Erram
tanto e com a mesma cara de pau dos cronistas esportivos e dos críticos de arte.
O certo é que me conforta, mais dos que as muralhas e fortalezas defendidas por divisões militares, a imagem que o menino de Minas Novas via em sua infância.
Mulheres lavando roupas dentro do rio, com os peitos à mostra, despidas da cintura para cima. No fim da tarde, quando o calor parecia o desses nossos dias, como quase nenhuma casa tinha chuveiro, quase toda a pequena cidade se mudava para dentro do rio. Homens, mulheres e crianças.
Naqueles bons tempos, bastião era só para os dias de festa..
Fernando Brant é poeta, cronista e compositor musical. Grande, permanente e principal parceiro de Milton Nascimento, com quem fez mais de 200 canções como Travessia, Maria, Maria, Coração de Estudante, Itamarandiba e muitas outras.
Esta crônica foi publicada no jornal Estado de Minas, caderno de Cultura, página 10, no dia 10 de março de 2.010.

Sugestão de publicação do amigo minasnovense, meio turmalinense, José Pinheiro Neto, o Zé de Tristão, Assistente Social que trabalha e mora em BH.