domingo, 31 de janeiro de 2010

Unimontes Solidária atende Monte Formoso e Ninheira

Monte Formoso e Ninheira recebem projeto Unimontes Solidária

Acadêmicos desenvolvem ações de educação, saúde, esporte e lazer

Mais de 7,3 mil pessoas dos municípios de Ninheira, no Norte de Minas, e Monte Formoso, no Vale do Jequitinhonha, na região de Medina, foram beneficiadas na primeira fase da 13ª edição do projeto “Unimontes Solidária”, desenvolvido pela Universidade Estadual de Montes Claros, entre os dias 15 e 25 de janeiro, com a participação de 52 acadêmicos dos diversos cursos de graduação.

Em Ninheira e Monte Formoso, as atividades estiveram relacionadas às áreas de saúde, educação, lazer, direitos humanos e de meio ambiente, em especial, compreendendo ações comunitárias na zona rural, visitas domiciliares, atendimento médico, medição da pressão arterial, testes de glicemia e orientação sobre higiene bucal. Houve, ainda, o projeto “cinema comentado”, palestras educativas, jogos infantis, entre outras.

No município de Ninheira atuaram 32 acadêmicos, de 15 cursos, supervisionados pelo professor Marcelo Rezende Otaviano, beneficiando 4.808 pessoas. Monte Formoso recebeu uma equipe de 20 estudantes, que atenderam 2.493 pessoas na sede e na zona rural. As atividades foram coordenadas pelo professor Jiulliano Carlos Lopes Mendes.

A primeira etapa da 13ª edição do “Unimontes Solidária” reuniu acadêmicos de Administração, Artes, Ciências Biológicas, Ciências da Religião, Ciências Econômicas, Ciências Sociais, Direito, Educação Física, Enfermagem, Geografia, História, Letras/Espanhol, Medicina, Odontologia, Pedagogia, Serviço Social e Sistema de Informação.

Atendimento a indígenas

A partir deste sábado (30), os voluntários do projeto vão atender o município de São João das Missões, no Norte de Minas, distante 300 quilômetros de Montes Claros. A novidade dessa segunda etapa será a parceria com a Polícia Militar, visando a realização conjunta de atividades na reserva indígena Xacriabá. A saída dos acadêmicos do “Unimontes Solidária” está marcada para as 7 horas, do campus-sede. A cidade de São João das Missões tem a maior parte da sua população formada por indígenas da reserva Xacriabá.

Com informações da Agência Minas

sábado, 30 de janeiro de 2010

Professores querem garantia de piso salarial

Professores protestam contra Governo
Eles querem a garantia de piso salarial
Aproveitando a visita do Governador Aécio Neves ao município de Jequitinhonha, o SINDUTE (Sindicato Único dos Trabalhadores da Educação) organizou um protesto pacífico reivindicando melhores condições de trabalho para os profissionais da área. Faixas, apitaços e gritos de protestos marcaram a manifestação.

Em entrevista ao Diário do Jequi, o presidente do SINDUTE Regional, Côncio Matos, informou que “apesar de aprovado, o novo piso salarial ainda não foi implementado pelo governo de Minas e o Governador se nega a pagar o piso de R$ 1.382,50 para a categoria”(...)
Minas: Pior salário
Segundo ele, “ O Estado de Minas Gerais paga para a categoria um dos piores salários do país e nós precisamos romper com a prática de desvalorização dos trabalhadores da educação. Ele reconhece que Aécio Neves equipou as escolas e melhorou a parte física, entretanto a valorização profissional não faz parte do Governo Aécio Neves”.

Entrevista: Anastasia
Na oportunidade, entrevistamos também o vice governador de Minas, Professor Antônio Anastásia:
Diário do Jequi: Em relação aos professores da rede estadual e ao plano de carreira, qual a proposta de governo para atender essa questão?
Anastasia: O plano de carreira foi criado no atual governo. Criamos o plano de carreira. O plano de carreira está em ação. É natural que todos queiram salários melhores, nós todos queremos, e temos dificuldades. Todavia, tivemos no ano passado, um ano ruim. Mas esse ano estamos estudando algumas alternativas para ver que tipo de notícia positiva possamos dar até abril, que é a data limite da legislação eleitoral. Conseguimos colocar todos os passivos em dia, conseguimos aprovar o plano de carreira. Pagamos os débitos antigos, colocamos o 13º salário em dia. Criamos um 14º salário, que já foi pago no ano passado e será pago novamente. Então acredito que as condições fundamentais estão sendo criadas para melhorarmos ainda mais a educação pública em Minas Gerais.
D.J.: E em relação ao piso salarial?
Anastasia: O Estado já cumpre o piso. Porque o piso é de 40 horas. E o piso entende-se o prêmio que engloba toda remuneração. E já temos para 24 horas, R$ 850. Então, no nosso entendimento, esse piso já é cumprido de acordo com o entendimento do Supremo. Agora sabemos que mesmo assim ainda é pouco. O nosso esforço será sempre de melhorar a remuneração para atrair novas pessoas e dar, evidentemente, aos professores uma posição muito mais positiva".
Fonte: Leo Rocha, do Diário do Jequi, de Almenara

sexta-feira, 29 de janeiro de 2010

Centro Viva Vida é inaugurado em Jequitinhonha

Centro Viva Vida é inaugurado em Jequitinhonha
Programa procura combater mortalidades infantil e materna

Jequitinhonha, no Baixo Jequitinhonha

A luta pela redução das mortalidades infantil e materna recebeu, nesta sexta-feira (29), a consolidação de investimentos no setor. Aconteceu a inauguração do Centro Viva Vida da cidade de Jequitinhonha, que recebeu recursos de R$ 2,1 milhões, para obras e aquisição de equipamentos. Durante a entrega do centro, o governador Aécio Neves também autorizou a liberação de R$ 133 mil para a reforma e ampliação da quadra poliesportiva do distrito de Guaranilândia. no município de Jequitinhonha.

Em entrevista, Aécio Neves afirmou: “Essa região foi a região que mais investimento recebeu. Pela primeira vez na história de Minas, essa região recebeu quase três vezes mais investimento per capita que as demais regiões. Está aí o Proacesso. Estão aí os investimentos de saneamento básico em toda a região através, inclusive, da Copanor. Estão aí os investimentos como os que estamos inaugurando na área da saúde, as Unidades de Pronto Atendimento. São investimentos na área de infraestrutura de todas as formas. Há um conjunto de ações hoje, importantes nessa região, que visa exatamente minimizar os efeitos da seca e dar mais esperança e condições de desenvolvimento para cada uma das cidades dessa região”, disse Aécio Neves.

Viva Vida - O Centro Viva Vida de Jequitinhonha faz parte de um conjunto de 19 unidades já em funcionamento em todo o Estado de Minas Gerais, sendo cinco deles (Brasília de Minas, Janaúba, Capelinha, Taiobeiras e Januária) nas regiões Norte e vales do Jequitinhonha e Mucuri.

“Esse Centro Viva Vida em Jequitinhonha terá o mesmo efeito que os demais tiveram nas outras regiões do Estado: diminuição da mortalidade infantil, da mortalidade materna; mais cuidado com as mães e com as crianças”, disse o governador, em seu pronunciamento.

Somando-se às outras ações do Governo de Minas, o programa ajudou a reduzir a mortalidade infantil no Estado em 36,01%, entre 2002 e 2009. No mesmo período, a redução da mortalidade materna foi de 30,31%.

Luz para Todos

Ainda em Jequitinhonha, o governador Aécio Neves, acompanhado pelo diretor de Distribuição e Comercialização da Cemig, Fernando Schuffner, fez a ligação da energia elétrica da residência do trabalhador rural Gláucio Pereira Cabral, no Assentamento Transval. A ação simboliza as duas primeiras etapas do programa Energia Rural - Luz para Todos, que terá atendido 817 famílias do município até o final deste ano, com investimentos totais de R$ 9,3 milhões.

“Música para divertir, facilidade para lavar as roupas e muitos benefícios para a minha família. Eu não posso mais enxergar, mas sinto que agora a vida clareou”, disse emocionada Maria Cristina de Jesus, 89 anos, mãe da esposa do trabalhador rural, Jovenita da Silva. Com deficiência visual há alguns anos em decorrência das complicações de um glaucoma, Maria Cristina espera que a sua família possa ter mais conforto de agora em diante.

O proprietário da casa disse que o cotidiano nunca mais será o mesmo e que as noites serão muito mais agradáveis. A família já possui alguns eletrodomésticos, como um tanquinho lava-roupas, um liquidificador e um rádio, antes inativos, e pretende, até o fim do ano, adquirir uma geladeira e uma televisão.

O Programa Luz para Todos é um programa do Governo Federal em parceria com as empresas de energia elétrica dos Estados. Em Minas, a Cemig é quem coordena o Programa.

Entre os atendidos na cidade de Jequitinhonha estão 79 famílias do Assentamento Franco Duarte e todas as 219 famílias da Reserva Biológica Mata Escura.

Na primeira etapa do Luz para Todos, a Cemig realizou 190 mil ligações em Minas Gerais, beneficiando 800 mil pessoas.

A segunda etapa, já em andamento, priorizará os municípios dos Vales do Jequitinhonha e Mucuri e do Norte de Minas. Serão mais 73 mil ligações até o final deste ano, com investimentos de R$ 796 milhões. Deste total, R$ 292 milhões são para o Vale do Jequitinhonha com 25.693 ligações.

Fonte: Agência Minas

quinta-feira, 28 de janeiro de 2010

Vox Populi traça cenários das eleições mineiras

Eleições Mineiras
Vox Populi traça três cenários nas eleições para Governador de Minas
A e-Band divulga pesquisa Vox Populi (ver aqui) que trabalha com três cenários distintos:

CENÁRIO 01
Fernando Pimentel, do PT, aparece com 34% das intenções de voto. Em segundo, está Anastasia, do PSDB, com 15%. Vanessa Portugal teve 4% da preferência dos entrevistados, e Maria da Consolação Rocha, do PSOL, 2%.

CENÁRIO 02
Num segundo cenário, trocando o candidato petista, Patrus Ananias é o primeiro colocado com 28%. Anastásia ficaria em segundo com 17%. Vanessa Portugal é a preferida por 5% dos entrevistados, e 3% votariam em Maria da Consolação Rocha.

CENÁRIO 03
E num terceiro quadro, o candidato Hélio Costa, do PMDB, lidera com 37%. Anastasia vem em segundo, com 16%, seguida por Vanessa Portugal, com 5%. Maria da Consolação Rocha ficaria em último, com 2%.

Daí a procura de acordo entre PT e PMDB. Hoje, esta aliança levaria o governo mineiro.


Fonte: www.rudaricci.blogspot.com

Asfalto de Capelinha a Itamarandiba é anunciado por Governador

Governo de Minas autoriza a pavimentação entre Itamarandiba-Capelinha e Setubinha
Rodovia MG-214 entre Itamarandiba e Capelinha receberá investimentos
O Governo de Minas já deu início à identificação e elaboração de projetos do programa de pavimentação asfáltica “Links Faltantes”, terceira etapa do planejamento para dotar o Estado da infraestrutura necessária ao seu desenvolvimento.

Segundo divulgado pela Agência Minas, o Governador Aécio Neves, em visita esta semana à cidade de Capelinha -quando inaugurou obras do Proaero- atendendo a reivindicação da população da região, autorizou a pavimentação da estrada que liga Itamarandiba/ Capelinha e Setubinha.

O que é o Programa "Links Faltantes"
O programa Link's Faltantes pretende unir cidades por caminhos mais próximos; e o de estradas vicinais, que são municipais mas precisam de tratamento especial do Governo do Estado para o escoamento da produção, melhoria do transporte escolar, entre outras necessidades.

Conforme explicou o Vice-Governador Antônio Anastasia, Minas Gerais tem cerca de 80 trechos já considerados prioritários e as obras de alguns trechos se iniciam em 2011.

Anseio antigo do Alto Jequitinhonha a implementação do Programa "Links Faltantes" na região promoverá em definitivo a integração regional, ao interligar suas principais cidades.

Extraído do http://www.itamigos.blogspot.com/ , de Itamarandiba

quarta-feira, 27 de janeiro de 2010

Governo de Minas lança projeto para desenvolver regiões pobres

Governo Estadual lança projeto estruturador para regiões pobres
Intenção é de acelerar dinamismo econômico nos Vales do Jequitinhonha, Mucuri, Rio Doce e Norte de Minas
A atração de investimentos de aproximadamente R$ 11 bilhões, assim como a liberação de recursos de R$ 300 mil para a recém-criada Agência de Desenvolvimento do Norte de Minas (Adenor), são alguns dos principais resultados do projeto estruturador do Governo de Minas "Promoção de Investimentos e Inserção Regional" voltado, especialmente, para a Região Norte e para os Vales do Jequitinhonha, Mucuri e Doce.
Trata-se de uma área historicamente marcada pelo fraco dinamismo econômico e pelo baixo grau de integração a mercados, cujas consequências são visíveis na baixa qualidade dos seus indicadores socioeconômicos e que juntas, contribuem com apenas 13,2% do PIB mineiro.

Diante dessa situação, há pouca atratividade de investimentos, colaborando assim para a perpetuação da situação crônica de pobreza.
Criado, justamente, com o objetivo de inserção regional (inclusive agronegócio) e atração de investimentos produtivos privados para essas regiões, mediante a estruturação e desenvolvimento da cadeia de fornecedores e de infraestrutura, bem como a promoção da gestão ambiental sustentável, o programa vem consolidando suas propostas através de várias ações.
Ações do Programa de Investimentos e Inserção Regional

No Vale do Mucuri, o Instituto de Desenvolvimento Integrado (Indi), coordenador do projeto estruturador, está dando suporte ao projeto da Zona de Processamento de Exportação (ZPE) de Teófilo Otoni, com a realização do estudo “Análise de indicadores, percepção dos exportadores sobre os impactos da instalação da ZPE de Teófilo Otoni e avaliação das potencialidades de desenvolvimento do Vale do Mucuri”.
Adenor
Também a cargo do Indi, está o suporte à Agência de Desenvolvimento da Região Norte de Minas Gerais, que deverá se transformar em uma subsidiária do Indi para a região. A agência foi criada, em agosto de 2009, para promover a integração intra e interregional dos 89 municípios da região, identificar oportunidades de investimentos, acelerar o crescimento econômico sustentável, valorizar a biodiversidade, trabalhar cluster e cadeias produtivas e oferecer infraestrutura competitiva.
A prioridade inicial do trabalho conjunto será a revisão e consolidação do Plano Estratégico da Adenor para a implantação e sistematização dos estudos existentes sobre a região, que também terá um diagnóstico das suas potencialidades.

A Secretaria de Estado de Desenvolvimento Econômico (Sede) implantará em Montes Claros, ainda em 2010, o Projeto Extensão Industrial Exportadora (Peiex), programa que prepara a empresa para entrar no mercado internacional. A previsão é, inicialmente, atender 128 empresas de pequeno e médio portes.
Perspectivas
Ainda dentro do projeto estruturador “Promoção de Investimentos e Inserção Regional”, o Arranjo Produtivo Local (APL) de Frutas, localizado no Projeto Jaíba, será um dos sete APLs mineiros a receber recursos do Banco Interamericano de Desenvolvimento (BID).
O Projeto Jaíba é maior trabalho de agricultura irrigada da América do Sul e o maior polo nacional de produção de sementes de hortaliças.

Com investimentos públicos de US$ 520 milhões, as duas primeiras etapas do trabalho abrangem uma área irrigada de 44 mil hectares e um território cultivado de 17 mil hectares, ocupados com produção de banana, manga, limão, sementes de hortaliças, cana de açúcar, pinhão manso, milho e tomate.
Três proejtos no norte
Só no Norte de Minas três importantes projetos estão em desenvolvimento:

a - empreendimento da Pomar Brasil, com aportes superiores a R$ 25 milhões, para implantar uma unidade de processamento de frutas para suco na área do projeto Jaíba;
b - a iniciativa do Banco de Desenvolvimento de Minas Gerais (BDMG) que trabalha na criação de linhas especiais de financiamento com recursos de fundos de desenvolvimento, com redutor da taxa de juros;
c - a realização de caravanas do desenvolvimento, para orientar e divulgar as novas oportunidades.
Fonte: Agência Minas

Monte Formoso e a civilização

Monte Formoso vive choque de civilização
Fernando Travaglini, do Jornal Valor Econômico-28/12/2009
Banco, asfalto, esgoto. Nos últimos dois anos Monte Formoso, no Médio Jequitinhonha, viveu um verdadeiro choque de civilização. Com o segundo pior IDH do estado, 0,570 - atrás apenas de Setubinha -, o município está localizado no extremo norte de Minas, no chamado baixo Jequitinhonha, região que já recebeu o epíteto de Vale da Fome.
O PIB per capita é de R$ 2,9 mil e a produção local foi de R$ 13,68 milhões em 2007, segundo o IBGE.
A maior receita vem do Fundo de Participação dos Municípios, R$ 3,68 milhões.
A vegetação é baixa, meio cerrado, com mata fechada. O bioma é de Mata Atlântica, ou o que restou dela nesse trecho, antes habitado pelos temidos índios botocudos.
De cultivo difícil, a principal atividade do município é a pecuária leiteira. Existem 793 pequenos produtores, bem mais do que os 235 agricultores familiares indicados pelo censo agropecuário de 1996.
A grande dificuldade para os pequenos produtores é a falta de refrigerador para conservar o leite até a chegada dos caminhões dos laticínios. Poucos têm.
Um deles é Valdomiro Rodrigues dos Santos, antigo coronel da região. "Boa tarde, sr. Valdomiro, muito prazer em conhecê-lo", ouve com olhar atento enquanto tira o chapéu. "Obrigado pela reverência", responde, saudoso dos tempos em que sua presença causava um misto de temor e respeito.
Ele voltava do velório de dona Angélica, senhora de 66 anos que morreu de "colapso". Depois das condolências, subiu na sua caminhonete Mitsubishi, ano 2002, e seguiu para casa, uma das maiores e mais bem cuidadas da cidade.
Azulejada de fora a fora, exibe uma mobília mais próxima das casas de fazenda. Na sala, uma TV de 29 polegadas e fotos dos filhos e muitas lembranças religiosas acompanham os quatro quadros com as comendas de vereador.
O mais antigo é de 1976, quando concorreu pela Arena e somou 524 votos. O mais recente, pelo PMDB, é de 2002, quando teve 123 votos.
Com a camisa um pouco gasta, a calça não tão alinhada e sandálias, Valdomiro caminha pelo jardim onde mantém o refrigerador, atual fonte de renda. Fala com orgulho dos 400 hectares que diz ter na região. "Deus confiou esse pedacinho de terra pra eu cuidar." Na verdade quem cuida são dois vaqueiros de confiança: Agileu e Silvam tiram o leite revendido a um laticínio na vizinha Comercinho. "Do córrego pra lá é tudo meu", diz apontado para um morro alto. "Daqui pra lá é desse povo aí."
Esse povo aí é uma das comunidades mais pobres da região. São quatro casas cercadas por pequenas roças. Em uma delas, moram Rivaldo Ferreira, a mulher, Taila, e os três filhos. "A vida é doída", diz a moça. Ela é um exemplo de que o banho de civilização por que vem passando a região não eliminou o problema da miséria, que se repete por quase toda a zona rural.

Crédito chega ao Vale do Jequitinhonha II

Crédito chega ao Vale do Jequitinhonha II
Monte Formoso, no Baixo Jequitinhonha
Os funcionários da Prefeitura de Monte Formoso serão os próximos a integrar o contingente dos bancarizados da cidade, depois que o banco assumir a folha de pagamento do município. O prefeito Afonso Messias dos Santos não terá mais de assinar 250 cheques todo mês.
A chegada de um banco não significa necessariamente uma enxurrada de empréstimos.
Empréstimos
Em média, uma cidade com apenas uma agência tem estoque de crédito de R$ 9,5 milhões, segundo o Banco Central. O volume é pouco superior aos R$ 6,6 milhões das localidades sem instituição financeira e que recorrem a empréstimos nas cidades vizinhas. Em municípios com duas agências, o volume de crédito sobe para R$ 28 milhões. Com três, dobra para R$ 56 milhões.
Entre as dificuldades para concessão de crédito está a ausência de histórico da população e a falta de renda fixa dos moradores. O salário médio mensal em Monte Formoso é de 1,9 salário mínimo e poucos trabalhadores dos 26 estabelecimentos comerciais da cidade têm comprovação de renda. Crédito imobiliário quase não existe. A maioria das casas não tem registro, só o contrato de compra e venda dos lotes, que chegam a custar R$ 2 mil.
Parceria com comércio local
Uma das saídas foi fechar acordos com os lojistas. Uma parceria do banco foi feita com Eltonir Alves Soares, dono da loja de material de construção Construbel. O estabelecimento permite o parcelamento das compras para reformas das casas em até 48 vezes, com juros que variam entre 24% e 43% ao ano, desde que o cliente abra uma conta no banco. "Nunca vendi tanto assim na vida", diz Eltonir. Somente no primeiro mês, mais de R$ 20 mil entraram em seu caixa e ele agora pretende comprar uma caminhonete para fazer as entregas. A professora Davina Soares Pereira é uma das clientes.
Cortesia
Davina segue a tradição mineira e sempre convida os visitantes para um café. "Não vai aceitar? Vai fazer essa desfeita?" Convite aceito, ela faz questão de mostrar a casa, também de adobro, onde vivem 15 pessoas. Pede desculpas pela parte nova, ainda inacabada, mas de alvenaria. Diz, com orgulho, que usou o dinheiro do banco para comprar os 2.400 tijolos aparentes que o filho, pedreiro, usou para construir três quartos para a família da filha. "A casa dela caiu, ali do lado, está vendo?", fala, apontando para um amontoado de barro e palha que se acumula no chão a poucos metros da cozinha.
A casa é simples, afastada da área urbana e com pouca mobília. Na sala, uma TV de 14 polegadas divide o espaço da única estante com os troféus do filho, meia-direita do time local. O chão é irregular e a telha, de segunda mão, ela comprou da escola em que dava aula, quando houve uma reforma. No fogão de barro, ferve um café, que ela mesma plantou, colheu, torrou e moeu. Não há banheiro.
Ela não vai à Escola Municipal Ouro Preto desde 1997, afastada por uma série de doenças que consomem parte da renda. Mas ainda mantém o salário de R$ 630 - que permitiu a tomada de crédito - enquanto aguarda pela aposentadoria. Só reclama do tempo. "Antes chovia muito aqui, agora quase não chove."
Movimento
Não foi só o clima que mudou. "De uns anos pra cá mudou muito a cidade", diz Adiran Moreira Santos, proprietária da pousada Shalon, uma das duas de Monte Formoso. Ela comemora a movimentação nos últimos meses, com seus 12 quartos sempre ocupados. Os funcionários das empresas que prestam serviços na cidade chegam em número cada vez maior. Gente da Cemig, da Copasa (a companhia de saneamento mineira), de mineradoras e também da empresa de asfalto que concluiu o calçamento de boa parte da cidade há pouco menos de um ano.
Asfalto e esperança
A esperança da população também se renovou com os 38,5 quilômetros recém-terminados da estrada que liga a cidade à BR-116. A rodovia, ainda sem nome, deve facilitar a chegada de produtos das cidades vizinhas. Café, leite, carne e farinha de mandioca são produzidos localmente. Todo o restante vem de fora.
Em 2010, ano de eleição, devem ser concluídos também os R$ 3,3 milhões em investimentos para instalação de uma rede de esgoto na área urbana - até então os dejetos eram jogados do córrego Anta Podre - e os R$ 440 mil em encanamento para algumas comunidades rurais, com a perfuração de dois poços de 180 metros cada.

terça-feira, 26 de janeiro de 2010

Crédito bancário invade Monte Formoso

Crédito chega ao Vale do Jequitinhonha I
Monte Formoso, Médio Jequitinhonha
Fernando Travaglini - Jornal Valor Econômico - 28/12/2009
Alaíde Ramos acaba de sair do banco. Foi tomar um empréstimo de R$ 2 mil para a reforma da casa. Com um lenço azul na cabeça, vestido da mesma cor e óculos bifocais, caminha com dificuldade pelas ruas acidentadas de Monte Formoso, nordeste de Minas Gerais.
Aos 69 anos, tem o olhar entristecido pela morte do filho no dia 20 de julho, e do marido, apenas 40 dias depois. Como forma de se manter próxima a ele, ainda carrega as duas alianças de casamento. Agora, acumula a aposentadoria com a pensão por viuvez. A renda estável é garantia de conta em banco e de acesso ao crédito.
Como muitos moradores da cidade de 4.943 habitantes, no Vale do Jequitinhonha, uma das áreas mais pobres do Brasil, a 498 km de Belo Horizonte e a 100 km da divisa com a Bahia, Alaíde tem um pedacinho de terra na zona rural, onde planta café nas partes mais altas e feijão e mandioca nas baixadas. Prefere morar na cidade em uma casa de barro ou adobro, como dizem na região, a dois quarteirões do centro - a mancha urbana tem pouco menos de um quilômetro quadrado.
Os materiais comprados com o dinheiro emprestado pelo banco servirão para cobrir a casa que pertencia ao filho e onde mora a nora, Norma Caldeira.
A construção perdeu o telhado na última chuva. "Era coberta com palha de coqueiro, mas o vento arrancou. Tornamos a botar lona, mas também veio abaixo", conta. Norma tem conta no banco, mas não possui rendimento fixo e não pôde pegar o empréstimo. É vendedora de produtos Avon e Natura junto com a cunhada Eliete, que terminou o curso de enfermagem mas não arrumou emprego. Não há leitos hospitalares em Monte Formoso.
Histórias como a de Alaíde têm se tornado comuns na cidade. Desde que o Bradesco instalou um posto de atendimento avançado, em julho, o gerente Guilherme Salles, fluminense de Cabo Frio, contabiliza ter quadruplicado o número de contas - antes eram abertas apenas no Banco Postal, nos Correios. Hoje são 966 contas. A maior parte ainda é de aposentados e comerciantes, mas a inclusão da folha de pagamento da prefeitura e da câmara deve reforçar o número de contas. O maior deslumbramento é com a possibilidade do crédito.

"Ontem tinha fila de aposentados no banco querendo um dinheirinho", diz Hildebrando Gomes da Silva, ele próprio um integrante da fila. Assim que saiu o pagamento, correu para a agência e pegou um empréstimo consignado, com parcelas descontadas da aposentadoria, que iria ajudar nas compras de Natal.
Primeiro Banco
O primeiro contato da cidade com o sistema financeiro veio quando a Caixa Econômica Federal instalou um terminal eletrônico "Caixa Aqui", em 2001, para pagamento de benefícios governamentais. Hoje, a máquina funciona basicamente para os saques do Bolsa Família, que alcança 1.964 pessoas de 538 famílias, quase 40% da população. Antes do Bolsa Família, não tinha posto de gasolina, restaurante, pousada, água tratada, esgoto, ônibus com trajeto regular ou asfalto.
O acesso ao município mais próximo era feito por estrada de chão e a falta de um posto bancário obrigava os aposentados a gastar boa parte do benefício na viagem até a vizinha Joaíma, que conta com duas agências, uma do Banco do Brasil e outra do Itaú.

A prefeitura tentou remediar o caso e comprou uma Kombi alocando funcionários para sacar os benefícios. Mensalmente, a Kombi-pagadora percorria 44 quilômetros de estrada de terra para sacar R$ 187 mil para os 629 aposentados que aguardavam em Monte Formoso.
A última viagem ocorreu em 2005, quando o carro foi abordado por assaltantes. Por sorte, os saques não haviam sido feitos. Os aposentados deixaram de perder tudo, mas os funcionários foram humilhados e a facilidade oferecida pela prefeitura acabou.
Em junho de 2008 foi inaugurada uma agência dos Correios, que também passou a funcionar como Banco Postal, correspondente bancário do Bradesco.
Bom mesmo foi para o comércio local porque o dinheiro voltou a circular na cidade. "As vendas aumentaram entre 10% e 15%", comemora Hélio Pereira, dono da Mercearia Bananal, a maior de Monte Formoso.

Curral de Dentro abre Concurso Público

Prefeitura de Curral de Dentro abre Concurso Público com 77 vagas
O município de Curral de Dentro abre concurso para 77 vagas em diversos cargos.
A cidade fica no norte de Minas, entre Salinas e Águas Vermelhas, tendo 7.376 habitantes. Faz divisa com Cachoeira do Pajeú, Santa Cruz de Salinas e Águas Vermelhas.
Inscrição de 24 de fevereiro a 25 de março, o salário varia entre R$ 510,00 a R$ 2.376,00,
A Prefeitura de Curral de Dentro – MG vai realizar concurso para 78 vagas de todos os níveis, com salários que variam de R$ 510,00 a R$ 2.376,00.As vagas são as seguintes:
Funções..........................Salário..Vagas...Requisitos
Agente Administrativo.....510,00.....05...Ens Fundamental
Agente Cont Zoonoses......510,00.....03...Ensino Médio
Agente Social..................510,00.....01...Ensino Médio
Analista Planej Saúde... 2.376,00.....01...Gestão Pública
Assistente Social..........1.000,00.....01...Serviço Social-CRESS
Auxiliar Enfermagem.....510,00......06...Ens Fundam–COREN
Auxiliar de Secretaria.....590,00......01..Ensino Médio
Aux Serviços Gerais........510,00......12...Ens Fund Incompleto
Educ. Físico em Saúde.1.000,00......01...Educação Física–CREF
Enfermeiro................2.376,00.......01...Enfermagem–COREN
Gari II..........................510,00.......15...Alfabetizado
Jardineiro/Zelador........510,00.......01...Alfabetizado
Motorista I....................594,00......03...Ens Fund Incompleto–B
Motorista II...................654,00.....05...Ens Fund Incompleto–D
Odontólogo.................2.376,00.....01...Odontologia–CRO
Oficial Administrativo....720,00.....01...Ensino Médio
Operador de Máquinas....594,00.....01...Ens Fund Incompleto–C
Professor II(Ed Física)....775,00......02...Educação Física–CREF
Supervisor Pedagógico...775,00......01....Pedagogia
Supervisor Pedagógico.1.291,00.....01...Pedagogia-Pós grad
Técnico de Enfermagem.604,00.....05...Técn Enferm–COREN
Técnico em Laboratório..510,00.....02...Técn Laboratório-Reg
Técnico em Radiologia....510,00.....01...Técnico Radiologia–Reg
THD – TécH Dentária......510,00.......01..THD –CRO
Vigilante.......................510,00......06...Ens Fund Incompleto

A inscrição deve ser feita na Prefeitura (Praça Miguel Alves dos Santos, nº 214-A, centro) de 24 de fevereiro a 25 de março, ou no site http://www.exameconsultores.com.br/.
A taxa é R$ 25,00 (alfabetizado e fundamental incompleto), R$ 30,00 (fundamental), R$ 40,00 (médio) e R$ 60,00 (superior).

A prova objetiva será realizada no dia 25 de abril na EMEAR – Escola Municipal Epaminondas Alves da Rocha (avenida Afonso Pena, nº 1.980, Boa Esperança), em sala a ser divulgada no dia 15 de abril.
A prova prática, para Motorista e Operador de Máquinas, será realizada às 13h em frente à sede da Prefeitura.
Fonte: Diário do Jequi, de Almenara

América de Teófilo Otoni empata na estréia do Mineiro

Campeonato Mineiro
América de Teófilo Otoni estréia com empate
O América de Teófilo Otoni arrancou um importante empate por 1 x 1 na sua estréia no Campeonato Mineiro de 2.010. Saiu na frente, mas o Vila, no finalzinho da partida conseguiu empatar.
O Dragão, símbolo do América-TO, foi a Nova Lima em busca da vitória, dominou o primeiro tempo e não conseguiu finalizar em gol as suas jogadas.
Na segunda etapa, o Villa equilibrou a partida, ficando um jogo aberto.
Gol do AméricaTO
Aos 22 minutos, Pablo abriu o placar e entrou para a história do clube sendo o jogador a marcar o primeiro gol do América-T.O na elite do Campeonato Mineiro.

Após o gol, Rodrigo Sena recebeu o segundo cartão amarelo e consequentemente foi expulso.O Villa Nova aproveitou da situação, pressionou até conseguir o gol de empate, no final do jogo, aos 40 minutos, através da cabeçada de Rodrigo.

Foi um empate que acabou agradando, pois, encarar o Villa no Alçapão do Bonfim é muito difícil.
Mais uma vez a torcida americana deu um show e quase 300 teofilootonenses marcaram presença em Nova Lima.
VILLA NOVA 1 X 1 AMÉRICA-TO
América-TO: Fábio Noronha; Oswaldir, Luiz Henrique, Rodrigo Sena e Júlio César (Ernane); Araújo, Denis, Pablo e Diego Palhinha (Wallace Monteiro); Chrys (Eraldo) e Bruno Maranhão. Técnico: Gilmar Estevam
Villa Nova: Rafael Cordova; Serginho, João Júnior, Bruno Lourenço e Rafael Pacheco (Rodrigo); Renan Vieira (Vander), João Paulo, Luiz Ricardo e Fabinho; Warley e Allan (Paulo). Técnico: Pirulito

Local: Estádio Castor Cifuentes, em Nova Lima (MG)
Público: 1.370 pagantes
Renda: R$ 7.765Á
Árbitro: Adriano Alves de Oliveira (FMF)
Auxiliares: Marconi Helbert Vieira (FMF) e Frederico Soares Vilarinho (FMF)
Cartões amarelos: Rafael Cordova, Fabinho e Allan (Villa Nova); Fábio Noronha, Rodrigo Sena, Júlio César e Pablo (América-TO)
Cartão vermelho: Rodrigo Sena (América-T.O.)
Gols: Pablo(América-TO), aos 22 minutos do segundo tempo; Rodrigo, pelo Villa Nova, aos 40 minutos do segundo tempo.
O América-T.O. volta a jogar no próximo domingo(31/01) contra a Ituiutaba, ás 10 horas, no Estádio Nassri Mattar, em Teófilo Otoni.

Veja mais informações no américa-to

segunda-feira, 25 de janeiro de 2010

Concurso Público em Itamarandiba

Prefeitura de Itamarandiba abre concurso público



Processo seletivo público simplificado da Prefeitura Municipal de Itamarandiba recebe incrições a partir de fevereiro.


Saiba Mais!

Edital e Incrições:

Click Aqui para acessar o edital e incrições via internet.

Outras informações podem ser obtidas na Prefeitura de Itamarandiba.
Veja algumas vagas e salários:
Profissionais....................Vagas......... Salário
Médicos............................08.........10.700,00
Enfermeiros.....................07...........1.840,00
Odontólogos.....................04...........1.840,00
Psicólogos.........................02...........1.840,00
Assistente Social............ 03............1.840,00
Técnico Enfermagem.....09...............666,34
ACD–AuxCirDentista.....07..............530,00

Além das incrições via internet, os canditados também poderão se inscreverem na Prefeitura Municipal à Rua Tabelião Andrade, 205 - Centro- Itamarandiba-MG.

Período de Inscrições:
Na Prefeitura: 08/02 a 12/02/2010
Na Internet: 08/02 a 16/02/2010.
Outras Informações consulte:
(38)3521-1128 (Atendimento Prefeitura Municipal)

Itamarandiba é um município do Alto Jequitinhonha, a 52 quilômetros de Capelinha, e 185 de Diamantina. Foi fundado no final do século XVII. Tem cerca de 33.581 mil habitantes, segundo estimativa do IBGE, de julho de 2009.

Com Informações do http://www.itamarandiba.mg.gov.br/ e Blog Itamigos, de Itamrandiba

Tecnologia do abraço, por um matuto mineiro

Tecnologia do abraço
(por um matuto mineiro)

O matuto falava tão calmamente, que parecia medir,
analisar e meditar sobre cada palavra que dizia...
- É... das invenção dos homi, a que mais tem sintido é o abraço.
O abraço num tem jeito di um só aproveitá!
Tudo quanto é gente, no abraço, participa uma beradinha...
Quandu ocê tá danado de sodade, o abraço de arguém ti alivia....

Quandu ocê tá cum muita reiva, vem um, te abraça e ocê
fica até sem graça de continuá cum reiva...
Si ocê tá feliz e abraça arguém,
esse arguém pega um poquim da sua alegria...
Si arguém tá duente, quandu ocê abraça ele,
ele começa a miorá, i ocê miora junto tamém...
Muita gente importante e letrado já tentô dá um jeito de sabê
purquê qui é, qui o abraço tem tanta tequilonogia,
mas ninguém inda discubriu...
Mas, iêu sei!
Foi um ispirto bão de Deus qui mi contô....
Iêu vô contá procêis u qui foi quel mi falô:
O abraço é bão pur causa do Coração...
Quandu ocê abraça arguém, fais massarge no coração!...
I o coração do ôtro é massargiado tamém!
Mas num é só isso, não...
Aqui tá a chave do maió segredo de tudo:
É qui, quandu nois abraça arguém,
nóis fica cum dois coração no peito!...
INTONCE... UM ABRAÇU PRÔ CÊ...

Contribuição do amigo Gaspar Cordeiro de Souza.

Teatro do Vale foi mostrado no 7º FESTEJE

7º FESTEJE formou palco para teatro do Vale do Jequitinhonha
Cidade de Jequitinhonha, no Baixo Jequitinhonha
Teatro Meninos do Vale , de Medina, com a peça "O Vaqueiro que não sabia mentir"
O município de Jequitinhonha. no Baixo Jequitinhonha, foi palco do 7º FESTEJE – Festival de Teatro do Vale do Jequitinhonha. Apresentações teatrais, cursos, oficinas, palestras e shows estavam na programação do festival que aconteceu entre os dias 17 a 23 deste mês.
A Associação dos Grupos Teatrais do Vale do Jequitinhonha – AGRUTEVAJE não ficou esperando a banda passar e correu atrás dos recursos financeiros do “Terceiro Setor” através do Fundo Estadual de Cultura para realizar esse grandioso evento cultural.
Para o secretário da associação, Gládston Batista, “o evento vem crescendo e cumprindo seu objetivo. Segundo ele, “desde 2004, ano do primeiro festival, houve uma mudança no fazer teatral no Vale do Jequitinhonha. Primeiro os grupos deixaram de depender exclusivamente das Prefeituras para realizar eventos deste porte e se organizaram para buscar recursos através de projetos junto ao Fundo Estadual de Cultura.”
Durante a semana teatral, os grupos associados participaram de oficinas teatrais, palestras, e se apresentaram na praça de evento em frente ao rio Jequitinhonha.

Além da AGRUTEVAJE, o festival contou com o apoio da CIA DO RISO, UFMG –POLO JEQUITINHONHA, FECAJE e Prefeitura Municipal de Jequitinhonha.

O Patrocinador Oficial foi o BDMG, que disponibilizou R$60 mil reais para o evento. Em 2011 o FESTEJE será realizado no município de Araçuaí – MG.
Confira abaixo os informativos diários publicados pela UFMG durante a semana teatral em Jequitinhonha:
http://www.festeje7.blogspot.com/

Maiores informações: 33 3743 1478 - AGRUTEVAJE

Fonte : Diário do Jequi, de Almenara

Reforma de Aeroporto de Capelinha tem inauguração amanhã

Governador Aécio Neves inaugura reforma do aeroporto de Capelinha
O governador Aécio Neves inaugura, nesta terça-feira (26), a reforma do aeroporto da cidade de Capelinha, no Alto Jequitinhonha. O aeroporto está incluído no Plano Aeroviário do Estado de Minas Gerais (Proaero) e recebeu R$ 10,2 milhões de investimentos.
As obras no aeroporto de Capelinha incluíram terraplanagem, drenagem, implantação da pista de pouso/decolagem e do pátio de estacionamento de aeronaves. Também foram implantados sistema de sinalização diurna e balizamento noturno, serviço de combate a incêndio e adequação da cerca de proteção no contorno da área patrimonial.
Proaero
Aeroportos em várias regiões do Estado vêm recebendo melhorias por meio do Proaero. Em 2009, cerca de R$ 35 milhões foram investidos na realização de obras nos aeroportos de Capelinha, Governador Valadares, Oliveira, Ouro Fino e Curvelo, já concluídos.
Cerca de R$ 85 milhões estão sendo investidos nos aeroportos de Guaxupé, Lavras, Piumhi, Divinópolis, Passos, Cláudio e Ubá, em andamento. Também já foi licitada a obra para o aeroporto de Viçosa, com R$ 5,2 milhões de investimentos, com previsão de início em março.
Os projetos de engenharia dos aeroportos de Almenara, Araçuaí, Araguari, Arinos, Campina Verde, Caxambú, Januária, João Pinheiro, Paracatu, Patos de Minas, Patrocínio, Pirapora, Ponte Nova e Taiobeiras, já foram finalizados.
Serviço:
Evento: Inauguração da reforma do aeroporto
Local: Capelinha
Data: 26/01/2010
Horário: 11 horas

Fonte: Agência Minas

Violência contra a mulher do Vale

Violência contra a mulher acontece a toda hora
A violência contra a mulher volta a virar tema de debate, desabafos, cobranças e manifestações após o assassinato da cabeleireira Islaine, de Belo Horizonte.
Porém, é preciso estar atento à violência praticada no dia-a-dia em nossas pequenas cidades.

A violência contra a mulher é direta ou velada, mas acontece a todo momento. Em alguns lugares mais do que outros, dependendo do grau de machismo ou conservadorismo local. No Vale do Jequitinhonha, um trabalho de campo realizado pela Assistente Social Dirlane Almeida da Silva Silveira, do Fundo Cristão para Crianças, detectou diferentes tipos de violências praticados contra a mulher.

Nas cidades cortadas pela Rio-Bahia (Padre Paraíso, Ponto dos Volantes, Itaobim, Medina, Pedra Azul) a prostituição feminina infanto-juvenil é uma constante. Mulheres confessaram as ameaças de companheiros e maridos proibindo-as de fazer o exame ginecológico ou mesmo a prevenção ao câncer de mama. E dizem textualmente: "não quero saber de você ficar abrindo as pernas e deixar pegar nos seus peitos pra ninguém, viu?" "Se eu ficar sabendo, você vai ver comigo. Tou te avisando". Para cuidar da sua saúde, muitas usam subterfúgios para driblar a vigilância machista dos patriarcas do lar.

No Médio Jequitinhonha, no miolo da migração de cortadores de cana, em municípios como Araçuaí, Berilo, Chapada do Norte, Francisco Badaró, Jenipapo de Minas e Minas Novas, a depressão vivida pelas mulheres se dá com a ausência dos companheiros e com a obrigação de trabalhos pesados pela falta da mão-de-obra masculina nos pequenos sítios levando a problemas de coluna e alcoolismo.

Neste caso, a violência mais direta acontece quando a mulher pede para o companheiro usar camisinha. Primeiro, o homem reage desconfiado e violento, dizendo desconfiar que a mulher estaria lhe traindo. Segundo, nenhum desses homens tem coragem de confessar sua vida sexual no interior de São Paulo, Mato Grosso ou Triângulo Mineiro, no período médio de 8 meses.

O que se constata nos consultórios médicos é a presença com incidência cada vez maior de
doenças venéreas em mulheres após relações sexuais com seus companheiros que chegam no final de ano.

Um dado interessante é a vida de “mulheres de Atenas” vividas pelas mulheres de migrantes do Vale. Vê-se poucos casos de mulheres de migrantes que procuram outros parceiros na ausência de seus companheiros. Isso já não acontece com os homens dos trechos.

Em todos os casos a violência é flagrante.
Não é atoa que a maioria das mulheres se interessa cada vez mais pela Lei Maria da Penha que lhes garante direitos e proteção contra os brutamontes. Infelizmente, a violência doméstica, dentro de quatro paredes, protege muitos machos que para a sociedade parece normal. É preciso coragem e determinação para denunciar abusos, maus tratos e cerceamento da liberdade da mulher.

sábado, 23 de janeiro de 2010

Municípios perdem R$ 1 milhão da agricultura familiar

Agricultura familiar do Vale perde R$ 1 milhão de recursos
Municipios e entidades não conseguem encaminhar documentos para convênios
Volto ao assunto de recursos para o desenvolvimento da região.
No final de dezembro, 19 municípios que fazem parte do Território da Cidadania do Médio Jequitinhonha perderam R$ 1 milhão, um recurso assegurado do Ministéri do Desenvolvimento Agrário, do Governo Federal.
Durante o ano de 2.009, de abril a dezembro, representantes dos municípios debateram o que fazer com os recursos carimbados, garantidos, de R$ 1,2 milhão para a agricultura familia. O Colegiado do Território decidiu que seriam apresentados 9 projetos para aquisição de tratores agrícolas para os municípios de Berilo, Chapada do Norte, Coronel Murta, Francisco Badaró, Itaobim, Itinga, Jenipapo de Minas, José Gonçalves de Minase e Medina. Caberia R$ 100 mil para cada localidade. O restante, R$ 300 mil, seria destinado a projetos do Itavale, de Medina, e Escolas Família Agrícola.
Os municípios eleboraram um projeto técnico padrão, mas somente Berilo, Chapada do Norte e Medina conseguiram encaminhar e registrar o projeto no SICONV- Sistema de Convênios do Governo Federal, além de encaminhar toda a documentação. As entidades não conseguiram sequer cadastrar os projetos.
Por esta e por outras cada vez mais se torna necessário preparar técnicos da região - principalemente das Prefeituras - para o planejamento de elaboração de projetos básicos.
Já se perdeu muitas verbas garantidas por tropeços técnicos ou mesmo preguiça administrativa e política..

sexta-feira, 22 de janeiro de 2010

Tomate encerra micareta em Almenara

Tomate encerra micareta em Almenara
Por Fernando Souza
Foram com muita expectativa que os foliões receberam a última atração do bloco Os Vadios desta Micareta. Pois o cantor Tomate estava responsável em encerrar a folia de último dia no domingo (10/01), na Avenida Olindo de Miranda.
O ex-cantor da banda Rapazzola, prometia cantar até o dia amanhecer, queria relembrar as vezes que veio anos antes, porém agora, em carreira solo há dois anos.
Era possível observar muitos choros de fãs por causa do astro do Axé music. Uma destas fãs levantou o cartaz com a seguinte mensagem: “Tomate em 2009 sentimos a sua falta, vc é insubstituível. Bloco Minha Família.” (sic)
Tomate falou ao Diário do Jequi sobre o seu retorno a cidade.
DJ - Como é voltar mais uma vez a Micareta de Almenara?
Tomate - Primeiro eu queria agradecer a oportunidade de estar voltando a esta cidade, que eu tenho um carinho muito grande. Eu falo para todo mundo que Almenara foi onde tudo começou, quando eu me projetei nas micaretas. Foi aqui onde eu arrastava a gelera onde eu descia do trio e fazia a maior festa até de manhã. E é muito emocionante mesmo estar de volta, e acredito que hoje vai ser um dia de muita emoção na qual vou estar de frente com passado, onde tudo se iniciou, e ao mesmo tempo o presente, com esse momento maravilhoso que eu estou passando. Então, sem dúvida vai ser uma coisa inesquecível.
Vai ser também o primeiro show de carreira solo de muitos, eu que já tenho dois anos e pouco, graças a Deus a coisas vem tomando um rumo muito bacana. O momento está propício a tudo, está tudo maravilhoso, está tudo acontecendo...

E eu fico muito feliz de estar vivendo este momento, e podendo estar tocando aqui... Almenara esta cidade que eu adorooo (Gargalhadas).
DJ - E você fica ansioso em se apresentar, mesmo sabendo que o público daqui já conhece o seu trabalho?
Tomate - Eu fico ansioso, porque eu já sou ansioso (Risos). Mas na verdade a minha ansiedade é mais para entrar no palco e para sentir a emoção de cantar, porque o cara que faz o que gosta o prazer vem quando ele realiza o que ama. E no meu caso é a música, eu fico então é com a ansiedade grande mesmo de subir no palco e tocar para a galera. Agora no sentido de ficar com medo e tal, isso já passou né, esse lance do medo. Mas a ansiedade eu acho que o artista tem que ter. Se não tiver ansiedade e o friozinho na barriga, para o lado bom da coisa, não tiver vontade... Acho que não é artista né, pode deixar de cantar, já valeu já passou...
DJ - Gostaria de deixar uma mensagem para o seu público?
Tomate - Eu queria desejar um feliz ano novo, já que está começado 2010. Tudo de bom, que todos os seus sonhos se realizem. Mas que vocês também trabalhem, corram atrás, não fiquem esperando sentados, que nada vem assim. Muito trabalho, é o ano dá atitude, é o ano da verdade!
Fonte: Diário do Jequi

Carnaval de Diamantina é animado dia e noite



Carnaval de Diamantina - Programação
Data: 13 a 17 de fevereiro

Espaço Folia na Praça do Mercado Velho
Apresentação das tradicionais bandas da cidade Bartucada, Bat-Caverna e convidados, que contagiam o público com sua percussão até o dia amanhecer.
Horário: 20 às 07 horas
Quitanda do Samba Shows com a Roda de Samba da Bat-Caverna, DJ Jú Cirilo, Sambeco, Roda de Samba Chega Chegando, Grupo Xorô e JK Samba.

Horário: 15 às 03 horas
Espaço Cultura e Saúde
Shows com Sr. Macena e banda, Axé Mineiro, Jack Boris, Banda Equalize, Bartuquebrados, JK Samba, Minas Show, Destilados do Samba e Tio Tomaz.

Horário: 18 às 00 horas
MPBeco
Shows com David, Acorde Mineiro, Luiz Costa, Nino Aras, Fernando e Di, Marcelo Hugo, Andréia Oliveira e Edenílson Viana.

Horário: 17 às 23 horas
Largo da Folia
Shows com Tio Tomaz, Cia. de Dança os Magrinhos, Bartuquebrados, Axé Mineiro, Destilados do Samba, Jack Boris, Banda Equalize, JK Samba e Minas Show.

Horário: 14 às 19 horas
Circuito Cultural de Blocos
A cidade possui mais de 10 blocos tradicionais, alguns com mais de 80 anos, que percorrem o circuito de desfile no centro histórico.

· Bloco Apolo XIII

· Bloco as Domésticas

· Bloco Casa da Sogra

· Bloco Chega Chegando

· Bloco Chica da Silva

· Bloco Me Ampara se Não Eu Caio

· Bloco Palhassada

· Bloco Peninha

· Bloco Sapo Seco

· Bloco Vila Formosa

· Bloco Xai-xai

· Blocos Infantil Rato Seco


Fonte: Passadiço Virtual

Prefeitura apoia América de Teófilo Otoni

Prefeitura de Teófilo Otoni investe no América da cidade
Time disputa Campeonato Mineiro da Primeira Divisão


Além do suporte logístico, a Prefeitura de Teófilo Otoni investe financeiramente no time
Uma visita dos secretários municipais Rudson Kerley (Governo), Guilherme Afonso (Esporte) e Ailton Lima (Serviços Urbanos) às obras de reformas e melhorias do Estádio Nassri Mattar, na manhã de 15/01 marcou oficialmente a parceria entre a Prefeitura de Teófilo Otoni e o América Futebol Clube.


A comitiva da Prefeitura foi recebida pelo Administrador do América e Presidente da Ramos Transportes, Marcelo Ramos, pelo diretor de futebol, Genilson Carlech e o gerente de futebol, Rogers Ruppin.


Eles visitaram as reformas dos vestiários, pavimentação interna do estádio, ampliação das cabines de imprensa e conserto de parte das arquibancadas.
O América que estréia no Campeonato Mineiro da 1ª Divisão no dia 24 de janeiro, domingo,
contra o Vila Nova, em Nova Lima, tem na Prefeitura de Teófilo Otoni a principal parceria para o ano de 2010.


No dia 21 de dezembro de 2009, a Prefeita Maria José sancionou a lei que autoriza a Prefeitura de Teófilo Otoni a conceder contribuição no valor de R$ 100 mil ao América Futebol Clube. O valor investido pela Prefeitura de Teófilo Otoni nos anos de 2008, 2009 e 2010 é cinco vezes maior do que foi aplicado anualmente pela administração municipal entre os anos de 2001 e 2004.


O administrador do América, Marcelo Ramos, explicou que todas as obras serão concluídas dentro do prazo estipulado pela Federação Mineira de Futebol. Marcelo agradeceu o apoio da Prefeitura e salientou o fortalecimento da parceria.


“Não só agora que estamos na primeira divisão, mas desde 2008 que temos recebido o apoio incondicional da Prefeitura. Sem a parceria com a Prefeitura é muito provável que todo esse projeto não teria acontecido ou teria acontecido de maneira muito mais trabalhosa”, ressaltou Marcelo.


O Secretário Municipal de Governo, Rudson Kerley, afirmou que é compromisso da Prefeitura dar destaque ao esporte em todas as suas modalidades. Rudson disse que a administração pública tem contribuído dentro das limitações financeiras, mas o suficiente para ser o maior investimento da história do município num clube profissional de Teófilo Otoni.


“O povo é inteligente e sabe quem de fato está apoiando o América. Estamos analisando novos projetos e existem grandes possibilidades de fazermos uma parceria para a construção do Centro de Treinamentos do América”, revelou Rudson.

Marcelo Ramos desmente verba de R$ 500 mil no futebol profissional
O administrador do América, Marcelo Ramos, aproveitou a ocasião para desmentir sobre uma suposta verba de R$ 500 mil disponibilizada pela Cemig para futebol profissional do América. Demonstrando insatisfação com o fato, Marcelo Ramos explicou que existem políticos tentando pegar a paternidade ilícita do sucesso do América.



“Foi uma história muito mal contada. Isso é um dinheiro público, é uma lei federal que, ao invés da Cemig pagar de imposto de renda entrega para entidades que tem projetos aprovados pelo Ministério dos Esportes, para aplicação apenas em categorias de base e jamais em futebol profissional”, salientou.


Marcelo Ramos deixou claro o nome das pessoas que contribuíram com o América junto à Cemig. “Se tem alguém com mérito nesse dinheiro é o Fernando Schuffner (Cemig) e o Dr. Aécio Cunha (pai do governador Aécio). Outros que contribuíram com isso foram os Srs. Maron Mattar e Júlio Laender, os demais são todos aproveitadores que estão tentando fazer política suja com o nome do América”, desabafou Marcelo Ramos.


O Secretário de Esporte e Lazer, Guilherme Afonso, disse que a Prefeitura vai dar todo o suporte necessário para que o América faça uma boa campanha na primeira divisão. “Estamos muito satisfeitos por tudo que tem acontecido no esporte de Teófilo Otoni nos últimos meses. O América tem levado o nome de Teófilo Otoni por todo o estado e para todo o Brasil, e isso, a Prefeitura reconhece e apóia incondicionalmente”, frisou Mabel.


Parceira com o Cruzeiro

O secretário disse ainda que a parceria do América de Teófilo Otoni com o Cruzeiro Esporte Clube nunca teve o dedo de nenhum deputado da cidade. “Se alguém tiver dúvidas sobre os responsáveis por esta parceria pergunte à diretoria da Ramos Transportes. A população não pode ser mais enganada pelos aproveitadores de plantão, por isso nós estamos esclarecendo os fatos e mostrando quem está apoiando e ajudando o América”, destacou Mabel.

ICMS cultural é boa fonte para municípios do Vale

ICMS Cultural dá bons recursos para cultura local
Municípios do Vale aproveitam, outros dormem no ponto
Os municípios do Vale do Jequitinhonha vivem batalhando recursos para manter ou criar atividades. Na área de cultura uma das principais fontes - senão a única- é o ICMS cultural. Os municípios apresentam uma papelada ao IEPHA até 15 de janeiro e concorrem a uma fatia do bolo de arrecadação.
Vários municípios do Vale receberão poucos recursos neste ano de 2.010. Municípios com uma rica cultura e diversas atividades culturais como Santo Antônio do Jacinto, Medina, Salto da Divisa, José Gonçalves de Minas, Ponto dos Volantes, Rubim e outros ficarão com uma pontuação de 1,5. Com este patamar receberão cerca de R$ 1.700 por mês, quando poderiam estar recebendo 15 ou 20 mil reais.
Este é um recurso carimbado, certo nos cofres municipais. Basta ser competente e juntar os documentos, mostrando o que foi realizado no ano que passou.
Porém, há municípios que se destacam na pontuação. Veja lista abaixo:
Quem mais pontua e arrecada
Diamantina: 30,10
Serro: 22,00
Pedra Azul: 14, 96
Couto Magalhães de Minas: 14,85
Grão Mogol: 12,90
Aricanduva: 12,00
Itacambira: 12,00
Chapada do Norte: 10,00
Cristália: 10,00
Datas: 10,00
Jequitinhonha: 10,00
Senador Modestino Gonçalves: 10,00
Capelinha: 9,50
Turmalina: 9,00
Berilo: 8,70
Minas Novas: 8,70
Felisburgo: 8,60
Araçuaí: 8,30
Itamarandiba: 7,90
Monte Formoso: 7,35
Francisco Badaró: 7,30
Cada ponto: R$ 14 mil/ano
A arrecadação de 2.009 deu um valor médio de R$ 14 mil para cada ponto. Isto quer dizer que, mantendo a mesma arrecadação de ICMS em 2.010, cada município irá receber R$ 140 mil se tiver a pontuação de 10,00.
Muitos municípios têm condições de ganharem muito mais. É inadimissível que municípios como Minas Novas e Araçuaí, por exemplo, fiquem com pontuação tão baixa.
É impressionante como os prefeitos não descobriram ainda este filão e ficam chorando a falta de recursos para a cultura e outras áreas.
Se cada município planejar a sua área cultural, elaborando um Projeto de Educação Patrimonial e um Plano de Inventário Cultural terão 4,00 pontos garantidos. Com a organização mínima do setor de cultura, mais 1,0 ponto. Com a apresentação de relatório de atividades culturais durante o ano pode ter 5 ou mais pontos. Com reunião do Conselho Municipal do Patrimônio Cultural, a cada dois meses, mais 2 pontos. Portanto, cada município do Vale tem condições de obter 10 ou mais pontos todo ano.
Se não conseguir isso, é má vontade com a área de cultura.
Ou incompetência mesmo!
O que é o ICMS Cultural
Terminou no dia 15 de janeiro o prazo para que as prefeituras mineiras encaminhassem ao Instituto Estadual do Patrimônio Histórico e Artístico de Minas Gerais (Iepha/MG) a documentação exigida para que tenham direito a pontuar no ICMS Patrimônio Cultural – exercício 2011.
Os técnicos da Diretoria de Promoção do Instituto já iniciaram a análise dos documentos e, no dia 20 de junho, a tabela com as notas provisórias será divulgada. Os municípios que discordarem dos pontos obtidos terão prazo de dez dias para recorrer. A pontuação final será divulgada em 20 de julho.
A lei de ICMS Patrimônio Cultural, criada em 1996, é um incentivo para que os municípios adotem ações para proteção e preservação do patrimônio histórico. No último ano, mais de 700 municípios pontuaram, em um repasse total de R$ 45 milhões. Esse número representa a participação de 82% dos 853 municípios do Estado.
Com informações do IEPHA e Fundação João Pinheiro

quarta-feira, 20 de janeiro de 2010

Lula afirma que não há espaço para retrocesso

Lula no Vale: "A partir de agora, não há espaço para retrocesso"
Araçuaí, no Médio Jequitinhonha
Bastante empolgado por retornar ao município de Araçuaí, no Vale do Jequitinhonha, uma das regiões mais carentes do estado de Minas Gerais, o presidente Lula assegurou à população que, com os avanços conquistados, não haverá mais espaços para retrocessos. Segundo ele, a tendência daqui para frente é oferecer aos brasileiros, por exemplo, mais serviços de saúde e educação. Lula pediu também que os prefeitos reivindiquem aos parlamentares federais aqueles serviços considerados importantes aos moradores. Ele citou o caso das Unidades de Pronto Atendimento (UPAs). Até o fim do ano o país contará com 500 centros de saúde.
O presidente deixou o Vale do Jequitinhonha se comprometendo com outras duas obras: a pavimentação da BR 367 -- antiga solicitação dos moradores -- e um hospital. Lula informou que, ainda nesta terça-feira (19/1), conversará com o ministro da Saúde, José Gomes Temporão, quando repassará o pedido da unidade de saúde.
Ouça a íntegra do discurso do presidente Lula: clique Lulaaqui

Lula esteve em Araçuaí para a inaugurar o campus Instituto Federal Norte de Minas. Em discurso, o presidente lembrou a importância de assegurar o acesso à educação. Ele explicou que entrará para a história, junto com o vice-presidente José Alencar, como sendo o governante que mais criou escolas técnicas e universidades no país. O presidente destacou que o curso profissionalizante que fez quando tinha 14 anos o ajudou na sua formação.
“Para uma mãe, não tem nada mais sagrado do que ver o filho com diploma profisional. Se o menino ou menina estiver bem formado pode soltar Brasil afora que vai arrumar um bom emprego”, enfatizou.
O presidente informou que os investimentos em educação saltaram de R$ 20 bilhões para R$ 50 bilhões. Ele comentou também que o piso salarial do professor “ainda é muito pouco” e lamentou o fato de que nove estados recorrram ao Poder Judiciário para não pagar o piso. Ao terminar o discurso, Lula afirmou que retorna a Araçuaí para a formatura da primeira turma da escola técnica.
A comitiva do presidente seguiu para Juiz de Fora onde participou de inauguração de usina termelétrica movida a etanol e a UPA de Santa Luzia.
Fonte: texto na íntegra do Blog do Planalto

Itamarandiba terá unidade de processamento de frutas

Itamarandiba terá unidade de processamento de frutas
Frutivale II será implantada com apoio do Governo Federal
O Colegiado do Território da Cidadania do Alto Jequitinhonha, programa do Ministério do Desenvolvimento Agrário, já decidiu que a Unidade de Processamento de Frutas II será impantada em Itamarandiba. O projeto terá um custo de 730 mil reais.

A Prefeitura de Itamarandiba já possui terreno regularizado e documentado para a implantação da Frutivale-Unidade II.
Cerca de 5.200 agricultores familiares, de 13 municípios do Alto Jequitinhonha, serão beneficiados com o projeto que visa processar polpa dos mais variados tipos de frutas para comercialização.
A Unidade Frutivale I está instalada no município de Datas, entre Diamantiana e a cidade do Serro, no Alto Jequitinhonha.
Conheça mais sobre a Frutivale, clicando em frutivale
Informações do Blog Itamigos, Amigos de Itamarandiba. Veja aqui

Dilma acusa oposição de querer acabar com programas

Dilma defende PAC e acusa oposição
Ministra diz que oposição planeja fim de programas
Jenipapo de Minas, Médio Jequitinhonha
Nesta terça-feira, 19/01, na festa de inauguração da barragem do rio Setúbal, no Vale do Jequitinhonha, ao lado Presidente Lula, a Ministra Dilma Roussef se soltou, agradeceu a "recepção calorosa", assumiu com a voz embargada sua origem mineira e partiu para o confronto com a oposição, a quem acusou de planejar o fim do PAC.

"Muitas pessoas tem dito nos últimos dias, aliás o próprio presidente do partido de oposição disse que acabaria com o PAC porque o PAC não existe e ele acabaria com essa história do PAC", disse a ministra.

"É muito grave", ela insistiu. "Porque nós estamos aqui justamente inaugurando uma obra concreta e real que todos vocês sabem que existe e que está aqui ao lado".
Embalada, a ministra falou grosso e insistiu no cerco aos oponentes.

Fim de programas do Governo Lula
"Vira e mexe querem acabar com algum programa do governo Lula. Em 2006, foi a época que eles queriam acabar com o Bolsa-Família. Agora o objetivo é acabar com obras como essa que estamos inaugurando".
Chamou os adversários para a briga, mas a Aécio dirigiu afagos.
"Os prefeitos aqui de Minas e o governador Aécio Neves tem sido parceiros exemplares e republicanos do governo federal. Conosco eles têm enfrentado esse desafio que é mudar o Brasil. A barragem é uma obra do PAC com uma parceria muito produtiva e muito bem sucedida com o governo de Minas, com o governador Aécio Neves”.

Raízes: "saí de Minas, mas Minas não saiu da nossa alma e coração"
Dilma rebateu provocações de correntes do próprio PT, que dela exige assumir que é de Minas, e se emocionou.
"Tem uma coisa muito estranha acontecendo com o lugar onde eu nasci. Eu nasci em Belo Horizonte. Eu passei a minha infância inteira em Belo Horizonte. Eu me formei no colégio Santa Dorothea em Belo Horizonte. Entrei na Universidade Federal em Belo Horizonte, fiz economia. Depois, por razões políticas, fui obrigada a sair de Minas, pela perseguição política que naquela época ocorria no Brasil. Agora, eu não vou concordar que haja uma discussão para saber se eu sou mineira ou não sou. Eu não tenho a menor dúvida que eu sou mineira. Em que pese eu ter saído de Minas, passado uma parte da minha vida no Rio Grande do Sul, eu quero dizer a vocês: a gente pode sair do estado onde nasce, mas ele não sai da nossa alma e do nosso coração”.
Veja e ouça o desabafo da Ministra Dilma: aqui
Com informações do Portal UAI e Agência Brasil

Lula e Dilma garantem: BR 367 será asfaltada pelo PAC

Lula e Dilma garantem:
BR 367 será asfaltada com verbas do PAC
Jenipapo de Minas, Médio Jequitinhonha
O presidente Lula autorizou a inclusão da pavimentação da BR 367 no PAC – Programa de Aceleração do Crescimento. Neste 19/01, em Jenipapo de Minas, na inauguração da Barragem do Setúbal, coube à Ministra Dilma Roussef informar que o Governo Federal fará o asfaltamento de dois trechos da BR 367: Minas Novas-Chapada do Norte-Berilo-Virgem da Lapa, no Médio Jequitinhonha, e Almenara-Jacinto-Salto da Divisa-Itagimirim (BA), no Baixo Jequitinhonha. São cerca de 120 quilômetros.

Dando resposta à oposição que prometeu acabar com o programas do Governo Lula, a ministra-chefe da Casa Civil, Dilma Rousseff defendeu o Plano de Aceleração do Crescimento (PAC), diante da platéia de 3 mil pessoas no Vale do Jequitinhonha.
Ao lado do presidente Luiz Inácio Lula da Silva, que a acompanhava e a deixou à vontade, ela atendeu ao apelo que havia sido feito minutos antes pelo prefeito Márlio Geraldo Costa (PDT), de Jenipapo de Minas, que falou em nome dos prefeitos do Vale do Jequitinhonha que reivindicam esta importante obra para o desenvolvimento regional.
Dilma prometeu imediata liberação de verbas federais para asfaltar dois trechos da BR-367, rodovia que corta todo o Vale do Jequitinhonha e vai até a Bahia. Empolgação de Dilma e do Vale
Quando anunciou o asfaltamento houve uma explosão de alegria na platéia. O anúncio foi mais aplaudido do que a inauguração da Barragem.
Quando assumiu o compromisso de arrumar dinheiro para cobrir de asfalto a estrada de terra, Dilma empolgou-se.

"Aqui temos prefeitos e prefeitas que sabem que o PAC é uma obra concreta. Aí eu queria aproveitar e dar uma notícia para vocês. Há pouco o presidente determinou. Nós ligamos para o DNIT e o presidente decidiu que vamos agora prometer mais uma obra. Que nós iremos cumprir, o asfaltamento dos dois trechos da BR 367. Será novamente uma obra do PAC. O PAC é isso. Nós cumprimos o que prometemos”.
Defesa do PAC
Assegurou que ao governo que serve não interessa favorecer esse ou aquele partido. "Nós do PAC temos um princípio: levar para onde haja Brasil e brasileiros investimentos para fazer esse país avançar e crescer sem olhar filiação partidária, se o prefeito ou o governador é a favor ou contra, se faz oposição ou não”, finalizou a Ministra Dilma, que é pré-candidata a Presidente da República.
Com informações do Portal UAI e Agência Brasil

Em Jenipapo, Lula diz que vai acelerar obras

Em Jenipapo, Lula diz que pretende acelerar obras neste ano
Jenipapo de Minas, no Médio Jequitinhonha
O presidente Luiz Inácio Lula da Silva disse nesta terça-feira (19) que pretende nesses três primeiros meses do ano acelerar o processo de inauguração porque, a partir de abril, os ministros que foram candidatos não poderão mais participar desse tipo de cerimônia. Lula esteve em Jenipapo de Miknas, no Médio Jequitinhonha, nordeste de Minas.
"Disse ao companheiro Geddel [Vieira Lima, ministro da Integração Nacional] no ano passado que nestes primeiros três meses vamos visitar muito Minas Gerais", afirmou Lula. "Vamos precisar pegar todas as obras que tem no estado, que são muitas, inclusive de barragens, porque, a partir de abril, o Geddel, a Dilma [Rousseff, ministra da Casa Civil] não estarão no governo, e quem for candidato não pode nem subir no palanque comigo."
Barragem de R$ 203 milhões teve 183 do Governo Federal

Lula ainda fez questão de lembrar o total de recursos aplicados pelos governo federal e estadual. Em tom de brincadeira, o presidente afirmou que as empresas responsáveis pela obra poderia fazer apenas uma placa, em vez de duas como é de praxe , com os valores investidos pelos governos estadual e federal.

De acordo com Lula, o orçamento total da obra foi de R$ 203,9 milhões, sendo que 183,5 milhões foram pagos pelo governo federal e 20,4 milhões do governo de MG.

"Seria mais barato ter uma placa só dizendo quanto cada governo deu e as empresas fariam uma placa só e dinheiro [da outra placa] poderia ser usado para mais uma obrinha na comunidade", brincou o presidente.

Esta obra foi construída pela Ruralminas, empresa do Governo de Minas, que vinha apregoando a obra como mais uma iniciativa d0 Governo Aécio Neves. Este foi mais um motivo que levou o Governador a se ausentar da inauguração.
Com informações da AGÊNCIA BRASIL