sexta-feira, 31 de julho de 2009

Festivale - Grão Mogol - Vale do Jequitinhonha
Cambia todo cambia
Ana Argento Nasser
“Cambia todo cambia”, o que em português significa muda tudo muda, é o nome da canção do cantor e compositor popular argentino Victor Hereria. Assim está Grão Mogol hoje: muda dia trás dia com os diferentes eventos que estão acontecendo durante o 27º Festival de Cultura Popular do Vale do Jequitinhonha - Festivale.
Por isto, a cidade vestiu-se de festa e não é a mesma agora do que antes deste tradicional evento começar.
Numa tarde quente do inverno grãomogolense, saí a conversar com alguns donos e trabalhadores de diferentes lojas que ficam na praça Beira Rio. “Festivale fez que a cidade mudasse. Ajudou para integrar a comunidade e resgatar a cultura, além do que agora há mais movimento na praça que é muito bom para a renda”, explicou Misael, dono do restaurante “Sabor da Terra” que abriu só para atender o público do Festivale.
Maria Geralda de Jesús e Elle são donas de diferentes lojas de roupa. As duas também acordam com que a praça está mais movimentada: “Há mais pessoas, pessoas diferentes. Antes, às três horas da tarde já não tinha ninguém nas ruas e eu ficava com a loja aberta até às cinco da tarde. Hoje eu estou fechando por volta das 19 h.”, contava Maria Geralda.
O jovem garçom do hotel e restaurante Bera Rio, Tiago, contou que também mudaram os horários: “Agora, com os turistas e os shows fechamos mais tarde. Antes, era mais ou menos as 21.30 h., agora por volta das 2 da madrugada”.
Assim, cambia todo cambia, e o bom que a mudança foi para bem.
Grão Mogol está em festa, uma festa dela que muitos participam.
Festivale - Grão Mogol - Vale do Jequitinhonha
Lançado Guia para artesãos e suas organizações

Projeto da UFMG é aprovado pelos artistas do Vale
Ocorreu hoje, 31 de julho, às 07:30 h da manhã, em Grão Mogol, norte de Minas, o lançamento do “Guia de Oportunidades para Associações e Artesãos”, uma iniciativa do Projeto Artesanato Cooperativo, vinculado ao Programa Polo de Integração da UFMG no Vale do Jequitinhonha.
O evento, realizado na Hospedaria de Grão Mogol, contou com uma retrospectiva sobre o Projeto Artesanato Cooperativo com apresentação de fotos, café da manhã e um momento de confraternização entre a equipe do projeto e os artesãos participantes da Feira de Artesanato do Festivale.
Várias experiências foram compartilhadas sobre o fazer artesanal, o escoamento da produção, as dificuldades e a Feira de Artesanato do Festivale.
Realizado com base no diagnóstico produzido pela equipe do Projeto Artesanato Cooperativo, o "Guia de Oportunidades para Associações e Artesãos" busca suprir uma das principais demandas levantadas: a necessidade de reunir em uma publicação informações específicas e atualizadas sobre captação de recursos e escoamento de produção.
O resultado foi muito positivo, com expressiva participação dos artesãos, e manifestações de satisfação recíproca.
Festivale - Grão Mogol - Vale do Jequitinhonha
Hoje, sexta-feira, 31 de julho, é o penúltimo dia de Festivale!
Grão Mogol está transbordando arte, cultura, música, artesanato e muito mais.
Na tarde de ontem, diversos grupos de folias de reis se encontraram na Mostra de Cultura Popular.
A noite, a Praça Beira Rio ficou completamente lotada! Sete músicas finalistas do Festival de Música "Paulinho Pedra Azul" foram apresentadas.
Depois do Festival, o homenageado Paulinho Pedra Azul fez um show maravilhoso! Entre o Festival e o grande show da noite, um vídeo sobre o dia anterior no Festivale, produzido pela equipe da Assessoria de Comunicação, informou e divertiu a quem assistiu. A cada dia é exibido um vídeo como este.
A feira de artesanato continua: os produtos de diversos artesãos do Vale do Jequitinhonha podem ser encontrados na tenda que foi montada próximo a Praça Beira Rio. Oficinas de arte e cultura continuam a ser ministradas em diversos locais da cidade.
Às 17:00, mais uma Mostra de Cultura Popular.
A noite festivaleira será bastante animada:
às 20:30, a segunda e última etapa do Festival de Música "Paulinho Pedra Azul". Logo após, show com Carlos Maya e Boavista. Por fim, neto e filho de grandes músicos, Gabriel Guedes promete show com deliciosas surpresas.
Acabando todos os shows, os mais animados se dirigem para a Barraca Festivale.
Acesse o blog do Festivale:
www.festivale27.blogspot.com
Grão Mogol fica no Vale do Jequitinhonha, no norte de Minas, a 160 km de Montes Claros e 550 de Belo Horizonte. Além de pousadas e hotéis, a cidade oferece uma nova modalidade de hospedagem: o turismo solidário. Para mais informações, acesse o site da prefeitura de Grão Mogol e o da FECAJE, ou ligue para a Assessoria da Comunicação, no telefone (38)3238-1542.
O 27º Festivale é uma realização da FECAJE e da Prefeitura de Grão Mogol, e conta com o patrocínio da Cemig e da Secretaria Estadual de Cultura.

Itaobim - Vale do Jequitinhonha
Casa da Juventude transforma fábula em audiovisual
Vídeo produzido participou de Festival na Itália
O Vídeo o "Corvo e a Raposa" participou do festival CARTOON CLUB, na Itália. O
evento, que é um festival internacional de cinema de animação, aconteceu no mês de Julho, na cidade italiana de Rimini.
O video foi produzido pelo grupo audiovisual do Projeto Casa da Juventude, da Associação Papa João XXIII no Brasil, de Itaobim, Vale do Jequitinhonha, nordeste de Minas.
Segundo a coordenadora do grupo audiovisual, Elisa Pezzotti, "o vídeo foi produzido com a técnica de stop motion e necessitou de um trabalho de mais ou menos 3 semanas, onde os meninos construíram as armações dos personagens, bolaram o roteiro, prepararam o cenário, gravaram e editaram".
O vídeo conta a história da famosa fábula de Esopo de mesmo nome e tem a duração de 2 minutos e 43 segundos.
Outras informações no telefone da Casa da Juventude de Itaobim:
(33) 3734-1616.

Festivale - Grão Mogol - Vale do Jequitinhonha
Noite Literária revela poetas do Vale
Paulo Lincon
A Noite Literária, na sua 15º edição do concurso, veio para homenagear o poeta e escritor João Baptista Brazil, de Diamantina. Ele atuou intensamente na imprensa da capital e do interior de Minas Gerais.Faleceu em 1951.
A Noite Literária surgiu por reivindicação dos poetas do Vale. Neste ano, 66 poetas se inscreveram. A seleção foi feita por professores de literatura e também por alguns poetas.
Aqui, em Grão Mogol, a Noite Literária teve um público grande. Muitas pessoas foram prestigiar os nossos poetas do Vale.
Foram selecionados 10 finalistas de cidades do Vale do Jequitinhonha. Grão Mogol também tem poeta: Deleni Ribeiro, que foi para a final com o poema “Vale ser do Vale”, mas ela infelizmente não conseguiu vencer.
A noite era de Araçuaí. O grande vencedor da Noite Literária foi o professor de cultura popular e graduado em história, Luciano Silveira. Conseguiu o primeiro lugar com seu poema ”O retrato”, além da premiação por melhor interpretação, ao lado da atriz e cantora Lenita dos Santos, também de Araçuaí.
No final mesmo, quem não ganhou, ficou feliz por ter participado.
Poesia vencedora da Noite Literária
Retrato
Autor: Luciano Silveira
Não quero o seu retrato,
Gasto, amarelo, empoeirado,
Ele está no chão minado.
Pise com cuidado
Pois meu poema é cabo de enxada
E por isso não quero seu retrato
O berro do boi escondido nas bocas
Tem desabafo, estouro e cansaço.
A boiada tange, range
Arfando o peso na lavra.
O retrato é o mesmo
Na terra gerla das lãs lavrias
No chão revolto da discórdia
E a miséria na minha frente
Matando, engolindo e afogando gente.
Tem denúncias no meu embornal
Para destravar seus olhos
Com minhas rezas e novenas.
Esperando teu progresso no tempo de maio
Ou no mata-borrão da hipocrisia.
No retrato uma família
O pai, a mãe, a filha,
A politicagem jogando todos no precipício
Sem decifrar o homem e o aboio virulento de gotas agrícolas.
Não tem mais importância
Tudo é mais importante que seu retrato.
Seu poema não me convence.
Todos já se armaram de revolta até os dentes
As ruas se abraçam com cheiro de pólvora e
A vida carece de morte para nascer.
Quer importa o conflito e o boato?
Para que o seu retrato, seu parecer, sobre meu sertão?
Se dilua com meu povo.
Dance, cante até cansar...
Nosso povo é um rio que não tem pressa de
Virar mar
Lembra dos fatos.
Conheça essa gente.
Mas...

quinta-feira, 30 de julho de 2009


Festivale - Grão Mogol - Vale do Jequitinhonha
E O FESTIVALE CONTINUA!
Hoje, quinta-feira, é o quinto dia de Festivale! Grão Mogol está transbordando arte, cultura, música, artesanato e muito mais.
Ontem, além do teatro de rua do Grupo GRUTI, o público pôde conferir a maravilhosa apresentação das crianças do Coral Nós de Minas, de Coronel Murta. O final da noite foi agitado pelos músicos Lucinho Cruz e Graco Lima Júnior.
A feira de artesanato já começou: os produtos de diversos artesãos do Vale do Jequitinhonha podem ser encontrados na tenda que foi montada próximo a Praça Beira Rio. Oficinas de arte e cultura continuam a ser ministradas em diversos locais da cidade.
Às 17 horas, os grupos culturais populares desfilam seus tambores e adornos pelas ruas da cidade, na Mostra Cultural.
Às 20:30 começa o tão esperado Festival de Música, que esse ano homenageia o músico Paulinho Pedra Azul. A atração do final da noite é o próprio Paulinho.
Nesse site, no menu "Cobertura do 27º Festivale", já estão disponíveis as fotos, vídeos e boletins impresso e radiofônico dos quatro primeiros dias do evento. Acesse também o blog do Festivale:
http://www.festivale27.blogspot.com/
Grão Mogol fica no Norte de Minas, a 160 km de Montes Claros e 550 de Belo Horizonte.
Além de pousadas e hotéis, a cidade oferece uma nova modalidade de hospedagem: o turismo solidário. Para mais informações, acesse o site da prefeitura de Grão Mogol e o da FECAJE, ou ligue para a Assessoria da Comunicação, no telefone (38)3238-1542.
O 27º Festivale é uma realização da FECAJE e da Prefeitura de Grão Mogol, e conta com o patrocínio da Cemig e da Secretaria Estadual de Cultura.

Causos de Berilo
PEGAR TATU
Alan Machado
O "progresso" chegava a Berilo. A cidade sofria grandes transformações de infra-estrutura, de 1974 a 1976, como as instalações das redes de esgoto e elétrica, além dos bloquetes nas ruas. Nessa época, no verão, chovia sem parar e a cidade virava um barro só de terra vermelha. Começaram a aparecer muitas formigas tanajuras, alimento principal dos tatús que saíam dos buracos em que se escondiam para se esbaldar com tanta fartura. Quando isso acontecia, a cidade ficava mais agitada porque todo mundo queria também "caçar tatu" para comer sua valiosa carne. O problema é que quase ninguém conseguia agarrar o danado.
Certa vez, naqueles dias em que as chuvas deram uma pausa e o sol finalmente apareceu, alguns meninos jogavam conversa fora à tardinha na "rua de cima", perto da casa de Belinha de Adão Sotila. Nesta época, Berilo só tinha 3 ruas. A de cima, Francisco Badaró Jr, a "rua do meio", Coronel Amaral, e a "rua de baixo", Abreu Vieira.
De repente, os meninos se depararam com um monte de gente, umas vinte pessoas pelo menos, correndo, vindo da praça principal, atrás de um tatu. Para não serem atropelados, os meninos foram para o canto próximo aos muros das casas e observavam, curiosos, aquela correria.
O pequeno animal se locomovia em disparada e a multidão mal conseguia acompanhar. Quando a rua terminou, o tatu parou e tentou entrar em uma das casas à sua frente, mas a porta estava fechada. Essa titubeada foi fatal. Encurralado, o tatu não tinha escapatória. Um jovem rapaz conseguiu agarrar o rabo com firmeza, única forma de capturá-lo de jeito. No momento que o tatu se contorcia e se virava para morder o rapaz, um outro jovem aplicou-lhe duas pauladas certeiras na cabeça. O animal desfaleceu. O rapaz, então, gritou: “O tatu é meu, o tatu é meu! Acabou a festa!” O outro revidava: “Não, senhor! Se não fosse minha paulada, ele ia te morder e escaparia!” Diante do impasse, e mesmo exaltados, os dois resolveram dividir a carne.
Saíram em disparada pela rua, em direção à casa de um deles. Um carregava, exultante, o casco com as perninhas inertes do tatu para o ar. O outro bradava com o pau de madeira em riste, entusiasmado: “Vou comer tatu, vou comer tatu!”.
A multidão se dispersou, olhando para os dois jovens com certa ponta de inveja. Os meninos da rua riam e se perguntavam como um simples tatu era capaz de tanto rebuliço na cidade. O que será que a carne desse bicho tem de tão especial ?
No dia seguinte, a casa de um dos jovens heróis foi visitada por muitos curiosos. Conforme o trato, ele compartilhou a pouca carne com seu parceiro na caça, mas fazia questão de mostrar um troféu em cima da geladeira novinha, já funcionando com energia elétrica: o casco do tatu capturado a duras penas.
Nessa mesma época, “pegar tatu” já era uma expressão popular e divertida na cidade que, quer dizer, levar um tombo, um escorregão daqueles na lama e se sujar todo. Com certeza, muito pior do que escorregar numa casca de banana.

Alânderson Silveira Machado, o Alan de Machadinho de Neli, ex-morador da rua de cima - a Francisco Badaró Júnior-, é berilense, mora em BH. É escritor e ator.

quarta-feira, 29 de julho de 2009


Araçuaí - Vale do Jequitinhonha
Juízes do Vale debatem propostas para a magistratura nacional
Em mais uma etapa de sua interiorização e integração do interior com a capital, a Amagis vai a Araçuaí, no próximo dia 31 de julho, reunir-se com magistrados da região do Vale do Jequitinhonha, nordeste de Minas. Na ocasião, será nomeado o patrono da seccional da Associação na cidade, o desembargador Geraldo José Duarte de Paula, que atuou na comarca no início de sua carreira.
Ainda na comarca, a diretoria da Associação reunirá com os magistrados da região para discutir assuntos de interesse da classe, como a Lei Orgânica da Magistratura Nacional (Loman). O encontro acontecerá no fórum da cidade e contará com a participação de juízes de Araçuaí, Pedra Azul, Salinas, Almenara, Jacinto, Jequitinhonha, Minas Novas, Rio Pardo de Minas, Taiobeiras e outros.
Segundo o presidente da Amagis, este é o momento dos magistrados do interior e da capital se integrarem com a magistratura nacional, na discussão de temas relevantes para o Poder Judiciário brasileiro. “A ideia é levar ao Congresso uma proposta que traduza o Judiciário contemporâneo inserido na Constituição Federal e no anseio da sociedade. E os magistrados mineiros contribuirão durante todo o debate. Fazemos questão de ir ao Vale do Jequitinhonha para integrar a região a todo estado de Minas Gerais. É assim que se faz uma magistratura forte e independente”, afirmou o presidente da Amagis, juiz Nelson Missias de Morais.
Além do juiz Nelson Missias, estarão presentes no encontro o vice-presidente da Amagis, juiz Bruno Terra Dias; e o presidente do Conselho Deliberativo da Associação, desembargador Tibagy Sales.
Fonte: Assessoria de Comunicação da Amagis (31) 30793487
Chapada do Norte - Vale do Jequitinhonha

6º ENCONTRO DE CAVALEIROS DE CHAPADA DO NORTE
A cidade de Chapada do Norte, no Vale do Jequitinhonha, nordeste de Minas realiza seu 6° Encontro de Cavlaeiros,
nos dias 01 e 02 de agosto de 2009, sábado e domingo próximos.
Serão dois dias de muita festa, apresentações culturais e diversão, apostam os organizadores.
Além do show de abertura do Encontro que será realizado no sábado, no domingo acontece a Tradicional Marcha pelas ruas da cidade, como também as competições entre os Cavaleiros.
Venha prestigiar este maravilhoso evento que reúne todos os anos cavaleiros de toda a região. Chapada do Norte espera por você!
PROGRAMAÇÃO:
DIA 01/08 – SÁBADO (ABERTURA DO EVENTO)
22:00 – SHOW COM CARLOS AGUIAR E COMANDO DO FORRÓDIA
02/08 – DOMINGO
08:00 – INSCRIÇÕES DOS CAVALEIROS PARA AS COMPETIÇÕES
09:00 – ABERTURA OFICIAL E MARCHA PELAS RUAS DA CIDADE
13:00 – INÍCIO DAS COMPETIÇÕES (PARTICIPAÇÃO DO ARBITRO GERALDO DA GAMELEIRA)
17:00 – REALIZAÇÃO DO BINGO (PRÊMIO R$ 2.000,00) E SHOW COM LUCIANO PIRES
DURANTE TODO O DIA APRESENTAÇÕES DE DANÇAS COUNTRY, BARRACAS DE ALIMENTOS E BEBIDAS E MUITA DIVERSÃO”.
A PREMIAÇÃO PARA OS VENCEDORES DAS COMPETIÇÕES É NO VALOR DE R$ 1.000,00
Local do Evento: Estádio Municipal Durval Queiroga Pinto
Realização: Clube do Trote
Apoio da Prefeitura Municipal
Fonte: Secretaria de Educação, Cultura, Desporto e Lazer - Chapada do Norte - MG
Programação FESTIVALE
QUARTA-FEIRA - 29/07

8:00 - Oficinas14:00 - Oficinas
17:30 - Mostra de Teatro "Grupo Vozes" Grupo GRUTI - Peça "A Morte de um Palhaço"
Local: Praça Beira Rio
20:30 - Noite Literária Baptista Brazil - Local: Clube O Garimpeiro
22:30 - Show Coral Nós de Minas - Local: Praça Beira Rio
23:00 - Show Lucinho Cruz e Lima Junior - Local: Praça Beira Rio
01:00 - Barraca Festivale
QUINTA-FEIRA - 30/07
8:00 - Oficinas14:00 - Oficinas
17:00 - Mostra Cultura Popular - Local: Ruas da cidade
20:30 - Festival de música Paulinho Pedra Azul - Local: Praça Beira Rio
23:00 - Show Paulinho Pedra Azul - Local: Praça Beira Rio0
1:00 - Barraca Festivale
SEXTA-FEIRA - 31/07
8:00 -Oficinas
14:00 - Oficinas
17:00 - Mostra Cultura Popular - Local: Ruas da Cidade
20:30 - Festival de música Paulinho Pedra Azul -
Local: Praça Beira Rio
22:30 - Show Carlos Maya e Boavista - Local: Praça Beira Rio
23:30 - Show Gabriel Guedes - Local: Praça Beira Rio
1:00 - Barraca FESTIVALE
SÁBADO - 01/08
8:00 - Mostra das Oficinas - Local: Ruas da Cidade
15:00 - Mostra de Teatro "Grupo Vozes" Grupo: Dino Marangoni, peça "Quem quer tirar a Arte" - Local: Praça Beira Rio
17:00 - Mostra Cultura Popular - Local: Ruas da Cidade
20:30 - Final Festival de música Paulinho Pedra Azul - Local: Praça Beira Rio
22:30 - Show Coral do Rosário - Local: Praça Beira Rio
23:00 - Show Rubinho do Vale - Local: Praça Beira Rio0
1:00 - Barraca FESTIVALE
Para maiores informações acesse http://www.fecaje.org.br/
http://www.festivale27.blogspot.com/ MAIS FESTIVALE AQUI
Festivale - Grão Mogol - Vale do Jequitinhonha
Coral Araras Grandes dá show na praça

Paulo Lincon
No dia 27 de julho, na segunda noite do Festivale, aqui em Grão Mogol, aconteceu um show com o Coral Araras Grandes, de Araçuaí, Vale do Jequitinhonha, nordeste de Minas.
Logo no inicio da noite a praça principal estava com poucas pessoas, mas a partir das 21hs, horario previsto para o Coral começar a se apresentar, reuniu uma pequena multidão com uma grande expectativa. Assim que começou, o Coral cantou um repertório inédito, que compõe a turnê do disco Engenho Novo, lançado em 2007.
O Araras Grandes é formado por pessoas das comunidades de Araçuai, que passam por cursos de capacitação e um periodo de experiencias de três meses. Ao final desse periodo, são selecionados os que tiveram melhor desempenho para integrar o coral.Talvez seja por isso que o grupo fez tanto sucesso, e colocou o povo de Grão Mogol e região para formar uma enorme roda e dançar ao som do coral.
27° Festivale- Festival de Cultura Popular do Vale do Jequitinhonha
Grão Mogol, de 26 a 1 de agosto, na Praça
Fonte: http://www.festivale27.blogspot.com/ Veja mais Festivale aqui.
Festivale - Grão Mogol - Vale do Jequitinhonha
Jovens abrem mão de música axé


Gislaine Gomes
Podemos dizer que é novidade para a cidade receber um evento com tanta riqueza cultural,pois a população está acostumada com festas com ritmos baianos.Percebemos que os jovens se sentem tímidos ou talvez no lugar errado, mas logo entram no ritmo, pois os que já participaram de Festivales anteriores colocam os outros para entrar no ritmo dos tambores, cantos e violas.
Um outro evento que é muito conhecido na região é o carnaval,que conta com um grande público de foliões. Nessa época, os visitantes aproveitam para conhecer os atrativos da cidade, entre eles a praia do Vau, onde passam o dia, e, durante a noite, são levados no ritmo do axé na praça Beira Rio.

Temos também a festa do Vau, que acontece no segundo final de semana de setembro, que também movimenta a cidade.
Porém o Festivale é um grande evento com uma proposta diferente que é levar a cultura popular até as pessoas e valorizar os artistas do Vale do Jequitinhonha.
Festivale - Festival de Cultura Popular do Vale do Jequitinhonha

De 26 de julho a 1 de agosto, na Praça pública, Grão Mogol - Norte de Minas

Fonte: http://www.festivale27.blogspot.com/ Veja mais Festivale aqui.

terça-feira, 28 de julho de 2009

Asfalto de Berilo-Francisco Badaró ficará em R$ 10,2 milhões
A pavimentação da estrada de Berilo até Francisco Badaró, em uma extensão de 16,3 quilômetros, ficará em R$ 10.263.307,10, dentro do PROACESSO, Programa de Pavimentação de Estradas do Governo de Minas. O valor da obra é bem mais baixo porque o projeto de engenharia já estava elaborado pelo PRODETUR – Programa de Desenvolvimento do Turismo.
O asfaltamento será executado pela Construtora Aterpa S.A., em um prazo de 540 dias. Ou seja, há previsão de entrega da obra no segundo semestre de 2.010.
O asfalto de Berilo a José Gonçalves de Minas, com 18 quilômetros de extensão, tem a estimativa do DER MG em R$ 21milhões, devido à elaboração do projeto e muitas obras de arte.

Este foi o principal motivo do Governo Aécio preferir o asfaltamento de acesso a Berilo, chegando pelos fundos, e não pela saída para Belo Horizonte.
BERILO
São Francisco e Dom Silvestre fazem a final dos bairros
Dom Silvestre venceu Centro em partida muito disputada

Os torcedores berilenses já conhecem os finalistas do Campeonato de Futebol de Bairros de Berilo: São Francisco e Dom Silvestre.
O Centro precisava de apenas um empate, mas foi derrotado pelo Dom Silvestre por 3 x 2, em partida bem disputada. Na partida de fundo, cumprindo tabela, o São Francisco goleou o Planalto por 13 x 1, com 7 gols de Messinho.
Dom Silvestre 3 x 2 Centro
O time do Centro entrou em campo confiante, certo que conseguiria chegar à final do Campeonato, pois precisava apenas de um empate contra o Dom Silvestre.
Os dois times estavam muito nervosos, errando muitos passes, dando chutões para todo lado. O Centro estava desfalcado no seu meio de campo.
Aos 15 minutos, o Dom Silvestre abriu o placar. Em falta cobrada da esquerda a defesa do Centro fez a “linha burra”, tentando deixar os atacantes do Dom Silvestre em impedimento. Jackson deu condições ao ataque adversário. a bola quicou e enganou o goleiro Go, caindo na cabeça de Edvan Neguinho que empurrou para as redes. Dom Silvestre 1 x 0.
O time do Centro desesperou, começou a ir para a frente de forma desconjuntada. Em contra-ataque, o Edvan Neguinho chutou da intermediária, rasteiro. O goleiro Gó foi na bola mas não a alcançou. Ela bateu na trave, vindo de encontro ao corpo do goleiro. Quando ele tentou tirar acabou jogando para dentro do próprio gol. Dom Silvestre 2 x 0.
O Centro sentiu o baque e partiu pra cima do Dom Silvestre. O Centro fez três substituições de uma vez só, reforçando o seu meio de campo. Chegando atrasados, os jogadores prejudicaram o time do Centro que ficava em desvantagem. Agnaldo substituiu Joãozinho; Adriano entrou no lugar de Zé Pezão e Ademar no de Marley. O Centro se animou. Poucos minutos depois, Agnaldo acertou um belo chute da entrada da área. A bola bateu na trave direita e entrou, com o goleiro Geraldo observando sem ter o que fazer. Centro 1 x 2 Dom Silvestre.
No segundo tempo, dava a impressão que o Centro viraria o jogo com um domínio aparente da partida. O Dom Silvestre armava um outro contra-ataque, pois tinha apenas Nem e Edvan Neguinho à frente.
Em um chutão da defesa do Dom Silvestre a bola quicou duas vezes, sendo disputada por Jackson e Edvan Neguinho. O atacante do Dom Silvestre conseguiu controlar a bola, puxando-a para a esquerda e invadiu a área. O goleiro Gó saiu desesperado. Edvan Neguinho fez o drible e tocou para o fundo do gol.
Dom Silvestre 3 x 1 Centro.
Daí para a frente só o Centro atacava. Em uma dessas estocadas, o atacante Avelino acertou um chute forte, à meia altura, da intermediária, acertando o canto esquerdo do goleiro Geraldo. A bola tocou na trave e entrou. Centro 2 x 3 Dom Silvestre.
O jogo já chegava aos 40 minutos do segundo tempo. No abafa, o Centro tentava o empate, que lhe bastava para ir para a final do Torneio. Não deu certo. O goleiro Geraldo e a defesa comandada por Iô, cortava todas as bolas pingadas na área.
No final, os jogadores do Dom Silvestre vibraram com a vitória e a ida à final.
O Dom Silvestre venceu com Geraldo, Zé Nilson, Toni, Cristiano, Iô, Zé Cláudio, Amilson, Nicinho, Tiago, Edvan Neguinho e Nem.
O Centro perdeu com Rogério Gó, Zé Pezão (Adriano, depois Ricardinho), Rinkon, Jackson, Nego, Odair, Neném ( João Paulo), Joãozinho (Agnaldo), Charlim, Marley
( Ademar) e Avelino.
Os três gols do Dom Silvestre foram marcados por Edvan Neguinho. O Centro teve os gols marcados por Agnaldo e Avelino.
No final do jogo, houve muita reclamação de jogadores do Centro pela anulação de dois gols de Avelino, sendo apontado impedimento nos dois lances.

segunda-feira, 27 de julho de 2009

Berilo Antigo - Vale do Jequitinhonha
Você conhece este casarão?
Conheça aqui um pouco da sua história.
Esta bela edificação foi construída provavelmente no século XVIII, toda em madeira, de adobe. Estava localizada na foz do ribeirão Água Suja, no início da Rua do Porto, onde hoje se constrói bloquetes para pavimentação, em pátio da Prefeitura; abaixo do paredão de pedras, onde se localizava a Igreja de Nossa Senhora do Rosário dos Homens Pretos.
Ali funcionava o Mercado Municipal, no térreo, no 1° andar.
No 2° andar, funcionava a primeira Escola do Arraial de Água Sua, hoje cidade de Berilo. Estudaram lá Adelina de Sales Murta, Adélia Sales Pereira, João Coelho, Chiquinho Martuchelli, Teonília Amaral ( Tóoia) Alzira Amaral, Titina, Maria Murta, Geraldo Avelino Amaral (Geraldinho Escrivão), Zezé Amaral, Maria de Vô, e muitos outros dos tempos remotos.
O desenho da edificação é de Geraldo Avelino Amaral (Geraldinho Escrivão).
As informações são da professora Haydée Almeida Murta, de 81 anos, nascida no Sobradão Abreu Vieira.

10ª Copa Aranãs começa no final de agosto
É esperado a inscrição de 22 times
A décima edição da Copa Aranãs FM de Futebol está confirmada para começar em agosto. E este ano, o maior evento esportivo da região terá muitas novidades, pois a Copa está completando dez anos de grande sucesso.
Desde 1998, a Copa Aranãs FM de Futebol contou com a participação de 21 cidades do Vale do Jequitinhonha, do Rio Doce e Mucuri. Somente em 2004 e 2008 não se realizou o torneio. É de costume cada cidade fazer uma seleção de seus melhores jogadores para representá-la. Somente Capelinha participa com 3 ou 4 times.
As cidades que já participaram da Copa Aranãs foram Água Boa, Angelândia, Araçuaí, Aricanduva, Berilo Capelinha, Carbonita, Coluna, Franciscópolis, Francisco Badaró, Itamarandiba, Malacacheta, Minas Novas, Novo Cruzeiro, Santa Maria do Suaçuí, Setubinha, Senador Modestino Gonçalves, Teófilo Otoni, Veredinha e Virgem da Lapa.
Campeões: Capelinha, Berilo e Angelândia
O time do Aranãs, de Capelinha, foi pentacampeão da Copa. O Capivari, de Capelinha, foi bicampeão. A cidade já faturou 7 campeonatos. Em 2001, Berilo desbancou a cidade de Capelinha. Ganhou a final do Capivari, levando a Copa, em decisão memorável, no Estádio Municipal Beira-rio, levando a cidade à euforia. No ano seguinte, em 2002, foi a vez de Angelândia ganhar a Copa. Fora de Capelinha, estas foram as duas únicas agremiações que conseguiram levantar a taça.
A Copa Aranãs é um torneio que permite a inscriçãode jogadores amadores e profissionais, enchendo os estádios da região. Vários atletas profissionais já atuaram na Copa Aranãs: Agamenon, Alexandre, Anderson Júnior, Cleidinho, Élder, Jeferson, Macaé, Mateus, Ozéias, Robert, Vander e Zolinha.
A Comissão organizadora espera contar com 22 times de vários municípios do Alto e Médio Jequitinhonha.
Dia 30 de julho, à 19 horas, no salão da Câmara Municipal de Capelinha, acontecerá a reunião para definição dos últimos detalhes do maior evento esportivo da região.
A abertura da copa está prevista para 22 ou 23 de agosto, em Capelinha. Por ser o atual campeão o Aranãs participará deste jogo. Resta definir o seu adversário. A final deve ser jogada na primeira quinzena de novembro. São dois meses e meio de muito futebol e participação intensa da torcida da região.
A super Safra Agropecuária, mais uma vez, vai garantir toda a premiação deste evento esportivo.
Com informações da Rádio Aranãs

Dois municípios do Vale elegem novos prefeitos
Mata Verde e Salto Divisa foram à urnas neste domingo
Menos de um ano após terem comparecido às urnas, em 2008, cerca de 38 mil eleitores das cidades de Cachoeira Dourada, Ipiaçu e Carmo do Paranaíba (Triângulo Mineiro), Salto da Divisa e Mata Verde (Jequitinhonha) escolheram, neste domingo (26/07), em pleito extemporâneo, seus novos prefeito e vice-prefeito para administrarem seus municípios até dezembro de 2012.
Irone Bento Dias (PMDB) e Ronaldo Lebrão (PSDB) são os novos prefeito e vice de Mata Verde (9ª Zona Eleitoral de Almenara) com 2.414 votos (50,80%); a totalização dos votos aconteceu às 17h35. Nessa cidade, foi utilizado o sistema de transmissão remota, o que facilitou a totalização. Votos brancos somaram 27 e votos nulos 341 (6,66%).
Em Salto da Divisa, os eleitores escolheram Ronaldo Athayde da Cunha Peixoto (DEM) e Antônio de Pádua Pimenta (DEM) para novos prefeito e vice, com 2.077 votos (54,53%). A totalização dos resultados foi às 18h40. A porcentagem de votos brancos chegou a 0,45% (18) e a de nulos a 3,75% (145).
As eleições extemporâneas nos cinco municípios foram determinadas pelo TRE-MG neste ano, em virtude da cassação dos registros dos prefeitos eleitos em 2008 por abuso de poder econômico ou político ou captação ilícita de sufrágio.
Confira no quadro a votação dos eleitos e demais candidatos nos dois municípios do Vale do Jequitinhonha.
Mata Verde - 9ª Zona Eleitoral de Almenara
Candiato: Aurélio Santos Caires (PPS) – 2338 votos
Vice-prefeito: Gersino Antonio Viana Filho (DEM)
Coligação Renovar Com a Força do Povo (PPS/ DEM/ PSB/ PT/ PSL/ PSC/ PR)
Prefeito eleito: Irone Bento Dias (PMDB) – 2.414
Vice-prefeito: Ronald Lacerda Lebrao (PSDB)
Coligação Vencer de Novo com a Vontade do Povo (PTB/ PP/ PSDB/ PMDB)

Salto da Divisa - 144ª Zona Eleitoral de Jacinto
Candidata: Clelia Peixoto Miranda Cunha (PMDB) – 1.732 votos
Vice-prefeito: Almir Gomes Lima (PPS) - Coligação O Progresso Continua (PTB/ PMDB/ PPS)
Prefeito eleito: Ronaldo Athayde da Cunha Peixoto (DEM) – 2.077 votos
Vice-prefeito: Antonio de Padua Sebastião Pimenta (DEM)
Coligação O Salto que Queremos (DEM/ PR/ PSDB)
Fonte: TRE-MG

sábado, 25 de julho de 2009

Aécio corta recursos do Jequitinhonha e norte de Minas
70,6% das ações sociais não foram executadas
O relatório da audiência de monitoramento do PPAG – Plano Plurianual de Ação Governamental, apresentado pelas comissões de Participação Popular e de Fiscalização Financeira e Orçamentária na quinta, 16/7, revelou que a execução financeira de 361 ações, pelo governo Aécio, foi zero em 51,2% delas. As ações integram os programas estruturadores do PPAG em 11 áreas de resultados e a inexistência de investimento foi justamente nos programas sociais e de desenvolvimento regional.
Jequitinhonha e norte mais afetados
Os exemplos mais afetados são as áreas de resultados Desenvolvimento do Norte de Minas, Jequitinhonha/Mucuri e Rio Doce, em que 70,6% das ações não tiveram nenhuma execução financeira; Rede de Cidades e Serviços e Redução da Pobreza e Inclusão Produtiva, em que não existe execução em 61,7% e em 65,8% das ações de seus programas, respectivamente.
Já as áreas de resultados Educação de Qualidade, Logística de Integração e Desenvolvimento e Qualidade Ambiental apresentam a maior parte de suas ações com execução superior a 0% e inferior a 50%.
Na tribuna da Assembléia, o deputado Adelmo Leão Carneiro criticou a baixa execução orçamentária do governo Aécio e exigiu mais investimentos nos programas sociais.
O alerta foi feito pelos deputados, entre eles Adelmo , que é membro da Comissão de Fiscalização Financeira e Orçamentária, porque um dos critérios do Executivo para contingenciar verba em 2009 e para reduzi-la, na proposta de revisão relativa a 2010, será a baixa execução financeira das ações.
Das 361 ações, 51,2% não tiveram execução até 31/4/09; 36,8% tiveram execução maior que 0% e menor que 20% da meta planejada para 2009; 10,5% tiveram execução maior que 20% e menor que 50%; e apenas 1,5% tiveram execução superior a 50%. Os estruturadores são projetos prioritários do Governo, com garantia de recursos e gerenciamento unificado.
O monitoramento realizado pela Assembleia Legislativa permitiu aos participantes acompanhar a execução das ações do plano no período janeiro/abril de 2009 e colher informações estratégicas essenciais para a próxima audiência de revisão, no final deste ano. Válido para quatro anos, o PPAG é uma lei que estabelece metas e investimentos da administração pública, de forma regionalizada, em setores como saúde, educação, segurança, meio ambiente, infraestrutura e assistência social. É uma peça de planejamento governamental com impacto direto na vida do cidadão.
O documento estará disponível no site da Assembleia (www.almg.gov.br).
Com informação da www.almg.gov.br
GRIPE SUÍNA

PERGUNTAS E RESPOSTAS
1.- Quanto tempo dura vivo o vírus suíno numa maçaneta ou superfície lisa? Até 10 horas.
2. - Quão útil é o álcool em gel para limpar-se as mãos? Torna o vírus inativo e o mata.
3.- Qual é a forma de contágio mais eficiente deste vírus? A via aérea não é a mais efetiva para a transmissão do vírus, o fator mais importante para que se instale o vírus é a umidade, (mucosa do nariz, boca e olhos) o vírus não voa e não alcança mais de um metro de distancia.
4.- É fácil contagiar-se em aviões? Não, é um meio pouco propício para ser contagiado.
5.- Como posso evitar contagiar-me? Não passar as mãos no rosto, olhos, nariz e boca. Não estar com gente doente.. Lavar as mãos mais de 10 vezes por dia.
6.- Qual é o período de incubação do vírus? Em média de 5 a 7 dias e os sintomas aparecem quase imediatamente.
7.- Quando se deve começar a tomar o remédio? Dentro das 72 horas os prognósticos são muito bons, a melhora é de 100%
8.- De que forma o vírus entra no corpo? Por contato ao dar a mão ou beijar-se no rosto e pelo nariz, boca e olhos.
9.- O vírus é mortal? Não, o que ocasiona a morte é a complicação da doença causada pelo vírus, que é a pneumonia.
10.- Que riscos têm os familiares de pessoas que faleceram? Podem ser portadores e formar uma rede de transmissão.
11.- A água de tanques ou caixas de água transmite o vírus? Não porque contém químicos e está clorada
12.- O que faz o vírus quando provoca a morte? Uma série de reações como deficiência respiratória, a pneumonia severa é o que ocasiona a morte.
13.- Quando se inicia o contágio, antes dos sintomas ou até que se apresentem? Desde que se tem o vírus, antes dos sintomas.
14.- Qual é a probabilidade de recair com a mesma doença? De 0%, porque fica-se imune ao vírus suíno.
15.- Onde encontra-se o vírus no ambiente? Quando uma pessoa portadora espirra ou tosse, o virus pode ficar nas superfícies lisas como maçanetas, dinheiro, papel, documentos, sempre que houver umidade. Já que não será esterilizado o ambiente se recomenda extremar a higiene das mãos.
17.- O vírus ataca mais às pessoas asmáticas? Sim, são pacientes mais suscetíveis, mas ao tratar-se de um novo germe todos somos igualmente suscetíveis.
18.- Qual é a população que está sendo atacada por este vírus? De 20 a 50 anos de idade.
19.- É útil a máscara para cobrir a boca? Existem alguns de maior qualidade que outros, mas se você não está doente é pior, porque os vírus pelo seu tamanho o atravessam como se este não existisse e ao usar a máscara, cria-se na zona entre o nariz e a boca um microclima úmido próprio ao desenvolvimento viral: mas se você já está infectado use-o para não infectar aos demais, apesar de que é relativamente eficaz.
20.- Posso fazer exercício ao ar livre? Sim, o vírus não anda no ar nem tem asas.
21.- Serve para algo tomar Vitamina C? Não serve para nada para prevenir o contagio deste vírus, mas ajuda a resistir seu ataque.
22.- Quem está a salvo desta doença ou quem é menos suscetível? A salvo não esta ninguém, o que ajuda é a higiene dentro de lar, escritórios, utensílios e não ir a lugares públicos.
23.- O virus se move? Não, o vírus não tem nem patas nem asas, a pessoa é quem o coloca dentro do organismo.
24.- Os mascotes contagiam o vírus? Este vírus não, provavelmente contagiem outro tipo de vírus.
25.- Se vou ao velório de alguém que morreu desse vírus posso me contagiar? Não.
26.- Qual é o risco das mulheres grávidas com este vírus? As mulheres grávidas têm o mesmo risco mas por dois, podem tomar os antivirais mas em caso de de contagio e com estrito controle médico.
27.- O feto pode ter lesões se uma mulher grávida se contagia com este vírus? Não sabemos que estragos possa fazer no processo, já que é um vírus novo.
28.- Posso tomar acido acetilsalicílico (aspirina)? Não é recomendável, pode ocasionar outras doenças, a menos que você tenha prescrição por problemas coronários, nesse caso siga tomado.
29.- Serve para algo tomar antivirales antes dos síntomas? Não serve para nada.
30.- As pessoas com AIDS, diabetes, câncer, etc., podem ter maiores complicações que uma pessoa sadia se contagiam com o vírus? SIM.
31.- Uma gripe convencional forte pode se converter em influenza? NAO.
32.- O que mata o vírus? O sol, mais de 5 dias no meio ambiente, o sabão, os antivirais, álcool em gel.
33.- O que fazem nos hospitais para evitar contágios a outros doentes que não têm o vírus? O isolamento.
34.- O álcool em gel é efetivo? SIM, muito efetivo.
35.- Se estou vacinado contra a influenza estacional sou inócuo a este vírus? Não serve para nada, ainda não existe vacina para este vírus.
36.- Este vírus está sob controle? Não totalmente, mas estão tomando medidas agressivas de contenção.
37.- O que significa passar de alerta 4 a alerta 5? A fase 4 não faz as coisas diferentes da fase 5, significa que o vírus se propagou de Pessoa a Pessoa em mais de 2 países; e fase 6 é que se propagou em mais de 3 países.
38.- Aquele que se infectou deste vírus e se curou, fica imune? SIM.
39.- As crianças com tosse e gripe têm influenza? É pouco provável, pois as crianças são pouco afetadas.
40.- Medidas que as pessoas que trabalham devam tomar? Lavar-se as mãos muitas vezes ao dia.
41.- Posso me contagiar ao ar livre? Se há pessoas infectadas e que tussam e/ou espirrem perto pode acontecer, mas a via aérea é um meio de pouco contágio..
42.- Pode-se comer carne de porco? SIM pode e não há nenhum risco de contágio.
43.- Qual é o fator determinante para saber que o vírus já está controlado? Ainda que se controle a epidemia agora, no inverno boreal (hemisfério norte) pode voltar e ainda não haverá uma vacina.

Ministério da Saúde tira dúvidas
O Ministério da Saúde elaborou um guia que responde às principais dúvidas dos brasileiros sobre o vírus Influenza A (H1N1), causador da gripe suína. As perguntas vão desde a previsão de produção da vacina no Brasil até os critérios de distribuição do medicamento para o tratamento da doença. Quem tiver outras pergunta pode ligar para o Disque Saúde (0800 61 1997). As informações abaixo foram elaboradas pelo ministério.
1 - Qual a diferença entre a gripe comum e a influenza A (H1N1)?
Elas são causadas por diferentes subtipos do vírus Influenza. Os sintomas são muito parecidos e se confundem: febre repentina, tosse, dor de cabeça, dores musculares, dores nas articulações e coriza. Por isso, não importa, neste momento, saber se o que se tem é gripe comum ou a nova gripe. A orientação é, ao ter alguns desses sintomas, procure seu médico ou vá a um posto de saúde. É importante frisar que, na gripe comum, a maioria dos casos apresenta quadro clínico leve e quase 100% evoluem para a cura. Isso também ocorre na nova gripe. Em ambos os casos, o total de pessoas que morrem após contraírem o vírus em todo o mundo é, em média, de 0,5%.
2 - Existe transmissão sustentada do vírus da Influenza A (H1N1) no Brasil?
Desde 24 de abril, data do primeiro alerta dado pela Organização Mundial da Saúde (OMS) sobre o surgimento da nova doença, até o dia 15 de julho, o Ministério da Saúde só havia registrado casos no país de pessoas que tinham contraído a doença no exterior ou pego de quem esteve fora. No dia 16 de julho, o Ministério da Saúde recebeu a notificação do primeiro caso de transmissão da influenza A (H1N1) no Brasil sem esse tipo de vínculo. Trata-se de paciente do estado de São Paulo, que morreu no último dia 30 de junho. Esse caso deu a primeira evidência de que o novo vírus está em circulação no território nacional. Todas as estratégias que o Ministério da Saúde deveria adotar numa situação como esta já foram tomadas há quase três semanas. O Brasil se antecipou. A atualização constante das ações contra a nova gripe permitiu que, neste momento, toda a rede de saúde esteja integrada para manter e reforçar as medidas de atenção à população.

Para tirar dúvidas,
ligue para o Ministério da Saúde
Disque Saúde 0800 61 1997

sexta-feira, 24 de julho de 2009

CLAMOR POR SEGURANÇA PÚBLICA EM LELIVÉLDIA

Gildázio Santos
Há algum tempo em Lelivéldia vem ocorrendo crimes com características dos que ocorrem nas grandes cidades: roubo (como o que aconteceu com a dona Maria de Dito); furto de computadores (como o que aconteceu na E.E. Hermano José), assalto às residências e estabelecimentos comerciais, ações de vandalismo contra a o Patrimônio Público, quebradeira dos bancos da Praça São Norberto, apedrejamento do prédio novo da Unidade de Saúde, que ainda nem foi inaugurada, apedrejamento da Unidade de Processamento de Mel da APPRIB, com apenas sessenta dias de construída, furto de fiação elétrica e arame fartado no sítio de Tonhão, furto de arame farpado, fiação elétrica, portas e janelas de uma casinha do Patronato, furto de arame farpado da Associação dos Pequenos Produtores Rurais (APPRIB), invasões descaradas nas terras do Patronato...
Onde estão as autoridades policiais de Lelivéldia, ou melhor, do município de Berilo?
Será que os BOs - Boletins de Ocorrência que estão sendo lavrados pelos Policiais de Lelivéldia estão chegando às mãos de quem pode realmente tomar providências?
O que pensam os delinqüentes que comentem essas ações?
O Estado incentiva os homens de bem a se organizarem, libera altas somas em dinheiro para criar uma realidade mais digna, acreditando que dessa forma pode-se minimizar a “fome e a miséria” que assola a região.
Esses que acreditam poderem ser úteis à sociedade, discutem as prioridades na comunidade, se desdobram na execução das ações para trazer o desenvolvimento e depois são obrigados a amargar as conseqüências das ações irresponsáveis e debochadas daqueles que não passam de parasitas e traças inúteis na sociedade.
Diante de tantas ações criminosas em uma comunidade tão pequena, que poderia ainda ser um lugar para se viver harmoniosamente, onde ainda poderíamos sentar nas calçadas no fim de tarde pra trocar um dedo de prosa, está se transformando num reduto de bandidos, que se julgam impunes e intocáveis.
Ás vezes é desolador lutar pelo bem coletivo e ter que conviver com tanto descaso por parte daqueles que acreditamos serem nossos parceiros, apoiadores e parte também responsável pela guarda e salva-guarda do bem social.
Se providências não forem tomadas, qual será o futuro de nossas crianças?
Serão os homens de bem obrigados a trancar os seus filhos e seus idosos dentro de casa enquanto os bandidos se vangloriam das suas proezas criminosas, livres e impunes????


Gildázio Santos é apicultor, diretor da Associação dos Pequenos Produtores Rurais -APPRIB, do Patronato, morador do distrito de Lelivéldia, município de Berilo, Vale do Jequitinhonha, nordeste de Minas.
***********
Creio que a preocupação de Gildázio é a de muitos pais, mães e pessoas de bem de Lelivéldia e de todo o município de Berilo e região. O índice de violência vem crescendo de forma assustadora em todas as comunidades, pequenos povoados, cidades. Lelivéldia e Berilo não escapam desta realidade.
Acredito que a reunião da comunidade em torno de um CONSEP - Conselho de Segurança Pública é uma das formas da comunidade responder a todas as questões que atormentam a muita gente. A Segurança Pública é uma área que deve ser de responsabilidade de todos, não somente dos políciais, do poder judiciário, do Estado.
Alguns atos de violência, roubo/furto vem se dando por jovens envolvidos com o consumo de drogas pesadas e com o narcotrático. Muitas ações podem ser de caráter sócio-educativas, de saúde, e não apenas punitivas, repressoras. Há ações preventivas e repressivas a serem tomadas, mas a responsabilidades são de vários segmentos sociais.
Que cada um e todos nós nos responsabilizemos para encontrar soluções para questões tão preocupantes quanto às que afligem a comunidade de Lelivéldia.

Salto da Divisa realiza novas eleições neste domingo
O município de Salto da Divisa, no Vale do Jequitinhonha, nordeste de Minas, terá eleições extemporâneas neste domingo, dia 26 de julho, devido à cassação do prefeito e vice eleitos em 2008.
Segundo o magistrado, jui-auxiliar da Corregedoria Eleitoral do TRE-MG, José do Carmo Veiga de Oliveira, que foi “in loco” verificar a situação do clima eleitoral no município, tudo está dentro dos padrões da normalidade, não causando nenhuma preocupação adicional à Justiça Eleitoral.
A reunião teve a participação dos dois candidatos a prefeito do município, do juiz eleitoral local, Eduardo Monção Nascimento; do promotor eleitoral, Moisés Batista Abdala; do presidente da Câmara Municipal, Lindon Johnson Lima; do delegado de polícia Hugo Arruda e de representantes da Polícia Militar local. Apesar da situação de normalidade, o tenente coronel Romildo Scheffer informou que, até o dia das eleições, terá um efetivo reforçado para que a tranquilidade no município seja mantida.
Candidatos
Disputam as eleições em Salto da Divisa – pertencente à 144ª Zona Eleitoral de Jacinto (Nordeste do Estado) – duas chapas, que já tiveram seus registros deferidos em primeira instância: Clelia Peixoto Miranda Cunha e Almir Gomes Lima, pela Coligação “O Progresso Continua” (PTB/PMDB/PPS), e Ronaldo Athayde da Cunha Peixoto e Antonio de Pádua Sebastião Pimenta, pela Coligação “O Salto que Queremos” (DEM/PR/PSDB).
Cada coligação apresentou impugnação às candidaturas concorrentes, mas nenhuma delas foi acolhida pelo juiz responsável.
Salto da Divisa, no Baixo Jequitinhonha, no nordeste de Minas, fica na divisa de municípios do sul da Bahia, como Eunápolis.
Fonte: TRE-MG
Rádio Vale FM faz sucesso no Médio Jequitinhonha
O longo sonho acalentado da Diocese de Araçuaí de ter a sua emissora de rádio, acabou se tornando realidade nas mãos do bispo atual, Dom Severino Clasen.
Para colocar no ar o primeiro sinal, no dia 11 de julho de 2008, o bispo franciscano contou com a coragem, determinação e ousadia de um casal jovem de Belo Horizonte, que mesmo recém-formado em Relações Públicas e sem nenhuma bagagem sobre este veículo de comunicação, aceitou o desafio e hoje, um ano e três meses depois eles estão entregues de corpo e alma no projeto Vale FM, rádio que aos poucos conquista os ouvintes do Vale do Jequitinhonha, entre as montanhas de Minas Gerais.
Hugo e Francielle confessam que chegaram a pensar em desistir de tudo em duas ocasiões, mas a amizade que têm pelo bispo garantiu a continuidade do projeto na diocese. Para eles, valeu a pena o desafio e tem "sido muito prazeroso” o trabalho.
Pela frente, Hugo e Fran têm muitos sonhos e desafios, mas acreditam que estão no caminho certo. Com uma estrutura ainda deficitária, mas bem próxima de se tornar independente, a rádio tem um custo mensal atualmente de 13 mil reais para a Diocese de Araçuaí, empregando sete profissionais.
Desafio
O desafio para os dois é convencer os pequenos e médios empresários a apostar e investir na rádio. Para se ter uma idéia, segundo o casal, na capital mineiro, um spot de 30 segundos não é veiculado por menos de 100 reais. Em Araçuaí o mesmo spot sai por três reais. Some-se a isso o fato de não ter agência de comunicação na região e as peças publicitárias e vinhetas precisam ser feitas em BH.
O Diretor Hugo Ferreira informa que “com potência de 5 mil watts, a nova emissora educativa atinge os 27 municípios da Diocese, embora com sinal de ótima qualidade atinge 11 perímetros urbanos. O mais surpreendente de tudo é que a dupla conseguiu implantar na região uma programação refinada e de qualidade, que prioriza o melhor da Música Popular Brasileira. E não bastasse isso, quem ajudou a construir a programação foi a própria população, que cedeu coleções de cds para serem inseridas na cedeteca da rádio".
“Se há séculos as informações se concentravam em praças, hoje depende dos meios de comunicação para se propagarem. E aí o Vale do Jequitinhonha tinha uma lacuna nesse sentido. Faltava alguém que fizesse isso de maneira abrangente e profissional, mesmo em nível regional. É claro que você tem as rádios, a maior parte delas não legalizadas. Mas toda cidade tem pelo menos uma. Contudo, as comunidades rurais não tinham esse mecanismo. E aí, se a gente fala, enquanto Igreja, em dignidade humana, disponibilizar o acesso à comunicação - e uma comunicação de qualidade - também está contribuindo para a evangelização sem necessariamente ter a linguagem de quem está dentro da Igreja, sem usar a linguagem catequética”, conclui Hugo.Francielle Oliveira, Relações Públicas, afirma que “temos uma diocese muito extensa e, em alguns pontos, de difícil acesso. Com a rádio, a gente tem condições de chegar até essas pessoas e levar informações sobre atividades da comunidade. A gente tem informado muito sobre associações de bairro, reuniões de comunidade etc.Nós estamos chegando a muitas comunidades que há muitos anos não recebiam sinal de rádio.
Linha cultura refinada
A programação da rádio tem uma linha cultural mais refinada e de qualidade na programação musical. Francielle explica: “Logo que chegamos aqui, percebemos que todas as rádios seguiam o mesmo estilo ou linha. Eram voltadas para o axé, sertanejo e forró e um pouco de funk. Foi o fato de perceber a ausência de outro estilo que nos motivou a fazer isso. Afinal, as pessoas têm o direito de escolher o que querem ouvir. E como não tinha essa opção de MPB e pop rock, resolvemos investir nessa linha. Mas qualquer que fosse também a escolha musical, seria para fazer algo de qualidade. Essa certeza nós tínhamos".
Hugo complementa: “O que não significa que tenhamos os olhos fechados para os estilos que estão aí. Mas hoje o que dá as caras Vale FM é o pop rock e a MPB, com predominância da música brasileira. Mas tem sertanejo também. E aí aproveitamos o sertanejo para colocar alguma coisa na linha do forró, porque os ritmos e melodias são muito similares. Talvez o que a gente fez muito diferente foi segmentar. Não mistura tudo, mas definir um horário para isso, outro para aquilo.
Francielle acrescenta: “O que vale falar também é que a própria população ajudou a gente a montar, a escolher esses estilos na rádio. Quando iniciamos, passamos a colocar um pouco de axé, mas recebemos ligações e fomos parados nas ruas pelas pessoas pedindo "não vai por esse estilo, não, porque já tem demais". Claro, se no início a gente tivesse recebido um retorno negativo a essa proposta, teríamos mudado. O importante é que a maioria do nosso acervo foi feito com cds do povo daqui. Eles é que trouxeram os cds. E fomos alimentando o nosso acervo”.
A rádio funciona no Alto Santuário, em Araçuaí, Vale do Jequitinhonha, nordeste de Minas.
Chapada do Norte - Vale do Jequitinhonha
Fiéis fazem ato público de veneração à Santa Cruz
No dia 03 de Maio, segundo a tradição antiga, é o dia dedicado à invenção da Santa Cruz, que é a padroeira da nossa cidade. Nossa paróquia tem o nome de Santa Cruz. Houve muitas festas em toda a paróquia, com muita animação; missas, novenas, leilões, procissões, dedicadas à Santa Cruz.
Este ano, outra coisa melhor aconteceu. Há dois anos atrás, o nosso Cruzeiro, colocado no alto, à entrada da cidade por Padres Redentoristas, caiu. Algumas pessoas dizem que foi por um vento forte que houve. Houve muitos comentários; até as coisas erradas que foram acontecendo, falamos na falta do Cruzeiro.
Este ano, com grande alegria, foi colocado outro Cruzeiro, doado por pessoas da nossa comunidade, com a participação da Prefeitura Municipal.
No sábado, dia 02 de maio, houve uma concentração de homens para carregar o Cruzeiro até o local a ser levantado. Foi uma procissão belíssima, acompanhada das mulheres que cantavam os benditos à Santa Cruz.
Na manhã do domingo, dia 03, foi então levantado o cruzeiro. Às 18:30 h ele recebeu a bênção pelo nosso querido padre Luciano. Foi uma cerimônia linda, com pregação, incenso, água benta e logo após, as luzes do Cruzeiro foram acesas, para a alegria de todos nós.Obrigado Padre Luciano, pelo seu carinho e cuidado com suas ovelhas de Chapada do Norte.
C hapada do Norte, 05 de maio de 2.009.
Relato de Dona Maria Inês, Ministra da Comunhão Eucarística na Paróquia de Santa Cruz, em Chapada do Norte - MG, Vale do Jequitinhonha
.
Araçuaí - Vale do Jequitinhonha
KIAU FOLIA VAI LEVANTAR POEIRA
O Kiau Folia, carnaval temporão de Araçuaí, já tem 3 atrações confirmadas: Psirico, Netinho e Azorra. A festa será realizada nos dias 18, 19 e 20 de setembro, na cidade Araçuaí, no Vale do Jequitinhonha, nordeste de Minas.
A realização é da DA Promoções.
Araçuaí - Vale do Jequitinhonha
CLUBE DO CAVALO REALIZA A VII EDIÇÃO DA MISSA DO VAQUEIRO
Foi realizada no domingo, dia 12 de julho, a sétima edição da Missa do Vaqueiro, presidida pelo padre Manoel Antonio Cardoso, na cidade de Araçuaí, no Vale do Jequitinhonha, nordeste de Minas.
O evento, que tem suas raízes no sertão pernambucano, se consagra a cada ano em Araçuaí e resgata a figura do sertanejo como símbolo vivo da nossa cultura. A sétima edição da Missa do Vaqueiro foi realizada no parque de exposições local. O evento foi realizado pelo Sindicato dos Produtores Rurais em parceria com o Clube do Cavalo.
A missa presidida pelo padre Manoel Antonio Cardoso reuniu centenas de cavaleiros e amazonas atraídos principalmente pelas fortes raízes sertanejas do evento. A ideologia cristã da Missa do Vaqueiro é um ato de fé do homem do sertão, que apesar de ser um povo sofrido, jamais perde a esperança por dias melhores. Durante o sermão, o padre Manoel externou sua emoção em celebrar, pela primeira vez, a Missa do Vaqueiro. Durante a cerimônia, a liturgia católica assume a roupagem cultural do sertão.
A celebração eucarística realizada ao ar livre reuniu um grande número de pessoas. A maioria delas, vestida a caráter e montada em seus cavalos, que também foram cuidadosamente preparados para o evento. Durante as oferendas, celas, arreios e instrumentos de pastoreio foram levados ao altar.
Para Larissa Campos, presidente do Clube do Cavalo, a Missa do Vaqueiro valoriza a figura do sertanejo, que representa uma das bases da economia do município.
Ao final da celebração, o padre Antonio abençoou os cavaleiros. Em sinal de fé e respeito eles retribuíram o gesto erguendo seus chapéus.
Logo em seguida foi realizada uma grande cavalgada, puxada por um mini trio elétrico. As bandeiras do Brasil, do estado, do município e do sindicato ruralista foram conduzidas na comissão de frente.
O evento reuniu cerca de oitocentos cavaleiros e amazonas que percorreram diversas ruas da cidade, transformando a tarde de domingo com muita festa, alegria e descontração.
Repórter: Sérgio Maioline, da TV ARAÇUAÍ

XVI EXPOITA faz rodeio, manguaça e supercross
Itamarandiba teve festa para todos
Aconteceu de 01 a 05 de julho, em Itamarandiba, a XVI EXPOITA a maior e melhor festa de rodeio do Vale do Jequitinhonha, no nordeste de Minas. O evento já é tradição na cidade e tem crescido e tomado proporções em níveis estadual e nacional. Com atrações que agradaram crianças, jovens e adultos, a XVI EXPOITA foi sucesso desde o primeiro dia.
O prefeito municipal Tom Costa presenteou itamarandibanos e amigos com um excelente evento que contou, não somente com montarias em touros e cavalos, mas, também concursos de marcha, cavalgadas, desfile das amazonas, rodeio mirim, upercross, Itamanguaça, shows musicais e pirotécnicos, muita gente bonita e uma excelente estrutura com arquibancadas, banheiros, tendas, galpão cultural, stands de produtos regionais, parque de diversões, camarotes, 02 palcos, praça de alimentação e muita segurança.
CONSAGRADOS ARTISTAS
O público pode pular, brincar e dançar muito ao som de artistas consagrados como Eduardo Costa, Marcelinho de Lima & Camargo, João Neto & Frederico, Bonde do Forró, Flávio Brasil, dentre outros.
As bandas regionais também tiveram vez e fizeram, novamente, excelentes shows. Os locutores de rodeio, Teco, Glaydson Rodrigues e Marco Brasil foram atrações à parte. Eles fizeram a multidão, que estava nos camarotes ou arquibancadas, vibrar a cada montaria nos touros ou cavalos. Entretanto, ao término da apresentação de montarias, as atenções e coreografias eram imediatamente transferidas para um grande palco de onde shows, com artistas e bandas de estilos variados, animavam o povo até quase o dia clarear.
Festa popular
A EXPOITA tem crescido consideravelmente a cada ano e na sua 16ª edição, com a participação efetiva do povo itamarandibano e de muitos visitantes, teve um dos maiores públicos, até então registrado.
Todos os dias a multidão lotava o Parque e dentre os presentes estava sempre o servidor público, Vinicius Farnezi, itamarandibano que mora há 10 anos em Belo Horizonte, grande entusiasta da festa desde as primeiras edições, que elogiou a estrutura e enfatizou que “a cada edição a festa só melhora e é por isso que não perco uma. Esse ano foi ótimo e torço para que nos anos futuros esteja tão boa, ou melhor, que essa de 2009. Parabenizo a organização pelo excelente trabalho”.
A festa que já se tornou tradição no Vale do Jequitinhonha, começa a se destacar também no cenário estadual e nacional. Prova disso são as irmãs paranaenses Orzeni Carvalho e Orzinelli Carvalho, que viajaram aproximadamente 1.500 quilômetros, de Astorga, Paraná, até Itamarandiba, para participarem do evento. “Tenho parentes aqui em Minas e sempre ouvi falar da Expoita e quando soube que seria no inicio de julho não pensei duas vezes para vir. Gostei tanto que pretendo um dia voltar. Se não fosse tão longe voltaria todos os anos”, afirmou Orzeni.
ITAMANGUAÇA
EXPOITA não é um evento restrito apenas ao Parque de Exposições, com apresentação de rodeios e exposições agropecuárias, expandindo-se por toda a cidade.Exemplo desse benéfico crescimento tem sido a atuação da “Turma da Itamanguaça” que todos os anos, no sábado da festa, lota o Largo do Souza, região central da cidade.Este ano, com apoio da Prefeitura Municipal, foi montado um palco e ali jovens se aglomeraram para curtirem shows com bandas regionais. A brincadeira revelou-se saudável e contagiante na alegria que tomou conta de todo o Largo.
Supercross
Outro evento, paralelo à EXPOITA, é o supercross. É uma das grandes atrações que acontece no interior do Parque onde existe uma pista para a realização de competições de alto nível. No domingo, dia 5 de julho, aconteceu a 7ª Etapa da Copa Brasil de Supercross. Nesta concorrida atração, para a felicidade e vibração dos itamarandibanos, a conterrânea Tauane Fernandes, de 16 anos, mais uma vez, brindou a todos com um incrível show de pilotagem e, com muita garra e competência, venceu na categoria intermediária B.
Fonte: geraldomotacoelho.blogspot.com

UFVJM
Vestibular é domingo, dia 26
A Universidade Federal dos Vales do Jequitinhonha e Mucuri (UFVJM) marcou para o próximo domingo, dia 26 de julho de 2009, a nova data do Vestibular 2009 e da Transferência e Obtenção de Novo Título.Os candidatos devem imprimir o novo Comprovante Definitivo de Inscrição (CDI) no site http://www.ufvjm.edu.br/ onde também poderão obter maiores informações.
O vestibular da UFVJM foi cancelado por decisão judicial nas cidades de Araçuaí, Belo Horizonte, Diamantina, Ipatinga, Montes Claros e Teófilo Otoni dois dias antes da aplicação das provas que seriam realizadas no dia 12 de julho último.
A medida foi tomada pelo reitor da UFVJM , Pedro Angelo Almeida Abreu em cumprimento a determinação do juiz federal, Pedro Francisco da Silva, relator do Agravo de Instrumento impetrado pela empresa AOCP - Assessoria em Organização de Concursos Públicos contra a UFVJM, alegando irregularidades.

Açude de Setúbal teve pagamanto de CPMF indevido
Em Minas, a Controladoria Geral da União (CGU) já constatou o pagamento indevido da CPMF na obra de construção do Açude de Setúbal, em Jenipapo de Minas, na região do Vale do Jequitinhonha, nordeste de Minas. A obra é uma parceria do governo federal com o governo estadual. A CGU informou por meio de nota que foi determinado ao Ministério da Integração Nacional que providenciasse "a revisão do contrato junto ao convenente para adequá-lo à extinção da CPMF, dentre outros problemas identificados". O governo mineiro não forneceu informações hoje sobre a obra.
O governo de Minas Gerais irá publicar nos próximos dias uma instrução normativa determinando a revisão de todos os contratos que podem ter previsto pagamento indevido pelo Estado da Contribuição Provisória sobre Movimentação Financeira (CPMF). A instrução normativa orientará gestores de secretarias e órgãos governamentais. Será dada prioridade aos repasses diretos dos cofres do Estado. Segundo a Subsecretaria de Comunicação da administração estadual, uma revisão já foi feita nas obras com maior valor e não foi encontrada nenhuma irregularidade relativa à CPMF.
Um levantamento do Tribunal de Contas da União (TCU), realizado em 2008 e neste ano, constatou em pelo menos 20 auditorias que empresas e órgãos do governo federal ainda repassam o equivalente ao valor da CPMF - extinta há um ano e meio pelo Congresso - para fornecedores, que incorporam a alíquota de 0,38% como lucro. (Eduardo Kattah)
Fonte: Agência Estado - http://www.ae.com.br/