segunda-feira, 30 de novembro de 2009

Balanço da Copa Aranãs 2009

10ª COPA ARANÃS FM DE FUTEBOL
BALANÇO DA RODADA - 29/11/09 -
2º JOGO DA FINAL
Em Novo Cruzeiro: NOVO CRUZEIRO 4 X 0 TURMALINA
Gols: Hudson (2), Peleleu e Zé Afonso (Novo Cruzeiro).
Trio de arbitragem: Gerson Balbino, Célio Silva e Moacir Gomes (Coronel Fabriciano).
Equipeda Rádio Aranãs FM: Cleuber Luiz (narração), Joãozinho Chaves (Comentarista) Nísio Moreira e J.Reis (reportagens), Walter Neves (Delegado), Lafaiete Lima (Mesário), Tico Neves, Tarcisinho BML, Geralda Lima, Patrícia Lima e Golô (equipe de apoio).
Participação especial da equipe da Rádio Cidade FM (Novo Cruzeiro).
Público Estimado: 3 mil torcedores
Cartões Amarelos: 03
DESTAQUES DA RODADA:
Novo Cruzeiro: Jú Cabeça, Eré, Hudson e Zé Afonso.
Turmalina: Paulo Almeida e Robert Maia.
DESTAQUE DA RODADA (PRÊMIO PNEUSCAP): Zé Afonso (Novo Cruzeiro)
ARTILHEIRO DA RODADA (PRÊMIO CAFÉ GEMA DE MINAS): Hudson (Novo Cruzeiro
BALANÇO GERAL DA COPA
Número de Jogos: 36.
Números de Gols Marcados: 128 .
Média de Gols Por Partida: 3,5 .
Público Total Estimado: 34.300 torcedores.
Média de Público Estimado Por Jogo: 952 torcedores.
Time com Melhor Ataque: Novo Cruzeiro (40 gols).
Time com Defesa Menos Vazada: Novo Cruzeiro (04 gols).
Time com Pior Defesa: Cometa (AB) com 16 gols.
Artilheiro: -Hudson (Novo Cruzeiro) com 11 gols.
Time mais Disciplinado: Independente (04C.A. e 01 C.V.) .
Jogos com Vitórias: 32.
Jogos Empatados: 04 .
Vitórias Times Mandantes: 18.
Vitórias Times Visitantes: 14 .
Goleadas: 13
DESTAQUES DAS RODADAS:
1ª RODADA: Celinho (Novo Cruzeiro)
2ª RODADA: Kleber (Cometa-AB)
3ª RODADA: Meio-Kilo (Angelândia)
4ª RODADA: Vanderson (Unidos do Morro-AB)
5ª RODADA: Sérgio Adriano (Angelândia)
6ª RODADA: Duca (Cometa-CAP)
1ª RODADA DA 2ª FASE: Robert Maia (Turmalina)
2ª RODADA DA 2ª FASE: Celinho (Novo Cruzeiro)
3ª RODADA DA 2ª FASE: Peleleu (Novo Cruzeiro)
1ª RODADA DA SEMI-FINAL: Peleleu (Novo Cruzeiro)
2ª RODADA DA SEMI-FINAL: Peleleu (Novo Cruzeiro)
1º JOGO DA FINAL: Paulo Almeida (Turmalina)
2º JOGO DA FINAL: Zé Afonso (Novo Cruzeiro)
CAMPANHA DOS TIMES FINALISTAS DA COPA:
NOVO CRUZEIRO:
Venceu Setubinha ................. 5 X 1
Venceu Setubinha ................. 1 X 0
Venceu Atalanta(MAL) ........ 4 X 0
Venceu Atalanta(MAL) ........ 6 X 0
Venceu Cometa(CAP) .......... 4 X 0
Venceu Cometa(CAP) .......... 5 X 0
Venceu Angelândia .............. 2 X 1
Venceu Angelândia .............. 9 X 1
Perdeu Turmalina ..................1 X 0
Venceu Turmalina ................ 4 X 0
NOVO CRUZEIRO: 19 J - 09V - 01 D - 40GF - 04GC - SALDO: 36 gols
TURMALINA:
Venceu Minas Novas ........... 1 X 0
Venceu Unidos do Morro ... 2 X 1
Venceu Unidos do Morro ... 1 X 0
Venceu Colegial .................. 2 X 1
Perdeu Colegial .................. 2 X 1
Venceu Cometa (AB) ..........4 X 2
Perdeu Cometa (AB) ...........3 X 2
Venceu Novo Cruzeiro ........1 X 0
Perdeu Novo Cruzeiro ........4 X 0
TURMALINA: 09J - 06 V - 03D - 14GF - 13GC - SALDO: 01 gol
DESTAQUES DA COPA:
TIME CAMPEÃO: NOVO CRUZEIRO
TIME VICE-CAMPEÃO: TURMALINA
MELHOR TÉCNICO: LOBÃO (NOVO CRUZEIRO)
CRAQUE DA COPA: KLEBER (COMETA-AB)
JOGADOR REVELAÇÃO: DOUGLAS (COMETA-AB)
ARTILHEIRO: HUDSON (NOVO CRUZEIRO) COM 11 GOLS
GOLEIRO MENOS VAZADO: GIULIANO (NOVO CRUZEIRO) COM 04 GOLS
TIME MAIS DISCIPLINADO: INDEPENDENTE (CAPELINHA)
MELHOR TRIO: DEDÉ, ZÉ DADU E GOLÔ (CAPELINHA)
AGRADECIMENTOS:
Às 13 equipes participantes..
Aos dirigentes, comissões técnicas e torcedores das 13 equipes..
À Prefeitura de Angelândia por abrir as portas da cidade e do estádio para sediar os jogos dos times de Capelinha..
À direção e equipe da Aranãs FM e colaboradores da Copa. .
À Super Safra Agropecuária pela premiação e a todos os patrocinadores. .
À Polícia Militar e à Polícia Civil das cidades participantes..
Aos trios de arbitragem que atuaram na Copa..
À imprensa escrita e falada de toda a região.
11ª COPA ARANÃS FM DE FUTEBOL - 2.010
Depois do grande sucesso da décima edição da Copa, a Aranãs FM confirma a realização da competição no próximo ano.
A 11ª Copa será no início do segundo semestre, após a Copa do Mundo na África do Sul.
O primeiro semestre de 2.010 será reservado para a realização dos campeonatos municipais e outros eventos esportivos locais.
Além dos times participantes deste ano, convidamos outras cidades e equipes a estarem conosco em 2.010 no maior e melhor evento esportivo regional e um dos principais de Minas Gerais.
FONTE: Rádio Aranãs FM, de Capelinha, no Alto Jequitinhonha.

Novo Cruzeiro é campeão da Copa Aranãs

Copa Aranãs
Novo Cruzeiro é campeão
Time goleia Turmalina por 4 x 0
Mostrando porque foi o melhor time da 10ª Copa Aranãs , o Novo Cruzeiro (foto ao lado) ganhou a final de Turmalina por 4 x 0, neste domingo, 29/11, em seu Estádio Municipal.
Com um futebol de encher os olhos, Novo Cruzeiro e Turmalina realizaram uma partida bem disputada com lances belos do melhor futebol da região do Vale do Jequitinhonha e Mucuri.

Primeiro tempo
Nos primeiros minutos de jogo havia uma pressão pra cima do Juiz em qualquer falta marcada.
Eram lances de gol nos dois lados. O goleiro Doinha, do Turmalina, parecia estar nervoso soltando duas bolas que pareciam fáceis de defender.
Novo Cruzeiro faz 1 x 0
O Novo Cruzeiro mais uma vez no ataque. Aos 12 minutos, da lateral esquerda a bola foi alçada na área, o goleiro Doinha socou. A bola bateu em um zagueiro e voltou. Hudson deu um carrinho e empurrou pras redes. Novo Cruzeiro 1 x 0.
A torcida local ficou empolgada e empurrou o time para o ataque. Todas as faltas no campo do Novo Cruzeiro eram batidas pelo goleiro Giuliano, que aproveitava a alta estatura de Zé Afonso e fazia o chuveirinho. Zé Afonso, invariavelmente, escorava para quem vinha atrás ou no outro lado da área.
Aos vinte minutos, Turmalina teve uma grande chance. Ediê , da direita, pingou na área. Robert ganhou de Zé Afonso, pelo alto, cabeceando o outro lado. A bola ia entrando, com o goleiro Giuliano batido. Dicas salvou em cima da linha.
Aos 22 minutos, Biano quase marca e aumenta para o Novo Cruzeiro, cabeceando no canto esquerdo de Doinha. A bola caiu em cima da rede.
Aos 24, Peleleu deu um forte chute da intermediária. Doinha espalmou para escanteio.
Quase Turmalina empata aos 28 minutos com cruzamento vindo da direita. A bola passou por toda a pequena área. Ediê chegou de carrinho, mas não alcançou a bola.
Aos 30 minutos, em uma falta perigosa cobrada por Mardoni a bola caiu em cima da rede com um grito de gol da torcida.
Aos 33, Tiago bate falta da direita. Giuliano segura firme.
Tiaguinho levou uma rasteira, na direita, de dois marcadores, a uma metro da grande área. Todo o banco do Turmalina levantou pedindo cartão. Com a falta batida a zaga afastou o perigo.
Aos 39, Eré faz falta dura em Tiaguinho que não gosta. No chão, Eré chuta Tiaguinho , sem bola. Jogadores do Turmalina pediram punição, mas o Juiz fez que nada viu.
Aos 41 minutos, quase Tiaguinho empata o jogo com uma cabeçada no canto esquerdo no chão. Giuliano voa e faz grande defesa.

Dois gols anulados em um minuto
Aos 46 minutos, falta cobrada do campo do Novo Cruzeiro, no alto, Zé Afonso sobe e marca. Juiz anulou, alegando falta de Zé Afonso.
Um minuto depois, Zé Afonso volta a marcar. Mais uma vez o gol foi anulado, devido a impedimento marcado. Lobão, técnico do novo Cruzeiro, quase foi à loucura.
O Juiz terminou o primeiro tempo, aos 48 minutos.
O trio de arbitragem foi cercado por Lobão e o Auxiliar Técnico Tim. Os dois proferiram palavrões e xingatórios diversos.
Segundo Tempo
Antes de iniciar o segundo tempo, o Juiz expulsou o Técnico Lobão e o Auxiliar Técnico Tim, ambos do Novo Cruzeiro. O jogo demorou a recomeçar devido às resistências deles em sair do banco de reservas.
O time do Turmalina (foto ao lado) voltou com Gabriel que entrou no lugar de Pelezinho.
O Novo Cruzeiro arrumou dois lances perigosos antes dos dois minutos. Em um Zé Afonso cruzou para a pequena área, Hudson mergulhou de cabeça. A bola bateu na zaga e saiu. Em outra bola pingada, muitos cabeceiam até a bola sobrar no chão para Hudson que não alcança.
Logo depois, Zé Afonso e Hudson fazem triangulação, tabelam, entram na área, mas juiz marca impedimento.
Novo Cruzeiro 2 x 0.
É campeão! a torcida grita.
Aos 5 minutos, a torcida voltou a explodir. Em falta do lado esquerdo, Ju Cabeça pinga na área, há um bate-rebate. Zé Afonso toca para o bico esquerdo da pequena área. Hudson fuzila a meta.
A torcida começa a gritar “é campeão!”.
Novo Cruzeiro 3 x 0
Dois minutos depois, aos 7, Peleleu marca depois de mais um bate-rebate na área do Turmalina. Todo o banco de reserva invaiu o campo, fazendo festa com Peleleu,Celinho, Rogerinho, Bruno e outros companheiros.
Os gritos de “é campeão!” aumentaram na torcida.
Aos 12 minutos, Tiago chuta de longe, em falta, querendo surpreender Giuliano que apenas observa a bola sair.
Aos 14 minutos, Escanteio para Turmalina. Giuliano sai socando a bola que ia para a cabeça de Robert.
Logo depois, Ju Cabeça bate falta com tiro violento, Doinha soca pra fora da área.
Aos 25 minutos, Zé Lucas entrou no lugar de Hudson, no Novo Cruzeiro. Dicinha substitui Biano, no Turmalina.
Em escanteio para Turmalina, Tiago bate pelo alto, Robert cabeceia para fora.
Aos 27 minutos, Gabriel sai costurando pela esquerda, dois zagueiros o cercam. Ele dribla os dois e cai na área com a bola sobrando para Giuliano. Grita e cobra a marcação do pênalti. O Juiz manda seguir.
Aos 32 minutos, Tiaguinho enfia na esquerda uma bola açucarada para Gabriel que emenda de primeira. Giuliano faz boa defesa.
Logo depois, Gabriel cruza da esquerda e Robert arremata. Giuliano defende de novo.
Aos 34 minutos, Bruno recebeu cartão amarelo por reclamação.

Zé Afonso faz 4 x 0 e comemora como um menino
Aos 38 minutos, Eré cruzou da direita, Zé Afonso matou no peito, tirando o zagueiro da jogada, e fuzilou o canto direito do gol de Doinha. Parecendo um menino, Zé Afonso, entusiasmado, festejou muito o seu gol, depois de participar dos três anteriores.
Quando o Juiz apitou o final da partida, aos 45 minutos, uma multidão invadiu o campo, com bandeiras, apitos, faixas de campeão e gritos de alegrias, abraçando os jogadores, abraçando todo mundo, pulando, cantando.
É campeão! Era o grito que mais se ouvia.
Sozinhos ou em grupos, o grito de “é campeão!” estava em todas as bocas e em todos os cantos.
A batucada que animou o time o jogo todo parecia multiplicar seus instrumentos.
Muitos choravam, riam à toa e com muitos motivos. Crianças acendiam chuvinhas com a cor azul, enrolavam-se em uma grande bandeira azul e branco.
A equipe da Rádio Aranãs, de Capelinha, organizadora da Copa, começou a organizar a entrega dos Troféus e medalhas, sob coordenação geral de Tico Neves, diretor da Rádio e da Copa Aranãs..

No início, receberam as medalhas os jogadores do Turmalina e Comissão Técnica..
Logo depois, as medalhas foram entregues a cada jogador campeão e à Comissão Técnica do Novo Cruzeiro.
Quando a taça de Campeão foi entregue ao Novo Cruzeiro, o Estádio veio abaixo com muitos gritos. Um pequeno trio elétrico apareceu para os jogadores subirem e passear pelas ruas de Novo Cruzeiro, mostrando o feito para todos os moradores.
Na Praça da antiga Estação da Ferrovia Bahia-Minas, uma multidão comemorou ao som de muito samba, axé, forró, arrocha e cerveja.

A festa durou a noite inteira, com foguetes aqui e ali, em toda a cidade, e o grito orgulhoso de “É campeão”.
Quem jogou
O time do Novo Cruzeiro jogou com Giuliano, Eré, Bruno, Dicas, Rogerinho, Ju Cabeça, Peleleu, Mardoni, Celinho, Hudson (Zé Lucas) e Zé Afonso. Técnico: Lobão.
O Turmalina jogou com Doinha, Ediê, Bilau, Paulo Almeida, Tiago, Ozéia, Robert Maia, Tiaguinho, Pelezinho (Gabriel), Biano(Dicinha) e Robert. Técnico: Titica.

Medalha Teófilo Ottoni homenageia personalidades

Medalha Teófilo Ottoni homenageia pessoas e instituições
30 agraciados deverão ter relevantes serviços no norte e Vales do Jequitinhonha e Mucuri
Serro – Alto Jequitinhonha
Nesta segunda-feira, 30/11, às 11h, no auditório da Pontifícia Universidade Católica na cidade do Serro, no Médio Jequitinhonha, haverá a solenidade de entrega da Comenda Teófilo Ottoni.
Nesta terceira edição da Medalha serão agraciadas 30 personalidades. A solenidade acontece no auditório da unidade da PUC Minas, do Serro, no Alto Jequitinhonha.
Quem é homenageado
A Medalha Teófilo Ottoni foi criada em 2007, através da Lei 16.920, por iniciativa do deputado Alberto Pinto Coelho, presidente da Assembléia Legislativa de Minas Gerais. A comenda homenageia pessoas e instituições que tenham se dedicado ao desenvolvimento político, cultural, econômico e social das regiões Nordeste de Minas Gerais, Vales do Jequitinhonha e do Mucuri, e Norte de Minas.
A lei prevê que a entrega da medalha seja feita anualmente, em cerimônia realizada no mês de novembro, alternadamente nos municípios do Serro e de Teófilo Ottoni.
Em 2007, a solenidade foi realizada no Serro e em 2008 em Teófilo Ottoni, como prevê a legislação.
Quem foi Teófilo Ottoni
Teófilo Benedito Ottoni nasceu em 1807 na Vila do Príncipe que, naquela época, era sede da Comarca do Serro Frio (a maior comarca entre as cinco de Minas Gerais). Aos 19 anos, entrou para a Escola da Marinha no Rio de Janeiro, onde se graduou como guarda-marinha. Em 1830, voltou ao Serro onde fundou o jornal “Sentinela do Serro”, porta-voz de suas propostas de vanguarda.
Conhecido como o Capitão da Casaca Branca, por seus ideais revolucionários, elegeu-se deputado provincial por Minas Gerais (1835) e deputado-geral (1839). Liderou a revolução liberal em Minas Gerais (1842) e, após ser derrotado, foi preso e conduzido a pé para Ouro Preto. Anistiado pelo imperador Dom Pedro II em 1844, foi reeleito deputado por Minas Gerais no ano seguinte. Afastou-se da política, em 1850, e fundou uma empresa de comércio e colonização no interior do estado, a Companhia do Mucuri, para promover o desenvolvimento e colonização do Vale do rio Mucuri. Através da empresa, promoveu a navegação do rio, construiu a rodovia de Santa Clara, catequizou índios e incentivou a instalação de imigrantes europeus no Vale de Mucuri. Na confluência do Ribeirão Santo Antônio com o Rio Todos os Santos, fundou a vila de Filadélfia, embrião da hoje cidade de Teófilo Ottoni.
Foi um dos idealizadores da Ferrovia Bahia-Minas, ligando o Porto da Ponta de Areia, na Bahia, cruzando o Mucuri e Jequitinhonha até Araçuaí. A estrada funcionou de 1880 até 1962. Em 1965, o Governo Militar mandou arrancar seus trilhos. Voltou à política em 1860 e elegeu-se senador em 1864.
Muito doente, com a febre da antiga maleita, morreu no Rio de Janeiro, em 1869, vítima de intoxicação miasmática, adquirida no Mucuri.
Agraciados com a Medalha Teófilo Ottoni - 2009
Alice Lorentz De Faria Godinho, Funcionária Pública; Cândido Ferraz Alves, Prefeito Municipal de Pontos dos Volantes ; Érica Campos Drumond, Secretária de Estado ; Fábio Antônio Da Silva Pereira, Professor – In Memoriam; Gecernir Colen, Professor Universitário ; Gervásio Barbosa Horta, Compositor Musical; Giovanni Battista Lisa, Padre ; Gustavo Botelho Neto, Delegado Geral de Polícia ; Íris Soriano Nunes Miglio, Professora; Joaquim Giovani Mol Guimarães, Dom, Reitor da Puc - Minas ; Jordão Bueno Júnior, Tenente-Coronel PM ; José Dos Santos Silva, Vereador; José Fernando, Deputado Federal (Mg) Saraiva Felipe, Deputado Federal (MG); Juscelino José de Magalhães, Juiz de Direito ; Lúcio José De Figueiredo Sampaio, Administrador de Empresas; Mafran Abrantes Couy, Médico; Marcelo Silva Ramos, Empresário; Marcelo Soares de Andrade, Produtor Cultural ; Marconi Fagundes Gomes, Vereador; Maurílio Andrade Arruda, Prefeito Municipal de Januária; Mauro Tunes Júnior, Empresário; Nanza De Miranda Melo, Vereadora; Neilando Alves Pimenta, Advogado ; Pedro Martins Abrantes, Líder Político – In Memoriam ; Reynaldo Ottoni Porto, Historiador – In Memoriam ; Roberto Alcântara Botelho, Prefeito Municipal de Jequitinhonha ; Sebastião Pimenta Barroso, Advogado; Silvana Aline Dumont Hallack, Vereadora e Walter Antônio Adão, Agrônomo.
Com informações da Agência Minas.

Campeonato Brasileiro: quatro times podem ser campeão

Quatro times podem ser campeão brasileiro
Cruzeiro disputa vaga na Libertadores
O Campeonato Brasileiro de 2009 é um dos mais disputados desde 2003, quando começou a era dos pontos corridos. Quatro times tem chances de ser campeão na última rodada, no dia 06 de dezembro.
Chances de campeão
O professor Tristão Garcia, da UFRGS , do
www.infobola.com.br, faz os cálculos matemáticos para este final de campeonato e coloca o Flamengo com uma mão e meia na taça.
O Flamengo é o time que tem mais chances pois é o único que depende só dele. Tem 64 pontos, joga contra o Grêmio no Maracanã e pode chegar a 67 pontos. Se empatar terá que torcer para o Internacional empatar ou perder para o Santo André, em Porto Alegra. O time gaúcho tem mais vitórias que o carioca. Com vitória Eles ficariam com 65 pontos, mas com o Inter com duas vitórias a mais.
Segundo as projeções do Infobola, o Flamengo tem 78% de chances de ser campeão.
O Internacional faz seu último jogo no Beira-rio, em Porto Alegre, contra o Santo André, que precisa vencer para não ser rebaixado, além de torcer contra outros adversários. O Inter tem 18% de chances para levar o título.
O Palmeiras têm apenas 3% de chance de chegar em primeiro lugar. Precisa vencer o Botafogo, no Engenhão, no Rio; além de um grande combinação de resultados. Teria que ganhar a última partida contra um time que também precisa vencer para fugir do rebaixamento e torcer por um empate ou derrota de Inter e Flamengo.
O São Paulo tem uma tarefa também inglória, tendo apenas 3% de chances como seu rival paulista. Precisa vencer o Sport, em uma cidade do interior de São Paulo; torcer por derrota do Flamengo; empate ou derrota do Inter e Palmeiras. Caso o Palmeiras ganhe, teria que golear o Sport, por 4 ou mais gols de diferença para superar o Periquito no saldo de gols. Calculo que tem menos de 1% de chances.
Libertadores
Para o Cruzeiro conseguir a vaga na Libertadores depende de si próprio e dos dois paulistas à sua frente: São Paulo e Palmeiras. Tem apenas 18% de chances, segundo o Infobola. Se empatar ou perder a última partida entrega a vaga para um dos paulistas.
Com 59 pontos, o time celeste precisa vencer o Santos por qualquer placar. Chegará aos 62 pontos e 18 vitórias, primeiro critério de desempate. O São Paulo e Palmeiras têm 17 vitórias. Portanto, o Cruzeiro deve fazer o seu dever e torcer para um destes seus adversários serem derrotados. Assim, no final, ficará com o mesmo número de pontos e uma vitória a mais, pegando a 4ª vaga da Libertadores.
O Palmeiras tem 86% de chances de vaga na Libertadores. Se perder para o Botafogo, teria que torcer contra o Cruzeiro. Um empate ou uma vitória lhe garante a vaga. Tem 62 pontos e 17 vitórias.
Segundo o Infobola, o São Paulo tem 96% de chances para conseguir sua vaga, bastando apenas um empate, contra o Sport, rebaixado e lanterna do campeonato. Se perder, terá que torcer para o Cruzeiro perder algum ponto na última partida, contra o Santos, na Vila Belmiro.
O Flamengo e o Inter já garantiram suas vagas na Copa Libertadores de 2010.

sábado, 28 de novembro de 2009

40 associações terão resfriamento de leite

40 associações terão tanques de resfriamento de leite
Entidades de Almenara, Diamantina, Itaobim e Salinas serão beneficiados
Na próxima segunda-feira, 40 associações se reunirão, simultaneamente, nos municípios de Águas Formosas, Diamantina, São João das Missões, Salinas, São Francisco, Montes Claros, Itaobim e Almenara para uma boa notícia: o repasse de recursos para construção de Centros Comunitários de Produção, por meio do convênio "Tanques de Resfriamento de Leite", do âmbito do programa Leite Fome Zero "Um Leite pela Vida".
Além dos recursos, da ordem de R$ 19.405,46 para cada associação que já foram repassados, o convênio prevê, ainda, a entrega de um tanque de resfriamento de leite de dois mil litros e kit para análise de leite, sendo que os produtores cadastrados nas associações também receberão capacitação. O convênio é uma iniciativa do Governo de Minas, por meio da Secretaria Extraordinária para o Desenvolvimento dos Vales do Jequitinhonha, Mucuri e do Norte de Minas (Sedvan) / Instituto de Desenvolvimento do Norte e Nordeste de Minas Gerais (Idene), em parceria com o Governo Federal, através do Ministério do Desenvolvimento Social e Combate a Fome (MDS) e Ministério das Minas e Energia (MME).
As reuniões serão realizadas com o intuito de levar oficialmente ao conhecimento das associações a assinatura do convênio, apresentação do projeto e cronograma de execução, com destaque para a correta aplicação dos recursos adquiridos.
Segundo o Assessor Especial do Sistema Sedvan/Idene Luiz Henrique, a iniciativa vai potencializar o desenvolvimento do Norte e Nordeste do Estado. "Com os tanques de resfriamento os produtores poderão melhorar a qualidade do leite, propiciando uma comercialização maior e com remuneração mais justa", ressalta.
Fonte: Com informações do Portal O Norte e virgemdalapa.blogspot.com/

Leite Pela Vida credencia Laticínios

LEITE PELA VIDA credencia laticínios
Programa tem 80% dos recursos do governo federal e 20% do Estadual
O Instituto de Desenvolvimento do Norte e Nordeste de Minas Gerais (Idene) publicou nessa quarta-feira (24), edital para processo de credenciamento de laticínios para participação no programa Leite pela Vida. O objetivo é garantir o abastecimento de leite para famílias das regiões Norte e Nordeste, por meio do programa realizado em parceria com o governo federal. O prazo de inscrição e apresentação dos documentos é até o dia 2 de dezembro.
De acordo com o coordenador do programa, Emerson Marinho, é necessário que os laticínios renovem os contratos anualmente junto ao instituto, em conformidade com as normas do programa. Os interessados devem comparecer na sede do Idene, na rua Rio de Janeiro, 471, 10º andar, Centro, Belo Horizonte, no horário de 9h às 17h, de segunda à sexta-feira, exceto nos feriados, para realizarem o credenciamento junto à Diretoria Geral do Programa Leite Fome Zero - Um Leite pela Vida. È necessário que os produtores compareçam munidos dos documentos exigidos na Resolução 05/2009, de 24/11/2009, disponível no site do Instituto.
“O processo de credenciamento vai garantir que o volume de 151 mil litros de leite / dia continue a ser distribuído normalmente, já que são os laticínios que realizam a captação, pasteurização e distribuição do leite aos municípios”, afirmou Marinho. Atualmente, o “Leite pela Vida” atende a 193 municípios dos vales do Jequitinhonha, Mucuri e Norte de Minas.
O leite é adquirido do pequeno produtor, que recebe R$ 0,60 por litro de leite in natura disponibilizado ao Programa. O pequeno produtor entrega o leite para laticínios que, por sua vez, recebem R$ 0,50 centavos, totalizando R$1,10 pago pelo litro de leite. Por mês, o programa investe aproximadamente R$ 5 milhões, sendo 80% dos recursos do governo Federal e 20% do Governo de Minas.

Fonte: Com informações da Agência Minas

sexta-feira, 27 de novembro de 2009

BR 367 pode ser pavimentada por DER-MG

BR 367 pode ser pavimentada pelo DER MG
Obra seria realizada já em 2010, com financiamento federal
Em audiência nesta quinta-feira, dia 26 de novembro, no Palácio do Planalto, no Ministério de Relações Institucionais, com o Ministro Alexandre Padilha, o prefeito Dim Martins, de Virgem da Lapa, e João Pereira, de Itaobim, cobraram providências urgentes para o asfaltamento total da BR 367, com a conclusão da pavimentação dos trechos Almenara-Jacinto-Salto da Divisa-Itagimirim(BA) e de Virgem da Lapa-Berilo-Chapada do Norte-Minas Novas. A audiência foi acompanhada pelo Deputado Federal Leonardo Monteiro (PT-MG), de Governador Valadares.
Ao colocar a impossibilidade de execução imediata o Ministro propôs que os serviços poderiam ser realizados pelo DER – MG, Departamento Estadual de Rodagens de Minas Gerais. O financiamento seria do Governo Federal, via Ministério dos Transportes.
Esta proposta foi colocada devido à pressão de lideranças e cidadãos da região para que a obra seja realizada já no ano de 2.010. Se o DNIT – Departamento Nacional de Infra-Estrutura Terrestre, do Ministério dos Transportes, assumir a obra somente o projeto ficaria pronto em cerca de 2 anos, com toda a burocracia a ser enfrentada e liberação ambiental. Porém, o DER-MG já tem o projeto aprovado, com a licença ambiental.
Negociações
O DNIT e a direção do DER-MG fazem negociações para que na próxima semana feche este acordo. A obra seria executada por empresas que já tem licitações de obras no PROACESSO, programa de pavimentação de rodovias do governo estadual. O Governo Federal providenciaria para incluir os recursos no Orçamento de 2.010.
Rodoviários questionam
O diretor do Sindicato dos Rodoviários de Minas Gerais, Hélio Rocha, acredita que esta pode parecer uma solução, mas pode ser simplesmente uma forma de fazer um asfalto de cunho eleitoral, o asfalto-sabão, que na primeira chuva se dissolve. Ele duvida da qualidade das pavimentações do PROACESSO. Diz que o movimento da BR 101, com carretas com 60 ou mais toneladas estourariam o asfalto feito às pressas.

Cidadania LGBT no Vale do Jequitinhonha

Cores para todos
Seminário discutiu direitos e cidadania LGBT no Vale do Jequitinhonha Sâmia Bechelane
Respeito, direitos e articulação política. Palavras como essas deram o tom das discussões no I Seminário de Direitos e Cidadania LGBT no Vale do Jequitinhonha, ocorrido nos dias 06 e 07 de novembro na cidade de Jequitinhonha. Organizado pelo Programa Polo e pelo Núcleo de Direitos e Cidadania LGBT da UFMG (Nuh/UFMG), em parceria com a Federação das Entidades Culturais e Artísticas do Vale do Jequitinhonha (Fecaje) e a Prefeitura Municipal de Jequitinhonha, a iniciativa buscou fomentar a organização e consolidação de movimentos LGBT no Vale, além de inserir a temática nas esferas da educação e da saúde.
O Seminário contou com a presença de cerca de 100 pessoas, dentre professores, representantes de instituições públicas, comunidades LGBT e representantes de movimentos culturais.
A demanda por visibilidade e articulação partiu de um grupo LGBT da cidade de Jequitinhonha, as auto-denominadas Blayblaydys, que já desde 2004 se manifestam durante o Festival de Cultura Popular do Vale do Jequitinhonha - Festivale - em busca de reconhecimento. "Nossa luta foi difícil. Hoje estamos completos. Nossa luta não é só por estar aqui como grupo LGBT, mas como grupo que vai fazer alguma diferença social", destacou Carlos Rodrigo Almeida, membro do grupo das Blayblaydys, na abertura do Seminário.
A demanda da comunidade LGBT de Jequitinhonha foi trazida ao Programa Polo pela Fecaje. "Havia a necessidade de se organizar, mas a organização não era suficiente", contou a diretora executiva da Fecaje, Ângela Freire, durante a cerimônia de abertura. "Batemos na porta do Polo para nos ajudar nessa organização, motivados pelo sentimento de reconhecimento", continuou.
O coordenador da Casa de Cultura de Jequitinhonha, Breno Rodrigues, realçou a importância de cada manifestação como essa: "o movimento LGBT nada mais é que uma manifestação cultural de Jequitinhonha".
O coordenador do Programa Polo Jequitinhonha, Márcio Simeone, garantiu que o evento não é nem ponto de partida nem ponto final dessa discussão, mas um marco. "Isso materializa uma rede, que é o que propomos fazer, articular redes. Essa causa é muito ampla, desejamos ter a efetivação de uma cidadania plena", apostou Márcio.
Para o mestrando em Psicologia Social da UFMG e membro do Nuh/UFMG, Daniel Arruda, a comunidade LGBT se coloca como sujeito político de fato. "O respeito é noção fundamental para sociedade digna para todos", acrescentou.
A mesa de abertura contou também com a presença da secretária de educação de Jequitinhonha, Iracilda, com a educadora do Nuh/UFMG e vice-presidente da Associação Brasileira de Gays, Lésbicas, Bissexuais, Travestis e Transexuais (ABGLT), Liliane Anderson e também com a agente da Cáritas Diocesana de Araçuaí, Cléa Amorim.
Direitos Humanos
A primeira mesa-redonda do Seminário abordou o tema Direitos Humanos e Homofobia e contou com a presença do coordenador do Programa Brasil Sem Homofobia e dos Centros de Referência LGBT da Secretaria Especial de Direitos Humanos da Presidência da República, Eduardo Santarelo; do mestrando em Psicologia Social da UFMG, Daniel Arruda; e da representante do Conselho Regional de Psicologia (CRP), Ângela Guimarães.
Santarelo apresentou aos presentes os papéis do Estado no combate à homofobia: devem ser criados mecanismos de fomento à não-discriminação, seguidos por uma política de promoção dos Direitos Humanos para as comunidades LGBT. De acordo com ele, é nesse sentido que o Programa Brasil sem Homofobia tem estimulado e investido em ações como Paradas Gays e sensibilizações em escolas. Além disso, o Programa tem atuado no acompanhamento dos projetos de lei, no protagonismo das discussões internacionais, dentre outros. O Plano Nacional LGBT, resultado da I Conferência Nacional LGBT (2008) e que contém diretrizes e ações para a promoção da cidadania desse segmento, foi apontada por Santarelo como um importante avanço brasileiro. "A mudança acontece principalmente a partir desses espaços de interlocução", ressaltou.

Psicologia e orientação sexual
A diversidade sexual no âmbito da Psicologia foi o norte da fala da psicóloga e representante do CRP, Ângela Oliveira. Para ela, dos anos 70 até hoje o campo da Psicologia apresentou importante mudança de paradigmas. Se naquele período a profissão era associada a uma atuação mais neutra e individualista, desfocada de contextos sociais mais amplos, hoje ela "sai da questão individual e vai para o coletivo, prioriza a articulação de grupos", explicou. É nesse contexto que foi lançada a resolução 001/99, do Conselho Federal de Psicologia, que estabelece normas de atuação para os psicólogos em relação à orientação sexual. A homossexualidade não é mais considerada uma doença ou distúrbio de conduta e os psicólogos não devem prestar serviços que proponham seu tratamento e cura. "O psicólogo agora vai é acolher o sofrimento resultante do preconceito", pontuou Ângela.
Preconceitos institucionais
O também psicólogo Daniel Arruda tratou da homofobia institucional. Para ele, o termo não diz simplesmente da aversão a pessoas que se relacionam com outra do mesmo sexo, mas sim da "hostilidade geral, psicológica e social contra aqueles e aquelas que se supõem desejar a indivíduos de seu próprio sexo ou tem práticas sexuais". A homofobia, então, promove uma forma de sexualidade (hetero) inferiorizando outra (homo), o que culmina em uma heteronormatividade. Ao mesmo tempo, a homofobia extrai conseqüências políticas dessa hierarquização. Para ele, o professor não é neutro quando não se pronuncia a respeito do preconceito. Ao contrário, "o silêncio do professor age de forma dramática na vida dos alunos", realçou.
Fonte: Pólo do Jequitinhonha/UFMG

Gêmeos do Serro fazem espetáculo no Teatro Alterosa

Gêmeos do Serro fazem sucesso cultural
TREM DE MINAS – CAUSOS E VIOLAS, COM A DUPLA LEO E LEO
Gêmeos univitelinos, Leosino e Leonildo Miranda Araújo, de 51 anos, tentaram de tudo antes de subir ao palco pela primeira vez, em 2004, já como a dupla Leo & Leo. Atração desta quinta e sexta, no Teatro Alterosa, eles apresentam o espetáculo Trem de Minas – Causos e violas.
Do livro-gêmeo Poeta de rua/O despertar da sensibilidade, de 1999, ao atual espetáculo, com a participação dos músicos Victor Batista (viola) e Daniel Mariano (acordeão), os irmãos do Serro, no Vale do Jequitinhonha, trilham carreira de sucesso, com um trabalho calcado na mineiridade. Enquanto Leosino investe no aspecto histórico do tema, Leonildo se aprofunda nos dialetos, em prosa e verso.
Além do trabalho em dupla, os gêmeos desenvolvem solos, que apresentam país afora.Em Trem de Minas – Causos e violas, eles interpretam personagens como o coronel Apolodoro, “um sujeito simplesmente corajoso, macho pra diacho, conquistador de corações, que detesta contar vantagem”; e Gerunço Froidilino a seu dispô, “um caipira jeitoso, sujeito espelenguendoso, que istudô pra burro, com ispirilituosidade invejávi, umírdi de nascença e de munta cráci”.
Há ainda a Mãe Preta e Pafúncia, “que trocam receitas e um dedo de prosa à beira de um fogão a lenha”, e dois velinhos que conheceram em suas viagens.
Segundo Leosino, em cena um está sempre ajudando o outro, porque se entendem muito bem: “Estamos nos ouvindo mutuamente para crescer”.
A coragem, o empenho e a fé de realização são os aspectos que ele mais admira no irmão Leonildo.
Casados e com filhos (Leosino tem três; Leonildo, dois), eles hoje moram em Belo Horizonte, incorporando à perfeição o biotipo mineiro, usando desde recursos de linguagem aos cênicos para dar maior veracidade aos personagens.
TREM DE MINAS – CAUSOS E VIOLAS, COM A DUPLA LEO E LEO
Quinta e sexta, às 21h, no Teatro Alterosa (Av. Assis Chateaubriand, 499, Floresta).
Ingressos a R$ 30 e R$ 15 (meia-entrada).
Assinantes do Estado de Minas têm 20% de desconto no valor da inteira, na bilheteria do teatro. Informações: (31) 3237-6611.
Fonte - Diario do Jequi

EFA Bontempo abre inscrições para 2010

ESCOLA FAMÍLIA AGRÍCOLA BONTEMPO ABRE INSCRIÇÕES PARA 2010
Itaobim - Vale do Jequitinhonha
Você jovem rural, filho e filha de agricultores familiares, que está concluindo ou já concluiu a 8ª Série e queira uma educação diferenciada com formação em Ensino Médio e Técnico em Agropecuária, temos uma boa notícia pra você!
A Escola Família Agrícola BONTEMPO, situada na Comunidade Brejo I, no município de Itaobim, é uma escola que funciona com a pedagogia da alternância, ou seja, você passa quinze dias na família e quinze dias na Escola.
As inscrições já estão abertas e serão feitas no Sindicato dos Trabalhadores Rurais do seu Município.Para mais informações, procure o Sindicato dos Trabalhadores Rurais, consulte uma família agricultora que tenha um estudante ou ex- estudante na EFA.
Informações: SINDICATO DOS TRABALHADORES RURAIS, ATÉ DIA 20 DE DEZEMBRO DE 2009
Você pode também ligar para a EFA BONTEMPO: (33) 99855847,Ricardo (33) 88680848, Jocileide (33) 88682948 e Gislene (33) 99082938 ou enviar uma mensagem para efabontempo@yahoo.com.br ou acesse o site da Escola no endereço: http://www.efabontempo.org.br/
EFA BONTEMPO
A EFA Bontempo é uma escola que proporciona uma educação alternativa de qualidade, apropriada ao meio rural, com a finalidade de ministrar o Curso de Ensino Médio e Profissionalizante – Técnico em Agropecuária em três anos. A metodologia de ensino se baseia nos preceitos da Pedagogia da Alternância na qual o jovem alterna 15 dias em casa e 15 dias na EFA. Essa pedagogia enfatiza a formação integral, valorizando os conhecimentos populares e a experiência do jovem na comunidade, trazendo esses saberes para reflexão, aprofundamento e sistematização na EFA e garantindo que no retorno para a família ou comunidade os novos conhecimentos sejam aplicados, fechando o ciclo de teoria e prática

30 mil acessos. Aos 100 mil!

"Tijolo com tijolo num desenho mágico,




tijolo com tijolo num desenho sólido"

Municípios produtores de eucalipto se organizam

Municípios produtores de eucalipto se organizam
Itamarandiba - Alto do Jequitinhonha
A AMPROED – Associação dos Municípios Produtores de Eucalipto reuniu-se no dia 06 de novembro, em Itamarandiba, no Alto Jequitinhonha, quando foram tomadas decisões de incluir vários municípios para fortalecer a entidade e buscar benefícios para suas localidades.
A reunião aconteceu na residência do prefeito de Itamarandiba, Tom Costa, com a presença de Bernardo Vasconcelos, diretor do Grupo Rima e presidente da Associação Mineira de Silvicultura – AMS.
Estiveram presentes os prefeitos de Bocaiúva, Capelina, Carbonita, Cristália, Minas Novas, Riacho dos Machados, Turmalina e Veredinha, municípios que já fazem parte da Amproed.
Além desses, foram convidados e participaram os municípios de Josenópolis, Olhos D’Água e Senador Modestino Gonçalves que enviaram representantes.
Participaram também vereadores, empresários locais e representantes da Cooperativa dos Produtores de Eucalipto do município de Itamarandiba.
A reunião teve o propósito de discutir assuntos de grande relevância para toda a região. A crise mundial e seu impacto nos municípios produtores de eucaliptos foi um dos assuntos abordados.

Novos filiados
A Assembléia Geral aprovou a inclusão dos municípios da margem esquerda do Jequitinhonha na Amproed. Com uma votação unânime foram aceitos como sócios Bocaiúva, Cristália, Riacho dos Machados, Padre Carvalho e Olhos D’Água.
Segundo Bernardo Vasconcelos, “a admissão dos novos municípios é de grande relevância; pois, será o seguimento de aliança de trabalho junto ao Governo que trará recursos para toda a região. Devo ressaltar que essa união se faz em momento muito feliz e tenho certeza que dará muitos frutos”.
O Presidente da Amproed e Prefeito de Veredinha, José Edmar Cordeiro, diz acreditar ainda mais no fortalecimento da Associação. De acordo com ele, a Associação busca discutir a agrosilvicultura dos municípios junto a grupos como Arcelor Mittal, Rima e outros.
“A nossa Associação busca um diálogo com empresas no intuito não somente econômico, mas, principalmente social. Quanto mais integrantes tivermos maior será nossa força”, ressaltou.

Palavra dos Prefeitos
Para o Prefeito de Bocaiúva, Ricardo Veloso, a participação do município bocaiuvense na Amproed é justiça que se faz, pois, segundo ele, Bocaiúva é uma das grandes produtoras de madeiras e carvão provenientes do eucalipto. Além disso, ele vê na Associação grande aliada na luta pelos interesses e direitos que os municípios possuem.
“Ao fazermos partes da Amproed nos tornamos grandes parceiros de força para aquisição de recursos, principalmente na área social. Os recursos que vão para outros lugares podem e devem ser investidos na nossa região.”, afirma Veloso.
Tom Costa, o anfitrião

O anfitrião Tom Costa, lembrou aos presentes que a Amproed começou há mais tempo, contudo, somente agora tem dado certo. Segundo ele, isso se deve pelo companheirismo existente e completou “A Amproed tem um diferencial das demais associações. A nossa união é visível e sincera, pois, sabemos: o que é bom para um é bom para o outro.”
Tom Costa fez questão, ainda, de agradecer em público o Diretor do Grupo Rima, Bernardo de Vasconcellos pelo apoio dado ao município em época de crise. “Quero agradecer a todos os presentes pela participação em reunião tão relevante. Porém, faço meus sinceros agradecimentos ao Bernardo. Por que no momento mais difícil do município itamarandibano o Grupo Rima recebeu nossa produção.”, diz.

A próxima reunião da Amproed será no dia 04 de dezembro, às 09 horas, na cidade de Carbonita.
Com informações do http://www.ttamigos.blogspot.com/

quinta-feira, 26 de novembro de 2009

Jequitinhonha: Cidades-pólos concentram benefícios

Cidades-pólo concentram poder e benefícios
Araçuaí e Diamantina são citados como exemplos negativos
Um dos problemas do desenvolvimento sustentável regional é a concentração de poder econômico, social, técnico-institucional e intelectual que as chamadas cidades-pólo querem ter.
No Vale do Jequitinhonha, estas cidades são Diamantina, Minas Novas e Capelinha, no Alto Jequitinhonha; Araçuaí, no Médio Jequitinhonha; Almenara e Pedra Azul, no Baixo Jequitinhonha; Salinas, Taiobeiras e Grão Mogol, no norte de Minas.
O problema surge na distribuição de benefícios que o Estado propõe que seja regional. Estas cidades recebem a estrutura, nomeiam os chefes e funcionários e querem usufruir de tudo o que tem e o que não tem direito. Tudo elas querem que seja no seu território. As pequenas cidades que gravitam em torno delas acabam funcionando em torno dos seus interesses, os da cidade-pólo.
Aí, o individualismo exacerbado, o olhar só pro seu umbigo passa a ser um comportamento das lideranças destas cidades e até da própria população. Araçuaí e Diamantina são cidades citadas pelos prefeitos e lideranças políticas regionais que ficaram antipatizadas com tanta mesquinhez e voracidade no trato de coisas públicas e projetos regionais. Esta constatação se deu com consultas informais, na grande reunião de prefeitos acontecidas em Itaobim, na fundação da UmVale, dia 12 de novembro.

Araçuaí
Segundo os prefeitos do Médio Jequitinhonha, Araçuaí não consegue coordenar uma política regional de saúde, não encaminha soluções para o Hospital que poderia ser regional. Quando recebe recursos para o fortalecimento dos serviços para vários municípios dá golpes baixos, querendo só pra si. Foi assim coma implantação dos serviços de Saúde Mental, com a Policlínica, o Pró-Hosp. Há alguns anos atrás, o CISMEJE – Consórcio Intermunicipal de Saúde do Médio Jequitinhonha prestava quase 50% dos serviços para Araçuaí, quando o município contribuía com apenas 22% dos recursos. As dívidas dos municípios com a Ameje, sempre Araçuaí foi a mais inadimplente.
As conseqüências são a reorientação de AIHS para Itaobim, Salinas e Teófilo Otoni; a Hemodiálise e a Central de Órtese-prótese para Itaobim; e o crescimento do CISMEJE que se estabelece no vácuo para tapar as falhas e deficiências de um sistema regional de saúde.

Itaobim
Itaobim vem se destacando como novo pólo regional, com a influência sobre os municípios vizinhos e novas estruturas de serviços públicos e privados. Lá está o principal entronamento rodoviário do Vale: o cruzamento da BR 116, a Rio-Bahia, com a BR 367 que corta todo o Vale. A localização da cidade favorece a atração de estruturas de serviços regionais que atendem o Médio e Baixo Jequitinhonha. A sede da UmVale será lá.
Porém, começa a praticar vícios de outros pólos. Recentemente, inverteu uma decisão do Plenário do Território da Cidadania, se elegendo como cidade a receber um Entreposto de Derivados da Mandioca. Os maiores produtores de mandioca da região estão concentrados na microregião de Araçuaí-Novo Cruzeiro-Berilo-Francisco Badaró-Minas Novas, onde há mais de 30 mil agricultores familiares. Esta postura caminha na contra-mão da integração regional.

Diamantina
O vício de Diamantina é ainda pior. Desde o século XVIII, a cidade abocanha investimentos que deveriam vir para o Vale. Autodenomina-se portal do Vale mas não deixa nada chegar até o nosso quintal. A cidade se considera parte da região Central de Minas e assim age. Em muitas reuniões, lá na cidade, já ouvimos expressões tipo “vocês, lá do Vale”, excluindo-se da região. Quando há projetos para o Vale ou justificar busca benefícios para si somos o primo pobre que serve como um pedidor de esmolas que ficam todos na cidade.
Exemplos recentes: os recursos do Prodetur ficaram todos lá e algumas migalhas para o Serro e São Gonçalo do Rio Preto. A UFVJM aprovou há poucos dias extensões universitárias em Curvelo e Governador Valadares, esquecendo-se, de forma traiçoeira, que foi implantada para contribuir no impulso do desenvolvimento regional do Vale do Jequitinhonha e Mucuri.
Agora, Diamantina trava uma luta surda para implantar o curso de Medicina na cidade. Teófilo Otoni, com a liderança política da Prefeita Maria José já tem o Ministério da Educação como aliado.
Para o Vale, a UFVJM só disponibiliza cursos à distância, que devem ser bons, mas são temporários. Estruturas permanentes em cidades como Minas Novas, Araçuaí, Itaobim, Almenara, de jeito nenhum.
Até o Presidente JK, cantado e decantado como do Vale, não teve um projeto arrojado para a nossa região. Tudo o que ele fez foi para Diamantina.
Enfim, cidades que crescem, se organizam e se propõem a ser referência regional, como Itaobim, Turmalina, Itamarandiba e Jequitinhonha, devem olhar os péssimos exemplos
e equvocados caminhos de Diamantina e não seguí-los.
Cabe às lideranças destas cidades repensarem o seu modo de agir e se relacionar com os outros municípios para corrigir rumos e até mesmo se beneficiar com eles.
Em tempo

Aqui não contém nenhum tipo de rejeição a estas duas cidades. Pelo contrário, adoro as duas. Morei, por dois anos, em Araçuaí, fiz e mantive diversos amigos lá. Acredito que as lideranças e o povo devem ter mais respeito e serem solidários com as pessoas da sua vizinhança e com os desejos de desenvolvimento local.

quarta-feira, 25 de novembro de 2009

Mineração e meio ambiente são temas de Audiência Pública

Questões ambientais na mineração geram Audiência Pública, em Capelinha
A Comissão de Política Agropecuária e Agroindustrial passou por Capelinha Alto Jequitinhonha, nesta quarta-feira (25/11/09), para discutir a situação de trabalhadores e comerciantes de pedra, areia e cascalho.
Eles procuraram a Assembleia Legislativa de Minas Gerais para relatar restrições a seu trabalho, por causa da atuação de órgãos ambientais, entre eles o Instituto Estadual de Florestas (IEF).
A comissão tem o objetivo de buscar uma solução para o impasse. A audiência pública foi às 9h30, na Câmara Municipal de Capelinha (Rua José Pimenta, 5, Centro).
De acordo com o presidente da comissão, deputado Vanderlei Jangrossi, a economia de Capelinha gira em torno da mineração, e as restrições impostas pela fiscalização ambiental estão impedindo boa parte da população de trabalhar.
"A cidade praticamente parou, o que causa muitos problemas, sobretudo o desemprego", afirma o parlamentar.
A audiência tem também o objetivo de esclarecer os trabalhadores e comerciantes locais sobre a legislação ambiental em vigor, para evitar que eles sejam alvo de punições por desconhecimento da lei.
Foram convidados para discutir o assunto o prefeito de Capelinha, Pedro Vieira da Silva; o presidente da Câmara Municipal, Valdir Gomes dos Santos; o secretário de Estado de Meio Ambiente e Desenvolvimento Sustentável, José Carlos Carvalho; o diretor-geral em exercício do IEF, Shelley de Souza Carneiro; a superintendente regional de Meio Ambiente e Desenvolvimento Sustentável do Jequitinhonha, Eliana Piedade Alves Machado; o sargento do Grupamento de Polícia Ambiental, Adilson Passos de Oliveira; o coordenador do Centro de Apoio Operacional do Meio Ambiente do Ministério Público, Luciano Badini; o chefe do 3º Distrito do Departamento Nacional de Produção Mineral (DNPM), Sérgio Augusto Dâmaso de Sousa; e o trabalhador na extração do minério Luiz de Marilac Pinheiro.
Fonte: Assessoria de Comunicação da ALMG

Crônica de Reginauro Silva

O DIA EM QUE VERA CAIU
Reginauro Silva
Ontem foi comemorado o segundo ano de nascimento do meu sobrinho Júlio, por parte do pai Cláudio César, que vem a ser filho de Reginalva, minha irmã universal que hoje mora em Portugal e amanhã poderá estar nos Estados Unidos. Ou na Grécia. Rege (com e, porque com i sou eu) é primogênita de dona Laura, viúva de seu Rebeldino, e fiquemos aqui na reposição da árvore genealógica.
Nesse minimundo de Almenara de 1958, enquanto seu Rebelde bate prego no solado de mais um sapato moldado à mão e concebido com a ajuda do pé-de-ferro, dona Laura lava e passa para sustentar os quatro bruguelos que somos nós.
Nossa, é um mundão de roupas! A impressão é de que todas as famílias ricas de Vigia, atalaia avançada do Vale do Jequitinhonha, mandam suas peças todo dia, para dona Laura lavar, esfregar e torcer no lajedo do Velho Jequi; enxugar nos varais do quintal de abóboras, mangueiras, saruês, bananeiras, privada seca e galinhas; e passar na imensa mesa do alpendre que, em meados do ano, se transforma em bancada para a confecção de bolos e biscoitos de São João.
Enxuta a roupalha, aí é que entram os pirralhos Regi, Tião, Reinaura (ou Gachinha) e este Degas aqui.
O ferro é de brasa, do tamanho de um sapato 54, a tampa tão pesada que exige o esforço de dois meninos para abrir, geralmente Rege e Tião. A brasa é produzida a partir de uma montanha de carvão que acumulamos durante a seca e que ensopa toda nas aguadas, mas aí já é outro drama...
Revezando-nos em dupla, usamos toda a força muscular para fazer subir e descer este fole enorme, que vomita ventania sobre os tocos de madeira queimada, até transformar tudo em brasa. Não vou contar a dor que sinto quando, distraído, piso num carvão em fogo desses aqui, porque seria pedir muito sua condolência. E eu não gosto que ninguém tenha dó de mim.
O certo é que, em dia de passamento de roupas como hoje, andamos à Saci, pulando com um pé só - o outro dilacerado por uma brasa -, ou assoprando as mãos por motivo idem.
É claro que, para passar a limpo todas as vestimentas de Almenara, mãe Laura não tem tempo para outra coisa, muito menos olha recém-nascida. Quando não estou no fole, minha missão é segurar Vera, a quinta herdeira da fortuna dos Silva Rodrigues de Souza Gomes, da Capitania Hereditária de Pedra Grande e Pedra Azul.
- Depois que ela mamar, suspenda com a cabeça pra cima, na altura do ombro, e espere uns quinze minutos...
Foi esta a orientação que recebi de Rege para olhar Vera sempre que ela acabava de mamar. Faço tudo direitinho, cuidadoso como sou, e só a colocarei de novo no catre quando sentir aquele azedume subir pelos ares e o grunhido da maninha zunir a orelha do pequeno babá de 8 anos que tenho neste ano de primeira Copa do mundo vencida pelo Brasil e estrelada por outro menino, só que com que o dobro da minha idade: Pelé.
Não sei se foi a sofreguidão da ferida de brasa na palma da mão ou se foi vacilo mesmo. O certo é que desci os três degraus do batente com a sensação de que estavam mais leves os retalhos de pano que eu balançava suavemente no lado esquerdo do pescoço, sobre o peito e o tórax.
Quando me viu descendo a escadinha e a pequenina Vera estirada lá no chão, atrás dos meus calcanhares, Reinaura deu um berro tão grande que fez estatelar todos os olhos que acudiram vindos de toda parte da casa. Assustado, virei-me de relance e, só então, percebi que aquele pavor era pelo fato de eu ter deixado minha irmãzinha despencar-se no chão batido, ficando só os paninhos nas mãos. E como nenhum choro, nenhum grunhido, nenhum lamento advinha daquele corpinho inerte, tremi feito vara verde (ou seria Vera verde?) ao sentir que cometera o primeiro infanticídio de minha vida.
Mas, passado meio século, Vera está sã e salva, quietinha como naquele ano de Copa.

Até hoje não chora por nada deste mundo.Graças a Deus.
Reginauro Silva é cronista, jornalista. É de Almenara, mora em Montes Claros. Publica o http://reginauro.blogspot.com/ . Todas as terça-feiras escreve neste Blog.

Malacacheta: Saneamento e estradas são debatidos

Falta de saneamento e de estradas em debate na Audiência Pública de Malacacheta
Problemas no abastecimento de água e esgoto e a falta de pavimentação em estradas que ligam cidades da região do Jequitinhonha/Mucuri serão temas de audiência pública em Malacacheta. Deputados da Comissão de Assuntos Municipais e Regionalização da Assembleia Legislativa de Minas Gerais estarão na cidade na quinta-feira (26/11/09), a requerimento do deputado Carlin Moura (PCdoB), para quem a falta dessas obras compromete o desenvolvimento da região. O encontro será às 10 horas, no Auditório Municipal de Malacacheta (Rua Cassiano Terra - s/nº).
De acordo com o deputado, várias comunidades rurais da região estão sem atendimento de água e esgoto pela Copasa e Copanor.

Asfalto
Já o asfaltamento reivindicado é de um trecho de aproximadamente 48 quilômetros entre Água Boa e Malacacheta, denominado tecnicamente de link faltante. "Ele não se enquadra no Programa ProAcesso e, por isso, não é prioritário. O ProAcesso é para ligar os municípios a grandes corredores. Malacacheta e Água Boa já têm essa ligação. Mas a falta desse trecho inviabiliza a integração dos vales do Rio Doce, Mucuri e Jequitinhonha", justifica Carlin Moura.
Convidados
Foram convidados os prefeitos de Malacacheta, Aureliano Ferreira de Souza, e de Água Boa, Carlos Magno Ferreira; os presidentes das Câmaras Municipais de Malacacheta, Denilson Ferreira dos Santos, e de Água Boa, Jefferson Paulino da Silva; o diretor-presidente da Companhia de Gás de Minas Gerais (Gasmig), Márcio Nunes; o diretor-presidente da Serviços de Saneamento Integrado do Norte e Nordeste de Minas Gerais S.A. (Copanor) e diretor de Operação Norte da Copasa, Márcio Kangussu; o diretor-geral do Departamento de Estradas de Rodagem (DER/MG), José Élcio Monteze; o superintendente regional do Departamento Nacional de Infraestrutura de Transportes (Dnit/MG), Sebastião Donizete de Souza; o diretor de Infraestrutura Rodoviária do DER/MG, Marcos Antônio Frade; e o deputado federal Fábio Ramalho (PV/MG).
Com informações da ALMG

Salto da Divisa: Conflito agrário é assunto de Audiência Pública

Audiência Pública busca solução para conflito agrário no Jequitinhonha
Freira ameaçada de morte foi tema predominante
Salto da Divisa - Vale do Jequitinhonha
Com cânticos, bandeiras, faixas e palavras de ordem, dezenas de militantes do Movimento dos Trabalhadores Rurais Sem Terra (MST) e posseiros lotaram o Plenário da Câmara Municipal de Salto da Divisa (Vale do Jequitinhonha), nesta segunda-feira (23/11/09), para pedir segurança e terra para plantar. O assunto foi discutido em reunião da Comissão de Direitos Humanos da Assembleia Legislativa de Minas Gerais, realizada a requerimento de seu presidente, deputado Durval Ângelo (PT).
O conflito agrário na região persiste desde 2006, quando 185 famílias do MST ocuparam parte da fazenda Manga do Gustavo, para exigir a desapropriação de área vizinha, na fazenda Monte Cristo. Ambas são de propriedade da Fundação Tinô da Cunha, criada por tradicional família da região. O acampamento sem-terra ganhou o nome de Dom Luciano Mendes.

A fazenda Monte Cristo, com 1.368 hectares, foi declarada improdutiva pelo Instituto Nacional de Colonização e Reforma Agrária (Incra) e passa por processo de desapropriação. Ainda assim, a fundação contesta o laudo do Incra e tenta vender a propriedade, alegando que o dinheiro é necessário para a manutenção de um hospital.
De acordo com Ariomar Avelino dos Santos, educador do acampamento sem-terra e um de seus líderes, hoje existem 126 famílias acampadas na fazenda Manga do Gustavo, que também pertenceria aos Cunha Peixoto, a sete quilômetros de Salto da Divisa. As famílias, no entanto, denunciam que vêm sendo ameaçadas. Elas se queixam de que, em 28 de julho, pessoas ligadas aos Cunha Peixoto teriam colocado fogo nas imediações do acampamento.
Ameaças desde 2007
As mesmas queixas de ameaças e morosidade no processo de assentamento já haviam sido feitas ao deputado Durval Ângelo em outubro de 2007, em uma primeira visita da Comissão de Direitos Humanos ao município. As ameaças também se estendem à freira dominicana Geralda Magela Fonseca (irmã Geraldinha), que presta assistência aos militantes sem-terra e apoia suas reivindicações.
O deputado Durval Ângelo lamentou o retorno da comissão à cidade para tratar dos mesmos problemas que persistem. O deputado Padre João (PT) também participou da reunião e ressaltou a necessidade de não se permitir o uso de violência contra o movimento social em Salto da Divisa.Comissão quer proteção federal para irmã
O assessor da Comissão Pastoral da Terra, frei Gilvander Luís Moreira, leu durante a reunião uma série de ameaças feitas ao acampamento do MST e à irmã Geraldinha. Ele disse que já foi feita denúncia ao Ministério Público Estadual sobre as ameaças, que já foram informadas à Secretaria de Estado de Defesa Social (Seds). Sobre as ameaças, Durval Ângelo disse esperar que a irmã Geraldinha seja uma das primeiras beneficiadas por convênio firmado entre os governos Federal e Estadual para proteção aos defensores dos direitos humanos.
Proteção da Polícia Federal
A diretora do Escritório de Direitos Humanos da Seds, Maressa da Silva Miranda, disse que irmã Geraldinha já está inscrita no programa federal, mas que o convênio com o Estado só deve ser implantado em fevereiro de 2010. Até lá, Durval Ângelo disse que será solicitada proteção da Polícia Federal para a religiosa ameaçada. Irmã Geraldinha agradeceu o apoio dos sem-terras a sua vida e confirmou já ter recebido três ameaças telefônicas de morte em um só dia.
Antes administrada pela família Cunha Peixoto, a Fundação Tinô da Cunha está sob intervenção desde a identificação de uma série de irregularidades. O deputado Padre João apresentou requerimento para que seja solicitado ao interventor e promotor de Justiça Bruno Jardini a retirada do recurso judicial que vem atrasando a desapropriação. Participantes da reunião também reivindicaram o cancelamento de acordo com a Promotoria que prevê a transferência de 11 posseiros que permanecem na fazenda Monte Cristo. O interventor vem tentando a transferência dos posseiros para viabilizar a venda da fazenda.
Produção no assentamento
O trabalho de posseiros e sem-terras acampados foi elogiado pelo bispo de Almenara, dom Hugo Maria Van Steckelenburg. "Fui com meus familiares ao acampamento e eles ficaram encantados com a produção de lá. Uma terra que não produz só boi, boi, boi, mas também coisas de comer", declarou o bispo.
Durval Ângelo elogiou a atitude da Polícia Militar de substituir o comando do destacamento em Salto da Divisa, acusado de se recusar a registrar ocorrências denunciadas pelos sem-terras. Também recomendou à Polícia Civil atenção para o crime de formação de quadrilha.
Na visão do coordenador do Centro de Apoio Operacional de Conflitos Agrários, procurador Afonso Henrique de Miranda Teixeira, esse crime já se configura em Salto da Divisa, no caso das ameaças à irmã Geraldinha. "Contratação de pessoas para cometer o crime anunciado já caracteriza formação de quadrilha. Não vamos esperar que eles façam alguma coisa", afirmou o procurador.
Presenças
Deputados Durval Ângelo (PT), presidente da comissão; e Padre João (PT). Também participaram da reunião o coordenador estadual do MST, Vanderley Martins; o subcomandante do 44º BPM de Almenara, major Itamar Rodrigues Soares; o diretor do Conselho Estadual de Defesa dos Direitos Humanos, Lázaro Augusto dos Reis; o superintendente regional do Incra, Gilson de Souza; o delegado de polícia de Jacinto, Helder Carvalhal de Almeida; e vereadores de Salto da Divisa.
Fonte: Assessoria de Comunicação da ALMG

terça-feira, 24 de novembro de 2009

Entre as palavras, a liberdade

Liberdade, essa palavra

Algumas palavras são muito importantes nas nossas vidas.

Para mim, a primeira de todas é Liberdade.

Sem liberdade o ser humano não vive, vegeta, com o maior respeito que tenho pelos vegetais.

Não ama de verdade, representa a forma e fôrma de amar dos mandantes de uma sociedade.

Não cria, repete o modo de viver e comportamento de seus tutores.

Não emite idéias, repete o que é conveniente em cada hora e lugar.

Ter liberdade e ser livre é:

fazer o que lhe dá prazer;

pensar diferente ou igual, no contraditório da vida;

poder ir e vir;

estar onde lhe aprouver estar;

emitir opinião, organizar ações de transformações política, econômica, cultural, social;

ser como sentir que deve ser;

amar da forma e jeito que o seu coração e células indicarem;

trabalhar fazendo arte, construindo e transformando o mundo;

conviver com alegria e harmonia;

procurar felicidade em cada momento ou tormento;

sentir-se homem ou mulher livres em qualquer idade ou lugar;

sentir a liberdade dentro e fora de si.

Enfim, concordo com Cecília Meirelles:

“Liberdade,

essa palavra que o sonho humano alimenta,

que não há ninguém que explique

e ninguém que não entenda”.
Banu

Berilo 20.11.09

Transporte em saúde tem melhoria no Baixo Jequitinhonha

Fortalecido o transporte em saúde do Baixo Jequitinhonha
Novos veículos atendem 14 municípios do Consórcio de Saúde
ALMENARA – Vale do Jequitinhonha

Com o objetivo de favorecer a humanização no transporte de pacientes, a Secretaria de Estado de Saúde entregou às cidades integrantes do Consórcio Intermunicipal de Saúde do Baixo Jequitinhonha (Cisbajas) nesse sábado (21), nove micro-ônibus.
A solenidade aconteceu em Almenara, com a presença do secretário de Estado de Saúde de Minas Gerais, Marcus Pestana, que na oportunidade promoveu também a entrega de um Fiat Uno às Equipes de Saúde da Família (ESF) do município.
O valor unitário do micro-ônibus é de R$ 180 mil, investimento do Sistema Estadual de Transporte em Saúde (Sets). Possui 28 lugares, ar condicionado, TV, DVD e cadeiras reclináveis, será gerenciado pelo Cisbajas e se destina à remoção de moradores que necessitam se deslocar à cidades polos para realizar exames ou tratamentos especializados.
Já o veículo entregue às ESF, investimento no valor de R$17.750,00, será utilizado pelos profissionais da equipe para realziar visitas às famílias cobertas pelo programa Saúde em Casa.
Segundo o secretário, os veículos são a garantia de deslocamento humanizado e eficiente para os cidadãos que necessitam de assistência. “Em algumas situações as consultas não ocorriam porque os pacientes não tinham como se deslocar para os municípios polos ou para as Unidades Básicas de Saúde (UBS). Os investimentos em transporte irão garantir este acesso e garantirão também economia de custos”, reforçou.
A prefeita de Almenara, Fabiany Ferraz, afirmou que as ambulâncias darão respaldo para as ações de saúde do município. “Esses veículos representam uma válvula para nosso sistema de saúde”, pontuou.
Já o presidente do Cisbajas, Raniere José da Silva, lembrou que o Governo de Minas tem executado uma revolução na saúde. “É a primeira vez na história da região que são destinados tantos recursos para a saúde”, avaliou.
Os municípios beneficiados foram Jacinto, Santo Antônio do Jacinto, Bandeira, Salto da Divisa, Santa Maria do Salto, Jordânia, Mata Verde, Divisópolis, Felisburgo, Rio do Prado, Jequitinhonha, Almenara, Palmópolis e Joaima.
Experiência de êxito
Humanizar o trânsito de pacientes dentro do Estado, desonerar as prefeituras mineiras no que se refere aos gastos em transporte, fomentando uma gestão racional da frota, estruturar uma rede de destinação de resíduos de serviços de saúde, incluindo coleta, transporte e destinação final dos detritos e gerar economia de escala foram alguns dos objetivos da SES, ao implantar o Sistema Estadual de Transporte em Saúde (Sets), em 2004.
A terceira fase, que se iniciou em 2008, contemplou mais de 1,4 milhão de habitantes em 123 localidades, com um investimento de R$ 15 milhões.
Todas as microrregiões do Norte de Minas e Vale do Jequitinhonha, Brasília de Minas, Januária, Salinas/Taiobeiras, Francisco Sá, Coração de Jesus, Pirapora, Diamantina, Minas Novas, Itaobim e Araçuaí, foram beneficiadas.
Com informações da Agência Minas