sábado, 31 de outubro de 2009

Enchente do Rio Araçuaí, em Berilo III

Enchente do rio Araçuaí III
Berilo - Médio Jequitinhonha
Vista da enchente, rio abaixo. Ao fundo, ponte de madeira, na BR 367, saída para Virgem da Lapa.
Cama suspensa em corda, amarrada junto com o varal de roupa, na casa de Fábio Oliveira, o Fabinho de Manoel, na Rua do Porto. Este expediente foi utilizado por vários moradores que corriam o risco de terem a sua casa invadida pelas águas. Outros móveis e eletrodomésticos foram carregados para a casa da sua mãe.
Vista da enchente, abaixo do Sobradão Domingos de Abreu Vieira, na Rua do Porto.
Vaca trazida pela enchente, encalhada no lago represado do Córrego Água Suja.
Vista do rio Araçuaí cheio, a partir do Adro da Igreja Matriz. O telhado do Sobradão Domingos de Abreu Vieira aparece reformado, à esquerda.

Enchente do rio Araçuaí em Berilo II

Enchente do rio Araçuaí II
Berilo - Médio Jequitinhonha
Em Berilo, a enchente fez o rio subir 9 metros do seu nível normal, segundo o cálculo de algumas pessoas mais experientes. Há outros que afirmam que o nível subiu 7 metros. Ela chegou a alguns pontos que o povo bem conhece e mede como uma avalanche perigosa de água muito volumosa.
Alguns indicativos:
A água entrou cerca de três metros depois do portão da Casa de Totó.
O jovem Daniel Ferreira Botelho mostra a marca que as águas deixaram atrás dos banheiros atrás do Quiosque do Quisuco.
O Quiosque do Quisuco/Barraca do Alan ficou quase toda debaixo de água.
O rio represou o ribeirão Água Suja formando um lago de quase 500 metros, passando o poço da Pedra Alta. Faltou menos de um metro para a ponte do Água Suja ser coberta.
Outra medida é o muro do Estádio Municipal de Futebol. A água chegou a molhar quase meio metro da esquina do muro. Veja a foto acima.

Enchente do rio Araçuaí em Berilo

Enchente do rio Araçuaí
Berilo - Médio Jequitinhonha

Rua do Porto, em fotos

Quintal de Ormídio Coelho de Oliveira totalmente alagado
Fundos das casas de Maria de André e Agenor SantosCasa de Maria Aparecida Soares, a Maria de André
Casa com o quintal e a parte de baixo totalmente inundada
Fundos das casas de Silvano José Ramalho e de Edileusa Pereira da Costa
Enchente do Rio Araçuaí, no sábado, dia 31/10/2009

Enchente assusta população ribeirinha do Vale

Enchente do rio Araçuaí inunda comunidades, cidades de Berilo e Araçuaí
Casas da Rua do Porto são invadidas pelas águas barrentas e furiosas

Esta enchente já era anunciada. Chovia há 8 dias sem parar. Uma chuva fina, mas constante. As chuvas nos municípios do Alto Araçuaí como Rio Vermelho, Felício dos Santos, Diamantina, Itamarandiba, Capelinha, Minas Novas, Leme do Prado, todas avisavam que mais dia, menos dia a enchente invadiria e arrastaria tudo que estivesse às suas margens.
Muita gente não acreditou, permaneceu nas suas casas, deixou gado pastando em mangueiros à beira do rio, quiosques permaneceram com seus equipamentos, bombas de mineradores continuaram sua operação ou em estágio de espera, mas firmes no leito dos rios.


5 horas da manhã, susto na Rua do Porto
Na cidade de Berilo, no Médio Jequitinhonha, a enchente começou às 5 horas da manhã deste sábado, 31/10/09. As famílias da Rua do Porto acordaram assustadas. Edilene Pereira da Costa acordou com o telefone avisando que a água já estava invadindo a sua casa. Correu para a parte de baixo. Abriu a porta e a água, sem pedir licença, foi entrando, invadindo sua lavanderia.
Correu, pegou algumas peças de roupas e subiu uma pequena rampa. Ela conta que, às 6 horas, a água invadiu toda a parte de baixo da casa. Começou a se preocupar em arrumar os móveis da parte de cima da casa com medo que sua família fosse tomar prejuízos. As famílias procuravam levar os móveis e eletrodomésticos para uma casa em local mais alto. Jaime Pereira (foto cima), assustado e preocupado com a segurança da sua família tratou de levar os móveis em uma caminhonete para uma casa mais segura.
As águas do rio Araçuaí cobriam tudo. Todas as pedras altas e árvores em pequenas ilhas do rio foram cobertas. A praia e os quiosques também sumiam debaixo dágua.
As águas chegavam aos quintais, cozinhas, quartos e salas das casas em locais mais próximos às margens do rio.
A antiga casa de bomba da Copasa teve a sua ponte levada pelas águas(primeira foto acima).
Espetáculo raivoso da natureza

As águas desciam barrentas, cheias de cisco, galhos, cabeça de gado, equipamentos de mineração...
O povo da cidade desceu. Era gente que vinha de tudo quanto é lado. Uns iam para o adro da Igreja Matriz Nossa Senhora da Conceição, outros para os lados da Gameleirinha. Uns se arriscavam em desafiar a braveza do rio, entrando em suas águas, subindo em pedras ainda não cobertas, às suas margens.
Outros, solidários, desciam correndo para ajudar os moradores da Rua do Porto a salvarem os móveis, eletrodomésticos, roupas e alimentos. As famílias que moravam mais no alto ofereciam abrigo e lugar para guardar o que dava para salvar.
Rio subiu 9 metros
A ponte de madeira, na BR 367, sobre o rio Araçuaí, na saída para Virgem da Lapa, virou o point turístico do espetáculo furioso da natureza. Quem viveu a enchente de 1979 acredita que a de 2009 estava 3 metros abaixo do nível daquele ano. Ou seja, o rio teria subido hoje 9 metros, outros acreditam em 7 metros. Não havia uma certeza absoluta. Segundo o Secretário Municipal de Desenvolvimento Urbano e Rural, Milton Oliveira, o Tintim, normalmente o nível da água até a parte mais alta da ponte dá 12 metros. Pelo "olhômetro" percebeu-se que faltaram cerca de 3 metros para as águas cobrirem a ponte.
Muitos assistiam extasiados ou assustados a fúria das águas. Uns ficavam em cima dos barrancos, outros se aventuravam em ir para o meio da ponte. A Polícia Militar chegou e avisou para o perigo de quando viessem grandes árvores revirando pela correnteza poderia bater na parte de cima da ponte e quebrá-la. Quando alguém avisava de algo muito grande revirando na água acontecia uma correria para a estrada.
Os curiosos contabilizaram 4 balsas e bombas de mineração descendo com seus equipamentos. Algumas pessoas conseguiam pegar alguns metros de canos de plástico.

sexta-feira, 30 de outubro de 2009

BR 367, uma vergonha nacional

BR 367 : uma vergonha para o Governo Lula, FHC, Itamar...
Pavimentação da rodovia federal pode integrar todo o Vale do Jequitinhonha.
A BR 367 é uma vergonha do Governo Federal, do Governo Lula, do
FHC, do Itamar, e de todos os que não enxergam nem se sensibilizam com uma rodovia federal fundamental para a economia nacional e para a vida de quase um milhão de pessoas de uma das regiões mais pobres do país, o Vale do Jequitinhonha, no nordeste de Minas.

Foto: Br 367 - Ponte sobre o rio Jacinto, no Baixo Jequitinhonha
A BR 367 liga o sul da Bahia, Porto Seguro/Eunápolis, à região Central de Minas. No meio do caminho tem o Vale do Jequitinhonha, com a rodovia cruzando cidades como Salto da Divisa, Jacinto, Almenara, Jequitinhonha, Itaobim (BR 116), Itinga, Araçuaí, Virgem da Lapa, Berilo, Chapada do Norte, Minas Novas, Turmalina, Couto Magalhães de Minas, Diamantina e Gouvea, chegando até a BR 259, perto de Curvelo.
A 367 liga dois Patrimônios Culturais da Humanidade, Porto Seguro e Diamantina, as duas pontas do Vale do Jequitinhonha.

Protestos, abaixo-assinados, broncas...
Na ponta baianeira – divisa de Minas com a Bahia-, não há asfalto. Buracos formam crateras em épocas de chuvas, carros atolados na lama e no desprezo do Governo Federal. Este trecho – Almenara-Jacinto-Salto da Divisa-Itajimirim(BA) – vem sendo motivos de protestos dos moradores do Baixo Jequitinhonha: fecharam a rodovia, chancelaram abaixo-assinados, votaram em jegue, xingaram autoridades, fizeram caravanas em Brasília, participaram de audiências nos gabinetes e nas praças, protestaram em passeatas, reuniões e debates. Nada disso adiantou.
Perigo à vista: é a lama, é a lama
No Médio Jequitinhonha, no coração do Vale, entre Virgem da Lapa-Berilo-Chapada do Norte-Minas Novas, o movimento do ir e vir, direito de todo cidadão brasileiro, é desrespeitado. Agora, no início das chuvas, este trecho está isolado. Veículos estão atolados pela rodovia afora, pontes de madeira podre e pregos arrebitados furam pneus e o bolso dos proprietários. Ninguém move processos contra o DNIT, responsável pela rodovia, por não acreditar em indenização. O perigo ronda a vida de quem passa por este pedaço de mau caminho. Caminho péssimo, aliás.
A empresa responsável pela manutenção terceirizada da BR não dá conta do riscado, nem a Vale do Rio Doce daria. A não ser que construísse o asfalto, obra mais importante que a ponte que construiu na cidade de Itinga. Serviria a uma região inteira, desaguando boa parte dos movimentos de veículos das BR 116, BR 101 e BR 251.
Promessas de Lula
No dia 11 de janeiro de 2003, em visita à Itinga, Lula prometeu construir a ponte sobre o rio Jequitinhonha, agindo com o coração. Ele que sempre pensou política no atacado errou feio realizando o varejo. O povo que estava lá para vê-lo esperava o anúncio do seu compromisso em asfaltar o que restava da BR 367. Foi uma decepção. É claro que o povo de Itinga gostou do benefício direto pra ele.
A ponte de Itinga saiu em um ano. Queremos que o coração do Presidente Lula bata forte pelo Vele do Jequitinhonha inteiro, mandando asfaltar o que resta da BR 367. Ô Presidente Lula, aja com a intuição e inteligência que o projetou como um dos maiores estadistas do mundo e mande asfaltar a 367.
Audiências em Brasília
Várias audiências aconteceram de 2003 até 2009, com o então Ministro Ânderson Adauto - que esteve em Minas Novas, em 2004-, e o atual Alfredo Nascimento, como também com o ex-Ministro José Dirceu. O vice-presidente José Alencar também foi envolvido na questão e procurou se empenhar. Diversas reuniões e audiências aconteceram no DNIT, em Belo Horizonte, e em Brasília.
Em 17 de abril deste ano, os prefeitos Dim Martins, de Virgem da Lapa; Lázaro Pereira Neves, de Berilo; Teco Soares, de Chapada do Norte; e Zé Henrique, de Minas Novas, estiveram com a Ministra Dilma Roussef, em audiência, em Belo Horizonte. Foi-lhe apresentado o drama da estagnação econômica da região e seu principal gargalo: a BR 367.
Eu estava presente e ouvi da boca da Ministra:
“Prefeitos, vocês não vão se decepcionar comigo”.
Sete meses depois os prefeitos não entenderam a mensagem da Ministra Dilma. Esperam não ficar decepcionados.
O vice-líder do Governo Lula, no Congresso Nacional, Deputado Federal Gilmar Machado (PT-MG), esteve nos dias últimos 9 a 12 de outubro, em cidades do Médio Jequitinhonha. Foi cobrado dele a inclusão no Orçamento de recursos para a pavimentação dos dois trechos faltantes – Salto da Divisa-Jacinto-Almenara e Virgem da Lapa-Berilo-Chapada do Norte-Minas Novas, além de uma audiência com a Ministra Dilma, para reivindicar a colocação da BR 367 no PAC.
O deputado informou que uma das soluções era incluir a rodovia como obra de emergência, com decreto baixado pela Ministra. Esta decisão aceleraria o processo de início das obras, pois dispensaria a licitação e poderia adotar o projeto do DER-MG, que esteve em execução, de 2004 a 2006.
Se é assim, vamos criar um fato político para justificar a tal emergência: fechar a BR 367 no cruzamento com a Br 116, Rio-Bahia, em Itaobim. Uma hora de paralisação pode gerar 50 km de engarrafamento. Os caminhoneiros apóiam com certeza esta idéia. Esperamos que o povo do Jequitinhonha também.

PAVIMENTAÇÃO BR 367 JÁ!

Vamos fechar a Rio-Bahia e acordar o Brasil!
Pavimentação da BR 367 já!
Se o decreto de emergência para a pavimentação da BR 367 só sai com um fato político, agora é com o povo. Vamos fechar a Rio-Bahia e acordar o Brasil!
Não adianta mais ficar com lenga-lenga.
O povo tem que se mobilizar.

Vamos fechar o cruzamento da BR 367 com a BR 116, a Rio-Bahia, em Itaobim.
É o principal mote para o Governo Federal nos ouvir com mais atenção.
O Governo Lula não quer manifestação contra, a Ministra Dilma é candidata a Presidente da República, e nós, do Vale do Jequitinhonha, não temos nada a perder.
Só temos a ganhar. A hora é agora!
Dia 12 de novembro, em Itaobim, os prefeitos do Vale do Jequitinhonha estarão reunidos para fundar a Associação dos Municípios do Vale do Jequitinhonha.
É preciso que as lideranças políticas, comunitárias, religiosas, empresariais, sindicais e todos os cidadãos do Vale compareçam e proponham a paralisação e fechamento da BR 367 no cruzamento com a BR 116, em Itaobim.
Não dá mais pra segurar!

Vamos explodir o coração do Vale!
BR 367, PAVIMENTAÇÃO JÁ!

30 anos de Festivale tem homenagem

Assembléia Legislativa homenageia 30 anos de Festivale
A Assembléia Legislativa de Minas Gerais fará uma homenagem ao Festivale – Festival de Cultura Popular do Vale do Jequitinhonha, que durante 30 anos, vem se tornando o principal encontro de cultura de Minas Gerais, reunindo artistas consagrados da música popular mineira e fazedores de cultura de todas as áreas e todas as cidades do Vale do Jequitinhonha.
O dia: 05 de novembro

A homenagem está programada para acontecer, na próxima quinta-feira, dia 05 de novembro, às 20 horas, no Plenário Juscelino Kubtschek, na Assembléia Legislativa, em Belo Horizonte. A sessão especial foi solicitada pelo deputado estadual Carlos Gomes (PT/MG).
O QUE É O FESTIVALE
O Festivale – Festival de Cultura Popular do Vale do Jequitinhonha vem se realizando desde 1980, quando uma turma de artistas e agentes culturais se reuniram em Itaobim para festejar e apresentar a genuína cultura do Vale. De lá pra cá, o Festivale já aconteceu nas cidades do Alto Jequitinhonha ( Capelinha, Carbonita, Diamantina, Minas Novas e Serro); Médio Jequitinhonha (Araçuaí, Itaobim, Itinga, Medina, Pedra Azul e Virgem da Lapa); Baixo Jequitinhonha (Almenara, Jequitinhonha, Joaíma, Jordânia, Rubim e Salto da Divisa); nos municípios do norte de Minas (Bocaiúva, Grão Mogol e Salinas). As cidades de Araçuaí, Bocaiúva, Itaobim, Minas Novas, Pedra Azul e Salinas já realizaram o evento por duas vêzes.
O Encontro se realiza na última semana do mês de julho, com apresentações teatrais, de cinema, grupos de folclore, de violas, de danças, de músicas, oficinas, feira de artesanato, Noite Literária, Festival de Música e shows de artistas já consagrados.
Do Festivale já surgiram artistas como Saulo Laranjeiras, Paulinho Pedrazul, Rubinho do Vale, Pereira da Viola, Pedro Morais, Saldanha Rolim, Carlos Farias e muitos outros.
E poeta como Gonzaga Medeiros, Cláudio Bento, Wesley Pioest, Tadue Martins, José Machado e muitos, muitos, muitos.

quinta-feira, 29 de outubro de 2009

Títulos agrários são entregues a agricultores

INCRA e ITER entregam títulos agrários no Jequitinhonha
O Instituto de Terras de Minas Gerais (Iter), em parceria com o Instiituto Nacional de Colonização e Reforma Agrária (Incra), entregaram nesta quarta (28), e quinta-feira (29), títulos de propriedades rurais a pequenos produtores e agricultores familiares em Jenipapo de Minas e Araçuaí.
No município de Jenipapo de Minas foram entregues 254 títulos, enquanto em Araçuaí foram 222, beneficiando mais de 2.000 pessoas.
Para o Superintendente Regional do INCRA-MG, Gilson de Sousa, os títulos têm um significado de reconhecimento do Governo Lula aos direitos dos trabalhadores rurais, que produzem em suas terras, moram nela há décadas, mas não possuíam o título de propriedade.
Para o secretário de Estado Extraordinário para Assuntos de Reforma Agrária (Seara) e diretor–geral, em exercício, do Instituto de Terras de Minas Gerais (Iter), Manoel Costa, o Programa de Regularização Fundiária mineiro fortalece o mercado interno, gera empregos e a igualdade para produzir.
“O problema fundiário não é só de Minas, é nacional. Se tivéssemos feito isso no passado, a história seria outra. Devemos fazer um movimento massivo pela regularização fundiária, que vai dar igualdade, democratizar e gerar o desenvolvimento”, afirmou.
Serviço
Entrega de Títulos Rurais em Jenipapo de Minas
Data: 28/10 Quarta-feira
Local: Sindicato dos Trabalhadores Rurais, Rua Turmalina, 1.010 - Bairro Lagoinha Horário: 15h30
Araçuaí Data: 29/10 Quinta-feira
Local: Planalto Tênis Clube - Rua Alto Boa Vista, S/N e Comunidade do Barreiro
Horário: 13h

Com informações da Agênciaa Minas

Cooperativas fundidas no Mucuri e Jequitinhonha

Cooperativas se fundem no Mucuri e Jequitinhonha
NOSSACREDIAL, de Almenara, e CREDIVALE, de Teófilo Otoni se unem e fortalecem cooperativismo regional
Não há em Almenara, no Baixo Jequitinhonha, e seu entorno iniciativa particular (independente do dinheiro público) tão bem sucedida como o SICOOB NOSSACREDIAL. Desde sua criação, há treze anos, é presente nas mais diversas manifestações que visam o progresso da região e o bem comum tanto dos seus cooperados como da população em geral.
Seu crescimento é sólido, ascendente e embasado no espírito cooperativista que nas visões mais esclarecidas é a melhor opção para o enfrentamento das graves dificuldades que se apresentam nos âmbitos regional, nacional ou global.
A NOSSACREDIAL, como toda empresa que pensa grande e sonha alto, enfrentava ultimamente o desafio comum a tantas outras: crescer ou estagnar e desaparecer. A solução encontrada para o contínuo crescimento e fortalecimento da instituição foi a da fusão com outras entidades, caminho já trilhado por tantas outras. Os “cases” de sucesso no mundo dos negócios AMBEV, SADIA-PERDIGÃO, FRIBOI-JBS, ITAU-UNIBANCO, ABN-SANTANDER, são os macroexemplos mais recentes.
Cidades cooperadas do Mucuri e Jequitinhonha
As negociações neste sentido já duram há quase um ano. O plano definitivo é a fusão das cooperativas sediadas em Carlos Chagas, Nanuque e Teófilo Otoni, no Vale do Mucuri, além de Almenara e Capelinha, no Vale do Jequitinhonha. O passo inicial em direção a este objetivo foi a incorporação da NOSSACREDIAL pela CREDIVALE da cidade de Teófilo Otoni. A Assembléia Geral Extraordinária (foto acima) acontecida no sábado, dia 24.10, aprovou esta decisão por unanimidade.
União eleva Cooperativa ao 9º lugar em Minas
Os números são eloqüentes: a nova cooperativa resultante desta incorporação terá sua abrangência expandida para mais de 40 cidades. A NOSSACREDIAL ocupava o 66º lugar em importância no ranking das cooperativas de Minas Gerais. A CREDIVALE ocupava o 25º lugar. Agora juntas, saltam para um honroso 9º lugar.
Quando as novas incorporações se efetuarem, a grande cooperativa resultante será forte candidata ao primeiro ou segundo lugar no SISTEMA CREDIMINAS. A valorização patrimonial é expressiva, assim como o aumento no volume dos depósitos e na ampliação e diversificação das linhas de crédito.
Novos cooperados e novos setores
A NOSSACREDIAL, até agora voltada ao produtor rural, com esta incorporação passa a ser de livre admissão, beneficiando outros setores produtivos: comércio, empresas, profissionais liberais e autônomos. A segurança, a confiança e a credibilidade na nova instituição também são aumentadas com visível diminuição dos riscos inerentes à atividade das instituições de crédito. Todas estas explanações foram detalhadas por Sergio Fonseca, analista de planejamento e estudos econômicos, e Rafael Lutti, assessor jurídico do Sistema CREDIMINAS numa explanação didática e bem ilustrada por gráficos, planilhas e tabelas que possibilitaram uma tomada de decisão consciente por parte dos cooperados presentes à Assembléia.
A aprovação da incorporação foi unânime e também unanimemente realçadas e aplaudidas a coragem e o desprendimento dos membros da Diretoria e dos Conselhos Administrativo e Fiscal ao proporem esta medida. A participação nas decisões e na administração da nova cooperativa será democraticamente proporcional ao número de cooperados existentes em cada uma das cooperativas originais.
Comissão Mista
Na oportunidade, por aclamação, foram escolhidos os nomes de Juracy Botelho Arruda, Jackson Alves Torres e Valter Rodrigues de Sousa como os representantes dos cooperados na Comissão Mista que fiscalizará a elaboração dos acordos finais que possibilitem a incorporação e bom funcionamento da nova entidade. Os nomes dos membros da diretoria e conselheiros serão apreciados oportunamente.
Fonte: Júlio Mares do Diário do Jequi, de Almenara

quarta-feira, 28 de outubro de 2009

Auto Escola dá exemplo de responsabilidade social

Auto Escola desenvolve projetos sociais
Berilo - Vale do Jequitinhonha
Um exemplo para muitas empresas na cidade e região é a Auto Escola Berilo. Nem bem iniciou as suas atividades empresariais de formação de condutores de veículos já apresenta um outro objetivo de responsabilidade social: uma escolinha de futebol de salão e palestras de educação para o trânsito em escolas públicas.
Isto é raro. Geralmente, as empresas visam o lucro simplesmente. Se sobrar algum recurso investe em projetos sociais até mesmo como estratégia de marketing. A Auto Escola Berilo foi instalada na primeira semana de agosto. Logo após, iniciou um projeto que visa incentivar e promover o esporte de crianças de 8 a 12 anos, com uma preocupação com o desenvolvimento psicológico, físico e social. Inicialmente fez inscrição de 20 crianças.
São desenvolvidas atividades físicas e esportivas na quadra da Escola Estadual Professor Jason de Morais, uma ou duas vezes por semana. Buscou parcerias com professores de educação física e educadores, além de escolas públicas e outras empresas da cidade. O Supermercado Paizão e Casa Antônio Amaral participam do projeto com a doação de materiais esportivos.
Esporte e escola
As atividades têm a coordenação do Bacharel em Direito e Detetive da Polícia Civil, Henigmar Nilmax Pinheiro, o Mimigo, e do bacharelando em Educação Física, Edgar de Souza Santos. Eles explicam que o esporte tem a função de integração social e cultural. Há uma preocupação de desenvolver com as crianças os conceitos de cooperação e trabalho em equipe, valorizando os sentimentos de amizade, harmonia e convivência pacífica entre as pessoas.
Neste sentido, há um acompanhamento da vida das crianças em todos os aspectos: no comportamento e desempenho na escola, em casa com a família e na comunidade.
Além da escolinha, a Auto-Escola Berilo vem realizando palestras de educação de trânsito nas escolas públicas da cidade. Já realizou atividades na Escola Estadual de Berilo.

Handebol de Teófilo Otoni é o melhor de Minas

É Campeão! Handebol de Teófilo Otoni ganha JIMI
O Handebol Masculino de Teófilo Otoni é o melhor de Minas Gerais. A equipe que participou dos Jogos do Interior de Minas (JIMI), na última semana, em Uberlândia, venceu fortes adversários como Santa Luzia, Jequitinhonha, Montes Claros e Juiz de Fora, conquistando o tão almejado título.
Com o resultado, a equipe de Handebol de Teófilo Otoni vai representar o estado de Minas Gerais nos Jogos Abertos Brasileiros (JABs), que acontecerão em 2010, na cidade de Campo Grande (MS).
No jogo final, a equipe de Teófilo Otoni venceu os favoritos de Juiz de Fora por 32 a 25, na Arena Multiuso Presidente Tancredo Neves, em Uberlândia.
Os Jogos do Interior de Minas (JIMI) foram encerrados domingo, 18. A cidade de Uberlândia foi a grande campeã no quadro geral de medalhas, com um total de 204 medalhas conquistadas.
Maria José recebe campeões
Os atletas do Handebol Masculino retornaram a Teófilo Otoni na tarde desta segunda-feira, 19. Eles foram recebidos no gabinete oficial pela prefeita Maria José Haueisen, o vice-prefeito, Antônio Walter do Amaral e pelo Secretário Municipal de Esporte e Lazer, Guilherme Afonso (Mabel) ( veja foto acima).
Durante o encontro a satisfação foi total. Os atletas relataram à prefeita os detalhes dos jogos e o período de treinamento enfrentado pela equipe.
O armador e capitão da equipe, Nelson de Souza, explicou que o time disputou quatro partidas: duas classificatórias, uma semifinal e a grande final contra a equipe de Juiz de Fora, que é oito vezes campeã do JIMI.
Segundo o treinador e armador direito, Tiago Farias, este era o objetivo do handebol de Teófilo Otoni há muito tempo.
“Conseguimos nos sagrar campeões na etapa final, o que nos deixa muito orgulhosos”, frisou.
A prefeita de Teófilo Otoni, Maria José Haueisen, falou que a cidade sente-se vaidosa com o sucesso do time. A prefeita lembrou que este título nunca foi alcançado antes por Teófilo Otoni. “Somos os melhores de Minas Gerais. Nossos atletas merecem o reconhecimento pela garra e por representarem de maneira tão brilhante a nossa cidade”, destacou a prefeita.
Sede de JIMI em 2010
Maria José também ressaltou que está buscando junto à Secretaria de Estado de Esportes e da Juventude, o apoio para que Teófilo Otoni seja sede do JIMI 2010.
A Praça de Esportes está sendo toda reformada e terá condições de sediar competições importantes a partir do início do próximo ano.
Depois da recepção na Prefeitura, os atletas desfilaram em carro aberto do Corpo de Bombeiros, recebendo a saudação e o reconhecimento da população pelas ruas da cidade.
Com informações da ASCOM da Prefeitura de Teófilo Otoni

terça-feira, 27 de outubro de 2009

Longa metragem é gravado em Diamantina

Fernanda Montenegro e José Wilker gravam filme em Diamantina
“A hora e a vez de Augusto Matraga” foi gravado em Biribiri
O povoado de Biribir, em Diamantina, no Alto Jequitinhonha, assistiu as filmagens do longa metragem “A hora e a vez de Augusto Matraga”, baseado em texto de Guimarães Rosa. As filmagens foram concluídas no final de setembro.
Com direção de Vinicius Coimbra, a produção traz atores da primeira linha de artistas do país: o ator João Miguel é o protagonista, acompanhado de José Wilker, Fernanda Montenegro, José Dumont, Chico Anísio e Vanessa Gerbelli.
A História
Augusto Matraga é um fazendeiro violento, que traído pela esposa e emboscado por seus inimigos, acaba massacrado e dado como morto. É salvo por um casal de negros e, desde então, volta-se para a religiosidade.
Mas conhece o jagunço Joãozinho Bem-Bem que nele percebe o homem violento. Matraga passa a viver o conflito entre o desejo de vingança e sua penitência pelos erros cometidos.

Quem é quem
.Fernanda Montenegro – narra o texto original de Guimarães Rosa
• João Miguel – O poderoso fazendeiro Augusto Matraga
• José Wilker – Joãozinho Bem-Bem, chefe de jagunços
• Vanessa Gerbelli – Dionóra, mulher de Matraga
• José Dumont – Padre Zequiel
• Chico Anísio – Major Consilva, carrasco e redentor de Matraga.
Mudanças em Biribiri
Biribiri, a 13 quilômetros de Diamantina, passou por uma mudança radical. No lugar do azul e branco das fachadas das casas, paredes brancas envelhecidas; os postes foram retirados e a quadra poliesportiva, desmanchada, dando lugar a uma praça de terra batida.
Da mesma forma que outras localidades na região (Capivari, São João da Chapada e o distrito de Sopa), os povoados foram transformados para que possa ser recriado o clima do início do século 20, propício à saga de Augusto Matraga, personagem do último conto do livro Sagarana, de Guimarães Rosa.
A história do fazendeiro sem lei, que não respeitava ninguém, nem a si mesmo, será contada no longa-metragem A hora e a vez de Augusto Matraga, com direção de Vinícius Coimbra, direção de fotografia de Lula Carvalho, e direção de arte de Moa Batsow.
As filmagens começaram em 3 de agosto e se estendem até o final de setembro.
Com informações do Portal UAI
Cidades do semiárido terão R$ 1 milhão com Selo Unicef
Prazo para inscrição termina em 30 de outubro
Cento e quarenta e duas cidades do semiárido mineiro ganharam um incentivo a mais para participarem da 3ª edição (2009-2012) do Selo Unicef Município Aprovado.

O Governo de Minas vai destinar R$ 1 milhão para ser dividido entre as cidades que receberem a certificação de avanços em relação aos direitos das crianças e adolescentes. As cidades têm até o próximo dia 30 para se inscreverem.
O que é o Selo Unicef
O Selo é um reconhecimento internacional concedido aos municípios pobres que, por meio de políticas públicas e com a participação da sociedade, conseguem melhorar indicadores tais como: redução da mortalidade infantil e materna, redução do número de adolescentes grávidas, garantia do acesso ao saneamento básico e ao registro civil, inclusão de crianças na escola, redução da evasão escolar, entre outros avanços.
De acordo com dados do Unicef, Minas Gerais conseguiu melhorias significativas nesses indicadores.
Na edição anterior do Selo (2007-2008), os municípios do semiárido mineiro obtiveram avanços superiores a de cidades dos outros 11 estados que também participam do pacto com o Unicef.
Minas tem hoje a menor taxa de pobreza entre crianças e adolescentes, comparado com os outros estados participantes, todos do Nordeste.
Os dados apontam que a mortalidade infantil, por exemplo, reduziu 26% nos últimos dois anos nas 17 cidades mineiras certificadas com o Selo.
Além disso, 53% das gestantes tiveram acesso a sete ou mais consultas de pré-natal e houve a redução de 43% na taxa de desnutrição de crianças de até dois anos.
Na área da educação, as crianças e adolescentes estão frequentando mais a escola, o que fez com que o abandono das salas de aula caísse 60%.
O Estado tem a menor taxa de analfabetismo entre crianças de até oito anos e também a maior taxa de aleitamento materno exclusiva até os quatro meses de vida.
Inscrições para o Selo
As inscrições para a edição 2009-2012 do Selo Unicef podem ser feitas até 30 de outubro. O Termo de Adesão e o regulamento foram enviados pelo correio para cada prefeitura e também estão disponíveis nos sites www.unicef.org.br e www.selounicef.org.br.
O documento deverá ser assinado pelo(a) prefeito(a) e encaminhado para o Escritório do Unicef em São Paulo, rua Pedro de Toledo, 1529 - térreo, Vila Clementino, São Paulo/SP – Cep: 04.039-034. Mais informações: (31) 3465-6809 (31) 3465-6809 e 3465-6811 ou pelo e-mail:
selounicef@oficinadeimagens.org.br.
Com informações da Agência Minas

Projeto Campo Digital capacita 46 jovens

Emater inicia capacitação de jovens rurais em informática
Minas Novas e Jequitinhonha capacitam 46 jovens
O computador e o acesso à internet tornaram-se ferramentas fundamentais para o conhecimento e o aperfeiçoamento profissional.
No meio rural, essa realidade não é diferente. Numa contribuição para reduzir o déficit de acesso dos jovens do campo à informática, a Empresa de Assistência Técnica e Extensão Rural do Estado de Minas Gerais (Emater-MG, iniciou, na segunda-feira (19), a capacitação prevista no Projeto Campo Digital.
O objetivo é permitir aos jovens do meio rural o acesso ao conhecimento e às novas tecnologias da informação.
Nesta primeira etapa do curso estão participando 20 alunos em Minas Novas, no Alto Jequitinhonha, e 26 em Jequitinhonha, no Baixo Jequitinhonha.
“Em principio, a meta é formar em cada um desses municípios 100 alunos, totalizando 300 jovens até outubro de 2010”, destaca o gestor do projeto na Emater-MG, Sérgio Fernandes.
O curso terá a duração de dois meses, com duas horas aula por dia. Em cada Centro Vocacional Tecnológico (CVT), o aluno terá o seu próprio computador, proporcionando que as dúvidas sejam resolvidas individualmente.
Inclusão digital
Sérgio Fernandes explica que o objetivo do projeto é diminuir o quadro de exclusão digital no meio rural do Estado de Minas Gerais.
"O projeto Campo Digital, em parceria com a Secretaria de Estado de Ciência, Tecnologia e Ensino Superior (Sectes), traz uma oportunidade de aprimoramento social para os jovens do meio rural , possibilitando o desenvolvimento humano e a melhoria da qualidade de vida por meio da inclusão digital, proporcionando-lhes mais oportunidades pelo acesso à internet e aos principais softwares do mercado e inserindo-os nesta nova era da tecnologia da informação", afirma o gestor.
Inserção social
Com o projeto Campo Digital, a Emater-MG agrega mais resultados aos trabalhos que a Empresa já realiza com a juventude rural de Minas Gerais, por meio do Programa Estruturador Transformar e busca promover:
- A redução do êxodo rural, com a melhoria da qualidade de vida dos jovens que vivem no campo, por meio da inclusão digital.
- A inserção social profissional dos jovens rurais em conhecimento básicos de informática. A motivação dos jovens rurais para o uso da rede de informação como ferramenta complementar para a busca e troca de experiências.
- O acesso às informações sobre cidadania, mercado de trabalho, entre outras, via internet.
Com informações da Agência Minas

Comitê da Bacia do Alto Jequitinhonha

Criado o Comitê da Bacia do Alto Jequitinhonha
Com a criação dos Comitês das Bacias Hidrográficas (CBHs) dos Afluentes Mineiros do Alto Jequitinhonha e do Rio São Mateus, o Instituto Mineiro de Gestão das Águas (Igam) concluiu a formação de todos os comitês previstos para o Estado.
Os novos comitês foram instituídos por meio dos decretos estaduais nº 45.183 e nº 45.184, o que antecipou em um ano a meta do Projeto Estruturador “Consolidação da Gestão de Recursos Hídricos em Bacias Hidrográficas” de criar os 36 CBHs até 2010.
“A criação de todos os comitês é resultado de 11 anos de trabalho do Igam junto aos diferentes segmentos da sociedade mineira, o que envolveu um grande esforço de mobilização, capacitação e informação, e este resultado é fundamental dentro da perspectiva da gestão descentralizada e participativa dos recursos hídricos”, destaca a diretora de Gestão dos Recursos Hídricos do Igam, Luiza de Marillac Camargos.
Comitê do Mucuri
O CBH São Mateus terá o desafio de fazer a gestão das águas em uma bacia de 5.682 km², localizada nas mesorregiões do Vale do Mucuri e Doce. São 13 municípios, entre eles Teófilo Otoni e Mantena, e uma população estimada de 103 mil habitantes.
O clima da região é considerado semi-úmido e o período seco dura de quatro a cinco meses por ano.
Comitê do Alto Jequitinhonha
Já o CBH Alto Jequitinhonha atuará nas mesorregiões do Vale do Jequitinhonha e Norte de Minas, onde estão municípios como Serro, Diamantina, Capelinha , Minas Novas e Berilo, no Alto e Médio Jequitinhonha, como de outros do Norte de Minas, Bocaiúva, Cristália, Itacambira e Grão Mogol.
Com uma área de drenagem de 19.803 km², a bacia abriga dez municípios e uma população estimada em mais de 100 mil habitantes. O clima na bacia é considerado semiúmido e o período seco dura entre quatro e cinco meses por ano.
Gestão participativa
Os Comitês são órgãos colegiados que têm caráter consultivo e deliberativo, formados por representantes do poderes públicos municipal e estadual, de usuários da água, como companhia de abastecimento humano, energia elétrica e indústrias e de representantes da sociedade civil, como organizações não governamentais e organizações de ensino e pesquisa.
São eles que promovem o diálogo com todos os interessados no gerenciamento das águas de sua bacia de abrangência.
Os membros dos comitês têm competência legal para discutir a situação dos mananciais e os problemas ambientais na bacia, definir prioridades na aplicação de recursos, mediar conflitos pelo uso da água e, dentre outras coisas, aprovar e acompanhar a execução do Plano de Recursos Hídricos da Bacia, que dará as diretrizes para gestão local das águas.
Com informações da Agência Minas

segunda-feira, 26 de outubro de 2009

Fava, uma cultura exclusiva da agricultura familiar

Produtor de fava busca tecnologia para aumentar renda
Norte e Jequitinhonha tem 90% da produção de Minas
A fava, um dos cultivos tradicionais da agricultura familiar mineira, tem apresentado produção crescente, e em 2009 esta tendência deve ser mantida, segundo avaliação da Superintendência de Política e Economia Agrícola da Secretaria de Estado de Agricultura, Pecuária e Abastecimento de Minas Gerais (Seapa).
De acordo com a análise, a safra da leguminosa em 2008 alcançou aumento de 4,50%, com o registro de 700 toneladas.
Conforme explica o superintendente João Ricardo Albanez, a fava tem características parecidas com a do feijão, ervilha, grão-de-bico e soja. O valor comercial do produto é baixo, mas seu cultivo se destaca pela grande importância social.
“Geralmente, o plantio da fava atende à subsistência de grupos familiares e ainda possibilita renda por meio da comercialização no próprio município ou região”, ressalta.
Outro aspecto positivo, segundo Albanez, é a possibilidade de cultivar a leguminosa em consórcio principalmente com o milho, também produzido nas pequenas propriedades.
“A fava, além de seu potencial para fixar nutriente no solo, tem um ciclo de produção rápido e desta forma ajuda no sustento da propriedade enquanto prossegue o cultivo do milho e de outros grãos”, acrescenta o superintendente. Liderança do Norte e Jequitinhonha
O Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) informa que mais de 90% da produção de fava, em Minas Gerais, está localizada em 10 municípios da região Norte e Vale do Jequitinhonha: Mirabela, Varzelândia, Ibiaí, Riacho dos Machados, além dos municípios da Bacia do Jequitinhonha, Grão Mogol, Cristália, Mamonas, Porteirinha, Itacambira e Comercinho.
De acordo com o entreposto do CeasaMinas de Contagem, o preço médio da fava comercializada na unidade, entre janeiro e setembro deste ano, foi R$ 4,85, contra os R$ 4,30 registrados no mesmo período de 2008. O aumento foi da ordem de 12,0%.
Com informações da Agência Minas

Blitze contra a exploração sexual de crianças

Blitz contra exploração sexual de crianças mobilizou sociedade
Almenara, Itaobim e Salinas participaram ativamente
Diretorias regionais da Secretaria de Estado de Desenvolvimento Social (Sedese) de 15 municípios, junto com Conselhos Tutelares e dos Direitos da Criança e do Adolescente, realizaram, nesta sexta-feira (23), blitze educativas visando o combate à violência doméstica e à exploração sexual de crianças e adolescentes.
A ação conjunta fez parte da Campanha Proteja Nossas Crianças, lançada em 2007 pelo Governo de Minas. Durante as blitze, os motoristas receberam material publicitário da campanha: adesivos e panfletos, que destacam o número do Disque Direitos Humanos (0800 031 1119).
Campanha
A campanha Proteja Nossas Crianças é uma das maiores iniciativas já realizadas no país de combate à violência doméstica e à exploração sexual de crianças e adolescentes.
Envolve toda a sociedade civil e incentiva a população mineira a denunciar casos de violência.
Em razão da Campanha Proteja Nossas Crianças, 2.690 pessoas usaram o serviço para fazer denúncia de janeiro a setembro deste ano.
No mesmo período de 2008, foram 2.116.
Cidades do Vale que participaram da blitz
Almenara: Praça Benedito Valadares, 04 escolas públicas;
Itaobim: BR-116, trevo de acesso a Medina
Salinas: sete pontos:
Posto Genipapo, na BR-342; Posto Tamboré, entrada de Novorizonte; estrada Salinas/Rubelita; Praça do Mercado (Centro); Posto J. Pena (urbano); pontos de coletivos próximos à Passarela da Alegria; Avenida Floripes Crispim Timóteo: BR-381, Km 171, trevo de Jaguaraçu.
Com informações da Agência Minas

Jequitinhonha aprova 6 projetos de cultura

Fundo Estadual de Cultura aprova 147 projetos
Vale do Jequitinhonha emplaca 6 projetos e R$ 286 mil
O Fundo Estadual de Cultura (FEC), mecanismo de fomento da Secretaria de Estado de Cultura de Minas Gerais destinado a projetos que, tradicionalmente, encontram maiores dificuldades na captação de recursos no mercado, aprovou, em sua quarta edição, na modalidade Liberação de Recursos Não Reembolsáveis, 147 projetos de todo o Estado, sendo mais de 82% apresentados por entidades do interior de Minas.
As entidades da capital aprovaram 26 projetos e, as do interior, 121. Serão destinados R$ 9 milhões para a implementação destas propostas, que irão beneficiar 99 municípios.
Deste total, o interior será contemplado com 88,28% dos recursos, ou seja, R$ 7,9 milhões. Além disso, entre as 26 entidades contempladas de Belo Horizonte, oito executarão também suas propostas no interior do estado.
O processo de inscrições contabilizou 764 propostas apresentadas, sendo 643 do interior e 121 da capital, batendo todos os recordes de projetos inscritos.
A modalidade Financiamento Reembolsável continua a receber inscrições, sempre entre os dias 1º e 10º de cada mês, até o próximo edital, em 2010.
A comissão de análise de projetos do Fundo Estadual de Cultura conta com representantes do poder público e da sociedade civil, refletindo a transparência do processo e a correta aplicação do recurso.
Prioridade para o interior
O objetivo do FEC é estimular o desenvolvimento cultural nas diversas regiões do Estado, com foco prioritário para o interior. Os projetos aprovados vão desde a edição e distribuição de livros, circulação de espetáculos, organização e recuperação de acervos, pesquisas culturais, desenvolvimento de novas linguagens, profissionalização, até projetos de restauração de bens tombados ou voltados para a infraestrutura cultural, resgate ou manutenção do patrimônio imaterial, entre outros.
Projetos do Jequitinhonha
O Vale do Jequitinhonha conseguiu aprovar 6 projetos no valor total de R$ 286 mil. Somente a cidade de Jequitinhonha conseguiu aprovar 3 projetos no valor de R$ 154 mil, embora um do Festival de Teatro seja regional.
Veja a lista de projetos aprovados:
1 - Jequitinhonha - Associação dos Artesãos do Guarani - ARI-ARI-AAGA.
"Guaranilândia faz valer , com e arte e o tecer"- R$ 80 mil;
2 - Jequitinhonha - Associação dos Grupos Teatrais do Vale do Jequitinhonha -AGRUTEVAJE - "7º Festeje - Festival do Teatro do Vale do Jequitinhonha - R$ 60 mil;
3 - Jequitinhonha - Prefeitura Municipal - "Projeto Arquivo Público da Cidade de Jequitinhonha" - R$ 14 mil;
4 - Turmalina - Associação dos Artesãos de Turmalina -
" Arte Sã pela Vida"- R$ 72 mil;
5 - Itamarandiba - Prefeitura Municipal - "Caravana Cinema e Cidadania de Itamarandiba - Itacine" - R$ 40 mil;
6 - Divisópolis - Grupo de Teatro de Divisópolis - GRUTED - "7º FESPOED - Festival de Poesia de Divisópolis- R$ 20 mil.
Com informações da Secretaria de Estado da Cultura.

Semifinal da Copa Aranãs define 4 times

Copa Aranãs - Alto Jequitinhonha
Novo Cruzeiro goleia Cometa por 5 x 0
Angelândia vence e vai à semifinalO Novo Cruzeiro é o grande favorito à conquista da 10ª Copa AranãsFM. Neste domingo, dia 25/10, recebeu em casa o Cometa de Capelinha. Aplicou-lhe uma goleada de 5 x 0, com gols de Hudson (2), Celinho, Mardônio e Zé Lucas.
O Novo Cruzeiro vai à semifinal com a melhor campanha da Copa. Marcou 25 gols, em seis partidas, e levou apenas 1 gol. Tem ainda o artilheiro Hudson, com 6 gols, e o vice, Zé Lucas.
O jogo foi apitado por Sormani, Manoel Joaquim e José Rosano, trio de arbitragem de Araçuaí.O público foi estimado em 1.200 torcedores.
ANGELÂNDIA 1 X 0 SETUBINHA
O Angelândia derrotou o Setubinha por 1 x 0, no seu Estádio Municipal, com um público de 950 torcedores. O gol foi marcado por Chicleteiro. Como havia vencido o primeiro jogo, por 4 x 2, no primeiro jogo do mata-mata, Angelândia passa à semifinal, com muitos méritos.
DESTAQUES DA RODADA:
Angelândia: Everton; Setubinha: Itamar Maxakali.
Novo Cruzeiro: Tales (Peleleu); Cometa (Cap): Mussun.
BALANÇO GERAL DA COPA:
. Número de Jogos: 30
.Número de Gols Marcados: 99
. Média de Gols por jogo: 3,3
. Público total estimado: 22.600 torcedores
. Média de público estimado Por Jogo: 753 torcedores
. Time com melhor ataque: Novo Cruzeiro (25 gols)
. Time com defesa menos vazada: Novo Cruzeiro (01 gol)
. Time Com Pior Defesa: Setubinha e Atalanta-MAL: 14 gols
. Artilheiro: Hudson (Novo Cruzeiro) com 08 gols; Zé Lucas (Novo Cruzeiro), Rodrigo (Cometa-AB) e Adílio (Atalanta-ITA) com 04 gols.
Jú Cabeça e Celinho (Novo Cruzeiro), Anilson e Cafu (Colegial-ITA), Daniel e Fernando (Minas Novas) e Neliano (Cometa-AB) com 03 gols
. Times Invictos:
Novo Cruzeiro (6J - 6V - 25GF - 01GC - 100% de aproveitamento)
Cometa-AB (5J - 3V- 2E - 15GF - 10GC)
. Time Mais Disciplinado:
Independente (4CA e 1CV) . Jogos com Vitórias: 26
. Jogos Empatados: 04
. Vitórias Times Mandantes: 13
. Vitórias Times Visitantes: 13
. Goleadas: 10
DESTAQUES DAS RODADAS:
1ª RODADA: Celinho (Novo Cruzeiro)
2ª RODADA: Kleber (Cometa-AB)
3ª RODADA: Meio-Kilo (Angelândia)
4ª RODADA: Vanderson (Unidos do Morro-AB)
5ª RODADA: Sérgio Adriano (Angelândia)
6ª RODADA: Duca (Cometa-Cap)
1ª RODADA 2ª FASE: Robert Maia (Turmalina)
2ª RODADA 2ª FASE: Celinho (Novo Cruzeiro)
3ª RODADA 2ª FASE: Tales (Peleleu) (Novo Cruzeiro)
JOGADORES PENDURADOS COM 02 CARTÕES AMARELOS:
Nilson (Índio) do Cometa(AB) Wilson Rodrigo (Chicleteiro) de Angelândia Eré e Mardônio de Novo Cruzeiro
TIMES CLASSIFICADOS PARA A SEMI-FINAL:
Novo Cruzeiro, Angelândia, Cometa (AB) e Turmalina
PRÓXIMA RODADA - 1º/11 - SEMI-FINAL:
Em Turmalina - 16:30 h.
TURMALINA X COMETA (AB)
Em Angelândia - 16:30 h.
ANGELÂNDIA X NOVO CRUZEIRO

O Novo Cruzeiro e Cometa (AB) jogam a semi-final por dois resultados iguais e fazem o segundo jogo em casa porque fizeram melhor campanha na 2ª fase.
Com informações da Rádio Aranãs FM, de Capelinha

sábado, 24 de outubro de 2009

Poesia do Rosário de Pedras

Rosário de Pedras, Memórias e Arte
Virgem Maria,
Senhora do Rosário...
Mãe de Deus, Dignidade Real!

No coração o altar, um sonho, uma prece...
Na saudade, a Igreja, edifício sagrado, nobreza de arte,
Patrimônio do mundo perdido no tempo
Beleza roubada.

Rosário de Pedras...
Pedras que trazem cada uma,
A marca de uma vida,
Um segredo, histórias...

Histórias de conquistas materiais,
Injustiça oculta ou elogiada,
Frustrações revoltantes,
Remorsos íntimos torturantes,

Bajulações gratificadas,
Humilhações rastejantes e desprezíveis,
Rebaixamento moral violento,
Preguiça disfarçada, mau de espírito,

Enfermidades duradouras,
Ignorância assumida,
Amarguras atordoantes.
Mas pelo amor e fé em Maria,
Sentimentos que palavras não podem expressar.

Histórias de esperança e glória,
Remissão feliz,
Sacrifícios silenciosos,
Dedicação incansável e relevante ao bem.

Renúncias desconhecidas,
Repouso espiritual que conforta
Paz interior intraduzível,
E felicidade eterna para a alma.

São coisas da vida,
Que é amiga da arte,
Que é coisa de Deus.

Porque Dele vem: a sabedoria,
A inspiração e a fé,
Que dá firmeza à estrutura
E formação do homem.

Fazer arte também é louvar ao Senhor.

É a comunicação entre as gerações,
A mensagem que fica,
É a expressão dos mais nobres sentimentos do homem
Em relação ao mundo.

E a simplicidade do artista
Quando é pura e verdadeira,
Torna-se bela, nunca morre, fica na memória,
E a sua mensagem passa pelo tempo.
Gilvan Pereira da Costa (Vanvan)
Vavan é artesão de maquete de prédios históricos de Berilo. A sua obra mais recente é a maquete da Igreja de Nossa Senhora do Rosário dos Homens Pretos de Berilo (foto acima).
Esta Igreja foi demolida, saqueada e vendida para colecionadores de peças de arte antiga.

Unidade do PAIS em Araçuaí

Araçuaí recebe primeira unidade do Programa PAIS em Minas
O Ministério do Desenvolvimento Social e Combate à Fome e o Sebrae, em parceria com a Secretaria de Estado Extraordinária para Assuntos de Reforma Agrária (Seara) e o Instituto de Terras do Estado de Minas Gerais (Iter/MG), lançam na próxima quinta-feira (29), no município de Araçuaí, no Vale do Jequitinhonha, o Programa Pais – Produção Agroecológica Integrada e Sustentável.
A comunidade do Barreiro, em Araçuaí, será a primeira contemplada com uma unidade produtiva no Estado. O evento será realizado às 10h30, com a presença de autoridades, prefeitos e lideranças locais e regionais.

O Pais é uma tecnologia social que apóia e financia a implantação de hortas em pequenas propriedades sem uso de agrotóxicos e adubos químicos, com princípios agroecológicos, a fim de diversificar a produção, garantindo assim o aumento na renda.
Consequentemente, o processo de inclusão social e segurança alimentar dos envolvidos, será fortalecido com a prática.

O programa garante às famílias de baixa renda da área rural, alimento suficiente, seguro, barato e de qualidade para agricultores familiares, assentados e comunidades quilombolas.
No Vale do Jequitinhonha, as atividades visam oferecer uma alimentação adequada e saudável a mais de 105 famílias em 21 municípios do Médio Jequitinhonha, no nordeste de Minas.
CONSAD
Os PAIS são acompanhados pelo CONSAD – Consórcio de Segurança Alimentar e Desenvolvimento Local que são organizações territoriais, institucionalmente formalizadas, com um número definido de municípios que se agrupam para desenvolver ações, diagnósticos e projetos de segurança alimentar e nutricional e desenvolvimento local, gerando trabalho e renda.

Com informações da Agência Minas

Livro "Memórias de Itinga" será lançado hoje

"Memórias de Itinga": a vida do povo de um lugar
O lugar é Itinga, no Médio Jequitinhonha, nordeste de Minas Gerais, terra dos "capa-bode" e dos "capa-jegue". O povo viveu dividido em duas facções em seu território por décadas. O rio de Jequitinhonha virou sua faixa de Gaza. Os canoeiros sabem de histórias de brigões indo de um lado pro outro da cidade e do município.
O presidente Lula, conciliador que é, quis o unir os dois lados: mandou a Vale do Rio Doce construir uma ponte sobre o rio.
Muitas histórias como esta estão no livro "Memórias de Itinga" de autoria de José Claudionor dos Santos Pinto. Será lançado hoje, 31 de outubro (sábado), no Sindicato dos Trabalhadores Rurais de Itinga, às 20h.
Pesquisa
Depois de um longo trabalho de pesquisa, que começou bem cedo, a partir dos trabalhos escolares, o livro esta recheado de informações sobre a história do município onde o autor procurou registrar fatos, histórias e estórias, foclore, religião, cultura, política e vida do município.
O livro é um pequeno fragmento do grande universo histórico do Vale do Jequitinhonha que auxiliará alunos, professores da região, e pesquisadores de todo o Brasil.
A edição do livro foi possível através do FEC - Fundo Estadual de Cultura, programa da Secretaria de Estado de Cultura de Minas Gerais com patrocínio do BDMG - Bando de Desenvolvimento de Minas Gerais.

Cadê eu?

Cadê eu?
Banu
Se eu sair daqui, cadê eu?
Não consigo me encontrar, cadê eu?

Eu vou lá ni São Paulo, trabalho eu?
E um dinheiro vou ganhar, tou bem, meu!

Saudade dos meus amores, cadê eu?
Fim de ano vou voltar, achar eu!

Esta cana até me engana, sonhei eu!
Sem saúde, mas com grana, sofri eu!

O podão já me cortou, podei eu!
Coração já me sangrou, pulsei eu!


Aêaêaêaêaêêêêêêêêê
Viva eu, viva tu, viva o rabo do tatu!
Viva eu, viva tu, viva o rabo do tatu!
Companheiros, vamusimbora!
Para o Vale, vamusimbora!
Que dia, que dia, que dia que é?
É fim de ano, se Deus quiser!


Esperança acende a chama, liguei eu!
Festa, prazer, comida e cama, gozei eu!

Esta história aqui se encerra, cadê eu?
Já voltei pra minha terra, achei eu!

Fui do trecho, fui do mundo, perdi eu!
Sou raiz, lugar profundo, finquei eu!

Tou feliz em aqui morar, viva eu!
Plantar, colher, criar, amar, você mais eu!

Aêaêaêaêaêêêêêêêêê
Viva eu, viva tu, viva o rabo do tatu!
Viva eu, viva tu, viva o rabo do tatu!
Companheiros, vamusimbora!
Para o Vale, vamusimbora!
Que dia, que dia, que dia que é?
É amanhã se Deus quiser!
Esta é uma composição lítero-musical inspirada nos sentimentos dos irmãos quilombolas, ritmo marcado pelo tambor de congadeiros, em homenagem aos migrantes temporários do Vale do Jequitinhonha, que se assalariam no corte de cana, no interior de São Paulo, por 8 meses, todo ano.
Aliás, este é um canto de todo trabalhador que luta para sobreviver e viver feliz em todo canto e lugar do mundo que escolheu para viver.

Almenara a Rubim já tem asfalto

Almenara e Rubim ligadas por asfalto
O asfalto do ProAcesso liga as cidades mineiras do Baixo Jequitinonha
A pavimentação da rodovia MGC 367 que liga as cidades mineiras de Almenara e Rubim, no Baixo Jequitinhonha, está na fase final. Com extensão de 36,54 quilômetros, a rodovia faz parte do programa Estadual ProAcesso.
Para sua inauguração oficial resta apenas o término da construção da nova ponte do rio Voquim, com 45 metros de extensão, e a recuperação da ponte do córrego Vigia, próximo a Almenara. O asfaltamento dos 21 quilômetros foi realizado pela empresa CESENGE Engenharia LTDA.
Sonho de muitos
A estrada pavimentada era um sonho dos moradores da região. Anteriormente as pedras e buracos deixavam os veículos em péssimo estado de conservação. Por outro lado, o asfalto estimula os imprudentes a ultrapassarem os limites de velocidade permitidos pela lei.
No mês passado, por exemplo, houve o primeiro acidente com vítima fatal na rodovia. E, um dia após esse acidente, no mesmo local, próximo a região conhecida como “Cascalheira” – altura do KM 12, Almenara/Rubim, um motociclista ficou gravemente ferido ao bater em um veículo.
Leo Rocha, do Diário do Jequi, de Almenara. www.diariodojequi.com.br

quinta-feira, 22 de outubro de 2009

Resíduos sólidos terão gestão regionalizada
O Sistema Estadual de Meio Ambiente e Recursos Hídricos, por meio da Fundação Estadual do Meio Ambiente – FEAM e a partir de convênio firmado com o Ministério do Meio Ambiente, está desenvolvendo o Plano Preliminar de Regionalização para a Gestão Integrada dos Resíduos Sólidos Urbanos no Estado de Minas Gerais – PRE-RSU.
O Plano tem o objetivo de estabelecer Arranjos Territoriais Ótimos (ATOs) para a gestão destes resíduos, a partir de critérios técnicos sociais e ambientais, definidos com base em diversas fontes de dados disponíveis.
Conferências
Entre os dias 06 e 22 de outubro de 2009, em todo o estado, serão realizadas conferências nas cidades sede das SUPRAM’s, para colher as impressões dos gestores municipais sobre os critérios adotados e as propostas para a regionalização.
O Plano está sendo elaborado pela empresa Myr Projetos Sustentáveis, especializada em assessoria e desenvolvimento de projetos na área ambiental urbana, que também está responsável pela organização e condução das oficinas, junto da Fundação Israel Pinheiro -FIP- que apresentará a Política Estadual dos Resíduos Sólidos Urbanos.
Foram convidados os representantes dos 853 municípios mineiros.
A participação efetiva das Prefeituras é de suma importância para transformar a proposta num modelo representativo das realidades locais.
Encontra-se à disposição para esclarecimentos a Gerência de Saneamento Ambiental da FEAM, fone (31)3245-6141
endereço eletrônico
isadora@mgresiduos.com.br, e

Casa da Gestante em Itamarandiba

Itamarandiba inaugura Casa da Gestante
As aproximadamente 33 mil pessoas do município de Itamarandiba já podem comemorar a chegada da Casa da Gestante.
No dia 09 de outubro, o Prefeito Municipal, Tom Costa, familiares de Dona Kêka, Secretários Municipais, vereadores e comunidade estiveram na Rua Nossa Senhora de Lourdes, região central da cidade, para inaugurarem a “Casa da Gestante Luzia Pinheiro Sena – Kêka –”. Nome esse em homenagem a uma antiga parteira que prestou relevantes trabalhos às grávidas do Distrito de Padre João Afonso e região.
A “Casa da Gestante” é um centro especializado para onde serão encaminhadas mulheres grávidas, que necessitam de apoio e atendimentos que não são possíveis nas comunidades rurais.
Ele tem como objetivo principal reduzir as mortalidades infantis e maternas, além de dar apoio e conforto às mães itamarandibanas. “A casa conta com 15 leitos e serão atendidas principalmente grávidas que necessitam de acompanhamento de qualidade nos dias que antecedem o parto.”, diz o idealizador do projeto.
Parteira homenageada
Muito emocionado, o que acabou por contagiar todos os presentes, o Prefeito Tom Costa explicou o porquê de a casa ser batizada com o nome Luzia Pinheiro Sena. “A Kêka foi a pessoa que mais me ensinou a amar o próximo. De bondade inigualável e com sorriso único ela fez de sua casa uma maternidade. Muitas foram as vezes que cheguei lá e me deparei com várias grávidas à espera de dar a luz. Kêka foi exemplo de vida e com muito orgulho presto homenagem a essa guerreira”, falou emocionado Tom Costa.
Em nome de toda a família, a senhora Liliane de Fátima Sena, filha de Dona Kêka, agradeceu a homenagem. “Para nós filhos é emocionante ver que as pessoas reconheceram a bondade de nossa mãe. Ficamos muito honrados e agradecidos com a homenagem prestada. Ela foi uma pessoa maravilhosa e tenho certeza que onde quer que esteja está feliz e olhando por nós.”, disse.
A “Casa da Gestante” será mantida pelas Secretarias Municipais de Assistência Social e Saúde e contará com profissional capacitado para atender, da melhor forma possível, as grávidas.
“As mulheres do município itamarandibano agora terão apoio necessário durante a gestação. Sairemos do tempo em que as mães da zona rural vinham às pressas para a cidade, colocando em risco sua vida e a do filho que estava para nascer. Com a “Casa da Gestante” a mulher ganha em conforto e o sistema de saúde.

Canção para um amigo

Canção da América
Milton Nascimento - Fernando Brant
Amigo é coisa pra se guardar
Debaixo de 7 chaves, dentro do coração
Assim falava a canção que na América ouvi
Mas quem cantava chorou ao ver o seu amigo partir
Mas quem ficou, no pensamento voou
Com seu canto que o outro lembrou
E quem voou no pensamento ficou
Com a lembrança que o outro cantou.

Amigo é coisa para se guardar
No lado esquerdo do peito,
mesmo que o tempo e a distância digam não,
mesmo esquecendo a canção.
O que importa é ouvir a voz que vem do coração.
Pois, seja o que vier,venha o que vier
Qualquer dia amigo eu volto a te encontrar
Qualquer dia amigo a gente vai se encontrar.

Clique aqui e ouça a música:
http://www.youtube.com/watch?v=ZRG9TaNDaRc
Para o amigo Roberto Oreia que partiu para um encontro com Deus.

Audiência Pública quer campus universtiário

Revisão do PPAG
População do Jequitinhonha pede ações na educação, contra a seca e pavimentação de estradas
Melhorias na educação e o combate à seca estão entre as principais preocupações dos representantes de 19 municípios dos Vales do Jequitinhonha e do Mucuri presentes à audiência pública de revisão do Plano Plurianual de Ação Governamental (PPAG), em Itaobim, no Médio Jequitinhonha, nordeste de Minas.
O evento, que reuniu 130 pessoas, foi realizado pela Assembleia Legislativa de Minas Gerais nesta terça-feira (20/10/09), na sede da Associação Atlética Banco do Brasil (AABB) na cidade.
A audiência foi a segunda de uma série de cinco previstas para o interior do Estado, com o objetivo de recolher sugestões da sociedade para o PPAG 2008-2011.
Em Itaobim, os participantes foram divididos em dois grupos de trabalho e apresentaram um total de 25 propostas para alterar ou aperfeiçoar ações previstas nos programas estruturadores do Governo do Estado, sobretudo em sete programas prioritários para os Vales do Jequitinhonha e do Mucuri.
Campus universitário, asfalto, água e SAMU
Entre as propostas apresentadas, estão
- a criação de um campus da Uemg ou da Unimontes na região do Médio Jequitinhonha;
- a retomada de ações relacionadas às escolas familiares agrícolas;
- a construção de reservatórios de água e a ampliação do atendimento de carros-pipa para combater a seca;
- a mudança de critérios e metas do programa Minas Sem Fome, para incluir parâmetros como o número de agricultores familiares no município e as características econômico-sociais dos beneficiados;
- o asfaltamento de trechos rodoviários e a melhoria de estradas rurais;
- e a criação de um serviço de atendimento médico de urgência (Samu) regionalizado.
Emendas Populares
- Na abertura da audiência, o presidente da Comissão de Participação Popular (CPP), deputado André Quintão (PT), listou uma série de ações governamentais originárias de sugestões da sociedade, transformadas depois em emendas pela própria comissão.
O deputado também apresentou um balanço do trabalho da CPP desde que as audiências de revisão foram instituídas pela Assembleia de Minas.
De acordo com ele, de 2003 até agora, a comissão apresentou 526 emendas ao Plano Plurianual e ao Orçamento, elaboradas com base nas propostas populares.
André Quintão destacou, ainda, a possibilidade de acompanhamento da execução do PPAG por meio dessas reuniões.
"É uma oportunidade de conferência e aperfeiçoamento do que foi apresentado", afirmou.
O deputado presidiu a audiência pública em Itaobim e transmitiu aos participantes uma mensagem de congratulações do presidente da ALMG, deputado Alberto Pinto Coelho (PP).
Controle social
O monitoramento do PPAG pela população também foi mencionado pelo deputado Carlin Moura (PCdoB). "Isso é um princípio fundamental da democracia direta", disse. Este ano, ao fim do primeiro semestre, a ALMG começou a promover a audiência de monitoramento do Plano Plurianual para que a população possa acompanhar a execução das ações. O deputado lembrou que esse acompanhamento é, ele próprio, resultado de uma proposta apresentada nas audiências públicas de revisão do PPAG, no ano passado.
O prefeito de Itaobim, João Pereira, e o presidente da Câmara Municipal da cidade, Pedro Paulo Vieira de Macedo, destacaram a presença, no evento, de prefeitos, vereadores e representantes de entidades de diversas cidades dos Vales do Jequitinhonha e do Mucuri. "Por meio desta audiência, a Assembleia Legislativa dá oportunidade a nosso povo de expressar sua opinião e seus interesses", declarou Pereira.
Com informações da ALMG