quarta-feira, 30 de setembro de 2009

Artesanato do Vale embeleza cenário de peça teatral

Peça com atriz global valoriza artesanato do Vale do Jequitinhonha
Estréia nesta quinta-feira (1º), no Rio de Janeiro, a peça teatral “Um Lugar Chamado Recanto”, que tem como cenário o artesanato do Vale do Jequitinhonha, e no papel principal a atriz da TV Globo, Nivea Stelmann (foto ao lado).
Como a história se passa no sertão mineiro, várias peças estão sendo utilizadas na montagem. O artesanato da região deverá ser visto por milhares de pessoas, já que a peça ficará em cartaz durante um ano e fará apresentações também em outras cidades.
Além de participação no cenário, uma ‘cortina painel’ antecederá o início do espetáculo e mostrará todas as vertentes da arte do Vale do Jequitinhonha.
Peças artesanais também serão expostas, durante o primeiro mês, em uma loja, no local da apresentação.
A loja vai comercializar peças, graças a um esforço conjunto da Secretaria de Estado de Desenvolvimento Econômico (Sede) e do Sebrae-Minas, com a direção do espetáculo.
Projeto Estruturador
A divulgação das peças do Vale do Jequitinhonha é uma das ações que integram o plano estratégico do Projeto Estruturador “ Convivência com a Seca e Inclusão Produtiva ”, sob a coordenação do sistema Sedvan / Idene.
Mais especificamente, está de acordo com o item “Divulgação dos Produtos Característicos da Região”, que visa à organização de estratégias de promoção e comercialização do artesanato dos vales do Jequitinhonha, Mucuri e Norte de Minas.
A Peça "Um lugar chamado Recanto"
A história se passa no sertão mineiro, em um cenário de amor, marcado pela traição, pelo egoísmo e pelo arrependimento. O vilarejo, cenário folclórico da peça, considerada um grande ‘causo’ musicado, é na verdade uma homenagem que a direção presta aos “Drummonds” e “Guimarães”.
O espetáculo é um musical que entrará em cartaz para o público em geral no dia 2 de outubro e conta com atores consagrados, como Nívea Stelman e Daniel Lobo. Na peça, Nívea Stelman faz o papel de Zizinha, uma mulher feia, má e invejosa. Já na novela da TV Globo, Cama de Gato, ela faz outra vilã Paola de Oliveira, mas apresenta a sua beleza natural.
O ator, cantor e compositor de Montes Claros, Tino Gomes, também participa da peça teatral.
Ficha Técnica:
Atores: Nívea Stelmann, Janaina Azevedo, Claudio Galvan, Thais Garayp, Camila Cautti, Daniel Lobo, Ronnie Marruda, Tino Gomes, Monica Horta, Nina Frosi, Bácima Zoghaib, Adriana Moreira, Milton Marcos, Ronan Horta, Fernando Mayrink, Fenícia Mayrink e Cleber Salgado.
Direção: Fred Mayrink - Duração da temporada: Até 21 de Janeiro de 2010.
Local:
Teatro Clara Nunes, Rio de Janeiro
Com informações da Agência de Minas, Revista Quem e Blog da Nivea.

Empate de Chico Mendes em defesa do Cerrado

Geraizeiros promovem empate em defesa do Cerrado
A Comunidade Geraizeira de Raiz, localizada no município de Rio Pardo de Minas, no norte de minas, promoveu no dia 24 de setembro, um empate visando proteger o cerrado e o seu território tradicional.
A exemplo da experiência de Chico Mendes na defesa da Amazônia, quase uma centena de moradores da comunidadede Raiz, distante 30 km da sede do município, promoveram nesta semana, pela segunda vez, e agora com sucesso, uma mobilização para retirada de máquinas da REPLASA que estavam destruindo oscerrados e assoreando os córregos que abastecem de água a comunidade.
No dia 21 de setembro, dia da árvore, uma semana após terem denunciado aos órgãos ambientais o crime que estava sendo cometido em seu território, a comunidade reunida se dirigiu até uma máquina retroescavadeira que estava arrancando tocos de eucalipto em uma área de cerrado em regeneração e próximo às nascentes, solicitando ao maquinista que parasse o serviço.
Em seguida telefonaram para a polícia ambiental que enviou uma viatura ao local. Os policiais, porém, passaram a maltratar verbalmente a comunidade junto com o encarregado da firma.
Empate
Inconformados e mais organizados, agora contando com o apoio da Via Campesina, a comunidade retornou no dia 24 de setembro, ao local, disposta inclusive a atear fogo na máquina se a mesma não fosse retirada do território. O operador retirou a máquina do território demarcado pela comunidade e a mesma comunicou novamente à Policia Militar para realizar um B.O. – Boletim de Ocorrência.
Três viaturas com policiais fortemente armados se dirigiram ao local.P orém, desta vez, reconheceram a demanda da comunidade e lavraram o boletim acolhendo a denúncia e suspendendo todo e qualquer serviço da empresa na referida área.
Segundo o Sr. Eliseu, dirigente do MASTRO – Movimento Articulado dos Sindicatos de Trabalhadores do Alto Rio Pardo, a Comunidade de Raiz é uma comunidade geraizeira que está em busca de seus direitos. Ele esteve visitando a comunidade e confirma a grande devastação ambiental provocada pela monocultura do eucalipto que provocou o secamento de suas águas,deixou a comunidade encurralada, contribuindo também para desestruturar o modo de vida deste povo geraizeiro.
A principal reivindicação da comunidade é que os governos federal e estadual reconheçam o seu território e que contribuam com a recuperação das áreas que foram degradadas pela monocultura do eucalipto.
Eles querem que o modo de vida geraizeiro seja reconhecido e respeitado para que seus filhos não precisem ficar migrando todos os anos em busca de serviço no corte de cana ou na colheita do café nas regiões sudeste ou centro-oeste.
Segundo uma Carta Aberta divulgada no dia 24 de abril de 2008, dia que a comunidade realizou a auto-demarcação de seu território.
Eles afirmam:“Queremos voltar a produzir como antes, explorar com cuidado as nossas riquezas, e que os nossos filhos tenham orgulho de serem geraizeiros.”
Rio Pardo de Minas, 25 de setembro de 2009
Para maiores informações:
Eliseu José de Oliveira – coordenador do MASTRO : (38)9109 3754;
Elmy – Diretor do STR de Rio Pardo de Minas -(38) 91294792
Alvimar – CPT NORTE DE MINAS – (38) 99950114
Álvaro Carrara – CAA NM – (38) 9109 3764.
As instituições têm futuro?
Rudá Ricci
A pesquisa sobre perfil dos jovens deixa a dúvida sobre o futuro das instituições. A pesquisa parece conferir uma nova estrutura mental dos jovens até 25 anos, plenamente impactada pela lógica individualizante da internet. Melhor que individualizante... em rede, sem hierarquia.
Nas feiras do SEBRAE, a Google está oferecendo brindes para as crianças.
E agora está enviando emails sugerindo que que gestores e quadros de governo façam cursos para uso de suas ferramentas.
Já postei uma nota sobre o BING, que ajudará a articular escolhas do internauta (como escolher um roteiro de viagem, por exemplo).
Sem hierarquia ou definição de normas, o internauta jovem desconhece uma autoridade pública.
Richard Sennett chegou a definir esta construção mental da autoridade que ocorre quando uma criança brinca de teatro. Ao ficar triste com a morte do ator que representa um Rei, a criança entra neste mundo da representação, do sentimento transferido para uma representação, base da construção da autoridade, da síntese das relações e desejos que é a autoridade.
Mas o mundo da internet não é este.
A representação é tudo ou nada. Sou eu. Eu posso me esconder num personagem, sabendo que o outro também se esconde. Mas não há transferência alguma, nenhuma empatia de fato.
É um jogo definido por mim, exclusivamente.
Daí, como sociólogo, penso se há futuro para as instituições.
Seriam estruturas sociais pretéritas? Fadadas á fragmentação de redes? Ou estariam caminhando para uma mutação em alta velocidade, algo que nenhum clássico da sociologia ousou imaginar?
Uma instituição é guardiã da moral societária e deve estar colada nos valores e regras em uso, legitimadas socialmente.
Mas sem hierarquia e autoridade legitimadas, como se manteriam?
As redes (structural holes), com conexões múltiplas e variáveis, seriam a nova quase-estrutura que cimentaria as relações?
Neste caso, estaríamos caminhando para comunidades flutuantes, dinâmicas, sem ponto fixo?
O conceito de sociedade, como conhecemos no mundo moderno, cairia em desuso?
Este mundo dos internautas nativos (como alguns denominam os que nasceram na Era da Internet) é algo estranho para um sociólogo que nasceu nos anos 60.
Rudá Ricci é sociólogo, cientista político, doutor em Ciências Sociais, diretor geral do Instituto Cultiva.
Fonte: rudaricci.blogspot.com

André Quintão propõe recursos para BR 367

Deputado propõe recursos para BR367
Mais recursos para o metrô de BH, a conclusão da BR 367 e para a implantação dos Centros de Referência da Assistência Social (CRAS) nos municípios mineiros que ainda não contam com o equipamento.
Essas foram as três propostas apresentadas pelo deputado André Quintão como emendas ao Orçamento Federal, debatido em audiência pública na quinta-feira (24), na Assembléia Legislativa.
A reunião em Minas Gerais foi a primeira de uma série que a Comissão Mista de Orçamento do Congresso Nacional fará neste e no próximo mês, de forma a abranger todos os Estados, para colher sugestões ao Orçamento de 2010.
A ampliação dos recursos destinados às rodovias federais que cortam o Estado foi um dos temas de destaque da Audiência.
André enfocou a importância econômica e social da conclusão da BR 367, envolvendo os trechos que ligam os municípios de Virgem da Lapa, Berilo, Chapada do Norte e Minas Novas, e de Almenara a Salto da Divisa. Já para viabilizar a meta de garantir pelo menos um CRAS em cada município, o deputado propôs o direcionamento de recursos previstos para o Fundo de Assistência Social.
Investimentos de R$ 2,85 bilhões em Minas
O Orçamento da União para 2010, entregue pelo Governo Federal ao Congresso em 31 de agosto, é de cerca de R$ 1,7 trilhão. Para Minas Gerais, estão previstos R$ 2,85 bilhões, sendo R$ 2,17 bilhões dos orçamentos fiscal e da seguridade social e R$ 678 milhões das estatais. A maior parte desses recursos deverá ser empregada em 63 obras do Programa de Aceleração do Crescimento (PAC) no Estado, que somam R$ 1,7 bilhão.
Com informações da Assessoria de Comunicação do Gabinete do Deputado Estadual André Quintão (PT).

Uai, o Jequitinhonha tem praia, ó xente!

Uai, o Vale tem praia o ano inteiro, ó xente!
As onhas do Vale não têm o que reclamar. Tem praia o ano inteiro. Praias de rio: Mendanha (Diamantina), Olhos D'Água, Coronel Murta,na cidade e na Vereda, Itinga, Jequitinhonha(foto abaixo) e Almenara. Nesta época de seca é um arião só.
O Vale do Jequitinhonha baiano apresenta as praias do sal: Porto Seguro (foto acima), Prado, Ilhéus, Belmonte, Santa Cruz de Cabrália, Alcobaça,Caravelas, Mucuri e Nova Viçosa. O Jequitinhonha capixaba oferece as praias de Conceição da Barra, Jaguaré e São Mateus.Quer mais? É só procurar nesta área de 1,6 km2 e mais de 2 milhões de pessoas. Há muitas praias no rio Araçuaí, além das de Berilo e Araçuaí. Nos pequenos afluentes da bacia como o Rio Preto, Itamarandiba, Fanado, Capivari, Setúbal, Ribeirão das Gangorras, Calhauzinho, Itacambiruçu, Salinas, São Pedro, São João, Correntes, e muitos outros.
Ó xente, o Vale do Jequitinhonha, tem praia o ano inteiro, uai!

Rio Araçuaí é poesia

Rio Araçuaí
Olho d’água, que brota do solo.
Fonte natural, perene.
Água pura, cristalina
Água potável.
Águinha de nada... que vem da nascente.
Barulhinho gostoso...
Faz carinho no ouvido da gente.

Agraciado município de Rio Vermelho,
Terra onde Deus colocou a mão.
Preservar com amor e zelo,
Essa imensa riqueza,
dádiva da região,
É de todos, necessária e urgente obrigação.

Água que desce da serra,
Serra do Gavião,
Percorre planícies e faz grotão.
Tornou-se um riozão aqui.
Segredos do Rio Araçuaí

Águas que correm mansas, serenas,
Às vezes, bravias, ligeiras,
Formando quedas, corredeiras,
Cachoeirinha, cachoeirão,
Ou brandas cachoeiras.

Rio Capivari, Ribeirão das Gangorras,
E o Ribeirão do Altar,
Afluentes permanentes,
Sobreviventes,
que insistem a terra fertilizar.

Em linguagem indígena: “Ouro é só aí”.
Hoje, Rio Araçuaí.
Percurso de difícil e longa trajetória
Banhando terras,
Formava as vilas de outrora.

Entre tantas voltas
Numa bela acentuada curva
No município de Berilo,
Incorporas a foz do riacho Água Suja,
Deixando a vista toda riqueza,
Toda a tua beleza,
Todo o teu brilho.

Trazendo lindas mensagens,
Formaste encantadora paisagem,
Propícia a formação da Vila,
Uma das mais antigas
do VALE.

Rio Araçuaí!
Atraídos pelo teu ouro,
Tua riqueza, beleza,
pelo teu Mito,
muita gente
veio morar aqui.

No século XVIII,
saciaste a sede, as curiosidades,
de altas personalidades.
Visionários inconfidentes:
Abreu Vieira,
Padre Rolim,
e Tiradentes.
paisagistas, pesquisadores, escritores,
Patrões , escravos,
e homens mineradores.

Tua belíssima praia
de brancas e, redondas pedrinhas,
outras pedras grandes, irregulares,
polidas brilhantes e bem pretinhas.
Das lavadeiras, o alento,
deixam toda roupa bem clarinha.

Recebendo águas do Calhauzinho
Te tornas o Rio das Araras
De majestade sem igual
Afluente do Jequitinhonha
Na lindíssima Barra do Pontal

Intrépido Rio Araçuaí ,
Onde estão as embarcações de outrora :
Jangadas, balsas, canoas
Tuas armadilhas ou jequis ?
Pescador acelera o barco,
Leva peixes grandes, curimbatãs e lambaris.

Cavaram teu leito,
Roubaram teu ouro.
Ainda hoje, quebram tuas pedras,
sem nenhum respeito.
Provocando abominável assoreamento.
Causas do teu grande desalento.
.Ó MÁTER, Ó CÉUS! Perdoai – nos
Pelos males que causamos,
Pelos peixes que pescamos,
Pela poluição que provocamos,
Pela ganância sem medida,
Pela riqueza perdida.

Ò Deus, Protetor das águas!
Ensinai-nos o não poluir,
Para que a Vida possa SURGIR....

O VALE SONHAR...
AGIR ....e PROSPERAR...
Berilo, 05/07/2006
HAYDÉE ALMEIDA MURTA é agente cultural, poetisa, professora aposentada, 81 anos, participa de movimentos de Terceira Idade, mora em Berilo.

terça-feira, 29 de setembro de 2009

Bandas de Músicas têm Encontro Regional

Ladainha promove Encontro de Bandas de Músicas
A Sociedade Ladainhense de Cultura Musical , da Banda Lira Ladainhense, estará realizando o I Encontro Regional de Bandas de Músicas, no dia 24 de outubro de 2009, na cidade de Ladainha, no Vale do Mucuri.

Há uma expectativa com a participação de bandas de música tradicionais do Vale do Jequitinhonha como as de Berilo, Capelinha, Coluna, Couto Maglhães de Minas, Francisco Badaró, Itamarandiba, Joaíma, Minas Novas, Novo Cruzeiro, Serro, Turmalina, Veredinha e Virgem da Lapa.
As bandas do Vale do Mucuri mais esperadas são as de Carlos Chagas e Teófilo Otoni.

Bandas tradicionais
As badas de músicas tradicionais se compõem com os seguintes instrumentos: flautim, flauta, oboé, clarinete, saxofone, fagote, trompete, trompa, trombone, e tuba, bombo, pratos e timbales.
As mais antigas de Minas Gerais são de Cachoeira do Campo, município de Ouro Preto, a Banda Euterpe Cachoeirense (1856),Sociedade Musical União Social (1864).
As Bandas tem um repertório riquíssimo, ancorado na rica tradição musical brasileira, sempre em sincronia com os ritmos populares, composto de hinos, dobrados, canções cívicas, religiosas, folclóricas e populares e guarda em seu repertório a essência de uma música que até hoje esta presente em nosso dia.

PROGRAMAÇÃO
Recepção das Bandas na Escola Estadual de Ladainha;
11:00 às 12:00 h – Almoço para os participantes;
13:00 – Reunião com os Maestros;
14:40 h- Desfile individual, de cada Banda
15:00 h – Encontro de Bandas na Praça da Escola;
15:30 h – Desfile do Bandão – Momento em que se juntam todas as Bandas participantes, tocando Dois Corações e Cisne Branco.
16:00 h – Abertura do evento, na Praça da Alegria, com Execução do Hino Nacional, em si bemol
Apresentação individual das bandas participantes, com execução de 3 músicas.
21:00 h - Encerramento do evento.
Informações: (33) 3524-1277 com Livon Cleyff ou Geraldo Guimarães (Gegê) ou
liraladainhense@gmail.com

Balançao da Copa Aranãs de Futebol

10ª COPA ARANÃS FM DE FUTEBOL
BALANÇO DA 5ª RODADA - 27/09/09 - domingo
RESULTADOS DOS JOGOS:
GRUPO A: Atalanta (Ita) 2 x 2 Cometa (AB)
Gols: Adílio - 2 (Ata) - Kleber e Rodrigo (Cometa)
Trio: Branco, Zé de Aurélio e Tuchê (Capelinha)
Equipe: Rogério Chaves e Lafaiete Lima
Público Estimado: 400 torcedores
GRUPO B: Setubinha 2 x 1 Atalanta (Mal)
Gols: Pomarola e Pablo (Set) - Rodrigo (Ata)
Trio: Pedro Rodrigues, Carlos Roberto e Paulo Santos (Teófilo Otoni)
Equipe: Walter Neves, J.Reis, Walter Júnior e Walber
Público Estimado: 300 torcedores
GRUPO C
: Unidos do Morro 0 x 1 Turmalina
Gol: Tiago (Turmalina)
Trio: Dito, Vanderly e Otacílio (Capelinha)
Equipe: Aldair Gomes e Nísio Moreira
Público Estimado: 400 torcedores
GRUPO D: Angelândia 2 X 1 Independente
Gols: Meio-Kilo e Sérgio Adriano (Angelândia) - Eduardo (independente)
Trio: Dedé, Zé Dadú e Golo (Capelinha)
Equipe: Tico Neves, Geralda Lima e Patrícia
Público Estimado: 800 torcedores
Número de Jogos: 04 - Número Gols Marcados: 11
Média Gols Por Jogo: 2,8 - Público total Estimado: 1.900 torcedores
Cartões Amarelos: 26; Cartões Vermelhos: 04.
DESTAQUES DA RODADA:
Atalanta (Ita): Adílio Cometa (AB): Kleber
Setubinha: Pablo Atalanta (Mal): Rodrigo
Unidos do Morro (AB): Vanderson
Turmalina: Tiago
Angelândia: Sérgio Adriano e Meio-Kilo
Independente: Borracha e Eduardo
DESTAQUE DA RODADA
: Sérgio Adriano (Angelândia) PRÊMIO DA PNEUSCAP
ARTILHEIRO DA RODADA:
Adílio (Atalanta-Ita) : 2 gols PRÊMIO do Café Gema de Minas
BALANÇO GERAL DA COPA:
Número de Jogos: 20; Número de gols marcados: 57; Média de gols por jogo: 2,9.
. Público Total Estimado: 15.200 torcedores
. Média de Público Estimado Por Jogo: 760 torcedores
. Melhor Ataque: Novo Cruzeiro (10 gols) - Cometa-AB (09 Gols)
. Pior Defesa: Setubinha (09 Gols) - Unidos do Morro, Atalanta (Ita) e Atalanta (Mal): 08 Gols
. Artilheiros: Adílio (Atalanta-Ita) com 04 gols Hudson (Novo Cruzeiro), Anilson (Colegial) e Rodrigo (Cometa-AB): 03 Celinho e Yuri (Novo Cruzeiro), Pomarola (Setubinha), Meio-Kilo (Angelândia), Daniel (MinasNovas), Gabriel (Turmalina) e Vanderson (Unidos do Morro): 02 gols.
. Times Invictos: Novo Cruzeiro, Turmalina, Aranãs e Cometa (AB)
. Time Mais Disciplinado: Aranãs( 03 C.A.) e Cometa-Cap (05 C.A.)
. Jogos Com Vitórias: 17
. Jogos Empatados: 03
. Vitórias Times Mandantes: 10
. Vitórias Times Visitantes: 07
. Goleadas: 04
DESTAQUES DAS RODADAS:
1ª RODADA: Celinho (Novo Cruzeiro)
2ª RODADA: Kleber (Cometa-AB)
3ª RODADA: Meio-Kilo (Angelândia)
4ª RODADA: Vanderson (Unidos do Morro)
5ª RODADA: Sérgio Adriano (Angelândia)
JOGADORES SUSPENSOS PELO 3º CARTÃO AMARELO:
Eré (Novo Cruzeiro), Verley (Setubinha), Fábio Júnior (Minas Novas) e Alex e Ozéia (Turmalina)
JOGADORES SUSPENSOS POR CARTÃO VERMELHO:
Samuel Sabino (Comerta-AB) e Edmar (Setubinha)
JOGOS DA PRÓXIMA RODADA - 03 e 04/10
GRUPO A - 15:30 h. - Em Água Boa: Cometa (AB) X Colegial (Ita) CANCELADO
GRUPO B - 16:00 h. - Em Malacacheta: Atalanta X Novo Cruzeiro (04/09)
GRUPO C - 20:00 h. - Em Minas Novas: Minas Novas X Turmalina (03/09)
GRUPO D - 16:00 h. - Em Angelândia: Aranãs X Cometa (Cap) (04/09).
Com informações da Rádio AranãsFM, de Capelinha

Vassouras do mato e o olhar feminino

Catando Vassouras
Pe. Nery Charlon Ribeiro Chaves

Estando assentado, outro dia, perto a um terreno baldio, fiquei observando enquanto uma senhora de mais ou menos quarenta anos de idade, se embrenhava no meio do mato para catar pequenos talos que ia ajuntando no braço. Num estalo, lembrei-me da infância quando ficava observando as mulheres catando vassouras (era como a gente chamava) no meio da capoeira para varrer forno, quintal, calçada e etc. Fato é que, as vassouras formadas com os pequenos talos arrancados no meio do mato tinham muito aplicação, mas, o que me chamava a atenção não era a serventia, mas, a forma como as vassouras eram feitas.
Aparentemente o mato não pode oferecer nada de bom, é apenas um espaço tomado pelo acúmulo de ervas e pequenos arbustos nascidos ao léo. O que mais me encanta é que, a aparente inutilidade e feiúra não desvirtua o olhar da mulher que enxerga onde outros não puderam ver.
Ali, na suposta sujeira do matagal, ela vai entrando e colhendo, cuidadosamente, os talos necessários para compor o seu objeto de desejo: a vassoura. Parece que o olhar dessa mulher guarda um estranho encanto que a faz ver riquezas onde muitos não encontram nada.
Esse olhar se parece muito com o olhar de Jesus que, enxergando vida e dignidade onde havia desprezo e exclusão, foi colhendo parte por parte destes elementos deixados , formando um ramalhete de oferta ao Pai em forma de resgate e redenção.
Senti um profundo desejo de olhar assim para as coisas da minha vida e também para as pessoas e mundo. Em lugar de encontrar apenas perdição e desilusão; no simples, no escondido, encontrar formosura e encanto.
Eu quero catar vassouras, eu quero enxergar além ...

segunda-feira, 28 de setembro de 2009

Itamarandiba - Vale do Jequitinhonha
Agência do INSS já está em c0nstrução
No domingo, 13/09, deu inicio aos primeiros procedimentos para a construção do prédio da Agência da Previdência Social em Itamarandiba, no Vale do Jequitinhonha.
Foram feitas as coletas do solo utilizando-se do método de sondagens do terreno, quando foram colhidas amostras do solo para análises. O Terreno foi doado pela prefeitura ao INSS e a escritura já foi lavrada no inicio de julho.
A nova agência é uma das 48 que serão construídas no estado de Minas, dentro do Plano de Expansão da Rede de Atendimento, nos municípios com mais de 20 mil habitantes.
É uma grande conquista para todos os itamarandibanos e para as cidades vizinhas, pois hoje para se resolver assuntos ligados ao INSS há mnecessidade de se deslocar quase 200 Km até a cidade de Diamantina.

Em breve, os itamarandibanos poderão usufruir de mais esse benefício.
Paulo Afonso

Fonte: Blog Itamigos, Amigos de Itamarandiba, nordeste de Minas.

A importância do Conhecimento

A Importância do Conhecimento
Adelaide Cires - Almenara - Vale do Jequitinhonha
Outro dia, um amigo me perguntou por que eu resolvi voltar a estudar depois de muito tempo afastado da escola? Só consegui lhe responder que o tempo não para e que nunca é tarde pra acompanhar a evolução que o próprio tempo nos traz. Sei também que o conhecimento está diretamente ligado ao Princípio da Informação que diz que todos têm o Direito de informar, de se informar e ser informado. E, principalmente, por que o conhecimento é imprescindível para a própria evolução do ser humano. À medida que evoluímos, todos os nossos princípios e condutas evoluem também.
Acredito que o ser humano vive em função dos desafios que a vida lhe apresenta. Por isso, a minha missão é muito mais cômoda de que a de muitos colegas meus que têm que enfrentar todos os dias úteis da semana estradas como a de Jordânia à Almenara, Pedra Azul à Almenara, Medina à Almenara com o fantástico objetivo de se obter sabedoria e conhecimento. Tiro o meu chapéu para todos que no limiar de todas as dificuldades, aceitam e enfrentam todos estes desafios que a vida lhes traz.
Nasci em 1960, portanto tenho 49 anos e confesso que não me preocupo se vou ou não terminar as minhas missões, só sei que existe em mim um impulso incontrolável de querer entender toda complexidade que há na nossa mente, no nosso destino. E, por que somos tão vulneráveis às ilicitudes dos atos humanos. Por que não conseguimos até hoje, depois de séculos e séculos conviver-mos em perfeita harmonia, uns respeitando aos outros, evitando que assim fossem criados tantos institutos jurídicos para nos coibir.
Fiquei muito tempo sem freqüentar escolas, mas, nunca deixei de estudar, de me informar e aprender.

“Todos estamos matriculados na escola da vida, onde o mestre é o tempo”
Cora Coralina

Promotoria quer evitar demolição de Casarão

Itamarandiba
Casarão histórico não pode desmoronar
Ministério Público quer garantia de obras emergenciais A pedido do Ministério Público, Justiça concede liminar que determina a adoção de medidas emergenciais, em 30 dias
A pedido do Ministério Público Estadual (MPE), a Justiça concedeu liminar determinando que o Município de Itamarandiba, no Vale do Jequitinhonha, realize obras emergenciais para evitar o desmoronamento de casarão histórico localizado no Centro da cidade(foto cima).
A liminar é parte da Ação Civil Pública proposta contra o município e contra a proprietária do imóvel conhecido como "sobradão". Na ação, o MPE pede que os réus sejam obrigados a restaurar integralmente o imóvel no prazo de 12 meses, de acordo com projeto técnico elaborado por profissional habilitado aprovado pelo Conselho Municipal do Patrimônio Cultural de Itamarandiba e pelo Instituto Estadual do Patrimônio Histórico e Artístico (Iepha).
Emergências
Em 30 dias, o município deverá colocar lonas para conter as infiltrações; efetuar o escoramento adequado e a consolidação das paredes que ameaçam ruir; vedar os vãos de portas e janelas; executar a limpeza do imóvel e a capina da área ao redor, sob pena de multa diária de R$ 2 mil. A medida cautelar visa a evitar o desmoronamento do bem para que seja posteriormente restaurado.
O imóvel, construído por volta de 1790, foi tombado pelo município em 2003. No ano seguinte, o Iepha relatou o mau estado de conservação e a falta de um sistema de prevenção e combate a incêndio.
Conforme ofício do instituto, entre 2005 e 2008, o município não encaminhou os laudos de conservação, o que, para o autor da ação, promotor de Justiça Alessandro Ramos Machado, demonstra que nenhuma medida efetiva foi adotada para sanar os problemas detectados.
A deterioração levou à retirada de órgãos estaduais e municipais que funcionavam no local. Vistorias técnicas constataram não apenas a precariedade do imóvel, mas também o risco de desabamento.
Nos laudos, os técnicos demonstraram ainda a preocupação com a chegada do período de chuvas, que pode acelerar o desmoronamento da edificação e colocar em risco as pessoas e as casas vizinhas.
Assessoria de Comunicação do Ministério Público de Minas Gerais - Núcleo de Imprensa

Copa Aranãs define seis equipes na próxima fase

Copa Aranãs: seis equipes avançam para outra fase
Novo Cruzeiro e Turmalina despontam como favoritos a campeão A quinta rodada da Copa Aranãs, neste domingo, à tarde, foi decisiva para a maioria das equipes. Seis delas avançaram para a próxima fase: Novo Cruzeiro ( foto acima), Turmalina; Cometa, de Água Boa; Colegial, de Itamarandiba, Minas Novas e Angelândia.
Itamarandiba
O Atalanta (Ita) empatou com o Cometa (AB), por 2 x 2 , em Itamarandiba, pelo grupo A. Com este resultado o Cometa classificou-se em primeiro lugar, levando para o segundo o Colegial ( Ita), arquirival local do Atalanta.
Setubinha
Em Setubinha, pelo grupo B, o time da casa precisava somente da vitória para seguir em frente. E conseguiu: venceu seu adversário direto, o Atalanta ( Mal), por 2 X 1. Agora, espera, torcendo contra o rival, o último jogo do grupo, dia 04/10, em Malacacheta, entre Atalanta e Novo Cruzeiro. Ao time de Malacacheta só interessa a vitória. E vai enfrentar o melhor time do campeonato. O jogo promete.
Turmalina
Em Água Boa, mesmo precisando apenas de um empate para se classificar, o Turmalina ganhou do Unidos do Morro, por 1 x 0. Com esta derrota, o time de Água Boa já está fora da próxima fase. O primeiro critério de desempate é o confronto direto. O Minas Novas tem 3 pontos, o mesmo do Unidos do Morro. Porém, ganhou uma e perdeu outra no confronto direto, mas tem o melhor saldo de gols, neste quesito. Pode perder para o Turmalina, no próximo domingo, que já está classificado no 2º lugar do grupo C.
Angelândia
O Angelândia (time de azul, na foto acima), jogando em casa, fez o que precisava para derrotar o Independente, de Capelinha, por 2 x 1. Assim, garantiu a sua classificação para a próxima fase. O resultado do jogo do próximo domingo, 04/10, entre Cometa (Cap) e Aranãs, vai definir a posição de cada time no grupo D.

Destaques
Os destaques são para o Novo Cruzeiro e Turmalina que ganharam as três partidas disputadas. Novo Cruzeiro tem também o melhor ataque com 10 gols, tendo levado apenas um gol, com saldo de 9 gols. Turmalina também tem nove pontos, tendo marcado 4 gols, com três de saldo.
Vagas em disputa
Quatro equipes disputam 2 vagas restantes, no Grupo B e D. O Atalanta, de Malacacheta, joga em casa, no próximo domingo, contra o Novo Cruzeiro, precisando vencer para passar para a fase seguinte. O Setubinha torce por um empate ou derrota do Atalanta.
No grupo D, o grupo da morte, o Aranãs, de Capelinha, enfrenta o Cometa (Cap), dia 04/10. Precisa apenas de um empate para ser o primeiro do seu grupo. O Cometa, também de Capelinha, precisa ganhar por uma diferença de 2 gols. Se ganhar pelo placar mínimo, três times ficam com 6 pontos e 2 vitórias: Cometa, Angelândia e Aranãs (ambos com 2 gols de saldo, ataualmente). Aí, classificam-se Angelândia e Aranãs. O Cometa tem saldo negativo de um gol. Por isso, necessita de vitória com diferença de gols mais ampla, de dois ou mais.
Desclassificados
Os times do Atalanta (Itamarandiba), Unidos do Morro (Água Boa) e Independente, de Capelinha, não têm nenhuma chance de classificação.
CLASSIFICAÇÃO POR GRUPO:
GRUPO A
1º Lugar: Cometa (AB) - 07 pontos - Saldo: 04 gols
2º Lugar: Colegial (Ita) - 04 pontos - Saldo: -1 gol
3º Lugar: Atalanta (Ita) - 02 pontos
GRUPO B
1º Lugar: Novo Cruzeiro - 09 pontos - Saldo: 08 gols
2º Lugar: Setubinha - 03 pontos - Saldo: - 04 gols
3º Lugar: Atalanta (Mal) - 01 ponto - Saldo: - 03 gols
GRUPO C
1º Lugar: Turmalina - 09 pontos - Saldo: 03 gols
2º Lugar: Minas Novas - 03 pontos - Saldo: 03 gols
3º Lugar: Unidos do Morro ( AB) - 03 pontos, saldo - 6 gols.
GRUPO D
1º Lugar: Angelândia - 06 pontos - Saldo: 02 gols - Marcou 05 gols
2º Lugar: Aranãs - 06 pontos - Saldo: 02 gols, marcou 2 gols
3º Lugar: Cometa (Cap) - 03 pontos - Saldo: - 01 gol
4º Lugar: Independente - 00 ponto - Saldo - 3 gols
Times Classificados para a 2ª fase:
Grupo A- 1ª Cometa (AB) e 2º Colegial (Ita)
Grupo B- 1º Novo Cruzeiro
Grupo C- 1º Turmalina e 2º Minas Novas
Grupo D - Angelândia.
Com informações da Rádio AranãsFM, de Capelinha.

De infarto, morre prefeito de Rubelita

Morre de infarto prefeito de Rubelita
Devany, do PT, exercia primeiro mandato
O prefeito de Rubelita, no Vale do Jequitinhonha, Devany Ferreira Murta, de 56 anos, morreu vítima de um infarto, por volta das 23 horas deste domingo (27/09).
De acordo com informações da Policia Militar, Devanir, chegou a ser levado para o hospital municipal de Salinas, no Norte de Minas.
Por telefone, o hospital informou que o prefeito chegou sem vida ao local. O corpo de Devany Ferreira Murta, do Partido dos Trabalhadores, que exercia o primeiro mandato como prefeito de Rubelita, está sendo velado na Câmara Municipal da cidade.
A família divulgou que haverá uma Missa de corpo presente, às 6 horas da manhã, desta terça-feira, 29/09.
O enterro será às 7 horas, no Cemitério Municipal de Rubelita.
Com informações da in360.globo.com/mg

CISMEJE melhora serviços de saúde no Médio Jequitinhonha

CISMEJE inaugura sede com novos serviços de saúde
Araçuaí - Vale do Jequitinhonha
Na sexta-feira, 25/09, prefeitos, vereadores, secretários municipais e profissionais de saúde, lideranças diversas de 11 municípios do Médio Jequitinhonha instalaram a nova sede assistencial do CISMEJE – Consórcio Intermunicipal de Saúde do Médio Jequitinhonha, em Araçuaí, no nordeste de Minas.
O CISMEJE, fundado em 1995, que vem se consolidando como um dos consórcios públicos mais eficientes do interior de Minas, atende a uma população de cerca de 173 mil pessoas.
A sede, inteiramente ampliada e equipada, dispõe de salas de Raio X, Fisioterapia, Oftalmologia, Cardiologia, Fonoaudiologia, Ultrasonografia,Transporte em Saúde, Administração e sala de reunião.
Participam deste consórcio os seguintes municípios: Araçuaí, Berilo, Coronel Murta, Francisco Badaró, Itinga, Jenipapo de Minas, Itaobim, Comercinho, Medina, Ponto dos Volantes e Virgem da Lapa.

Cooperação regional
Na solenidade, Averaldo Moreira Martins (foto), o Dim, prefeito de Virgem da Lapa e presidente do Cismeje, também destacou a importância da cooperação regional. Segundo ele, o associativismo é o caminho para o desenvolvimento do Vale do Jequitinhonha. “Com a solidariedade entre os municípios e com as políticas públicas duradouras implantadas pelo Governo Estadual e Federal é possível superar os entraves históricos”.
A Secretária Executiva do Cismeje e presidente do Colegiado dos Secretários Executivos dos Consórcios Intermunicipais de Saúde (Cosecs/MG), Maria de Jesus Loredo Rocha, a Zuzu, destacou que um dos impactos positivos da nova sede será a humanização no atendimento. “Esse espaço foi concebido para que o usuário se sinta acolhido. A qualidade na assistência começa pelas instalações. A autoestima dos profissionais de saúde aumenta na mesma medida em que aumenta também a confiança do cidadão”, disse.
Parceria do Estado

O Secretário de Estado de Saúde, Marcus Pestana, destacou a importância dos consórcios intermunicipais de saúde no fortalecimento do Sistema Único de Saúde de Minas Gerais (SUS/MG). “O consórcio é um instrumento operacional para resolução de alguns dos desafios da área da saúde. Minas é um estado que se caracteriza por realidades regionais desiguais. Cerca de 500 municípios têm menos de 10 mil habitantes. A maior parte deles enfrenta dificuldades na garantia do acesso integral à saúde. Para enfrentá-las é preciso que se estabeleça uma rede solidária e cooperativa”, assegurou o secretário. Essa rede, de acordo com Pestana, se constrói a partir de uma pactuação entre os municípios. “O direito à cidadania não conhece fronteiras. Neste pacto solidário e cooperativo o Estado atua como árbitro, como maestro, estimulando e coordenando as ações”, afirmou o secretário.
Consórcio como pacto
O consórcio intermunicipal é um pacto entre dois ou mais municípios que se comprometem a executar, em conjunto, um determinado empreendimento. Esta forma de associação permite que as cidades assegurem a prestação de serviços às populações.
A Secretaria de Estado de Saúde (SES) investiu R$ 550 mil neste empreendimento, sendo R$ 293.084,68 em equipamentos e R$ 256.915,32 em obras.
De 2003 a 2009, só no Cismeje o Governo de Minas já investiu cerca de R$ 3 milhões.
Com informações da Agência Minas

domingo, 27 de setembro de 2009

Cisaje recebe investimentos e se fortalece

Serviços de saúde do Alto Jequitinhonha recebem quase R$ 1 milhão
Diamantina - Vale do Jequitinhonha
Com o objetivo de contribuir para o fortalecimento da saúde na Macrorregião Jequitinhonha, composta por 22 municípios, o Centro Viva Vida e o Centro de Especialidades Médicas, obras com previsão de término para dezembro deste ano, receberam nesta sexta-feira (25), em Diamantina, recursos do tesouro estadual para a compra de equipamentos e materiais de uso permanente. A verba ultrapassa R$ 879 mil.

Os investimentos serão viabilizados por meio de dois convênios firmados entre a Secretaria de Estado de Saúde (SES) e o Cisaje (Consórcio Intermunicipal de Saúde do Alto Jequitinhonha).
O primeiro, no valor de R$ 250 mil, é destinado à compra de equipamentos do Centro de Especialidades Médicas.
O outro convênio, no valor de R$ 629.486,00, visa equipar o Centro Viva Vida.
Com uma estrutura de 1.492 metros quadrados para atender cerca de 260 mil habitantes da macrorregião o Centro de Especialidades Médicas e o Centro Viva Vida irão beneficiar e fortalecer a saúde do Alto Jequitinhonha.
“Este é o início de um momento muito importante. A SES está investindo em toda a região e este é um grande diferencial para o desenvolvimento do Vale. Desta forma os municípios também estão sendo fortalecidos”, afirmou o presidente do Cisaje, Geraldo de Fátima Oliveira.
Serviços Especializados
O Centro de Especialidades oferecerá serviços em cardiologia, ortopedia e neurologia.
Com o Centro Viva Vida, a população passará a contar com diversos serviços, como prevenção, diagnóstico e tratamento das DSTs, além de acompanhamento dos portadores de HIV.
Também será oferecido atendimento ginecológico na adolescência e à mulher vítima de violência sexual.
Haverá, ainda, assistência para a concepção de casais inférteis e ao pré-natal de alto risco, entre outros serviços.
Na implantação do Centro Viva Vida cabe ao Estado, além da destinação dos recursos financeiros para a construção e para aquisição dos equipamentos necessários, o repasse mensal de cerca de R$ 120 mil para o custeio.
Serão adquiridos desfibriladores, carrinhos de emergência e outros equipamentos que irão oferecer um atendimento de qualidade aos usuários.
“A assinatura destes convênios representa a parceria entre a SES e o Cisaje, o que é um exemplo para toda Minas Gerais. Investir na saúde do Vale do Jequitinhonha é uma das prioridades do Governo de Minas para o desenvolvimento da região”, afirmou o secretário Pestana.
Veículos
Durante o evento Pestana entregou ao Cisaje um micro-ônibus no valor de R$ 180 mil e um veículo Uno, que atenderão ao município de Diamantina de acordo com o que prevê o Sistema Estadual de Transporte em Saúde (Sets) e o Programa Saúde em Casa.
O prefeito de Diamantina, Geraldo da Silva Macedo, reforçou a importância dos investimentos. “Antes a Prefeitura de Diamantina gastava mensalmente cerca de R$ 50 mil por mês com transporte de pacientes. Além do conforto e segurança, com a entrega destes veículos os gastos serão de aproximadamente R$ 11 mil por mês”, comemorou.
O assessor do Sistema Sedvan, Luiz Henrique Maia Santos, lembrou dos avanços na saúde no Vale do Jequitinhonha. “Percebe-se uma grande evolução na saúde no Vale e este progresso continua crescendo para o benefício da região”.
O secretário Pestana lembrou ainda os novos investimentos realizados na região, como a implantação do Canal Minas Saúde, Telemedicina e as unidades do Farmácia de Minas. “Estamos cumprindo a nossa missão. Eliminando os desafios que existem no trabalho e levando saúde não somente para o Vale do Jequitinhonha como para todas as regiões mineiras”, concluiu.
Municípios do Alto Jequitinhona:
Alvorada de Minas, Aricanduva, Capelinha, Carbonita, Chapada do Norte, Congonhas do Norte, Couto de Magalhães de Minas, Datas, Diamantina, Felício dos Santos, Gouveia Itamarandiba, Leme do Prado, Minas Novas, Presidente Kubitschek, Santo Antônio do Itambé, São Gonçalo do Rio Preto, Senador Modestino Gonçalves, Serro, Turmalina e Veredinha.
Com informações da Agência de Minas

Movimento cultural se mirou no Festivale

Movimento Cultural de Águas Formosas e o Festivale
O Vale do Jequitinhonha se orgulha de possuir, desde a década de 1970, movimento cultural popular organizado em torno da realização do FESTIVALE. O que pouca gente sabe é que o FESTIVALE influenciou jovens artistas muito além dos limites das terras banhadas pelo Jequitinhonha e seus afluentes.
O FESTIVALE inspirou, por exemplo, um grupo de jovens de Águas Formosas, município do Vale do Mucuri, a criar, no final dos anos 1970, o MOCAF – Movimento Cultural de Águas Formosas.
Sobre isso eu conversei, na Biblioteca Municipal da cidade, num sábado (6 de julho de 2009) de sol intenso, com Celso Ferraz, um dos protagonistas desta história. Os olhos de Celso Ferraz brilhavam enquanto ele rememorava os acontecimentos que deram forma ao MOCAF, escrevia letras de músicas compostas por amigos que se envolveram com o MOCAF. Uma ponta de saudade atravessava sua fala, misturada ao orgulho de ter participado do que ele considera uma era de ouro da cultura em Águas Formosas.
Conforme Celso Ferraz, rapazes de 18 e 19 anos, alguns já residindo em Belo Horizonte para estudar e trabalhar, se reuniam nos meses de férias na “capital do Pampã”. Ficavam madrugada adentro nas ruas de Águas Formosas, conversando fiado, esquentando fogo, remoendo assuntos de música e teatro com os quais eles entraram em contato na agitada Belo Horizonte.
Entre as novidades de então, figuravam os jovens artistas do Vale do Jequitinhonha, cuja projeção aumentava em função do surgimento do FESTIVALE.
Os rapazes de Águas Formosas resolveram emular seus vizinhos do Jequitinhonha, do que resultou a criação do MOCAF.
Uma mobilização idealista, generosa, praticamente sem qualquer institucionalização, ao contrário do que acabou ocorrendo com o movimento que lhe serviu de inspiração. Com sonhos na cabeça e disposição para concretizá-los, os rapazes de Águas Formosas obtiveram algum apoio na cidade, da Prefeitura e de homens de negócio, para organizar o Festival da Canção de Águas Formosas (FECAF).
De 1979 a 1984, o Festival da Canção de Águas Formosas ocorreu regularmente, no mês de julho, com programação diversificada ao longo de três dias. Música, teatro e oficinas de arte integravam as atividades do Festival. As eliminatórias e a final do Festival de Música aconteciam à noite, no Parque de Exposições da cidade.
As cidades próximas de Águas Formosas, como Crisólita, Machacalis, Fronteira dos Vales e Pavão, contribuíram para engrossar o público que acompanhava os eventos do FECAF. Músicos e compositores do Vale do Pampã apresentaram-se nessas edições do Festival. Todavia, as cidades ribeirinhas do rio Todos os Santos (Teófilo Otoni) e do rio Mucuri (Carlos Chagas e Nanuque) ficaram bastante alheias ao Festival. Sinal evidente de que, no plano cultural, o Vale do Mucuri jamais alcançou o nível de coesão que se observa no Vale do Jequitinhonha.
Se na direção sul de Águas Formosas imperava a desarticulação, nos rumos oeste e norte vingavam as trocas intensas, o congraçamento familiar e entusiasmado.
Os artistas do Vale do Jequitinhonha foram presenças constantes no FECAF. Rubinho do Vale (de Rubim), Carlos Lucena (de Joaíma) e José Machado (de São Pedro do Jequitinhonha, animador dos trabalhos no campo do teatro).
Outros artistas mineiros também participaram do Festival de Águas Formosas: João Carlos Cavalcanti (de Ponte Nova), Tadeu Franco, Chico Canela (de Três Pontas) e Sérgio Moreira. Por sinal, é de Sérgio Moreira a letra da música “Águas Formosas”, uma espécie de hino do FECAF, composto enquanto os rapazes tomavam banho de cachoeira à espera da noite final do evento, na edição de 1982:
Águas Formosas
Águas Formosas, formosas águas,
Belas meninas nas mini-saias,
Pura beleza plantada nas águas do Mucuri.
Canto a noite, estrelas em pleno parque,
A gente vai se unir.
Águas Formosas, o Mucuri te alcança
E lança um sorriso, cobre de alegria a praça.
Águas Formosas, formosas águas,
E a gente que chegou te ama,
Te abraça.
A partir de 1985, diversos motivos fizeram o Festival da Canção de Águas Formosas desaparecer. Para Celso Ferraz, faltou apoio das administrações municipais e, principalmente, saíram muitos jovens ligados ao MOCAF.
As obrigações sisudas da vida adulta tomaram o tempo deles, afastando-os da fruição da produção cultural desinteressada. Na verdade, penso eu, a mística dos festivais e da cultura popular arrefeceu, na medida em que a indústria cultural avançou rapidamente no país, durante o último quartel do século passado.
O que causa angústia é saber que a maioria das canções e dos trabalhos de arte e artesanato apresentados nas seis edições do FECAF está se perdendo ou já se perdeu inteiramente. Não há registros organizados sobre o Festival, que parece não ter tido um memorialista ou cronista dedicado, meticuloso, inventivo.
O próprio Celso Ferraz lembrou com dificuldade da letra que compôs, musicada por Zé das Águas, e que obteve o segundo lugar na edição de 1983 do FECAF. Uma canção escrita na fazenda, varando a madrugada, depois que Celso Ferraz viu na TV as notícias e imagens dramáticas dos combates na Guerra das Malvinas:
Canto Latino
A América planta com as mãos
Os corpos dos seus irmãos,
Tentando assim entender a flor que irá brotar.
Canta América viva, canta sua poesia.
Se não perdermos a guerra,
a paz nascerá no outro dia.
E a mãe não vai mais chorar.
Cabeças sem medo erguerão,
Divisas voarão pelo ar,
Meu povo virá à avenida
prá todos juntos cantar,
Prá todos juntos cantar.
Afia o facão, seu posseiro,
Trincheire o chão, garimpeiro,
Anuncie com berrante, vaqueiro
E vamos todos lutar.
É uma parte importante da cultura de Minas Gerais que cai no esquecimento.
Expressões de sentimentos e de vivências que parecem ter gorado, porque não deixaram legado e não se prestarão a reinterpretações.
Por Marcos Lobato Martins, 18 de setembro de 2009

sábado, 26 de setembro de 2009

Transplante de Córnea, precisa-se de pacientes!

Hospital de Sorocaba precisa de pacientes para transplante de córneas
O Jornal da Rede Globo mostrou uma reportagem sobre o Hospital dos Olhos de Sorocaba, interior de São Paulo.
Esse Hospital é da Maçonaria, sem fins lucrativos.
Ele é conveniado com o SUS, tendo a capacidade para realizar cerca de trezentos transplantes de córneas por mês, pois há um estoque de córneas suficiente para a realização dos mesmos.
Entretanto, esse Hospital está realizando somente cerca de cento e vinte transplantes por mês, devido a falta de pacientes.
As córneas não utilizadas estão sendo jogadas fora por passarem do tempo de utilização / validade !
Repassando de mão em mão, galera, este aviso e alerta, poderá cair na mão de alguém que conheça uma pessoa que está à espera de córneas.
Ela entra em contato com o Hospital Oftalmológico de Sorocaba -SP .
Telefone: (15) 3212-7009 - de 2ª a 6ª feira.

Atenciosamente,
Dr. Eduardo Bezerra - Médico.
Por favor, repassem este alerta.
Você pode não estar precisando, mas sempre há alguém necessitando.
Este texto está circulando há 3 meses na internet, via email. Tente verificar o serviço.

Festival de Gastronomia e Cultura de Minas Novas

Jequisabor, o dicumê mais gostoso
Começa neste sábado, 26/09, em Minas Novas, no Vale do Jequitinhonha, Jequisabor – Festival Cultural e Gastronômico – 2009.
Quatro casas vão apresentar pratos diferentes e concorrer ao troféu de melhor comida de boteco da cidade. Além disso, o cardápio cultural apresenta artistas de vários segmentos.
A idealizadora do evento, Ereni Pimenta, diz que apesar de ter começado um pouco atrasado, o evento promete ser um sucesso.
Participam do Jequisabor 2009 em Minas Novas a Pizzaria Sabor de Minas, Lanchonete Sorveteria Pingüim, Restaurante Imperial e Lanchonete Bom Sabor. Todas as casas terão apresentações artísticas no dia da votação. Informações no cardápio guia que está sendo distribuído pela cidade ou na Secretaria Municipal de Cultura, Turismo e Comunicação.
O telefone de lá é 0 (33) 3764 -2701.
Com informações da Rádio Bom Sucesso, de Minas Novas

Estudantes de Minas Novas lutam pelo rio Fanado

Estudantes se mobilizam em defesa do rio Fanado
Minas Novas - Vale do Jequitinhonha
Alunos da Escola Estadual Doutor Agostinho da Silva Silveira, em Minas Novas, no Vale do Jequitinhonha, se preparam para colocar em prática a primeira ação do Projeto Educação Ambiental para Recuperação do Rio Fanado – Atitudes que fazem a diferença.
Junto com entidades engajadas no movimento ambiental da cidade a comunidade escolar vai arregaçar as mangas e coletar o lixo que está nas margens do rio entre a Rua da Barra e Barragem das Almas.
Segundo a diretora Terezinha Barbosa o objetivo é concientizar os alunos com relação à degradação do rio.
Quem quiser participar da coleta de lixo pelas margens do Rio Fanado basta comparecer à Praça Barão de Rio Branco, próximo à Igreja de São Gonçalo, neste sábado, 26/09, às 09 horas.
O Projeto Educação Ambiental para Recuperação do Rio Fanado – Atitudes que fazem a diferença da Escola Doutor Agostinho ainda tem dezenas de ações ao longo do ano.
Com informações da Rádio Bom Sucesso

sexta-feira, 25 de setembro de 2009

PÉSSIMO ESTADO DE CONSERVAÇÃO DA MGT 342 PODE CAUSAR ACIDENTES
Rodovia liga Araçuaí-Coronel Murta - Rubelita - Salinas.
Motoristas que trafegam pela MGT 342 que liga Araçuaí a Salinas estão indignados com as condições precárias da rodovia. A estrada foi pavimentada a cerca de 9 anos e já possui locais onde praticamente o asfalto não existe mais.

A MGT 342 é o principal acesso pavimentado que liga duas cidades pólos da região: Araçuaí e Salinas. A rodovia também atende os municípios de Coronel Murta e Rubelita.
Trafegar pela rodovia tem sido um ato de coragem e malabarismo.
Os buracos se multiplicaram pela pista e tomaram conta de um trecho de cerca de 16 km entre Coronel Murta e Rubelita.
O trecho ficou perigoso. Antes ele era percorrido em 15 minutos, hoje gasta-se 40 para percorrê-lo. O motorista tem que escolher em qual buraco passar. Os carros fazem sigue-sague no meio da pista, num total desrespeito ao cidadão que paga seus impostos.
Num trecho o asfalto praticamente acabou. O motorista tem impressão de estar passando numa estrada de terra.
Coronel Murta
Os mais prejudicados são os cidadãos de Coronel Murta que utilizam muito o trecho, inclusive, para levar pacientes até Salinas.
Os buracos começaram a se proliferar a cerca de 3 anos e nada foi feito. Quanto mais tempo demora na manutenção pior fica a rodovia e mais dinheiro é gasto no seu concerto.
Enquanto novos trechos são construídos este que é mais antigo está completamente esquecido prejudicando milhares de pessoas.
Os motoristas cansados com a situação esperam uma solução do problema o mais rápido possível, pois muitos temem acidentes com a situação precária da rodovia.
Repórter André Sá, da TV ARAÇUAÍ

Graduação em Administração Pública se instala em Araçuaí

Araçuaí tem curso de Administração Pública pela UFLA
Curso é público, gratuito e de boa qualidadeAtravés da Universidade Aberta do Brasil (UAB), programa de educação à distância do Ministério da Educação, a Universidade Federal de Lavras (UFLA) traz para a cidade de Araçuaí o curso de Administração Pública.
As inscrições para o vestibular encerraram-se ontem, dia 24 de setembro.
Informações podem ser feitas no site: http://www.ufla.br/
Fonte: TV ARAÇUAÍ

Número de prefeitos cassados do Jequitinhnha é recorde

Vale do Jequitinhonha tem maior número de prefeitos cassados
O número de prefeitos cassados por compra de votos e uso da máquina administrativa tem crescido a cada eleição municipal. Minas Gerais é o estado com o maior número de casos.

O Vale do Jequitinhonha é uma das regiões do Estado com o maior número de eleições extemporâneas, ou seja, fora do período eleitoral.
Até o início de Setembro das 14 realizadas ou marcadas no Estado, 3 são de municípios do Jequitinhonha: Fronteira dos Vales, Mata Verde e Salto da Divisa.
Dos 16 prefeitos cassados em primeira instância que continuam exercendo os cargos, quatro são do Vale: Catuji, Couto de Magalhães de Minas, Joaíma, e Pedra Azul.

Da disputa do ano passado, já foram cassados até agora 119 prefeitos eleitos em outubro, número 67,6% maior do que o total de chefes do executivo municipal que perderam o mandato conquistado nas eleições de 2004. Todos deixaram o cargo com base na lei 9.840, que neste ano comemora 10 anos.

Repórter André Sá, da TV ARAÇUAÍ

Rua de lazer do SESC anima crianças em Itamarandiba

SESC realiza Rua de Lazer em Itamarandiba
No dia 13 de setembro, aconteceu, das 09 às 13 horas, na Praça dos Agricultores, em Itamarandiba, uma grande Rua de Lazer.
O evento realizado pelo SESC-MG, com apoio da Prefeitura Municipal de Itamarandiba, no Vale do Jequitinhonha, através da Secretaria Municipal de Cultura e Lazer, serviu para levar às crianças do município atividades recreativas, esportivas e culturais.
A criançada, que compareceu à Praça, se divertiu gratuitamente nos diversos brinquedos e nas mais variadas atividades. Faziam parte do leque de opções: cama elástica, balões pula pula, mesas de ping pong, piscina de bolinhas, futebol gigante, xadrez, jogo de damas, dança da cadeira, coreografias, escorregador, pintura de rosto, oficinas de emborrachados, peças teatrais, dentre tantas outras.
Um dos responsáveis pelo evento em Itamarandiba, foi o Coordenador do SESC-MG, Célio Luiz de Oliveira. Ele disse que o apoio da Prefeitura é de fundamental importância para que a Rua de Lazer atinja grande sucesso. “Um projeto onde todos saem ganhando, precisa do apoio do público e principalmente da Prefeitura Municipal. Os governantes precisam demonstrar interesse no projeto. Fico feliz e agradecido pelo apoio e receptividade que tivemos em Itamarandiba.”, menciona.
O Secretário Municipal de Cultura e Lazer, Adão Domingos, falou que eventos com ordem de diversão, interação e aprendizado, são sempre bem vindos à Itamarandiba e que a Rua de Lazer do SESC-MG ajuda na socialização da população. “A Rua de Lazer leva às crianças alegria, interação e cultura. E como as atividades são gratuitas todas as crianças do município têm a oportunidade de viverem momentos de pura magia.”, diz.
Durante as 04 horas de atividades e brincadeiras, a Praça dos Agricultores ficou tomada por um grande número de crianças e pais. Em meio a essa aglomeração estava Maria de Lourdes Souza, acompanhada dos três filhos. Ela é moradora do Bairro Fazendinha e afirmou ter gostado do que viu e que as crianças se divertiram muito nos vários brinquedos. “Eu gostei tanto que me torno até suspeita para falar. As crianças brincaram para valer. O que mais gostei foi das peças teatrais; pois, os atores interagem e prendem a atenção não só das crianças, mas, também de nós pais.”, argumenta Maria de Lourdes
.
Ernane Fróis - Ascom – Prefeitura Municipal de Itamarandiba

Jornada Cultural do Vale

Grupo de Dança Ritmos Mil: Dançando cultura - Carbonita
Apresentação de grupo de da dança com o objetivo de divulgar e resgatar danças típicas do município e região.
Parceria: Instituto Cultural Mandingueiro.
Data: 25/09 - Sexta-feira - Horário: 19h
Local: Centro de Cultura Professora Helena Leite
Prefeitura Municipal de Carbonita
Coordenação: Jadir José Ribeiro (38)3526-1933
culturacarbonita@yahoo.com.br

Folia de Reis na Escola - Francisco Badaró
O projeto pretende desenvolver entre os alunos da Escola Estadual Cônego Figueiró atividades relacionadas aos cantos e ritos das Folias de Reis locais culminando com a realização do encontro de grupos de Folia de Reis mirins formados na escola.
Parceria: E.E. Cônego Figueiró e Paróquia Nossa Senhora da Conceição.
Data: 26/09/2009, às 20 h.
Local: Praça do Mercado Municipal, Centro
Informações: Prefeitura Municipal de Francisco Badaró
Coordenação: Célia Maria Pereira - (33)3738-1532
cmpbadaro@bol.com.br

Convivência com a seca tem atenção de órgão público

Centro Integrado de Convivência com a Seca é instalado para produzir ações públicas
O Governo de Minas instalou, nesta quarta-feira, 23/09, o Centro Integrado de Convivência com a Seca, coordenado pela Universidade Estadual de Montes Claros (Unimontes) e que funcionará provisoriamente no Casarão da Fafil, no centro da cidade de Montes Claros.
O vice-governador, Antônio Anastásia, explicou que o centro será “um polo de inovação e de referência para o desenvolvimento de estudos e tecnologias voltados ao convívio sustentável com o clima semiárido; e à elaboração do Sistema de Informações de Convivência com a Seca, uma ferramenta essencial para elaboração de um plano para a convivência com a seca”.
O projeto estruturador, anunciado em novembro de 2008, reúne ações de diversos órgãos públicos do estado de Minas Gerais: Secretarias de Estado de Desenvolvimento Regional e Política Urbana (Sedru), de Meio Ambiente e Desenvolvimento Sustentável (Semad), Extraordinária para o Desenvolvimento dos Vales do Jequitinhonha e Mucuri e do Norte de Minas (Sedvan), Coordenadoria Estadual de Defesa Civil (Cedec), Instituto de Desenvolvimento do Norte e Nordeste de Minas (Idene), Copasa, Cemig, Emater, Ruralminas e órgãos integrantes do Comitê Gestor de Convivência com a Seca.
“Lançamos um projeto estruturador, que foi encaminhado à Assembléia Legislativa e aprovado pelos senhores deputados. Introduzimos no nosso planejamento do Estado todas as ações de convivência com a seca, não mais de combate, porque nós temos de aprender a conviver e a extrair da seca o seu lado positivo, com medidas coordenadas de ação governamental”, ressaltou o vice-governador.
Com informações da Agência de Minas.

Mineração vai gerar mil empregos em Riacho dos Machados

Mineradora canadense vai extrair ouro em Riacho dos Machados
Empreendimento gera 800 empregos diretos e 400 indiretos
Riacho dos Machados - norte de minas
Com investimento de R$ 250 milhões, foi assinado nesta quinta-feira (24) um protocolo de intenções entre o Governo de Minas, por meio da Secretaria de Estado de Desenvolvimento Econômico (Sede), e representantes da empresa canadense Carpathian Gold Inc, que prevê a implantação de uma unidade industrial no município de Riacho dos Machados, na bacia do Jequitinhonha, no norte de Minas.
O projeto é destinado à produção de ouro em barras e processamento do minério.
Em uma primeira fase, a mineração será a céu aberto e, na etapa seguinte, subterrânea. A expectativa da empresa é produzir 2,2 milhões de toneladas por ano de minério, o que vai gerar 102 mil onças de ouro (produto final) por ano, o equivalente a 310 quilos do metal.
O faturamento previsto para 2011 é de R$100 milhões, enquanto que para 2012 em diante o valor deve subir para R$160 milhões.
A previsão é de 10 anos de exploração, mas a Carpathian anunciou que este é apenas o primeiro projeto para produzir ouro no Brasil.
O norte de Minas e Vale do Jequitinhonha estão se consolidando como um novo quadrilátero ferrífero e o Governo mineiro continuará a apoiar a iniciativa privada, principalmente, quando ela promover investimentos em regiões carentes do Estado, afirmou o secretário de Desenvolvimento Econômico, Sérgio Barroso.
A Carpathian quer prospectar outras regiões mineiras para aumentar sua capacidade de produção, para em 2015 se tornar uma empresa de porte médio na produção de ouro, destacou Daniel Kivari, presidente de Operações da empresa no Brasil.
Retorno
A mina de ouro de Riacho dos Machados foi desativada pela Vale em 1997, depois de oito anos de exploração, quando foram retiradas quase cinco toneladas de ouro.
Em maio de 2009, o Departamento Nacional de Produção Mineral (DNPM) autorizou a Carpathian Gold a explorar a mina. Com o fim dos trabalhos, segundo a prefeita Domingas da Silva Paz, que também participou do evento, a cidade viu quase 70% de sua população masculina sair em busca de emprego. O município tem 10 mil habitantes.
Mais de mil empregos
Os estudos de sondagem no local estão sendo executados, para que em outubro comecem as contratações de pessoal. O protocolo de intenções prevê a contratação de 400 trabalhadores diretos e de mais 800 indiretos.
Segundo o representante da mineradora, a empresa empregará mão-de-obra local. Informou também que a implantação dos equipamentos está planejada para 2010 e o início da produção para 2011.
Entre os compromissos assumidos pela Mineração Riacho dos Machados, no protocolo assinado com o Governo de Minas, está o de apresentar um plano de assistência social ao município e ainda apoiar o sistema de segurança e infraestrutura da comunidade, assim como a elaboração do Plano Diretor Municipal.
Fonte: Agência Minas, Secretaria de Desenvolvimento Econômico de Minas Gerais.

quinta-feira, 24 de setembro de 2009

Mega projeto de minério de ferro no Jequitinhonha e norte de Minas

Consórcio de mega reserva de minério de ferro divulga estudos em novembro
Jazidas equivalem a um novo quadrilátero ferrífero, com potencial de 12 bilhões de toneladas
Reserva atinge 20 municípios na região de Grão Mogol, Salinas, Rio Pardo de Minas e Porteirinha
Em julho de 2008 foi anunciada a descoberta no norte de Minas e Vale do Jequitinhonha uma grande jazida de minério de ferro que poderá modificar completamente a realidade da região.
Segundo o diretor da PAVISAN, Jamil Habib Cury, de Montes Claros, os estudos indicam que as reservas de minério de ferro da região estão entre as maiores do mundo, com a estimativa de concentração de 12 bilhões de toneladas, podendo ser comparadas com as jazidas do quadrilátero ferrífero mineiro, que abrange a região metropolitana e municípios do Vale do Aço como João Monlevade e Itabira.

As pesquisas na região de Rio Pardo de Minas foram iniciadas há três anos, envolvendo as empresas Votorantim, Miba (Mineração Minas Bahia) e Mitsubishi.
O registro das descobertas das jazidas foi feita por um pool de empresas junto ao Departamento Nacional de Produção Mineral (DNPM). O diretor da PAVISAN afirmou que as empresas já constataram a grande potencialidade das reservas e a viabilidade econômica da exploração do minério.
Segundo Habib Cury, o minério de ferro da Região de Rio Pardo está localizado logo abaixo da superfície, até uma profundidade de 120 metros. Isso vai possibilitar a exploração com a instalação de minas a céu aberto. Ele disse que as reservas se estendem por uma área extensa, que alcança também os municípios de Grão Mogol e Salinas. “Mas a maior concentração está mesmo em Rio Pardo”.
O governo do estado informou que está providenciando a assinatura de um protocolo de intenções com a Votorantim, Miba e Mitsubishi, visando ao início das atividades da mineração.
Infra-estrutura, investimentos e consórcio de empresas
Para viabilizar a retirada do minério de ferro de Rio Pardo de Minas, o governo vai apoiar a montagem de uma infra-estrutura, visando transportar o produto até um porto da Bahia. Nesse sentido, poderá ser construído um mineroduto, partindo do Norte do estado em direção ao litoral baiano.
“O minério de ferro encontrado em Rio Pardo tem uma qualidade muita boa, com uma dureza de 45%. Além disso, a região tem uma boa densidade de águas subterrâneas, o que facilita o transporte por mineroduto”, destacou Cury.
O Secretário de Desenvolvimento Econômico de Minas, Sérgio Barroso, informou que aguarda para novembro o resultado de pesquisa mineral do Consórcio Novo Horizonte, formada por várias empresas brasileiras, para viabilizar o projeto de produção de minério de ferro, no norte de Minas e Vale do Jequitinhonha.
As reservas estão em 20 municípios da região, incluindo Rio Pardo de Minas, Salinas, Porteirinha, Grão Mogol e outros municípios vizinhos.

Estas informações foram prestadas pelo Secretário que participou, neste 22.09, do 13° Congresso Brasileiro de Mineração, que disse que o governo mineiro pretende apoiar projetos de infraestrutura e planejamento logístico, além de atrair investimentos dos setores de tecnologia e equipamentos.
Com informações do Portal UAI e do jornal Estado de São Paulo, de 23.09.09, Negócios B17.

LGBT se organiza no Vale do Jequitinhonha

Gays e Lésbicas do Vale têm Encontro na busca de direitos
O Programa Pólo Jequitinhonha, em parceria com o Núcleo de Direitos Humanos e cidadania LGBT (Nuh/UFMG), realizou entre os dias 28 e 29 de agosto duas reuniões para tratar da temática LGBT no Vale do Jequitinhonha.
O encontro do dia 28 ocorreu na cidade de Jequitinhonha e contou com a presença, dentre outros, do grupo das Blayblaydys (auto-denominação de um grupo LGBT da cidade) de profissionais da educação e de membros da Secretaria de Educação municipal.
No dia 29, o encontro aconteceu na cidade de Araçuaí e contou com a presença da Diretora Executiva da Federação das Entidades Culturais e Artísticas do Vale do Jequitinhonha, Ângela Freire, de representantes da comunidade LGBT da cidade e do grupo Blayblaydys.
Os encontros possibilitaram a articulação dos grupos para a realização do Seminário LGBT no Vale do Jequitinhonha, que acontece entre os dias 06 e 07 de novembro de 2009, na cidade de Jequitinhonha.
O evento pretende discutir as temáticas LGBT sob um viés político e cidadão.
Leia abaixo depoimento de Liliane Anderson, educadora social do Nuh e vice-presidente Associação Brasileira de Gays, Lésbicas, Bissexuais, Travestis e Transexuais (ABGLT), sobre a questão LGBT no Vale do Jequitinhonha.
LGBT no Vale
"A experiência no Vale do Jequitinhonha foi muito legal. Desde quando o Polo convidou o Nuh para fazer parte desta iniciativa, eu me lembrei de uma história que vivenciei em Belém do Pará, que também começa com a iniciativa de um grupo cultural do movimento.
Chegando lá no Vale, tive a oportunidade de conhecer duas realidades diferenciadas na região. A questão da cidade de Jequitinhonha, cidade bem pequena, com poucas dificuldades e muitas portas de entrada que o grupo tem para articular diretamente com a questão da cultura e educação.
Nesta cidade, eu percebi muita abertura, principalmente pelo fato de haver duas travestis dentro do contexto da educação.
Em Araçuaí eu saí um pouco frustrada e muito preocupada, devido à questão de ver um fundamentalismo religioso e a falta de ajuda institucional ao grupo.
Mas a partir do momento em que um grupo se expõe a fazer um evento, onde a gente cria uma expectativa de poder colaborar na mudança, há uma perspectiva de melhora da situação, e este grupo tem muitas possibilidades de se fortalecer enquanto instituição, e é o que eu deixei de proposta para o grupo: formalizar uma instituição, no papel, com CNPJ, criar coordenações regionais, porque daí as pessoas começam a aparecer e outros grupos também se interessam em militar juntos na esfera do governo e discutir todas as questões implicadas com a temática LGBT, além de fazer o controle social, que é o dever e obrigação de todo movimento social".
Visão aberta
"Acho que lá no Vale teremos um grande resultado, porque quando você vê pessoas sensíveis, ligadas ao governo, como por exemplo, a Secretaria de Educação de Jequitinhonha, que dá um bom respaldo e curiosidade para debater o assunto, e você tem ainda uma psicóloga que vem estudando pra debater junto, tem tudo pra que o grupo cresça.
Agora depende não só da gente, depende do próprio grupo, porque eles é que tem que ser protagonistas na história regional.
Vamos esperar o dia do evento, acho que já está tudo encaminhado, acho que eu atendi meu intuito (que era o de colaborar), porque é difícil sair de BH, 12 horas de viagem, e ver uma realidade diferenciada.
Quando a gente vai falar da população LGBT, estando dentro de um estado, a gente fala das questões mais próximas, com municípios a 4 ou 6 horas de viagem.
Uma região como o Vale, que está totalmente distante, a gente percebe que questões de políticas públicas não existem.
Nossa obrigação enquanto Nuh e enquanto Pólo é colaborar, e eu, enquanto representante da ABGLT sinto que tenho muito a colaborar neste grupo".
Por Luanda Queiroga, programa Pólo Jequitinhonha, da UFMG.